terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Versão legendada em português do Brasil da entrevista do Prof. Jordan Peterson ao Channel 4


     A pensar naqueles que têm dificuldades com a língua de Shakespeare, aqui fica uma outra versão da já mítica entrevista concedida pelo Prof. Jordan Peterson ao Channel 4, legendada em português do Brasil.

15 comentários:

João disse...

Nunca vi ninguém fazer um uso tão abusivo da falácia do espantalho. Nojenta, a atitude da fulana. Curiosamente, com toda a agressividade em relação ao entrevistado, só acaba por lhe dar razão.
A questão das lagostas também é prova, mais uma vez, daquilo que costumo dizer. Feministas e panilas usam a natureza como argumento quando lhes convém (o velho " entre os animais também há relações homossexuais" - e dizem isto sem se rirem); quando não dá jeito é porque o opositor quer transformar tudo numa "lei da selva".

Afonso de Portugal disse...

«Nunca vi ninguém fazer um uso tão abusivo da falácia do espantalho. Nojenta, a atitude da fulana.»

Verdade, a cretina quis crucificá-lo desde o primeiro segundo! A vacória não conseguiu passar 30 segundos sem distorcer o que ele disse ou colocar palavras na boca dele! Infelizmente para ela, não tinha nenhum banana à sua frente, tinha um professor universitário que passou anos a estudar as questões relacionadas com o mercado de trabalho, para além de ter trabalhado como psicólogo clínico. E também foi giro ver a reacção da internet no mundo anglófono, a esmagador maioria dos cibernautas caiu a cima desta triste papagaia loira de bico avermelhado que, como não podia deixar de ser, acabou a fazer-se de vítima e a dizer-se "perseguida e ameaçada pelos trolls da intenet!" Esta gente dos mé(r)dia é sempre assim... semeia ventos, colhe tempestades, e no final faz um grande choradinho porque "o mundo está cheio de gente má"!


«Curiosamente, com toda a agressividade em relação ao entrevistado, só acaba por lhe dar razão.»

Até mesmo alguns dos paspalhos marxistas do Al-Guardian reconheceram isso! Devo confessar que fiquei mesmo muito surpreendido, porque essa reacção significa que eles estão finalmente com medo! Depois do Brexit e do Presidente Trump, o esquerdalho começa a perceber que, afinal, a exclusividade da sua narrativa não está assegurada junto do eleitorado. Nem mesmo com toda a censura orwelliana nas redes sociais os gajos conseguem silenciar os seus opositores. E o discurso conservador parece mesmo estar a alastrar!


«A questão das lagostas também é prova, mais uma vez, daquilo que costumo dizer. Feministas e panilas usam a natureza como argumento quando lhes convém (o velho " entre os animais também há relações homossexuais" - e dizem isto sem se rirem); quando não dá jeito é porque o opositor quer transformar tudo numa "lei da selva".»

Não tinha pensado nisso, mas é mesmo! A natureza só é fonte de inspiração e modelo a respeitar quando lhes convém... quando não convém, "é pá, nós somos civilizados, não vivemos nas cavernas!"

Anónimo disse...

Ui muito interessante este debate sem duvida!

O crocodilo (é assim que eu me vou referir à entrevistadora) já foi para ali com sede de sangue pronta a abater o doutor "machista" com toda a sua retórica agressiva e provocatória cheia de "clichés" típicos desta gentinha mas teve azar porque do lado de lá não estava 1 trolha qualquer.

O crocodilo disse "so you are saying" mais de 10 vezes! utilizando a estratégia rasteirinha e batida de pegar em frases ditas pelo entrevistado, descontextualizá-las, modificá-as e seguidamente atribuir outra afirmação ou pensamento ao entrevistado. Mas a parte mais ridícula foi quando ela disse quase no inicio "o senhor só faz generalizações e não tem legitimidade para isso" !!!haja muita lata!!! generalizações abusivas é basicamente a base ideológica do feminismo ou do feminazismo, mas de certeza que ela não ía atirar isso á cara de uma feminista que entrevistasse...

é complicado resistir a estes ataques, qualquer homem fica logo com o sangue a ferver e perde o discernimento, mas ele aguentou firme.

O que vale é por volta do minuto 22.20 tivemos um momento "priceless":D A tipa baixou logo a bola e depois ainda levou com a história das lagostas para a reduzir ainda mais à sua insignificância. Só por causa disto o senhor Peterson já merecia um busto lá na Universidade onde trabalha. É que no conforto do nosso sofá é relativamente fácil enterrar 1 "leftie" num forum qualquer da Internet, mas fazê-lo num estúdio, ao vivo, sob ataque de 1 crocodilo que com certeza também conhece muitos truques de argumentação, não é para qualquer um. Foi de facto uma lição de como é que um homem se deve comportar durante um debate (foi mais um debate que outra coisa).

Já o crocodilo suspeito que deve ter acabado a entrevista com vontade de ir jantar com o Peterson :D é que algumas mulheres ficam excitadas quando apanham um homem sapiente e confiante pela frente que tenha um forte poder de argumentação, mas duvido que o Peterson esteja para a aturar LOL

ass: FdT

Anónimo disse...

Já agora dê uma vista de olhos a este artigo exposto na página da ilustre filial do "The Guardian" em Marraquexe:

https://www.publico.pt/2018/01/23/tecnologia/noticia/facebook-reconhece-que-pode-ser-mau-para-a-democracia-1800445?page=/&pos=1&b=stories_cover__breaking_a

Só digo isto: a propaganda destes me(r)dia está cada vez mais sinistra! colocar a bandeira da Rússia por detrás do "gosto" do facebook é obra! é que por falar em Rússia, nem o saudoso "Pravda" era tão falso e manipulador como estes idiotas úteis a soldo.

E se o caro acha que isto é mau convido-o a ver o que se segue:

https://www.facebook.com/TheEconomist/videos/10156242971219060/

Eu penso que o caro não tem Facebook (infelizmente não encontrei isto em mais nenhum local) mas acredite que vale a pena arranjar forma de contornar essa questão e visualizar a coisa porque é mau demais para ser verdade!

Segundo o próprio artigo do THE ECONOMIST (não é 1 jornal qualquer) estas são as FAMÍLIAS DO FUTURO tendo a distinta lata de dizer que É ASSIM QUE UMA FAMÍLIA MODERNA SE PARECE e pasme-se: os comentários com mais gostos apoiam esta MERDA sendo que o que tem mais gostos diz algo do género "não consigo acreditar que ainda hajam tantas pessoas nos dias de hoje que não estão abertas a isto".

Caso não consiga visualizar digo-lhe apenas que se trata de 1 caso na Holanda de uma "familia" multiparental ou coisa do género, constituída por 2 gays e uma mulher que TEVE UMA FILHA COM OS GAYS (não sei de qual deles é o verdadeiro pai biológico e penso que foi através de um laboratório) alegadamente vivem todos na mesma casa (deve ser uma animação) e agora, segundo entendi mas a dada altura já só vi aos bocados porque o meu estômago não estava a aguentar, andam na justiça a lutar para legalizar a situação. É tão surreal que eu nem quero acreditar, dá vontade de esmurrar o computador pegar-lhe fogo e atirar pela janela.

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

FdT disse…
«O crocodilo disse "so you are saying" mais de 10 vezes! utilizando a estratégia rasteirinha e batida de pegar em frases ditas pelo entrevistado, descontextualizá-las, modificá-as e seguidamente atribuir outra afirmação ou pensamento ao entrevistado.»

Exactamente… e se o caro FdT reparar –aliás, tenho a certeza de que já deve ter reparado– esta forma de actuar é cada vez mais comum nos “jornalistas” do sistema. Há uns anos, lembro-me de o Presidente do PNR ser entrevistado na SIC e o “jornalista” abriu logo assim: “Porque é que o PNR quer sair do Euro? Você sabe qual era o valor das taxas de juro no crédito a habitação na década de 80?!” Uma pergunta que, embora legítima, nunca foi feita pelas TVs “tugas” à malta do PCP e do BE, que também queriam abandonar o euro… porque será? ;)


«Mas a parte mais ridícula foi quando ela disse quase no inicio "o senhor só faz generalizações e não tem legitimidade para isso" !!!haja muita lata!!! generalizações abusivas é basicamente a base ideológica do feminismo ou do feminazismo, mas de certeza que ela não ía atirar isso á cara de uma feminista que entrevistasse...»

Ora, lá está! A forma de actuação dos “jornalistas” varia consoante a cor política ou área de especialização do convidado… com uns é só paninhos quentes e mesuras, com outros é sempre a abrir para ver se racham!


«é complicado resistir a estes ataques, qualquer homem fica logo com o sangue a ferver e perde o discernimento, mas ele aguentou firme.»

Acredite, caro FdT! Eu já só queria ter um bocadinho do autocontrolo do Prof. Peterson! Duvido muito que eu conseguisse aguentar uma entrevista como esta sem me passar dos carretos ou sair a meio em protesto!...


«O que vale é por volta do minuto 22.20 tivemos um momento "priceless":D A tipa baixou logo a bola e depois ainda levou com a história das lagostas para a reduzir ainda mais à sua insignificância. »

Sim, sim, foi épico! E a banhada que levou nas redes sociais também foi bem gira… precisávamos de mais dois ou três Prof. Peterson… a auréola de santidade dos mé(r)dia esfumava-se num instante!


«Foi de facto uma lição de como é que um homem se deve comportar durante um debate (foi mais um debate que outra coisa).»

Excelente observação. E a lição aqui tem várias vertentes: em primeiro lugar, é necessários saber do que se fala. Depois é preciso saber recusar as palavras que nos colocam na boca e não deixar passar em claro as falácias que nos vão atirando à cara. E, sobretudo, é necessário manter sempre o sangue frio. Nestas coisas de falar em público, a postura adoptado é essencial. Um dos grandes erros de Le Pen no derradeiro debate contra Macron foi precisamente esse, não soube manter o nível do seu discurso no plano de elevação que a ocasião exigia.


«Já o crocodilo suspeito que deve ter acabado a entrevista com vontade de ir jantar com o Peterson :D é que algumas mulheres ficam excitadas quando apanham um homem sapiente e confiante pela frente que tenha um forte poder de argumentação, mas duvido que o Peterson esteja para a aturar LOL»

LOL! Houve alguns internautas que fizeram essa análise nas redes sociais. Eu tendo a concordar, as mulheres adoram um homem que as saiba contrariar com lógica e argumentos concretos, sem nunca perder a compostura. Infelizmente para ela, o Prof. Peterson casou novo, com uma mulher que conheceu logo na infância. Não quer dizer nada, evidentemente, mas ele já louvou tantas vezes a sua esposa em público e tem tanto respeito pela instituição do casamento que eu acredito mesmo que ele jamais a trairia.

Afonso de Portugal disse...

«Já agora dê uma vista de olhos a este artigo exposto na página da ilustre filial do "The Guardian" em Marraquexe:»

Ahahahahah acho que lhe vou roubar essa, caro FdT! :P Quanto à notícia, ela pode ser resumida assim: “nós criámos O fuçaslivro para ganhar uns cobres com os pategos que colocam as suas fotos na net… eeer… perdão, nós criámos o fuçaslivro para ligar os amigos e as famílias, mas isto acabou por se encher de gajos da pavorosa extrema-direita, que passam o dia todo a falar mal dos muçulmanos e dos nossos amos globalistas, pelo que agora temos de arranjar uma forma de os fazer calar!!!


« Colocar a bandeira da Rússia por detrás do "gosto" do facebook é obra! é que por falar em Rússia, nem o saudoso "Pravda" era tão falso e manipulador como estes idiotas úteis a soldo.»

E o que mete mais nojo, caro FdT, é que se se vier a confirmar que o FBI abusou dos seus poderes, a filial do Al-Guardian em Marraquexe vai fingir que não se passou nada ou, quando muito, colocar uma nota no rodapé!


«E se o caro acha que isto é mau convido-o a ver o que se segue:»

Meu Deus! Tantas cores e formas! Tanta diversidade vibrante! Tanta justiça social moderna e progressista! É como aquele filme dos anos 80, o “três homens e um bebé”, só que muito melhor, “dois panisgas, uma amiga e uma menina”! Que maravilha, a realidade supera sempre a ficção!


« Segundo o próprio artigo do THE ECONOMIST (não é 1 jornal qualquer)»

Hoje em dia, nenhum jornal, revista ou outro veículo me(r)diático está a salvo, caro FdT! Os tentáculos da “modernidade” estão em todo o lado!


«pasme-se: os comentários com mais gostos apoiam esta MERDA sendo que o que tem mais gostos diz algo do género "não consigo acreditar que ainda hajam tantas pessoas nos dias de hoje que não estão abertas a isto".»

Pois é, pá! Tantos retrógrados homofóbicos que não percebem que o amor é a única coisa que importa! Dois pais, três pais, cem pais, que diferença faz?! Brutos! Homens das cavernas! Não sabem distinguir o que é realmente importante! A família tradicional é opressão, o amor não pode ser confinado a apenas um homem e a uma mulher! Porque o amor não tem fronteiras, não obedece a números! Quando é que estes primatas retrógrados enfiam isso nas suas cabeças paleolíticas??? Tristes!!!


« a dada altura já só vi aos bocados porque o meu estômago não estava a aguentar, andam na justiça a lutar para legalizar a situação. É tão surreal que eu nem quero acreditar, dá vontade de esmurrar o computador pegar-lhe fogo e atirar pela janela.»

Ahahahah como o compreendo, caro FdT! A Holanda sempre esteve na vanguarda destas modernices foleiras, mas o mais assombroso é que parece haver sempre mais uma modernice de que ainda ninguém se lembrou! Eu às vezes dou comigo a pensar: o Islão é medonho mas, se calhar, vai ser mesmo impossível travar a sua expansão no Ocidente. É um pensamento terrível, eu sei, mas as sociedades precisam de ordem e de regras que permitam assegurar o seu funcionamento e o Ocidente parece estar a mandar tudo isso às malvas. Se calhar os muçulmanos têm mesmo razão, pelo menos em parte. Se calhar estamos a precisar de uma lição histórica, que é para ver se voltamos a dar valor àquilo que é realmente importante. Isto é, se sobrevivermos a toda esta “modernidade”!

Anónimo disse...

"(...)Você sabe qual era o valor das taxas de juro no crédito a habitação na década de 80?!”

Ah pois claro! nessas alturas eles até se transformam em especialistas de taxas e finanças publicas ;)

"Ahahahahah acho que lhe vou roubar essa, caro FdT!"

Esteja à vontade! surgiu-me num momento de inspiração :D e toda a inspiração é pouca quando o assunto é enxovalhar esses pasquins, eles enxovalham a nossa paciência e a nossa inteligência 24/7

"Quanto à notícia, ela pode ser resumida assim: “(...)mas isto acabou por se encher de gajos da pavorosa extrema-direita, que passam o dia todo a falar mal dos muçulmanos e dos nossos amos globalistas, pelo que agora temos de arranjar uma forma de os fazer calar!!!”

É que nem isso meu caro é que nem isso! O fuçaslivro está muito longe de se ter tornado num antro da extrema-direita, por cada individuo de extrema-direita que é muito ativo no fuçaslivro existem 4, 5 ou 6 jovens, gays, cat ladys etc ainda mais ativos!
E mesmo que os Nacionalistas e/ou os apoiantes do Trump andassem muito ativos por lá qual é o mal?? não é suposto existir liberdade de expressão??

Faço outra pergunta: E se a Hilária tivesse ganho? também ia ser culpa do fuçaslivro?? também iam andar a querer censurar as redes sociais?

isto é uma P-A-L-H-A-Ç-A-D-A

"Pois é, pá! Tantos retrógrado homofóbicos que não percebem que o amor é a única coisa que importa! Dois pais, três pais, cem pais, que diferença faz?! Brutos! Homens das cavernas! Não sabem distinguir o que é realmente importante! A família tradicional é opressão, o amor não pode ser confinado a apenas um homem e a uma mulher! Porque o amor não tem fronteiras, não obedece a números! Quando é que estes primatas retrógrados enfiam isso nas suas cabeças paleolíticas??? Tristes!!!"

Ehehehehehe o caro Blogueiro incorporou mesmo a personagem! por momentos temi que uma daquelas adolescentes liberais de 43 anos de idade se tivesse apoderado do Blog...

Vai nos valendo o sentido do humor para ir convivendo com este circo de horrores...

"Eu às vezes dou comigo a pensar: o Islão é medonho mas, se calhar, vai ser mesmo impossível travar a sua expansão no Ocidente. É um pensamento terrível, eu sei, mas as sociedades precisam de ordem e de regras que permitam assegurar o seu funcionamento e o Ocidente parece estar a mandar tudo isso às malvas."

Olhe eu já não sei meu caro, já não sei nada! é que há de reparar que normalmente estas aberrações vêm da parte de brancos, e ainda por cima de brancos de origem germânica! Nunca frequentei tais lugares (como deve imaginar) mas tenho ouvido dizer, à boca pequena, que a capital europeia da panaleirice e de todo o tipo de actos perversos é Berlim, e que na noite daquela cidade acontecem actividades extremamente bizarras e nojentas, e não estou a falar de actividades executadas por "jovens" mas sim por "velhos"...ora dirão os seguidores da doutrina de Hitler que isso "é culpa dos judeus!" que "lavaram a cabeça dos alemães!". Mesmo partindo do principio que eles têm razão, é no mínimo vergonhoso que a "raça superior" tenha passado de um monte de machos-alfa para um monte de rotos num espaço de duas ou 3 décadas por causa de uma etnia minoritária na Alemanha e no mundo, por mais poder "invisível" que essa etnia alegadamente tenha.

Mas o mais caricato de isto tudo é que os globalistas liberais, os esquerdistas, os comunistas e os "cuckservadores" etc têm mesmo conseguido conciliar a imigração em massa vinda do mundo muçulmano com estas paneleirices todas...claro que de vez em quando lá rebenta uma bomba, lá sai um camião da estrada, lá acontecem umas violações colectivas, mas no meio de mortos e feridos o barco lá se vai aguentando e seguindo o seu caminho, até custa imaginar para onde...

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

FdT disse…
«E mesmo que os Nacionalistas e/ou os apoiantes do Trump andassem muito ativos por lá qual é o mal?? não é suposto existir liberdade de expressão??»

Suposto, é… mas entre o que é suposto e o que é factual, vai uma distância muito grande, sobretudo nos meus controlados pelos globalistas!


«Faço outra pergunta: E se a Hilária tivesse ganho? também ia ser culpa do fuçaslivro?? também iam andar a querer censurar as redes sociais?»

Claro que não! Se a bruxa tivesse vencido, “a esperança teria triunfado sobre o medo”, tal como sucedeu quando o mulato Merdama venceu! O Trump só podia mesmo perder, então não se via logo que o homem era um bronco misógino e racista?! Os americanos são um povo instruído, jamais votaria num fulano daqueles, pá!!!


«Nunca frequentei tais lugares (como deve imaginar) mas tenho ouvido dizer, à boca pequena, que a capital europeia da panaleirice e de todo o tipo de actos perversos é Berlim, e que na noite daquela cidade acontecem actividades extremamente bizarras e nojentas, e não estou a falar de actividades executadas por "jovens" mas sim por "velhos"...»

Acredito, meu caro! Mas é que acredito mesmo! Quando eu era adolescente, no final dos anos 90, a pornografia mais estrambólica que tive nas mãos foi precisamente a alemã. O detalhe é que essa pornografia tinha sido feita sobretudo nos anos 80, mas ainda era chocante nos anos 90! Sem entrar em grandes pormenores, posso dizer-lhe que uma vez vomitei só de olhar para uma revista da especialidade! E atenção, aquilo não era sadomaso, nem gore, nem nada que se pareça, era pornografia considerada normal… pelo menos, para os padrões germânicos.

Aliás, estou recentemente a ler o livro “A Ira de Deus sobre a Europa”, do José Rentes de Carvalho. O autor vive na Holanda desde os anos 50 e descreve no livro a sociedade holandesa da época. Ele diz claramente que o comportamento sexual dos holandeses, já nos distantes anos 50, não ficava nada a dever ao dos estudantes universitários de hoje em dia: promiscuidade, irresponsabilidade, infidelidade frequente, etc. Ele enfatiza o comportamento das holandesas, autênticas predadoras sexuais capazes de dormir com um homem que tinham acabado de conhecer! Repito: nos anos 50, quando os nossos pais -pelo menos os meus- ainda eram crianças!!!

Afonso de Portugal disse...

