segunda-feira, 26 de março de 2018

E na sequência da posta anterior...


...aqui fica um exemplo bem ilustrativo das prioridades das polícias britânicas:


Para quem não percebeu: na sequência do caso Lauren Southern, o utilizador (usuário) EscapeVelocity decidiu claramente a "trollar" (gozar de forma intencionalmente provocatória) a polícia metropolitana de Londres. É evidente que a sua posta foi feita num tom irónico, até porque os dois homossexuais fotografados parecem ser "asiáticos" e, por conseguinte, dificilmente poderão ser considerados "racistas" ou "islamofóbicos".

Mas o que é realmente surreal é que a polícia londrina levou o gozo mesmo a sério, como se não fosse perfeitamente evidente que o(a) EscapeVelocity estava a ridicularizar a cruzada politicamente correcta das autoridades!... Enfim, como disse o Pat Condell recentemente, "bem-vindos à utopia progressista!"

10 comentários:

Anónimo disse...

Essa ilha (a britânica) está cada vez mais assustadora! Já que saíram da UE podiam aproveitar colocar umas rodinhas no subsolo e afastar-se o mais longe possivel da Europa, para a Antartida ou assim.

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

Eheheheheh O grande problema é que esta ilha é precisamente o nosso maior aliado histórico, caro FdT! Aliás, a presença crescente de indianos, paquistaneses, nepaleses, bengalis e afins em Portugal decorre dessa proximidade histórica que temos com os "bifes", apesar de muitos deles pura e simplesmente nos desprezarem. Os "asiáticos" já perceberam que, não podendo entrar directamente no RU, Portugal é uma porta de entrada da UE bastante jeitosa...

Quanto ao caminhar do Reino Unido para o abismo, estou a acabar de traduzir um vídeo do PJW que nos mostra que as coisas já foram muito para além do imaginável! Se tudo correr bem, devo publicá-lo aqui no TU depois de jantar.

Anónimo disse...

"O grande problema é que esta ilha é precisamente o nosso maior aliado histórico"

Fonix! com aliados desses...não quero ser totalmente injusto, há "bifes" de grande valor mas parece que a generalidade da população "bife" e as elites bifes não regulam muito bem da cabeça. Quer dizer, com os outros povos Europeus passa-se o mesmo, mas eles abusam caramba. É que neste momento nem sequer têm nenhum partido Nacionalista decente que vá a eleições, e os heróis que tentam organizar-se politicamente, mesmo que extremamente moderados, são perseguidos pelo Estado e colocados na pildra. Nem Estaline faria melhor.

Também escusado será dizer que nós olhamos com pesar e solidariedade para as desgraças que acontecem aos bifes e aos restantes povos da Europa Central e do Norte mas eles estão-se bem a cagar de alto para aquilo que nós" hispânicos" e particularmente portugueses passamos...os "jovens" até nos podiam comer vivos que eles estavam-se nas tintas desde que isso não os afecta-se...mas enfim, não consigo deixar de estar solidário com esses povos de qualquer das formas, até porque estamos todos mais ou menos no mesmo barco.

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

«(...)mas parece que a generalidade da população "bife" e as elites bifes não regulam muito bem da cabeça.»

Eheheh... nisso são mais ou menos como nós, caro FdT, apenas mais ricos e com menos sol!



« É que neste momento nem sequer têm nenhum partido Nacionalista decente que vá a eleições, e os heróis que tentam organizar-se politicamente, mesmo que extremamente moderados, são perseguidos pelo Estado e colocados na pildra. Nem Estaline faria melhor.»

É verdade. E o pior é que na Alemanha as coisas estão praticamente na mesma. Os dois países mais poderosos da Europa estão a caminhar rapidamente para o totalitarismo. E uma vez perdidos esses dois países, o resto da Europa dificilmente resistirá, até porque os franceses dirão "ámen" a tudo o que venha dos alemães...


«nós olhamos com pesar e solidariedade para as desgraças que acontecem aos bifes e aos restantes povos da Europa Central e do Norte mas eles estão-se bem a cagar de alto para aquilo que nós"»

Tendo a concordar, até porque eles sempre nos viram como inferiores. Os únicos sul-europeus pelos quais têm algum respeito são os italianos, e mesmo esse respeito tem-se degradado substancialmente nas últimas décadas, à medida que Itália se afunda nos indicadores económicos. Mas o que eu respeito não é tanto os ingleses, os alemães ou os escandinavos, é a Europa. Sem esses povos e esses países, dificilmente a Europa aguenta, quer como potência económica, quer como civilização. É isso que me preocupa...


«mas enfim, não consigo deixar de estar solidário com esses povos de qualquer das formas, até porque estamos todos mais ou menos no mesmo barco»

Pois, o grande problema aqui é esse. E como o caro FdT já tantas vezes observou, o barco deles é, apesar de tudo, infinitamente preferível ao barco das elites "tugas", que querem que nos juntemos todos aos países da CPLP e vivamos felizes para sempre na festa interminável da lusofonia vibrante!...

Jesus disse...

Boas Afonso, mais uma noticia """britanica"""

« O grande problema é que esta ilha é precisamente o nosso maior aliado histórico, caro FdT! »
Nem de perto, sempre ficamos a ver navios graças a essa aliança, aliás os britanicos aliaram-se com o D.Pedro IV para atacar o nosso país, com aliados destes não vamos longe

«apesar de muitos deles pura e simplesmente nos desprezarem»
E não só a nós, como também aos polacos,italianos,espanhois,franceses e pasmem germanicos, mas quando o assunto são paquistaneses e indianos aí já esta tudo ok, aliás os britanicos sempre tentam arranjar forma de denegrir o sul da europa, os testes de """"dna"""" que há espalhados na internet a denegrir sul-europeus,frances e balkas são estudos anglo-judaicos.



Afonso de Portugal disse...

«Nem de perto, sempre ficamos a ver navios graças a essa aliança, aliás os britanicos aliaram-se com o D.Pedro IV para atacar o nosso país, com aliados destes não vamos longe»

Sim, mas ajudaram-nos noutras ocasiões, primeiro contra os castelo-leoneses e contra os mouros, depois contra os castelhanos e depois contra os franceses. Não estou a dizer que foram aliados perfeitos, porque isso não existe. Mas não há outra nação que nos tenha ajudado tanto, mesmo que depois nos tenha atraiçoado.


«E não só a nós, como também aos polacos,italianos,espanhois,franceses e pasmem germanicos, mas quando o assunto são paquistaneses e indianos aí já esta tudo ok, aliás os britanicos sempre tentam arranjar forma de denegrir o sul da europa, os testes de """"dna"""" que há espalhados na internet a denegrir sul-europeus,frances e balkas são estudos anglo-judaicos.»

É verdade, mas é preciso ver que há um pouco de tudo no Reino Unido, caro Jesus. Eu também não gosto da arrogância e do espírito imperialista dos povos da Grã-bretanha, mas a história já mostrou que o resto da Europa não é melhor. A França de Napoleão invadiu-nos, massacrou-nos e pilhou-nos, os holandeses e os belgas atacaram-nos em todas as parte do mundo onde nos encontraram, os espanhóis invadiram-nos várias vezes, apenas para nos arruinarem e desbaratarem as nossas conquistas. E a Alemanha deu-nos Marx, Hitler (já sei que vocês discordam, mas eu não o vejo como um herói) e agora também a monstruosa Mer(d)kel.

O meu ponto é que Portugal é um país muito pequeno e o mundo actual é demasiado grande. Precisamos de aliados para vencer as Chinas, as Índias, as Rússias e todos os outros gigantes que nos querem comer. É nesse sentido que não podemos ver o declínio do Reino Unido - ou de qualquer outro país da Europa- como uma coisa positiva, nem mesmo uma coisa neutra!

Jesus disse...

« E a Alemanha deu-nos Marx, Hitler (já sei que vocês discordam, mas eu não o vejo como um herói)»
Também nao o vejo como herói, aliás ele era apenas pro-germânico, massacrava qualquer outro povo europeu a leste e provavelmente se tivesse sucedido teria massacrado Ibéricos e Italianos também que eram aliados dele.

Um facto que maioria dos ""nacionalistas"" neo-nazis nao sabem é que o Hitler aliava-se com árabes enquanto chacinava eslavos, ainda mais irónico é que os "nacionalistas" nazistas de hoje em dia são quase todos eslavos ou seja usam a simbologia de uma ideologia que os via como subhumanos, aliás o Hitler escreveu um livro que cagava de alto para baixo para os eslavos, e mesmo assim eles vêm o gajo como um herói

Outro gajo que pessoas vêm como heroi em Portugal é o Salazar, um gajo que era pro-lusitropicalismo.

