quinta-feira, 7 de junho de 2018

Nazionalizmo = falsa oposição? (4)


    Graças ao último podcast do Ilo Stabet, tive conhecimento desta pérola absolutamente deprimente no blogue da Nova Ordem Social, o tal movimento criado pelo skinhead Mário Machado que aspira vir um dia a constituir-se como um novo partido nacionalista e fazer concorrência ao PNR:
«A Nova Ordem Social, tem uma posição muito bem vincada sobre a prostituição.
A Prostituição é, na maioria dos casos, uma forma de exploração da mulher pelo homem, que é um reflexo da sociedade patriarcal em que vivemos, onde a mulher é vista em muitos dos casos como um objecto ou propriedade do homem.»

Mas que grandessíssimo monte de merda vem a ser este??? "Exploração da mulher pelo homem"?! "Reflexo da sociedade patriarcal em vivemos"?! "Onde a mulher é vista em muitos dos casos como um objecto ou propriedade do homem"?!?!?!?... 

Eu nem queria acreditar que estava a ler isto no blogue do movimento criado pelo skinhead Mário Machado!!! Esta merda parece ter sido escrita por um militante do bloco de esterco ou por uma vacória frustrada da UMAR, não por um nacionalista! Mas que raio de "nacionalistas" são estes, que recorrem ao que de pior e mais radical existe na retórica neomarxista??? Que escrevem como ideólogos feministas, como autênticos marxistas culturais?!?! "Sociedade patriarcal"?! "Exploração da mulher pelo homem"?!?!...

Enfim... o que vale é que, tal como no caso do fracassado "Partido da Liberdade", também dificilmente a NOS passará da fase de projecto. Seja como for, isto é mais uma confirmação daquilo que eu tenho denunciado várias vezes neste blogue: o Marxismo Cultural é tão perverso e pernicioso -e sobretudo tão eficaz- que até alguns nacionalistas já falam e escrevem como neomarxistas!

____________
Ver também:

Nazionalizmo = falsa oposição? (3)

13 comentários:

Unknown disse...

Caro Afonso

Eu lembro-me de ha varios anos ter lido um artigo nesse site que mais parecia ter sido escrito por uma feminista do bloco de esterco. Por isso na altura optei pelo outro partido dito nacionalista. Eu cheguei a comentar na altura no forum nacional que o feminismo é contrario ao Nacionalismo e que quem fosse feminista que fosse para o bloco de esterco, para o lixo onde pertence.
Já vi cada aberraçao escrita no Facecock por membros desse movimento. Um achava muito bem que as mulheres tivessem acesso às forças especiais (como os Comandos) porque de resto "somos todos iguais" e elas tem "esse direito". Eu nao me dei ao trabalho de comentar, apenas eliminei a pessoa dos meus"amigos", mas esse cavaleiro andante era totalmente ignorante das diferenças que existem entre homens e mulheres, algumas delas impedem totalmente as mulheres de poderem fazer parte das forças especiais ( e nao me refiro só ao factor físico mas a certas caracteristicas mentais das mulheres). A especies femininas que constituem esse movimento são, pode dizer-se, bastante másculas ao ponto ridiculo de dizer que já vi gajas do bloco de esterco mais femininas que elas. Os comentários de algumas delas fazem corar até o gajo mais másculo do partido, a roçar as conversas que um grupo de bebados pode ter numa taberna.
Tradicionalismo e Nacionalismo tem que andar de braços dados. Um não pode haver sem o outro. Quando se tem tendencias feministas não se pode ser Nacionalista. Quando uma mulher tem comportamentos masculinos e uma mentalidade totalmente feminista não pode jamais ser Nacionalista. Homens e mulheres sao eternamente diferentes, com papeis totalmente distintos na sociedade e um verdadeiro Nacionalista percebe isso. Um verdadeiro entende que coisas como o feminismo foram criadas para destruir essa mesma sociedade que eles dizem defender contra os nossos inimigos. Esse artigo mostrou bem a qualidade de algumas pessoas dentro do movimento.

Bruno Dias

Afonso de Portugal disse...

Bruno Dias disse…
«Eu lembro-me de ha varios anos ter lido um artigo nesse site que mais parecia ter sido escrito por uma feminista do bloco de esterco. (…) Eu cheguei a comentar na altura no forum nacional que o feminismo é contrario ao Nacionalismo e que quem fosse feminista que fosse para o bloco de esterco, para o lixo onde pertence.»

