domingo, 3 de dezembro de 2017

Associação de afrodescendentes consegue que a Câmara Municipal de Lisboa pague um monumento para envergonhar os portugueses!


     Um muito obrigado! ao Fuas Roupinho por nos ter trazido aqui esta notícia deprimente e revoltante: uma associação de afrodescendentes está a conseguir reescrever a História de Portugal e a contribuir activamente para o reforço do complexo de culpa que tem acometido e desmoralizado os portugueses... com o dinheiro dos nossos impostos! 

Ao contrário do que é habitual, não vou tecer apenas um comentário no fim da notícia, mas vários comentários ao longo do seu texto, porque há demasiados pontos a discutir sobre esta grave situação.


«A Djass - Associação de Afrodescendentes decidiu que era preciso agir e o seu projecto foi um dos vencedores do Orçamento Participativo de Lisboa. O SOS Racismo congratula-se com o memorial que será construído na Ribeira das Naus.»

É claro que os racistas do SOS Racistas se congratulam! Eles, que já perseguem e difamam constantemente os portugueses -com o dinheiro dos impostos dos portugueses!- não podiam deixar de se congratular com mais uma afronta ao povo do nosso país.

Mamadou Ba: os portugueses brancos pagam-lhe o salário,
ele agradece trabalhando activamente contra os portugueses brancos!


«Com 1.176 votos, o projecto para a edificação de um memorial de evocação da escravatura pretende “homenagear as vítimas da escravatura e celebrar a abolição da escravatura e o tráfico de pessoas escravizadas”. Segundo a página na internet do Orçamento Participativo, o projecto está agora em estudo, com um orçamento estimado de 100 mil euros e cujo prazo de execução está previsto em um ano.»

Ou seja, como se já não bastasse termos de pagar a nova mesquita de Lisboa -uma violação flagrante e grotesca do princípio de separação entre o Estado e a Religião-, ainda vamos ter que financiar este monumento concebido para nos diabolizar e vilipendiar! A verdade é que, de certa forma, merecemos este desfecho: nas últimas autárquicas, os lisboetas não quiseram votar no único partido que se opunha à construção da nova mesquita, preferindo reconduzir ao poder o executivo 'xuxa' que a tinha decidido financiar. E nas últimas legislativas, elegemos um monhé indiano como primeiro-ministro, dando à extrema-esquerda a possibilidade de se juntar a ele e formar a famigerada 'geringonça'. O resultado está à vista: eleger quem promove alógenos é, na prática, eleger os alógenos...


«Antes de mais, é de notar o facto de este monumento ser o primeiro em Portugal. Ao contrário do que acontece noutros países, como em Inglaterra, por exemplo, o nosso país, contrastando com locais como o Padrão dos Descobrimentos, não tem qualquer memorial que preste homenagem às vítimas do colonialismo e às pessoas escravizadas.»

E porque é que havia de ter? Nenhum dos portugueses actuais teve escravos! Nenhum dos portugueses actuais tem de sentir vergonha, fazer cedências ou andar de cabeça baixa por causa da escravatura que, conforme foi mostrado neste vídeo, era praticada em abundância pelos próprios africanos!!!

Mas, mais importante, porque é que os africanos que vieram viver para Portugal, ou que descendem de africanos que fizeram essa opção, têm o direito de impor aos portugueses brancos a sua visão distorcida da História? Se os portugueses são assim tão maus, porque é que eles não se vão embora para o paraíso africano de onde os seus pais saíram? Porque diabo temos de lhes fazer cedências, quando eles são tão ingratos e rancorosos?!?!


«Foi precisamente este motivo que levou a Djass – Associação de Afrodescendentes a lançar a iniciativa que saiu agora vencedora. “Ao longo de várias reflexões, verificámos que não há nenhum monumento que evoque a participação de Portugal no tráfico de pessoas escravizadas. Pelo contrário, há inúmeros monumentos que evocam o período dos ‘descobrimentos’ e de toda a epopeia portuguesa”, começa por explicar Beatriz Gomes Dias, presidente da associação.

O problema estava identificado. “Portugal teve um papel importantíssimo no tráfico de pessoas escravizadas e contribuiu com a exportação de seis milhões de pessoas escravizadas”. Por isso, para a Djass, “era importante que existisse um memorial que fizesse um reconhecimento desse papel de Portugal na escravatura e que, além disso, também celebrasse a resistência dos povos que foram escravizados”.

Portugal não tem nada que celebrar a alegada resistência dos outros povos que, repito, já se escravizavam entre si muito antes de os portugueses terem chegado a África! Essa celebração cabe exclusivamente aos povos que se dizem oprimidos, nos seus países de origem!!! E mais digo: se estes afrodescendentes se sentissem mesmo portugueses, jamais se importariam com a escravatura que nunca sentiram na pele! Este monumento prova inequívocamente -como se ainda houvesse dúvidas- que há uma parte significativa da comunidade africana que não se integra nem quer integrar-se na sociedade portuguesa! Que quer viver à margem e em conflito com os portugueses brancos!


«E assim foi. Depois de ter sido rejeitada numa fase inicial, a candidatura foi aceite e começaram as iniciativas para a promover, nomeadamente através da página de Facebook Memorial às Vítimas da Escravatura - Lisboa.

Meses depois, mais de mil pessoas deram a vitória ao projecto. “Este número de votos mostra que há muitas pessoas que apoiam este projecto, ao contrário daquilo que muitas vozes querem fazer acreditar. Há imensas pessoas que querem que a história de Portugal seja contada em todas as suas dimensões, e que não seja só a glorificação das descobertas, mas que também seja revelada a barbárie, a opressão e a violência que estiveram por trás do projeto colonial português”, afirma Beatriz Gomes Dias.»

Falácia grosseira! "Há muitas pessoas que" não significa nada de nada! Sem um referendo ou uma consulta popular, é impossível saber ao certo quantos portugueses é que concordam com esta aberração! Eu apostaria que a esmagadora maioria dos portugueses não concorda com este monumento! E muito menos concordará que seja pago com o dinheiro dos nossos impostos!!!


«Está previsto que o monumento seja edificado na Ribeira das Naus, perto do Campo das Cebolas, local onde as pessoas escravizadas que chegavam a Portugal eram comercializadas. A notícia foi muito bem acolhida pela SOS Racismo, associação que tem lutado não só contra a discriminação racial no nosso país, como também tem alertado para a necessidade de realizar uma “catarse histórica” que permita a Portugal olhar para o seu passado e pensar o seu presente e futuro.»

Uma das mentiras mais repetidas pelo esquerdalho e pela escumalha globalista ao longo dos últimos anos é que os portugueses jamais teriam de abdicar do que quer que fosse para receber os imigrantes. Aqui está mais uma prova da realidade dessa mentira: os alógenos vieram e agora exigem que reescrevamos a nossa História segundo a sua mundivisão e conveniência! O que virá a seguir?...


«“Tendo em conta que Portugal foi das maiores potências esclavagistas de toda a história da humanidade e que continuou, inclusive, as práticas escravocratas mesmo depois da abolição da escravatura, nas suas antigas colónias, através do trabalho forçado, este resgate da memória é muito importante, não apenas para celebrarmos o passado, mas para olharmos para o presente e encontrarmos soluções para os problemas com que se confrontam os descendentes de africanos que vivem em território português”, realça Mamadou Ba, dirigente da SOS Racismo.»

Estão a ver o que está realmente em causa aqui, caros leitores? "Encontrarmos soluções para os problemas dos descendentes africanos"! Ou seja, usar o passado para nos envergonhar e fazer sentir culpa e depois obrigar-nos a fazer cada vez mais cedências aos afrodescendentes! Já vimos isto nos EUA, no Canadá e no Reino Unido: não me surpreenderia que, daqui a uns anos, estes criminosos do SOS Racistas estejam a exigir quotas raciais em determinados empregos e em cargos políticos! O objectivo é retirar-nos gradualmente do poder e passar a mandar no que é nosso!


«Por esse motivo, a edificação de um monumento que coloque o dedo na ferida e exponha o “esqueleto no armário”, como o activista faz sobressair em conversa com o Notícias ao Minuto, será um factor importante para alargar a discussão e debater o racismo existente na sociedade portuguesa.

“Consideramos que o racismo na sociedade portuguesa é estrutural e estruturante, uma continuidade do projecto colonial português, que começou com a escravatura e continuou com a ocupação dos países africanos”, sublinha, por seu turno, Beatriz Gomes Dias, que espera ainda que “esta discussão em torno do racismo permita fazer uma reflexão em torno do racismo institucional e que haja uma reparação, que haja alterações legislativas que criminalizem o racismo”.»

Mas onde é que os pretos em Portugal são vítimas de racismo "estrutural e estruturante", hipócrita de merda?! Onde?!?!? Os pretos em Portugal podem fazer tudo o que os brancos podem e mais alguma coisa!!!


«Nesse sentido, apesar de a iniciativa ter partido da Djass, a associação deseja que venham mais contributos da sociedade civil. “Queremos que este processo seja o mais alargado possível, que seja de baixo para cima, que seja participado pelas associações de afrodescendentes e imigrantes e que haja consulta de todos para a construção do projecto”, reitera a associação de afrodescendentes, que nasceu em 2016 e que tem crescido imenso desde então, envolvendo-se não só em campanhas políticas, como também na organização de eventos – palestras, concertos, conferências, entre outras.

A associação quer continuar o trabalho desenvolvido em 2017, “um ano de imensa actividade”, e para tal lança o apelo à sociedade civil para que se envolva no processo de edificação do monumento, uma vitória muito importante, em particular, para a comunidade afrodescendente. “Foi uma vitória de todos os que acreditam que é importante contar a história de uma outra forma”, destaca a presidente da Djass.»

A todos aqueles que na Direita, entre os conservadores e mesmo alguns no sector tradicionalista, viram com bons olhos a vinda de imigrantes africanos para Portugal ao longo das últimas décadas "desde que se integrassem", estão aqui os frutos da vossa irresponsabilidade e falta de visão a longo prazo! Aconteceu o que se previa, mas que vocês se recusaram a ver: os imigrantes em Portugal e os seus descendentes -portugueses no papel mas não de facto- aprenderam com os marxistas a associar-se, a usar a Teoria Crítica e o revisionismo histórico para fazerem exigências. A partir daqui, as coisas só podem piorar... eles vão exigir cada vez mais e dar cada vez menos. A nossa sociedade ficará cada vez mais fracturada e polarizada. Parabéns, falsos direitinhas irresponsáveis, vocês ajudaram a transformar Portugal num Brasil de segunda categoria!


«Contactada pelo Notícias ao Minuto, a Câmara Municipal de Lisboa não deu mais pormenores relativamente ao projecto, uma vez que “não comenta projectos individualmente”.»

Que conveniente...


«Mas a expectativa da Djass é que o monumento seja mesmo erigido e que, depois, “seja construído todo um programa em torno do monumento, e que esse programa permita falar da história da escravatura, das pessoas escravizadas, da história colonial e do reconhecimento pleno do papel que os africanos tiveram na construção do que é Lisboa e Portugal, o contributo para a riqueza do país”. Esta necessidade que se impõe vai ao encontro das pretensões da SOS Racismo, que pede celeridade no processo, bem como esforços para que o monumento seja acompanhado por um programa que permita debater a questão do racismo e do passado colonial português.

Ou seja, o monumento é apenas o princípio. O espoletar de todo um conjunto de ataques criminosos a Portugal e ao povo português, pagos com o dinheiro de todos os portugueses! A esmagadora maioria dos portugueses que viveram não teve escravos. Nenhum dos portugueses que vivem actualmente teve escravos! E nenhum dos negros que vive actualmente em Portugal foi vítima de escravatura às mãos de portugueses! Não há nenhuma razão objectiva -a não ser a ambição política dos afrodescendentes e do esquerdalho em geral- para insistir em reabrir as feridas do colonialismo!


«“Só espero que a Câmara Municipal de Lisboa, uma vez que este projecto foi escolhido pelos lisboetas que estão preocupados com esta causa, seja célere na execução da obra e na sua concretização”, apela Mamadou Ba, que pede ainda que “sejam disponibilizadas as verbas previstas para a construção do memorial e que ao lado da execução da obra se invista em esforços para lhe dar conteúdo programático”, isto é, “que ao lado do memorial haja iniciativas de natureza política que possam corresponder aos anseios das comunidades afrodescendentes que vivem em Portugal”.»

Mais uma vez, insisto: esta obscenidade e outras deste género só são possíveis porque nós temos reconduzido ao poder a escumalha abrilina que patrocina este género de aberrações!  Ou nos convencemos que é preciso levar a política a sério e apostar em alternativas aos partidos do arco da tragédia  (PS, PSD, CDS, CDU, BE e agora também PAN), ou isto só vai piorar! E a avaliar pelo que tem acontecido noutros países do Ocidente, vai piorar MUITO!!!

16 comentários:

Anónimo disse...

100 mil euros...ainda bem que este país é rico e nem tem defice.

E como o caro Blogueiro referiu várias vezes e bem eles querem sempre mais, exigem sempre mais. Não adianta o sistema ajoelhar-se e desculpar-se devido a x porque na semana seguinte eles pedem vassalagem devido a y.

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

«100 mil euros...ainda bem que este país é rico e nem tem defice.»

E o mais curioso é que, no que respeita a estas aberrações, a direitinha nunca vem com aquela conversa de que "é preciso apertar o cinto e fazer sacrifícios, pá!" Porque será?...


«Não adianta o sistema ajoelhar-se e desculpar-se devido a x porque na semana seguinte eles pedem vassalagem devido a y.»

É isso que é preciso entender: a este tipo de gente, não se pode ceder nem um milímetro, porque logo a seguir eles exigem um metro... e no da seguinte, um quilómetro! Não é por acaso que eles se chamam "progressistas", não tem a ver com progresso (embora eles jurem que sim) mas com progressividade, com o caminhar por etapas rumo ao seu objectivo final. A cada etapa, força-se os limites do que é social e politicamente aceitável. Depois, quando esses limites são finalmente transpostos, passa-se para a etapa seguinte.

Vimos isso nas últimas décadas no combate pelos "direitos" dos homossexuais: começou por se lutar pela aceitação dos panascas e das fufas e conseguiu-se que a homossexualidade deixasse de ser considerada uma doença do foro psiquiátrico. A seguir, lutou-se para a legalização do "casamento" panisga. E quando isso se conseguiu, avançou-se para a adopção de crianças por parte dos invertidos. É assim que eles têm levado a água ao seu moinho! Passo a passo, com objectivos concretos e exequíveis a cada etapa.

Estas associação de africanos ressabiados está claramente a tentar algo semelhante: primeiro foi aquela palhaçada com a estátua do Padre António Vieira que, graças aos Portugueses Primeiro, foi um fiasco. Mas agora conseguiram fazer vingar este monumento! O que virá a seguir?

Anónimo disse...

"Esta associação de Africanos ressabiados"
Africanos + os "brancos" que lhes prestam vassalagem. Mas eles são peixe miudo ou melhor são uma parte dos cães de fila.
O peixe graudo, os supremos responsaveis pela descaracterização da verdadeira Europa, são os poderosos das elites que tudo isto toleram, incentivam e financiam á seculos.

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

«O peixe graudo, os supremos responsaveis pela descaracterização da verdadeira Europa, são os poderosos das elites que tudo isto toleram, incentivam e financiam á seculos.»

Sem dúvida, mas é muito difícil ao cidadão comum perceber isso. Graças à lavagem cerebral me(r)diática a que as pessoas são sujeitas diariamente, o eleitor médio encara a denúncia dos poderosos como propagação de "teorias da conspiração".

É por isso que eu faço por mostrar estes casos: ao mostrar os excrementos no meio da rua, a minah esperança é que as pessoas cheguem ao cão e depois ao seu dono... se calhar, estou a pedir demais. Se calhar, os fãs do führer de bigodinho é que têm razão e isto já só vai lá com uma revolução...

Lura do Grilo disse...

Uma vergonha

Afonso de Portugal disse...

No mínimo, caro Lura do Grilo!

Leitora disse...

Enquanto o pensamento de esquerda for vigente (juntamente com governos, mídia, escolas) e as raças branca e não branca "coexistirem" no mesmo lugar, haverá essa discussão sem fim sobre "raxismo, raxismo, eu sofri raxismo", quando acordam de manhã já pensam "é hoje que eu vou sofrer racismo", se vê um branco na rua "o racista vai atravessar a rua quando me ver, eu aposto", e etc. Nunca vai acabar , Afonso. Não vai ter fim, agora que começaram, mesmo que não tenha racismo nenhum - e isso é completamente irrelevante pro movimento deles - o importante é falar de racismo, roubar a história e o poder dos outros, destruir nações, fraturar a sociedade, apodrecer tudo.

Leitora disse...

Mas eu apoiaria uma boa indenização em dinheiro juntamente com uma passagem só de ida de volta pra Africa pra todo africano e afrodescendente nas Américas e na Europa, como indenização pela escravidão.

Leitora disse...

Mas sabe Afonso, as vzs penso, e seu to errada e eles (os que estão por trás disso) estão vendo mais longe? Pq, diga-se a verdade, eles nunca gostaram d negros e árabes e tal, não é a toa que todos no poder-poder são brancos ou judeus, e tem uma ala da judiaria que ainda evita se misturar com outras raças. Muitos nem consideram negros como judeus. E se, seilá, eles querem causar essa divisão pra no fim, realmente dividir um povo do outro? Será que é possível? Ou será que eles querem transformar mesmo o mundo num cenário de 4ªguerra mundial ,como disse Einstein: com pedras e paus?
Ah, e vc viu aquela outra notícia? O princípe Hary vai se casar com uma afrodescendente? Eu tenho opnião que o casamento é forjado, pra forçar essa coisa de multiculturalismo - e eu já havia lido em algum lugar há muito tempo que havia um boato q era pro Harry ter um filho "joooveem" por casa disso.

Afonso de Portugal disse...

Leitora disse...
«haverá essa discussão sem fim sobre "raxismo, raxismo, eu sofri raxismo", quando acordam de manhã já pensam "é hoje que eu vou sofrer racismo", se vê um branco na rua "o racista vai atravessar a rua quando me ver, eu aposto", e etc. Nunca vai acabar , Afonso.»

A cara Leitora tocou num ponto muito importante que, infelizmente, a esmagadora maioria dos ocidentais não quer entender: o "racismo" nunca acabará, mesmo quando a população humana for toda mestiça, porque a percepção das diferenças raciais é condição suficiente para espoletar o tratamento diferenciado entre grupos étnicos. Insistir em que raças diferentes vivam juntas no mesmo espaço é contrariar esse comportamento natural dos seres humanos e, por conseguinte, condenar essas raças à guerra, seja a médio, seja a longo prazo.


«Não vai ter fim, agora que começaram, mesmo que não tenha racismo nenhum - e isso é completamente irrelevante pro movimento deles - o importante é falar de racismo, roubar a história e o poder dos outros, destruir nações, fraturar a sociedade, apodrecer tudo.»

Sim, cara Leitora, concordo plenamente com o que você escreveu... aliás, foi precisamente por isso que eu me tornei racialista, por perceber que as sociedades multirraciais só podem acabar assim, com umas raças parasitando outras numa relação de conflito permanente. E quando ainda por cima metemos marxismo à mistura, tudo fica mais explosivo! Repare: a Europa e os EUA são os melhores lugares para se viver em todo o planeta mas, mesmo assim, os "jovens" que lá vivem nunca estão satisfeitos, exigem sempre mais e mais! Isso diz-nos tudo o que precisamos de saber sobre a realidade do multirracialismo. É um buraco sem fundo, quanto mais se insiste nisso, maior será a queda e o estrago no final!


«Mas eu apoiaria uma boa indenização em dinheiro juntamente com uma passagem só de ida de volta pra Africa pra todo africano e afrodescendente nas Américas e na Europa, como indenização pela escravidão.»

LOL! Parece que na Alemanha já chegaram a esse ponto:

http://gladio.blogspot.pt/2017/12/alemanha-vai-pagar-refugiados-para.html

O problema é que, sem fechar as fronteiras e travar as entradas de "pobres coitadinhos" na Europa, esta medida está condenada ao fracasso, porque os "seres humanos como nós" continuarão vindo aos milhões e um dia deixará de haver dinheiro para pagar o regresso de toda essa gente...

Afonso de Portugal disse...

«E se, seilá, eles querem causar essa divisão pra no fim, realmente dividir um povo do outro? Será que é possível? Ou será que eles querem transformar mesmo o mundo num cenário de 4ªguerra mundial ,como disse Einstein: com pedras e paus»

É possível, mas eu nestas coisas tendo a acreditar na explicação mais simples (Navalha de Occam). Julgo que o grande objectivo destas pessoas é criação de um "povo global", mestiço e desenraizado, que possa ser controlado facilmente por uma superclasse mundial. Porquê? Porque isso permitirá às grandes corporações multinacionais a conquista de todos os mercados regionais e o estabelecimento de monopólios à escala planetária. Acredito que é sobretudo o dinheiro e a perspectiva de lucros estratosféricos que motiva estas pessoas. Claro que depois tem gente como Soros, que querem destruir a raça branca como bónus.


«Ah, e vc viu aquela outra notícia? O princípe Hary vai se casar com uma afrodescendente? Eu tenho opnião que o casamento é forjado, pra forçar essa coisa de multiculturalismo»

Uma mestiça que já foi casada (e o casamento durou apenas 2 anos) e que é mais velha do que ele (mais velha até do que a Kate Middleton, a mulher do príncipe William)! Nem dá para acreditar, um príncipe inglês, que podia ter qualquer mulher do mundo -ou quase- vai casar com uma americana "vibrante"! :(


«eu já havia lido em algum lugar há muito tempo que havia um boato q era pro Harry ter um filho "joooveem" por casa disso.»

Acredito! As casas reais europeias são todas uma vergonha no que respeita a promoção da miscigenação. Aqui em Portugal, por exemplo, praticamente não há monárquicos que não tenham saudades do colonialismo e que não considerem os povos das ex-colónias como irmãos! Ugh.......

João disse...

A direitinha, já que se falou nela, é esta merda. Continua a chamar fascismo ao que é leninismo. Ter algo a ver com a "extrema-direita" é que não! mais depressa se viram para Meca ou Luanda.
https://oinsurgente.org/2017/12/05/quando-e-que-o-fascismo-moderno-vai-comecar-a-queimar-livros-e-obras-de-arte/

Afonso de Portugal disse...

É realmente insuportável, caro João, a direitinha interiorizou totalmente a visão histórica esquerdlhista e debita os mesmo chavões sem pensar duas vezes! Mas o que é mais surreal é que esse Ricardo Campelo Magalhães ainda não é dos piores. Quando se lê a Maria João Marques ou o Luis Aguiar-Conraria, até dá vontade de atirar o portátil pela janela!!!

E não haja dúvidas quanto a Meca e Luanda, basta relembrar a forma degradante como a Cristas se prostituiu alegremente na mesquita do David "cotovelada" Munir...

João disse...

A Marques, o Conraria, o João Miguel Tavares, etc, é tudo farinha do mesmo saco. Muito cosmopolitas e urbanos. Foram a Londres e Nova Iorque e viram as maravilhas da civilização e da diversidade. Fascismo é que não!

Afonso de Portugal disse...

Pois... nem fascismo, nem direita a sério, que essa turminha apoiou toda a bruxa Hilária contra o Trump!

Grego disse...

Oh, Senhor Mamadou, um video para você, em português:
https://www.youtube.com/results?search_query=olavo+de+carvalho+escravos+brancos