terça-feira, 8 de maio de 2018

Atenção a esta posta no Portugal Integral


    Na sequência desta troca de comentários que manteve comigo, o Ilo Stabet fez esta excelente posta no seu Portugal Integral, com muitos pontos importantes para os nacionalistas e os conservadores em geral reflectirem. Convido os leitores do TU que tiverem disponibilidade a passarem por lá para darem o seu feedback, uma vez que o autor merece.


É que, concorde-se ou não com o Ilo Stabet, ele tem uma grande virtude que, infelizmente, ainda é muito rara no meio nacionalista: ele não se limita a criticar e a deitar abaixo, ele apresenta alternativas! Uma das características mais exasperantes do militante nacionalista médio é ser muito expedito a identificar o que não deve ser feito, mas depois ser péssimo a dizer o que se deve fazer em alternativa. Dou-vos um exemplo concreto: uma das situações em que mais tive vontade de esmurrar o meu monitor e atirar o meu computador pela janela fora foi a discutir as (des)virtudes da Democracia com os nazionaliztas. A coisa correu mais ou menos assim:
Naz: A democracia é uma fraude, porque as pessoas não valem todas o mesmo, pelo que um sistema em que todas as pessoas possam votar e valer o mesmo nas urnas é um perfeito disparate!
AdP: Mas então qual é a alternativa?
Naz: Uma aristocracia meritocrática. Um sistema em que o poder seja exercido exclusivamente pelos melhores.
AdP: Assumindo que isso seria viável, como é que se identificam os melhores?
Naz: Ah, os melhores são os mais capazes, os mais competentes...
AdP: E como se identificam os mais capazes e mais competentes?
Naz: Hum... haveria uma classe ou conjunto de pessoas com provas dadas que depois poderiam ser escolhidas...
AdP: Mas escolhidas mediante que critérios?
Naz: Mérito, capacidade e competência, é claro!
AdP: (Suspiro)... Esses conceitos, por si só, são demasiado subjectivos. É preciso definir melhor o que é que se entende por "mérito", por "capacidade" e por "competência"!
Naz: Mas isso só se poderia decidir depois de olharmos para o tal conjunto de pessoas com provas dadas! Teríamos que fazer um levantamento das qualidades de cada uma delas e depois escolher as melhores...
AdP: Mas como é que podemos olhar para um "conjunto de pessoas com provas dadas" se nem sequer partimos de um critério concreto e objectivo para formar esse conjunto???
Naz: Estás a complicar tudo, Afonso! Uma coisa são as provas dadas, outra coisa é o mérito!... As provas têm a ver com o historial até então, o mérito tem a ver com o potencial a partir daí!
AdP: (Suspiro)... Mas como, se uma coisa (mérito) decorre da outra (provas dadas)?
Naz: Não é verdade, uma pessoa pode ter mérito sem ter provas e provas sem ter mérito!...
AdP: Ora, f#$&§!!!
Naz: O Afonso é muito emocional, não consegue pensar nestes assuntos friamente. Precisa de ler mais acerca destas matérias, perceber melhor a fraude da democracia. Só então poderá compreender melhor o que se está a passar. Isto partindo do princípio de que o Afonso é mesmo ariano e não judeu...
Tudo isto para dizer que há pessoas sérias entre os tradicionalistas e o Ilo Stabet é uma delas. Relembro também que o Ilo Stabet tem um excelente podcast no YouTube, o Portugal Desintegrado. Quanto ao que ele escreveu na sua mais recente posta, pronunciar-me-ei mais tarde...

Sem comentários: