sábado, 30 de dezembro de 2017

Mais um português assassinado em Moçambique (5)


Aqui fica mais um Prémio Darwin de 2017, caros leitores: Inês Botas!

«Inês Botas, natural de Cortes, em Leiria, terá sido vítima de um grupo de três homens, a quem terá dado boleia numa estrada de Moçambique. A cidadã portuguesa que se encontrava desaparecida em Moçambique terá morrido depois de ser raptada, segundo informação da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.»

Inês Botas: como se não bastasse ter ido trabalhar para o terceiro mundo, ainda foi
 suficientemente ingénua para dar boleia a três "jovens"!... O Prémio Darwin é bem merecido!


«O secretário de Estado das Comunidades disse este sábado Sáturnes à agência Lusa que as autoridades tiveram a confirmação do desaparecimento da cidadã portuguesa que trabalhava numa empresa portuguesa na jurisdição consular da Beira, em Moçambique.

"Temos a informação que os alegados e suspeitos do rapto terão sido detidos pelas autoridades e que a vítima desse sequestro estará morta. Contudo há um conjunto de diligências de investigação em curso (...) Tudo leva a crer que a identificação desta cidadã confirme tratar-se da pessoa objecto do sequestro", afirmou José Luís Carneiro à agência Lusa».

Tenho de vos confessar que não entendo o que é que as pessoas como a Inês têm na cabeça, caros leitores. Uma jovem mulher sozinha a dar boleia a três homens?! Isso não é seguro nem aqui em Portugal, quanto mais em Moçambique! Infelizmente, este é apenas mais um caso entre muitos outros homicídios bárbaros de portugueses nas "nossas" ex-colónias. Não há como fugir à realidade: quem para o terceiro mundo vai, no terceiro mundo cai!!!

____________
Ver também:


Mais um português assassinado em Moçambique (4)
Mais um português assassinado em Moçambique (3)
Mais um português assassinado em Moçambique (2)
Mais um português assassinado em Moçambique
Português assassinado à catanada em Moçambique
Adolescente português raptado em Maputo
50% da população de Moçambique está na miséria

Mais um português assassinado em Angola (7)
Mais um português assassinado em Angola (6)
Mais um português assassinado em Angola (5)
Mais um português assassinado em Angola (4)
Mais um português assassinado em Angola (3)
Mais um português assassinado em Angola (2)
Mais um português assassinado em Angola
Lusofonia vibrante: casal "português" assasinado em Angola! 
Em Angola: apresentadora de televisão raptada e assassinada

Prémios Darwin de 2017: Iris Ross
Prémios Darwin de 2017: Martyn Hett
Prémios Darwin de 2017: Xavier Juguelé
Prémios Darwin de 2017: Malachi Hamphill
Prémios Darwin de 2008: Pippa Bacca

12 comentários:

Anónimo disse...


"Tenho de vos confessar que não entendo o que é que as pessoas como a Inês têm na cabeça, caros leitores. Uma jovem mulher sozinha a dar boleia a três homens?! "

Até custa a crer que ela fez isso em todo o caso mesmo que não desse boleia estava sujeita na mesma! basta ser branca e andar por ali para estar bem sujeita! até se fosse negra estava sujeita aos crimes vibrantes quanto mais se for uma branca bem parecida...

Portugueses brancos a serem massacrados na bela lusofonia africanista é todos os meses!! mas as elites e uma parte considerável do povo branco portugues adoraaaa que esta malta esteja a conquistar Portugal! basta ler as cronicas dos egipcios do Publico e restante pandilha intelectual da esquerda á direita para se descobrir que os maus são os "raxistax" do norte e leste da Europa esses é que nos querem um mal terrível caro Blogueiro ;)

Ass: FdT

Anónimo disse...

Nunca aprendem, é incrível a ingenuidade de alguma da nossa gente em relação a esses povos e países, nomeadamente das ex colónias de africa ou brasil. Nada de bom vem dessas terras,nada mesmo

ass.
Fuas Roupinho

Rick disse...

"Ingenuidade", não sei se será o termo certo. É decerto injusto fazer apreciações ao caso concreto sem base no conhecimento da pessoa em questão.
Mas, sabe-se que as tv's são extremamente tóxicas para estas gerações mais jovens. Inculcam-lhes uma série enorme de falsos conceitos e ideias erradas, muito caras à estratégia da esquerda antinacionalista e antipatriota, propícias à dissolução e decadência das sociedades ocidentais.
Depois, voam para estes países cheias de trampa na cabeça e ansiosas por prazeres exóticos.
É vulgar ver por cá o entusiasmo que os enriquecedores despertam nestas jovenzinhas fogosas cuja expressão mal consegue disfarçar. Portugal sucumbiu à telenovela.
Podia ser diferente se os pais orientassem as filhas e desconstruíssem as teias da manipulação ideológica que envolve estas jovens. Mas, parece que os pais não o podem fazer por já estarem também contaminados.

Jesus disse...