Lusitopicalismo, opa so de pensar nessa palavra da-me vontade de vomitar

Afonso de Portugal disse...

Ahahahah! Muito bem, caro Jesus! Parece que afinal estamos em sintonia. É evidente que esses dois (Hitler e Salazar) tiveram coisas boas, mas é irritante verificar como muitos nacionalistas tendem a ignorar as coisas más.

O combate que o Salazar fez ao comunismo durante o Estado Novo, por exemplo, foi absolutamente infantil. O homem -e o seu séquito- menosprezaram a enorme ameaça que os comunistas representavam, trataram-nos como um bando de arruaceiros a quem bastava dar umas pauladas e enfiar uns anos na prisão para acalmarem. Não quis dotar o povo português dos anticorpos necessários para combater aquele flagelo, aquela ideologia criminosa que se baseia no exacerbar da inveja humana para atiçar as piores gentes contra as melhores. E depois claro, quando veio o 25 de Abril, não houve forma de evitar que os vermelhos escrevessem a "nossa" Constituição! E ainda hoje estamos a pagar por isso...

Jesus disse...

Sem esquecer que Salazar é uma das razões de o nosso país ser economicamente um dos piores da europa ocidental, ele também é o culpado de termos a maior taxa de analfabetos na europa ocidental.

Ele construía infraestrutura em África, e deixava Portugal na miséria, aliás a Nova Lisboa(Luanda) na epoca do Salazar era mais desenvolvida que a ""nossa"" Lisboa, assim como basicamente todas as colonias africanas.

Enquanto os portugueses andavam a levar umas pauladas e a comer migalhas, e é isto que os Salazaristas chamam de nacionalismo

AH sem deixar de lado que maioria dos Salazaristas nao se importam com a diaspora Africana e Brasileira em Portugal e os acham como irmãos lol

Obviamente pior que o porco do Mário Soares ele nao era, mas andava no mesmo caminho.


O governo de Salazar era: que se fodam os portugueses, que se lixe a taxa de analfabetismo, levam umas pauladas e esta tudo ok, enquanto isso vamos construir mais infraestrutura em Luanda para os pretos usufruirem os tugas que comam merda

Afonso de Portugal disse...

Jesus disse...
«Sem esquecer que Salazar é uma das razões de o nosso país ser economicamente um dos piores da europa ocidental, ele também é o culpado de termos a maior taxa de analfabetos na europa ocidental.»

Bem, neste ponto já me é mais difícil concordar inteiramente com o caro Jesus, porque é preciso olhar para a situação pré-Salazar, coisa que os seus críticos raramente fazem. E aqui, a herança que o Estado Novo recebeu da Primeira República foi asbolutamente paupérrima.

No plano económico, é preciso recordar que, quando Salazar subiu ao poder, o país ainda estava a recuperar da bancarrota do virar do século (XIX-XX) e que a paricipação portuguesa na Primeira Guerra Mundial tinha sido um desastre. Em termos de acumulação de reservas de ouro e redução da dívida pública, nenhum outro governo foi mais eficiente do que o do Salazar, como ilustra o gráfico que publiquei aqui:

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2014/03/a-traicao-aos-portugueses-em-numeros.html


Na educação passou-se algo semelhante. Os críticos de Salazar comparam geralmente os indicadores de escolaridade portugueses com os indicadores europeus durante o séc. XX, mas esse exercício é falacioso, porque não considera que Portugal já estava muito atrasado em relação ao resto da Europa antes de Salazar ter sequer nascido! A grande maioria das escolas primárias do interior, por exemplo, foi mandada construir durante o Estado Novo. Sim, o país era tão atrasado que nem sequer havia escolas primárias em todas as cidades!

Não quero com isto defender o Salazar e o Estado Novo, até porque acho que o caro Jesus tem toda a razão no que respeita ao investimento excessivo que foi feito nas ex-colónias, sendo que os colonizados nunca nos agradeceram, pelo contrário, ainda nos odeiam e querem vingar-se! Mas os problemas económicos e educativos do nosso país já eram anteriores à ditadura e julgo, contrariamente ao que nos diz a narrativa actual, que era muito difícil fazer melhor. Aliás, esta opinião não é apenas minha, há mesmo estudiosos do Estado Novo que concordam, alguns até de esquerda.