segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Douglas Murray sobre as diferenças idiossincráticas entre o Oeste e o Leste da Europa


    Na sequência desta posta e desta interessante conversa com o pvnam, deixo aqui este excerto de uma entrevista concedida por Douglas Murray, autor do livro "A Estranha Morte da Europa", a James Delingpole no seu Delingpole Podcast (a entrevista, que é excelente, pode ser ouvida na íntegra aqui).

Em causa está aquilo a que o Miguel de Unamuno chamou "o sentido trágico da vida", i.e. a percepção histórica de que tudo aquilo que damos por adquirido pode desaparecer rapidamente. Ou, como o Sr. Murray escreveu no seu "A Estranha Morte da Europa":  «tudo aquilo que amamos, até as maiores e mais cultivadas civilizações da História, podem ser arruinadas por pessoas que não são dignas delas.»

Ora, o sr. Murray tem uma teoria muito interessante acerca deste "sentido trágico da vida" e das diferenças políticas entre a Europa Ocidental e a Europa de Leste:


____________
Ver também:


«Os europeus perderam o "sentido trágico da vida"»
«A Europa está a cometer suicídio»
Porque é que a esquerda incentiva a iminvasão?

3 comentários:

Anónimo disse...

Quando se deixa corruptamente uma minoria se infiltrar é apenas o início para o resto; foi assim que o reino visigodo caiu. Antes dos muslos já tinham infiltrado outros.

Ass: Carlos.

Anónimo disse...

O Miguel Unamuno tem um livro famoso sobre Portugal - "Portugal povo de suicidas". Não sei se é bom, mas já ouvi falar.


ass. Fuas Roupinho

Afonso de Portugal disse...

Carlos disse...
«Quando se deixa corruptamente uma minoria se infiltrar é apenas o início para o resto; foi assim que o reino visigodo caiu. Antes dos muslos já tinham infiltrado outros.»

Infelizmente, os europeus sempre foram muito permissivos em relação aos infiltradores estrangeiros. O europeu médio não hesita em aliar-se a um iminvasor para destruir um rival europeu.

Por exemplo, na batalha que acabou definitvamente com a carreira militar do meu ídolo D. Afonso Henriques, o chamado "desastre de Badajoz", os nobres leoneses não hesitaram em aliar-se aos mouros para defender a cidade contra as tropas portuguesas. E há inúmeras histórias de traições e alianças do género um pouco por toda a Europa. É por essas e por outras que a teoria do (((povo eleito))) não explica tudo...


Fuas Roupinho disse...
«O Miguel Unamuno tem um livro famoso sobre Portugal - "Portugal povo de suicidas". Não sei se é bom, mas já ouvi falar.»

Por acaso já tinha ouvido falar desse livro, mas nunca o li. Pelo que me foi dado a entender, é uma visão espanhola sobre o povo e a cultura portugueses. É capaz de ser interessante, quanto mais não seja de uma perspectiva de compreender o pensamento de "nuestros hermanos", os nossos grandes riviais históricos.