O que esperar de vulgos macacos africanos, eles são assim mesmo, aquela merda chamada África, sem colonização europeia ainda estaria 100 anos mais atrasado.
Mas é assim, o mais ironico é eles apelarem tanto pela descolonização europeia e depois imigram para cá como ratos, é o povo africano, o povo mais fracassado e nojento no mundo, só serve mesmo para trabalho pesado e QUANDO É OBRIGADO, tipo escravos.

O certo seria deportar toda a escumalha africana daqui.

A moça é um bocado burra porque ela foi para aquele buraco de terceiro mundo cheio de pretos e doenças, obviamente ela devia ser pro-diversidade portanto não tenho muito a dizer Afonso.

Ivan Baptista disse...

É como diz o ditado afro-norte-americano e anglo-saxônico:

"once you go black you'll never go back" :)

Á, e um Feliz Santo e abençoado Natal juntamente com um bom ano 2018 d.c* para si,Afonso.








* d.c depois de cristo

Anónimo disse...

http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/portuguesa-de-77-anos-morta-em-mocambique-e-o-segundo-caso-em-pouco-mais-de-24-horas?ref=HP_Destaque

é a mesma?

Anónimo disse...

* d.c

or df dos us

Anónimo disse...

Eu pessoalmente nunca iria trabalhar para Africa. basta ver o que tem acontecido na Africa do Sul desde o aphartaid. Se toda a ente soubesse isso, duvido que tivessem o minimo desejo de emigrar para esse continente. Mas aqui entra a culpa dos media marxistas que censuram esses massacres constantes de brancos que ocorrem na Africa do Sul.

Bruno Dias

Afonso de Portugal disse...

FdT disse…

«Portugueses brancos a serem massacrados na bela lusofonia africanista é todos os meses!! mas as elites e uma parte considerável do povo branco portugues adoraaaa que esta malta esteja a conquistar Portugal! basta ler as cronicas dos egipcios do Publico e restante pandilha intelectual da esquerda á direita para se descobrir que os maus são os "raxistax" do norte e leste da Europa esses é que nos querem um mal terrível caro Blogueiro ;)»

O mais sinistro é que os eleitores portugueses não se têm indignado com os egípcios e afins… pelo contrário, parecem gostar cada vez mais de os ouvir falar! E mesmo com as nossas cidades cada vez mais cheias de “jovens”, de “indivíduos” e afins, os portugueses continuam a agir como se isto fosse tudo normal…


Fuas Roupinho disse…
«Nunca aprendem, é incrível a ingenuidade de alguma da nossa gente em relação a esses povos e países, nomeadamente das ex colónias de africa ou brasil. Nada de bom vem dessas terras,nada mesmo»

Nada mesmo! Mas continua a haver inúmeras Inêses Botas por esse mundo fora plenamente convencidas de que “os seres humanos são todos iguais” e que “todos os seres humanos tendem naturalmente ao bem” ou ainda que “é a fome, a miséria e a injustiça que tornam as pessoas más”! Enfim, uma tristeza… infelizmente, receio que tenhamos mesmo de nos livrar destas pessoas “românticas” para irmos a algum lado!


Rick disse…
« "Ingenuidade", não sei se será o termo certo. É decerto injusto fazer apreciações ao caso concreto sem base no conhecimento da pessoa em questão.»

Sinceramente, caro Rick, eu não vejo outra alternativa. Como pode uma mulher branca de 28 anos dar boleia a três homens pretos, em pleno continente africano, e não ser uma ingénua?


«Mas, sabe-se que as tv's são extremamente tóxicas para estas gerações mais jovens. Inculcam-lhes uma série enorme de falsos conceitos e ideias erradas, muito caras à estratégia da esquerda antinacionalista e antipatriota, propícias à dissolução e decadência das sociedades ocidentais.»

Sim, é uma grande verdade, mas o caro Rick repare: a moça já tinha 28 anos… eu não acredito que ela não tivesse ouvido inúmeras histórias acerca de raptos, homicídios e banhos de sangue em Moçambique! O problema foi, muito provavelmente, que ela decidiu ignorar os avisos em nome dos seus dogmas “românticos”!


«Depois, voam para estes países cheias de trampa na cabeça e ansiosas por prazeres exóticos. É vulgar ver por cá o entusiasmo que os enriquecedores despertam nestas jovenzinhas fogosas cuja expressão mal consegue disfarçar. Portugal sucumbiu à telenovela.»

O fenómeno é comum a toda a Europa, mas vou ter que discordar com o caro Rick em relação à causa. É evidente que a propaganda tem muita influência, mas há algo mais em jogo: os homens brancos perderam a sua masculinidade natural. Há muitos nacionalistas que discordam, mas eu não tenho dúvidas disso. Quando um negro aborda uma branca, ele age como se lhe estivesse a fazer um favor (a ela). Quando um branco aborda uma branca, ele age como se a estivesse a incomodar. Isto pode parecer um pormenor, mas é um sintoma de um mal maior que, infelizmente, está instalado um pouco por todo o Ocidente, até mesmo em países de segundo mundo.

Afonso de Portugal disse...

«Podia ser diferente se os pais orientassem as filhas e desconstruíssem as teias da manipulação ideológica que envolve estas jovens. Mas, parece que os pais não o podem fazer por já estarem também contaminados.»

É evidente que o caro Rick tem toda a razão no que respeita à necessidade de os pais educarem as suas filhas. No entanto, é preciso ter bem presente que isso, embora ajude, não garante nada! Na hora de aparecer um “jovem” sedutor, a esmagadora maioria das mulheres -brancas ou não- segue a força, ou a ilusão da força, não segue argumentos lógicos e racionais!

Há até raparigas e mulheres jovens que andam com “jovens” precisamente para contrariar os pais, para serem “rebeldes” e moderna(ça)s! Eu, quanto mais anos passam, mais me convenço que o problema não está tanto nas nossas mulheres, está sobretudo nos nossos homens. É preciso começarmos a perder o medo de lhes responder torto. É preciso começarmos a perder o medo de as colocarmos no seu devido lugar. E, sobretudo, é preciso denunciarmos o feminismo como a ideologia xenófila, misândrica e antiocidental que é.


Jesus disse...

Caramba! Até já o filho de Deus lê o TU! :P


«O que esperar de vulgos macacos africanos, eles são assim mesmo, aquela merda chamada África, sem colonização europeia ainda estaria 100 anos mais atrasado.»

Epá, não diga isso, caro Jesus, que o esquerdalho diz que os africanos já teriam colonizado a Via Láctea se os brancos não os tivessem “oprimido”:

http://culture.affinitymagazine.us/the-black-panther-trailer-shows-what-africa-would-have-been-if-white-people-didnt-destroy-it/


«Mas é assim, o mais ironico é eles apelarem tanto pela descolonização europeia e depois imigram para cá como ratos, é o povo africano, o povo mais fracassado e nojento no mundo, só serve mesmo para trabalho pesado e QUANDO É OBRIGADO, tipo escravos.»

É de facto muito estranho, o Ocidente é um pesadelo capitalista, imperialista, patriarcal, etc, mas as gentes dos paraísos cubanos, venezuelanos, chineses, russos, africanos, etc. quer vir toda para o Ocidente! Deve estar aborrecidos de serem tão felizes!...


«O certo seria deportar toda a escumalha africana daqui.»

Ser, seria… o problema é que dificilmente isso acontecerá, a menos que isto dê uma volta muito grande!


«A moça é um bocado burra porque ela foi para aquele buraco de terceiro mundo cheio de pretos e doenças, obviamente ela devia ser pro-diversidade portanto não tenho muito a dizer Afonso.»

Pode ter sido isso, mas também pode ter sido pelo emprego. Às vezes, as pessoas só vêem o dinheiro, fazem vista grossa ao resto. Só que embora o dinheiro seja muito útil, mas não o podemos levar deste mundo…


Ivan Baptista disse...
«"once you go black you'll never go back" :)»

Parece ser verdade, caro Ivan, mas eu prefiro a outra versão: “once you go black, we don’t want you back!” ;)

«Á, e um Feliz Santo e abençoado Natal juntamente com um bom ano 2018 d.c* para si,Afonso.»

Já vou tarde para o Natal, mas um 2018 do melhor para si também, caríssimo!


Caps Louco disse…
«é a mesma?»

Não. Essa foi morta menos de 48 h depois! Parece que abrou a época de caça aos “tugas” lá em Moçambique.

P.S. Assina os teus comentários!


Bruno Dias
«Eu pessoalmente nunca iria trabalhar para Africa. basta ver o que tem acontecido na Africa do Sul desde o aphartaid. Se toda a ente soubesse isso, duvido que tivessem o minimo desejo de emigrar para esse continente. Mas aqui entra a culpa dos media marxistas que censuram esses massacres constantes de brancos que ocorrem na Africa do Sul.»

Eu já tive altas discussões com familiares próximos por dizer isso mesmo. Preferia ser trolha, pedreiro, sapateiro, pescador ou até lixeiro em Portugal do que ser empresário em Angola ou Moçambique! Considero que isso seria uma forma de prostituição… além de que seria totalmente incoerente com o meu ideal racialista.

João Fernandes disse...

Na minha vila não haviam negros maioria das pessoas daqui são loiras, de pele clara, mas no ultimo ano tem vindo para cá viver alguns negros e mestiços brasileiros, o pior de tudo é que lhes oferecem apartamentos,etc


Isto é deprimente, já não basta a nossa "capital" estar cheia de escumalha africana, agora ainda os andam a enviar para vilas 100% brancas.....

Enfim... do jeito que isto está Portugal daqui a 100 anos vai ser um Brasil 2.0 ou pior

Afonso de Portugal disse...

O problema, caro João Fernandes, é que os portugueses em geral não têm feito nada para contrariar esta tendência. Quem não quer que a sua terra se encha de iminvasores terceiro-mundistas, não pode continuar a votar PS/PSD/CDS/BE/CDU!!! A triste conclusão a que cheguei é que a maior parte do nosso povo não se importa com a sua substituição. Não quer saber!!!! Desde que tenha comida no prato, telemóveis, televisão, carro de marca e uns euritos na carteira, o povo não quer saber...