«ora dirão os seguidores da doutrina de Hitler que isso "é culpa dos judeus!" que "lavaram a cabeça dos alemães!". Mesmo partindo do principio que eles têm razão, é no mínimo vergonhoso que a "raça superior" tenha passado de um monte de machos-alfa para um monte de rotos num espaço de duas ou 3 décadas por causa de uma etnia minoritária na Alemanha e no mundo, por mais poder "invisível" que essa etnia alegadamente tenha.»

Exacto, essa é uma das maiores críticas que eu tenho feito aos adeptos da grande conspiração sionista: os povos ocidentais praticamente não resistiram às “inovações” da judiaria. Foi nas finanças, foi na educação, foi na política, foi até no sexo. Os ocidentais aderiram de bom grado a todos os vícios e perversões que os judeus supostamente introduziram.

Ora, isto levanta um paradoxo bicudo nessa teoria grande conspiração sionista: os nazionaliztaz estão sempre a dizer que os arianos são inocentes e que foram manipulados… mas como é que os judeus conseguiram mudar tudo tão depressa sem que ninguém lhes opusesse? Das duas, uma: (1) ou os arianos são burros, ou (2) os arianos não são inocentes. Eu inclino-me bem mais para a segunda hipótese.


«Mas o mais caricato de isto tudo é que os globalistas liberais, os esquerdistas, os comunistas e os "cuckservadores" etc têm mesmo conseguido conciliar a imigração em massa vinda do mundo muçulmano com estas paneleirices todas...claro que de vez em quando lá rebenta uma bomba, lá sai um camião da estrada, lá acontecem umas violações colectivas, mas no meio de mortos e feridos o barco lá se vai aguentando e seguindo o seu caminho, até custa imaginar para onde...»

Enquanto houver comida na mesa e entretenimento, o povão aceita tudo o que lhe enfiarem pela goela abaixo! Já os romanos tinham percebido esta realidade quando Juvenal observou que os imperadores conseguiam manter o povo sob controlo dando-lhe “pão e circo”. As pessoas só se mexem quando lhes ameaçam o património. Aliás, nem assim, basta olharmos para a Venezuela do séc. XXI para constatarmos o quão fácil é espoliar uma população inteira sem que haja grande resistência por parte dos desapossados.

A questão é que, por incrível que pareça, a quantidade de “jovens”, “indivíduos” e afins na Europa ainda é relativamente baixa. Quando atingir o nível crítico, com as consequências correspondentes na economia, aí sim, é que isto vai pegar fogo!

Anónimo disse...

"Ele diz claramente que o comportamento sexual dos holandeses, já nos distantes anos 50, não ficava nada a dever ao dos estudantes universitários de hoje em dia: promiscuidade, irresponsabilidade, infidelidade frequente, etc. Ele enfatiza o comportamento das holandesas, autênticas predadoras sexuais capazes de dormir com um homem que tinham acabado de conhecer..."

Não me admira nada...mas pensava que tinha sido mais a partir da "louca" década de 60 mas entre 50 e 60 a diferença também é pouca...de facto após a segunda guerra mundial os povos da Europa Ocidental desde a França até à Suécia deram asas à sua "liberdade" no conforto da prosperidade financeira e da paz...o resultado é enfrentarem agora um lento processo de extinção.

Muitos portugueses também puderam ter uma amostra "in loco" da promiscuidade e libertinagem da mulherada desses países...nas ultima décadas do século passado e no inicio deste século qualquer "macho lusitano" minimamente atraente e atrevido sacava com facilidade "umas bifas" nas noites Algarvias...hoje em dia com a quantidade de refugiados e imigrantes exóticos nesses países suspeito que elas já não têm que esperar pelo Verão para viver umas aventuras "vibrantes"

"mas como é que os judeus conseguiram mudar tudo tão depressa sem que ninguém lhes opusesse? Das duas, uma: (1) ou os arianos são burros, ou (2) os arianos não são inocentes."

Bem oposição enfrentaram e das valentes, quase que eram erradicados da face da terra LOL mas essa oposição perdeu. No entanto mesmo com tal derrota, e supondo que os Nazionalistas têm razão, os europeus podiam ter resistido de outra forma. Eu também aposto na opção (2) e ainda acrescentava a opção (3) ou os arianos não são assim tão fortes.

