sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

A Alemanha anda a tentar superar a Suécia...


     A cidade de Colónia, na Alemanha, parece estar a transformar-se cada vez mais num pardieiro multicultural. Já aqui vos mostrei o enriquecimento vibrante a que as mulheres alemãs têm sido sujeitas nessa cidade, uma situação que não parece incomodar nadinha os responsáveis cristãos locais, que chegaram ao cúmulo desligar as luzes da grande catedral em protesto contra uma manifestação anti-islamização, e cujo arcebispo mandou trazer um barco alegadamente utilizado por "refugiados" para o meio da praça adjacente à catedral como forma de acentuar o complexo de culpa dos alemães.

Pois bem, esta cidade alemã, que parece apostada em ultrapassar a demência suicida dos centros urbanos suecos, deu recentemente mais um passo rumo ao abismo da utopia multiculturalista:

«A Presidente da Câmara Municipal de Colónia, Henriette Reker, decidiu distribuir pulseiras com a palavra "respeito" para encorajar o entendimento entre diferentes indivíduos na noite da passagem de ano. Numa conferência de imprensa, Reker disse que esta campanha tinha como objectivo dizer às pessoas para não cometerem ataques sexuais, ou dispararem dispositivos pirotécnicos sobre outros indivíduos, edifícios ou polícia. A intenção é que as pulseiras alertem os outros para a necessidade de ser respeitosos ao abordar quem as usar, para assim prevenir potenciais ataques sexuais.»


Isto vai mesmo resultar! A teoria do bom selvagem nunca falha!


Mais do que o ridículo confrangedor desta campanha, é completamente surreal que uma autarca europeia -ainda por cima do sexo (e não "género") feminino-, possa fazer uma coisa destas aos seus munícipes sem que haja uma revolta popular. Porque esta iniciativa é, objectivamente, gozar com a cara das mulheres de Colónia, é usar o dinheiro dos contribuintes para fazer o mesmo que nada.

Por outro lado, o Estado da Renânia do Norte-Vestefália, ao qual a cidade de Colónia pertence, foi um dos que mais votos deu à porca ex-Stasi Angela Mer(d)kel e menos votos deu à AfD... portanto, cada um tem o que merece!

____________
Ver também:

Olha que "surpresa": «Quase todos os suspeitos da violência sexual em Colónia são estrangeiros»
O Arcebispo de Colónia volta a atacar!
Mais um clérigo cristão traidor...
Ainda sobre os gangues sexuais de Colónia...
Paul Joseph Watson: «A violação da Europa»
Três adolescentes alemãs molestadas por "pobres coitadinhos" em fesitval multicultural
Pat Condell: «A traição da Europa às mulheres»
Não se pense que é só na Alemanha...
A entrada continuada de mais homens imigrantes vai levar a mais casos de abuso sexual (Daily Mail
Mais cidades europeias reportam casos de ataques sexuais na noite da passagem de ano (Atlas Shrugs)
Um obscuro óbvio (Lura do Grilo)
Três reacções "regressivas" aos ataques sexuais de Colónia (Rubin Report)
Assaltos e violações em Colónia (Blogue do FireHead)
Refugees Welcome! (História Maximus)
Ataques a mulheres durante a passagem de ano chocam Alemanha (A-24 Notícias*Estudos*Opinião)
Os ataques sexuais da passagem de ano de 2015 em Colónia (Sargão da Arcádia - YouTube)
Vítimas dos ataques sexuais de Colónia descrevem o sucedido (ODN - YouTube

2 comentários:

João disse...

É muito forte, esta atitude. Creio que devemos ter cuidado, isto pode estar a ofender o "dereito umano" dos migrantes. Há aqui uma atitude xenófoba encapotada porque quem usa essa pulseira está a dizer, no fundo, que recusa a diversidade cultural.

Afonso de Portugal disse...

Ahahahahah ora aí está um grande dilema para a sr.ª Reker! E agora? Protegemos as mulheres ou salvaguardamos a diversidade? Se o padrão dela for semelhante ao das feministas suecas, as mulheres alemãs estão lixadas!