Caro Bruno Dias, eu confesso que fiquei chocado com esta posta da NOS! Uma vez apareceu-me uma tipa no meu canal do YouTube com uma conversa deste género e eu pus-lhe logo os patins, nunca pensei que esta palhaçada neomarxista pudesse ser possível num movimento fundado por um skinhead cadastrado!


«Já vi cada aberraçao escrita no Facecock por membros desse movimento. Um achava muito bem que as mulheres tivessem acesso às forças especiais (como os Comandos) porque de resto "somos todos iguais" e elas tem "esse direito".»

Fónix! Como é que é possível?!?! Na volta essa malta também é a favor dos gueis, do aborto e de outras aberrações modernaças! Mas que raio de “nacionalistas” são estes???


«A especies femininas que constituem esse movimento são, pode dizer-se, bastante másculas ao ponto ridiculo de dizer que já vi gajas do bloco de esterco mais femininas que elas.»

Bem, eu não as conheço pessoalmente, mas acredito em si caro Bruno Dias… e devo dizer que acho isto deveras preocupante. Eu tenho percebido, nos últimos anos, que até mesmo os nacionalistas têm uma resistência muito baixa aos efeitos do marxismo cultural. Mas confesso que não estava preparado para isto, é um autêntico pesadelo, nacionalistas feministas! Como é que alguém pode dizer-se nacionalista e depois subscrever a ideologia feminista, que é uma das formas mais tóxicas de negação do nacionalismo?!?!? O Nacionalismo realça e promove as diferenças, enquanto o feminismo quer forçar a igualdade à viva força!


«Tradicionalismo e Nacionalismo tem que andar de braços dados. Um não pode haver sem o outro. Quando se tem tendencias feministas não se pode ser Nacionalista.»

Exactamente, não pode haver cedências e ambiguidades em relação a isso. O Nacionalismo promove a santidade da família, da sexualidade natural e a natalidade… enquanto o feminismo persegue a família, promove as aberrações LGBT e o aborto!!! Não há qualquer possibilidade de reconciliar as duas mundivisões, elas são absolutamente antagónicas!


«Um verdadeiro entende que coisas como o feminismo foram criadas para destruir essa mesma sociedade que eles dizem defender contra os nossos inimigos. Esse artigo mostrou bem a qualidade de algumas pessoas dentro do movimento.»

Eu tenho de repetir mais uma vez, caro Bruno Dias, estou chocado! Nem consegui saborear o jantar depois de ter lido esta merda! Afinal andamos a denunciar o politicamente correcto, o marxismo cultural e teoria crítica para quê?!?! Para depois termos destes “nacionalistas” de merda que não percebem que os nossos problemas também decorrem da destruição dos valores e da moral tradicional? Que não percebem que o feminismo contribuiu activamente para destruir as nossas taxas de fertilidade, masculinizar as nossas mulheres, efeminar os nossos homens, virar os homens e as mulheres uns contra os outros, aumentar o número de divórcios e de abortos exponencialmente e, mais recentemente, criar as condições para a entrada em cena dos guerreiros da (in)justiça social? Isto é mau demais para ser verdade! E depois ainda há gente que tem a lata de dizer que o PNR é um partido burguês e que é falsa oposição! Ganhem mas é vergonha na cara!!!

João José Horta Nobre disse...

A maioria das prostitutas fazem o que fazem por opção própria e eu acho que ninguém tem nada a ver com isso. Para mim só há crime quando alguém obriga outra pessoa a prostituir-se, tal é o caso do lenocínio e isso em Portugal sempre foi crime.

Diga-se também e já agora que durante a maior parte da vigência do Estado Novo, a prostituição foi uma actividade legal e regulamentada em Portugal. Tanto quanto sei, as "meninas" até tinham direito a inspecções médicas periódicas e gratuitas. Foi só na década de 1960, devido à pressão do lobby da sacristia (who else?...), que Salazar acabou com a legalidade da prostituição e a "profissão mais velha do Mundo" caiu assim no vazio legal em que se encontra até hoje.

SanDisk disse...

Logo após ter lido o seu post, por acaso encontrei uma notícia em relação ao NOS e o momento de apresentação e mais em relação ao seu líder

https://www.publico.pt/2018/06/07/desporto/noticia/mario-machado-anuncia-candidatura-a-presidencia-da-juve-leo-1833573
Mário Machado junta candidatura à Juve Leo e apresentação de novo partido nacionalista
O antigo líder da Frente Nacional garante que, apesar de serem no mesmo local e no mesmo dia, se tratam de “dois eventos distintos”.

Poderá ser útil para a discussãqo aqui no blog - relação futebol-política, exclusividade, exclusividade ao trabalho partidário e crescimento do partido, etc. Ass. SanDisk

Bilder disse...

E qual "cereja no topo do bolo" da insanidade o dito cujo parece ser também candidato a "chefe dos indíos"(lá está o futebol mais uma vez,não por acaso)do clube de Alvalade e de Al-cochete.

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«A maioria das prostitutas fazem o que fazem por opção própria e eu acho que ninguém tem nada a ver com isso. Para mim só há crime quando alguém obriga outra pessoa a prostituir-se, tal é o caso do lenocínio e isso em Portugal sempre foi crime. »

Sim, concordo consigo, caro JJHN, e até vou mais longe: a prostituição devia ser legal. Sou dos poucos nacionalistas que conheço que defende a despenalização total da prostituição, pelas seguintes razões:

1. Tal como a lei seca nos EUA, a interditação da prostituição proporciona o aparecimento de redes mafiosas de tráfico de seres humanos.

2. Sendo ilegal, a prostituição não paga impostos, o que lesa o Estado e a todos nós.

3. Se olharmos para a história do jogo no Ocidente, verificamos que a legalização dos casinos foi duplamente vantajosa para o Estado porque, por um lado, permitiu arrecadar os impostos decorrentes do jogo e, por outro lado, os casinos legais passaram a denunciar os ilegais, porque lhes faziam concorrência desleal. Não vamos mais longe, a “nossa” Santa Casa lixou a Bwin aqui em Portugal precisamente por isso, porque lhe fazia concorrência sem prestar contas ao Estado português.

4. Sendo ilegal, a prostituição não é sujeita a controlo sanitário, pelo que os bordéis e as casas de alterne se transformam em focos de propagação de várias doenças, algumas das quais incuráveis.

5. A não ser que se crie uma espécie de estado talibã, há-de haver sempre homens que vão às prostitutas; legislar contra a prostituição é por isso legislar contra a natureza humana, algo que eu considero ser precisamente o maior erro da ideologia marxista.

E o que digo para a prostituição, também digo para as drogas. A prostituição e as drogas têm sido uma das maiores fontes de receita para todo o tipo de criminosos, muitos dos quais alógenos. Isto não é uma questão de “modernidade”, é uma questão de acabar com algumas das máfias mais poderosas no nosso país!


SanDisk disse...
«Logo após ter lido o seu post, por acaso encontrei uma notícia em relação ao NOS e o momento de apresentação e mais em relação ao seu líder»

Obrigado, caro SanDisk! Por acaso o leitor G, o cigano já me tinham trazido aqui essa notícia a semana passada, mas agradeço-lhe à mesma!

O meu objectivo em criticar a posta da NOS nem era atacar o MM, provavelmente ele nem sabe o que os seus camaradas andam a escrever. O que eu pretendia era alertar para a infiltração neomarxista no Nacionalismo. Seja como for, é evidente que não vejo com bons olhos essa mistura explosiva entre política e futebol…

Afonso de Portugal disse...

SanDisk disse...
«Poderá ser útil para a discussão aqui no blog - relação futebol-política, exclusividade, exclusividade ao trabalho partidário e crescimento do partido, etc.»

Pode crer que é, caro SanDisk! Aliás, a questão de sabermos se as claques de futebol ajudam ou não ao crescimento do Nacionalismo é uma das mais antigas e controversas no nosso meio, tendo sido impossível chegar a consensos. A minha opinião é peremptória: considero o modus operandi e a imagem que as classes de futebol nacionalistas passam ao mundo é francamente negativa. Um monte de gajos tatuados, grotescamente musculados, cheios de imagética nazi, com um ar permanentemente agressivo e alienado é precisamente o contrário da forma como eu acho que o Nacionalismo se deve apresentar ao povo.