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

«(...) nas ultima décadas do século passado e no inicio deste século qualquer "macho lusitano" minimamente atraente e atrevido sacava com facilidade "umas bifas" nas noites Algarvias...hoje em dia com a quantidade de refugiados e imigrantes exóticos nesses países suspeito que elas já não têm que esperar pelo Verão para viver umas aventuras "vibrantes"»

O mais surreal -e revoltante para nós, portugueses- é que também já se começa a observador esse fenómeno nalgumas mulheres "tugas", caro FdT. Para algumas das nossas mulheres, quanto mais azeiteiro, malformado e claro, "jovem" for um indivíduo, mais elas se sentem atraídas! Tenho um colega de trabalho que foi fortemente encornado no último ano pela mulher, que o traiu com um indiano! Confesso que me custa a perceber… é que esse tal meu colega é um português médio, com cerca de 1,75 m, razoavelmente atraente e um rendimento acima da média, na casa dos 1500 €... já o tal monhé é funcionário de uma empresa de material de construção, com um salário na casa dos 850 €, com apenas 1,70 m e feio como um urubu!!! Para tornar a coisa ainda mais estranha, o caramelo nem é nada másculo, tem um vocabulário extremamente limitado, veste-se como um guna, enfim... a única coisa que ele tem a favor é que tem a puta da mania que é a dádiva de Deus ao mundo! Se calhar, é isso que faz a diferença…


«Bem oposição enfrentaram e das valentes, quase que eram erradicados da face da terra LOL mas essa oposição perdeu.»

Mas, caro FdT, isso só aconteceu na Alemanha e pouco mais... eu sei que os judeus foram expulsos de vários países europeus dezenas vezes ao longo da sua história, mas a verdade é que, nos EUA, no Canadá e um pouco em todo o continente americano, tanto a Norte como a Sul, eles nunca estiveram sob ameaça séria! Aliás, é precisamente por isso que os canalhas como o Soros odeiam tanto a Europa, por saberem que foi aqui que foram tendo problemas!

O que nos leva a uma pergunta inevitável: porque é que na Europa as pessoas perseguiram os judeus, mas na América não? Porque é que os judeus se deram tão bem do outro lado do Atlântico e também em países como a França e o Reino Unido?

Afonso de Portugal disse...

«No entanto mesmo com tal derrota, e supondo que os Nazionalistas têm razão, os europeus podiam ter resistido de outra forma. Eu também aposto na opção (2) e ainda acrescentava a opção (3) ou os arianos não são assim tão fortes.»

Julgo que o caro FdT tocou num ponto muito importante. Quando nos comparam aos judeus, os Nazionalizataz enaltecem constantemente a arte ariana, a beleza física ariana, a nossa cultura, a nossa ciência e tecnologia, os nossos feitos militares ao longo da história... mas há uma coisa em que os judeus nos têm sido claramente superiores: os judeus vêem-se a si próprios como uma comunidade supranacional, uma raça à parte e acima de todas as outras, o "povo eleito" ou "escolhido", dependendo das fontes. Esta fortíssima união interna não se vê em mais nenhum povo do mundo. A história está cheia de traidores, mas não se conhecem traidores da “raça” judaica! Judas não conta, porque para muitos judeus, Cristo era um traidor e por isso merecia ser traído.

O Andrew Anglin, do blogue Daily Stormer, fez em tempos uma observação muito pertinente acerca de uma entrevista que passou na CNN. Dois judeus, um pró-Trump e outro anti-Trump, trocaram argumentos sem nunca se insultar, sem nunca perder a cabeça, sem nunca ultrapassar os limites do razoável. Anglin observou: é raríssimo ver uma coisa destas entre nacionalistas. À mínima discordância, os nacionalistas entram imediatamente em guerra civil! No entanto, temos aqui dois judeus a esgrimir argumentos de forma apaixonada sem mal levantarem o tom de voz! “Temos muito a aprender com eles”, concluiu Anglin. A meu ver, coberto de razão!

A grande fraqueza dos arianos é que temos dado primazia ao conforto e ao bem-estar imediatos, esquecemo-nos que essas coisas só vieram depois de os nossos antepassados terem feito muitos sacrifícios, de ter havido muitos mortos e muito sofrimento. Já os judeus, talvez por terem sido perseguidos durante praticamente toda a sua existência, têm isso bem presente. Eles sabem que não podem parar, não podem descansar, a guerra é permanente e quem não estiver disposto a lutar essa guerra acabará por perdê-la… e por perder o seu lugar no mundo!

