segunda-feira, 15 de abril de 2019

Numa instituição do "ensino" superior de Lisboa: indignaçãozinha hipócrita por causa de um boneco preto que afinal era branco


Um muito obrigado! ao 8gn8g3 por nos ter trazido aqui esta pérola da indignaçãozinha anti-racista militante:

«A imagem de um boneco negro colocado nos corredores do ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa, com a frase "bate-me agora" escrita num papel pendurado na figura, está a causar polémica nas redes sociais.




A imagem foi partilhada por Miguel Vale de Almeida, docente daquela instituição académica, que acusa os organizadores de "ignorância". A iniciativa partiu da empresa Smash It Room que, em colaboração com estudantes do ISCTE, colocou um boneco com um bastão ao lado, incentivando a que os académicos "destressem", atingindo a figura com um pancada.

"Isto é pura e simplesmente inaceitável. Tanto os organizadores do evento, quanto a empresa que lhes forneceu objectos para alívio do stress (ou lá o que é) demonstram uma escolha ou ignorância inadmissíveis", escreveu o docente na sua página de Facebook.»


Típico: o Almeida (recuso-me a tratar por professor um cretino como este) fala em "ignorância", mas não sem nunca explicar exactamente em que é que os organizadores do evento são "ignorantes".  Isto é a Teoria Crítica do Marxismo Cultural em estado puro: critica-se só por criticar, sem nunca apresentar justificações ou alternativas.

E claro, esta história do boneco não era nada do que parecia:


«Um dos sócios-gerentes da empresa Smash It Room, César Lemos, disse considerar estas acusações infundamentadas. "A cor original do boneco nem sequer é negro. Ele ficou assim por causa do uso constante, uma vez que está exposto diariamente no nosso estabelecimento para o mesmo fim. Este tipo de bonecos existem em vários ginásios e são utilizado para artes marciais. Estão até disponíveis para venda", explicou.»




«Na página de Instagram da empresa, os responsáveis pela mesma mostram uma fotografia do mesmo boneco na sua "cor de fabrico", garantindo que a fotografia que originou a polémica está "claramente escurecida". "No nosso estabelecimento temos várias pessoas, inclusivamente de diferentes raças e etnias a bater no boneco. Nunca a questão do racismo foi levantada, até hoje", concluiu.
Por fim, César Lemos esclarece que o papel que está ao pescoço do boneco, que diz "bate-me agora" só foi colocado uma vez que as pessoas questionavam constantemente se podiam bater na figura. Entretanto, a Smash It Room foi contactada pelo ISCTE a fim de retirar a imagem dos corredores, algo que não foi preciso, uma vez que o evento já terminou.»

Ou seja, tratou-se de mais um episódio absolutamente ridículo protagonizado pelos funcionários perpetuamente ofendidos da indústria da vitimização anti-racista, sempre à procura de "racismo" onde quer que seja, logo desde o momento em que saem de casa, talvez até desde o momento em que se levantam da cama todas as manhãs. 

Qualquer dia ainda há-de aparecer um destes "iluminados" a jurar que o cabelo humano é racista, porque, com o passar dos anos, vai ficando branco...

13 comentários:

  1. Ah pronto se é branco pode-se bater! Acho bem bater no branco mau e opressor até deviam fazer um buraquinho para o boneco poder ser violado ou colocar umas calças com uma carteira cheia de notas lá dentro para poder ser roubado. Assim é que esta bem.

    ass: FdT

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahah! De facto, logo que se percebeu que o boneco afinal era branco, o assunto morreu. Até nisso se nota que esta gente quer é fomentar problemas, não resolvê-los!

      Eliminar
    2. kk nem tinha visto esse post foi mesmo isso que achei hilario

      Eliminar
    3. bem dito vao colocar um cw de cyberskin e uma carteira kk

      Eliminar
    4. Eles estão tão cegos pelo seu ódio anti-branco que nem percebem como a sua postura é hipócrita...

      Eliminar
  2. Estamos testemunhando o resultado da crescente imbecilização do ser humano. É daí pra baixo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo! Mas atenção, muito dos professores universitários que promovem esta falsa indignação sabem muito bem o que estão fazendo. Eles seguem o modus operandi neomarxista de vitimização das "minorias": toda e qualquer oportunidade de apontar "raxismo" aos brancos é imediatamente aproveitada, por mais absurda que pareça. Julgo que foi isso que sucedeu neste caso, a atitude desse Almeida é muito habitual nos professores das "ciências" sociais.

      Eliminar
    2. Mas eles fazem isso pra incentivar a raiva e o comportamento "nada agressivo e violento" dos "jovens" contra os velhos; pra dividir a sociedade, tentando até mesmo fazer os velhos odiarem os "jovens",ou o que? Confesso que tenho dificuldade pra a motivação por trás disso. E o objetivo final seria o comunismo econômico? Ou seja, a matança de milhões de pessoas por fome ou tiros ?

      Eliminar
    3. «Mas eles fazem isso pra incentivar a raiva e o comportamento "nada agressivo e violento" dos "jovens" contra os velhos; pra dividir a sociedade, tentando até mesmo fazer os velhos odiarem os "jovens",ou o que?»

      Sim, em grande parte é isso mesmo. Tanto quanto eu consigo perceber -as opiniões acerca das verdadeiras intenções da superclasse globalista são muito díspares, mesmo entre os nacionalistas- o objectivo de toda esta estratégia é o desapossamento os brancos, removê-los gradualmente das posições de liderança e de poder em todo o Ocidente e, finalmente, dos seus bens e património. Isso está sendo feito de várias formas distintas, mas com o mesmo objectivo comum:

      1. Reduzindo a natalidade dos "velhos", para que o número de "velhos" nas gerações vindouras seja cada vez menor.
      2. Importando "jovens" e outros "indivíduos", para que o número de "jovens" nas gerações futuras seja cada vez maior.
      3. Promovendo uma cultura de vitimização e de revolta entre os "jovens", de forma a fazê-los odiar os “velhos” e a sua civilização;
      4. Promovendo uma cultura de culpa entre os "velhos", para que eles sintam vergonha da sua herança histórica e abdiquem de lutar pela sua civilização.
      5. Promover formas de degeneração social, moral e sexual (promiscuidade, drogas, homossexualismo), para acelerar ainda mais o processo de destruição em curso.


      «Confesso que tenho dificuldade pra a motivação por trás disso.»

      Todos temos, cara CL. Só os ignorantes têm certezas. E também aqui não há consenso absoluto. A maioria dos nacionalistas acreditam que o objectivo final é a miscigenação total dos povos do Ocidente (e depois do resto do mundo, nem que isso demore vários séculos). Os globalistas querem que aconteça, na Europa e à América do Norte, o que já aconteceu na maior parte da América do Sul... só que mais ainda, numa escala muito maior! Eles querem criar de uma "raça global" mestiça, de uma população uniforme, sem raízes nem pátria.


      «E o objetivo final seria o comunismo econômico? Ou seja, a matança de milhões de pessoas por fome ou tiros ?»

      Sobre isso apenas podemos especular. Mas essa é uma forte possibilidade. Se todo o Ocidente virar uma espécie de Brasil gigante, então terá certamente os mesmos problemas que o Brasil, só que em muito maior escala.

      Há porém uma segunda possibilidade, que a própria Cersei Lannister já apontou em comentários anteriores: o mundialismo económico. Ou seja, tendo em conta que a mestiçagem também está sendo promovida pelos plutocratas e pelas grandes corporações multinacionais, o objectivo final seria abrir os mercados e recursos de todo o mundo à superclasse. Um povo sem identidade não terá grandes objecções a ter sua terra, água e outros recursos roubados; e na hora de fazer as suas trocas comerciais, o preço e a qualidade serão os seus únicos critérios de escolha.

      Há ainda outras questões, como o declínio do QI no Ocidente. A mestiçagem leva à redução global da inteligência dos povos porque as raças que estão tendo mais filhos são precisamente as de menor QI. Isso já se observa aqui em Portugal, onde os resultados dos testes de QI caíram numa média 5 pontos em pouco mais de 20 anos, de 100 para 95 pontos. Mas noutros países da Europa, a tendência é semelhante, até mesmo nos do centro e norte da Europa. A Alemanha, por exemplo, também caiu de 105 para 100 pontos. Ora, os globalistas gostam disto porque um povo mais estúpido é mais facilmente enganado e (des)governado.

      Eliminar
    4. As possibilidades que você levantou tem lógica. Mas será que eles, da elite, também pretendem se miscigenar ? Eles já fizeram isso com alguns membros - com o motivo de tentar influenciar as massas, mas será que os manda chuvas pretendem virar "jovens" também? Se sim, o QI deles também cairia.

      As vezes também imagino uma outra possibilidade: uma terceira guerra mundial de esquerdistas e direitistas.
      Mas no fim das contas, o mais provável é que a elite consiga o que ela quer, seja uma coisa ou outra. Outro dia também estive pensando no histórico de gado das massas europeias (porque não conheço as outras, mas deve ser o mesmo). Quando foi que fizeram qualquer revolução? Se houve alguma, foi apagada de qualquer registro histórico, pois até a Francesa foi arquitetada pela elite atrás dos panos. Infelizmente , as massas são como um gado conduzido pelos controladores da Elite. Isso sempre foi assim, e não vejo como poderia ser diferente agora.

      Eliminar
    5. Eles já fizeram isso com« alguns membros - com o motivo de tentar influenciar as massas, mas será que os manda chuvas pretendem virar "jovens" também? Se sim, o QI deles também cairia.»

      Eu acredito que não. Aliás, acredito que a "elite2 está tentando descobrir formas de aumentar a sua inteligência. Na Europa e nas Américas, é considerado anti-ético usar pesquisa genética para tentar aumentar a inteligência. Mas os chineses, por exemplo, não partilham essa opinião, há cientistas chineses trabalhando diariamente para tentar isolar os genes da inteligência.

      Eu acredito que a superclasse irá usar os resultados dessa pesquisa em seu proveito.


      «Outro dia também estive pensando no histórico de gado das massas europeias (porque não conheço as outras, mas deve ser o mesmo). Quando foi que fizeram qualquer revolução? Se houve alguma, foi apagada de qualquer registro histórico, pois até a Francesa foi arquitetada pela elite atrás dos panos. »

      Exactamente. O povo, contrariamente ao que diz a História Oficial, não tem agência. Ele é sempre manipulado por grupos organizados que sabem apelar às suas emoções primárias. As revoluções são sempre comandadas pelas elites ou por grupos com poder militar, económico e/ou religioso. O 25 de Abril português é um exemplo disso: a versão oficial diz que o povo português estava revoltado com a ditadura de Salazar. Na prática, o que se passou é que, em face do esforço da guerra colonial, o Estado Novo havia concedido direitos de progressão na carreira a não-oficiais miliciainos, o que revoltou os oficiais de carreira militar. Ou seja, a "revolução do povo" foi, na prática, uma revolução de militares elitistas que não aceitaram ser ultrapassados por milicianos.


      «Isso sempre foi assim, e não vejo como poderia ser diferente agora.»

      Exacto. É francamente desanimador, mas eu também vejo a nossa situação dessa forma. E depois há outro problema: os brancos em geral são extremamente materialistas. Querem viver em boas casas, ter grandes carros e vestir roupas de marca. Vencer guerras implica abdicar de tudo isso, pelo menos temporariamente. A maioria dos brancos não está disposta a isso...

      Eliminar
  3. o hilario é que quando o boneco era branco ninguem dizia que era racismo a clientela diversa dele ir no boneco so virou racismo quando o boneco virou o michael jackson as avessas kk

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É como diz o "já sabemos quem": tudo é permitido enquanto não se tratar do "Amado Outro". Logo que aparece o "Amado Outro", o "raxismo" vem logo a seguir!

      Eliminar

TODOS os comentários têm de ser assinados. Além disso, os comentadores deverão observar as regras do blogue.