Pelo contrário, o Nacionalismo deve apresentar-se como emanando do próprio povo, os nacionalistas devem parecer o mais normais possível, o mais integrados na sociedade possível. As pessoas votam naqueles com quem mais se identificam, não naqueles que parecem completamente perdidos, ou pior, que parecem criminosos…


Bilder disse...
«E qual "cereja no topo do bolo" da insanidade o dito cujo parece ser também candidato a "chefe dos indíos" (lá está o futebol mais uma vez, não por acaso) do clube de Alvalade e de Al-cochete»

Tendo em conta que o actual líder da Juve Leo é um “jovem”, desconfio que isso poderia provocar uma autêntica guerra civil entre os adeptos. Se a direcção do Sporting permitir isso, seja a do Burro de Caralho ou outra qualquer, então o Sporting não se pode queixar da desgraça que eventualmente vier a seguir. O que se passou em Al-cochete será uma brincadeira de meninos comparado àquilo que poderá acontecer se a turbe do MM se apoderar da Juve. E o pior de tudo é que as agressões e crimes dessa gente mancharão ainda mais a imagem do nacionalismo em Portugal, já tão enodoada pelas repetidas prisões de militantes nacionalistas…

Unknown disse...

"Para depois termos destes “nacionalistas” de merda que não percebem que os nossos problemas também decorrem da destruição dos valores e da moral tradicional?"

Dá que pensar do que será o futuro do Nacionalismo aqui em Portugal. Quem ficará muito contente com isto tudo serao os marxistas culturais, que descobriram que tem camaradas de pensamento nesses movimentos ditos nacionalistas.

Bruno Dias

Afonso de Portugal disse...

Bruno Dias disse...
«Dá que pensar do que será o futuro do Nacionalismo aqui em Portugal.»

O mais sinistro é que tenho visto esta tendência noutros movimentos nacionalistas europeus. A ideia básica dessas pessoas parece ser mais ou menos esta: "se disputarmos o feminismo à esquerda, poderemos aumentar o número de mulheres nacionalistas trazendo as feministas para o nossos". Este raciocínio até parece lógico numa primeira abordagem, porque apenas se considera as vantagens de reproduzir o discurso feminista, não as desvantagens. E o problema é que as desvantagens superam largamente as vantagens: a ideologia feminista destrói a qualidade de ambos homens e mulheres, aniquila a natalidade e a família, relativiza a santidade do casamento e facilita o divórcio. Ora, de que adianta atrair algumas mulheres para o Nacionalismo se depois os grandes problemas sociais dos nossos tempos são agravados???


«Quem ficará muito contente com isto tudo serão os marxistas culturais, que descobriram que tem camaradas de pensamento nesses movimentos ditos nacionalistas.»

Sem dúvida! Partindo do princípio de que esta gente é mesmo nacionalista e não infiltrada, os marxistas só podem ficar orgulhosos, porque a sua lavagem cerebral deu claramente resultado! Eu pensava que estas merdas só aconteciam na direitinha neoliberal mas afinal também temos "nacionalistas" que aderem aos dogmas suicidas da "modernidade"!...

Leitora disse...

" Este raciocínio até parece lógico numa primeira abordagem, porque apenas se considera as vantagens de reproduzir o discurso feminista, não as desvantagens."

Como disse certa vez Olavo de Carvalho, numa competição onde ambos os participantes adotam o discurso esquerdista, logicamente o MAIS ESQUERDISTA vai ganhar. É tonguice a direita querer usar o discurso esquerdista para ganhar apoio. O discurso deveria demonstrar personalidade própria, ser único e reconhecível. O da ''esquerda'' é assim.
Mas a bem da verdade, eu já não acredito mesmo em eleição e em democracia. Sei que o Afonso é contrário a essa ideia, e eu nem tenho esperanças que minha ideia um dia seja posta em prática, nem na minha região, nem no Brasil como um todo, nem em nenhum outro lugar. Mas é óbvio que os governantes governam contra o povo, e só sendo arrancados de lá e tendo seu poder anulado, para então grupos de pessoas locais passarem a tomar os assuntos nas próprias mãos. Assim, pessoas normais iriam defender o seu território, ao invés de esperar que o Governo faça isso. Eles mesmos iriam até as costas europeias, usando de exemplo o caso dos "Jovens" em botes, e a própria população decidiria o que fazer com eles. E poderiam também, lutar contra as """"""""ONGs""""""" Kalergis frente a frente. O principal inimigo não são os 'jovens", mas as elites. Só eliminando as elites é que o problema dos "jovens" poderia ser resolvido. Mas eu sei que isso não vai acontecer. : )

Afonso de Portugal disse...

Excelente comentário, cara Leitora, um dos melhores que você já deixou aqui! Desde logo, é sempre uma enorme alegria para mim ler os escritos de mulheres que não se revêem no cancro (câncer) do feminismo. Nem toda a gente percebe que as feministas não falam em nome das mulheres, apenas em nome delas próprias. Mas da Leitora eu não esperava outra coisa, sempre considerei a Leitora uma mulher inteligente...

O Prof. Olavo de Carvalho tem toda a razão, as pessoas preferem quase sempre a Coca-cola à Pepsi, não há volta a dar. O original é sempre melhor do que a cópia e tentar agradar a gregos e a troianos é a receita para o desastre.

Quanto à democracia, o meu problema não é tanto acreditar nela, eu também não acredito. O problema é que eu não vejo alternativas. Os europeus estão desarmados e o tráfico de armas é um dos poucos crimes que ainda é punido exemplarmente aqui na Europa. A única solução é criar milícias clandestinas, mas isso requer uma organização e uma logística enormes, a esmagadora maioria dos europeus foi tão amansada pela prosperidade material e pelo bem-estar relativo dos últimos sessenta anos que não tem disciplina nem espírito de sacrifício para isso.

Infelizmente, eu acredito que os europeus ainda vão ter de sofrer muito na pele até começarem a organizar-se...

Anónimo disse...

Afonso, acho que estás a sobrevalorizar essa frase, porque inclusivamente já vi várias postagens da NOS a condenar o feminismo por exemplo das capazes, acho que estarmos os nacionalistas, identitários, no mesmo lado no que é essencial é o mais importante,que é defender a nossa integridade cultural, história e de raça europeia.

Já agora se tiveres tempo vê o video do escudo identitário para o 10 de junho, bastante bom.

Assinado Fuas Roupinho

Afonso de Portugal disse...

Fuas Roupinho disse...
«Afonso, acho que estás a sobrevalorizar essa frase»

Talvez, mas eu acho que essa frase é realmente muito grave, porque quem a escreveu só pode ter andado a ler literatura feminista! Este tipo de linguagem não aparece num vazio, caro FR, ninguém sai da cama e desata a falar em "sociedade patriarcal" ou em "exploração da mulher pelo homem"! Essa conversa resulta inequivocamente da exposição à ideologia feminista!


«inclusivamente já vi várias postagens da NOS a condenar o feminismo por exemplo das capazes»

Bem, se isso for verdade, já fico mais descansado, mas não totalmente. Há alguém na NOS que, claramente, não entende o que é ser nacionalista. Ser Nacionalista não é apenas ser contra a imigração, ser Nacionalista é também ser pela preservação da cultura e do património da Nação. E é aqui que eu fico realmente preocupado quando vejo nacionalistas feministas, porque a sua posição feminista contradiz a parte da cultura. O feminismo é uma ideologia estrangeira, cuja concretização prática implica uma alteração dramática da organização da sociedade nativa conforme a conhecemos.


«acho que estarmos os nacionalistas, identitários, no mesmo lado no que é essencial é o mais importante, que é defender a nossa integridade cultural, história e de raça europeia.»

É precisamente por isso que eu só posso ficar preocupado com a posta da NOS, caro Fuas Roupinho. O feminismo é um atentado contra a nossa integridade cultural e contra a nossa história. E até contra a nossa raça porque, conforme eu mostrei nesta posta, a maioria das feministas é anti-branca! Não podemos fazer quaisquer concessões a este respeito, o feminismo é um dos inimigos mortais do Nacionalismo!


«Já agora se tiveres tempo vê o vídeo do escudo identitário para o 10 de junho, bastante bom.»

Sim, vi agora mesmo. Está de facto bastante bom, embora alguns dos rapazes precisem de treinar a dicção e de falar um pouco mais devagar. Mas repito, está bastante bom!