Anónimo disse...

"é que também já se começa a observador esse fenómeno nalgumas mulheres "tugas", caro FdT. Para algumas das nossas mulheres, quanto mais azeiteiro, malformado e claro, "jovem" for um indivíduo, mais elas se sentem atraídas!"

O que vale é que eu estou-me nas tintas para as mulheres portuguesas caro Blogueiro, sei que não é a coisa mais bonita e Nacionalistas de se dizer mas é a minha posição.

" Tenho um colega de trabalho que foi fortemente encornado no último ano pela mulher, que o traiu com um indiano! Confesso que me custa a perceber… é que esse tal meu colega é um português médio, com cerca de 1,75 m, razoavelmente atraente e um rendimento acima da média, na casa dos 1500 €... já o tal monhé é funcionário de uma empresa de material de construção, com um salário na casa dos 850 €, com apenas 1,70 m e feio como um urubu!!! Para tornar a coisa ainda mais estranha, o caramelo nem é nada másculo, tem um vocabulário extremamente limitado, veste-se como um guna, enfim... a única coisa que ele tem a favor é que tem a puta da mania que é a dádiva de Deus ao mundo! Se calhar, é isso que faz a diferença…"

Que horror...lamento imenso a situação do seu colega. O pior é que escasso como é o mercado feminino português é capaz de não ser fácil para ele arranjar outra ou pelo menos vingar-se. E mesmo que o mercado até fosse favorável, a partir de uma certa idade e com filhos e casamento pelo meio essas coisas ainda são piores...espero que nunca me aconteça semelhante mas nos dias que correm estamos todos sujeitos.

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

«O que vale é que eu estou-me nas tintas para as mulheres portuguesas caro Blogueiro, sei que não é a coisa mais bonita e Nacionalistas de se dizer mas é a minha posição.»

Mas eu compreendo-o perfeitamente, caro FdT! Eu sou um homem viajado e sei bem que, aí onde o caríssimo se encontra, a qualidade média é muito superior, tanto por dentro como por fora! :) Eu próprio pensei seriamente em sair aqui do rectângulo há uns anos atrás, mas depois acomodei-me e agora já é tarde.


«Que horror...lamento imenso a situação do seu colega. O pior é que escasso como é o mercado feminino português é capaz de não ser fácil para ele arranjar outra ou pelo menos vingar-se. E mesmo que o mercado até fosse favorável, a partir de uma certa idade e com filhos e casamento pelo meio essas coisas ainda são piores...espero que nunca me aconteça semelhante mas nos dias que correm estamos todos sujeitos.»

É verdade! Quem não quiser acabar com um valente par de cornos tem de trabalhar constantemente a sua masculinidade e manter uma vigilância saudável sobre a sua mulher: deixá-la ser livre, mas manter-se bem atento aos sinais de alarme, às mudanças repentinas e radicais de humor, rotina ou comportamento. O grande problema é que os alógenos são mesmo descarados. A maioria dos homens portugueses ainda tem algum pudor e evita meter-se com mulheres casadas, já os alógenos não têm esse “problema”, cada tiro, cada melro ou a ocasião faz o ladrão.

Anónimo disse...

"A maioria dos homens portugueses ainda tem algum pudor e evita meter-se com mulheres casadas, já os alógenos não têm esse “problema”, cada tiro, cada melro ou a ocasião faz o ladrão."

Infelizmente acredito que também haverá muitos homens portugueses de gema capazes de o fazer, demasiados até! mas em principio os alogenos ainda são mais propensos a tal, tanto pela sua própria natureza como porque alguns, ou muitos deles, não se conformam apenas em saciar a sua fome natural mas também querem humilhar o homem europeu. Penso que está familiarizado com a expressão anglo-saxónica "Close to .... Never relax"

...mas já agora e 1 pouco em off-topic, meter-me com mulheres casadas é aquela fronteira que eu nunca ultrapassei. Já aprendi que na vida não pudemos dizer "Nunca!" mas eu espero que nunca o faça porque se o fizer serei uma grande besta!

Ass: FdT