segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Douglas Murray coloca um pirralho globalista no seu devido lugar


    Algures num centro de conferência em Inglaterra, um estudante alemão com a cabecinha atafulhada de dogmas multiculturalistas defende intransigentemente as políticas genocidas da ex-stasi Angela Mer(d)kel. Para seu azar, entre o painel de oradores está Douglas Murray, um dos mais ferozes e respeitados críticos do multiculturalismo da actualidade.

A propósito, o seu novo livro, "A Estranha Morte da Europa", é obrigatório. Está cheio de estatísticas sobre a demografia, o Estado Social e a criminalidade no Reino unido. Não vão por mim: o Al-Guardian condena o livro veementemente, sem contudo invalidar ou desconstruir nenhuma das suas conclusões fundamentais. Para quem eventualmente ainda não saiba, o Al-Guardian tem sido, ao longo dos anos, a principal fonte de inspiração dos pigmeus intelectuais do "nosso" Al-Público...

2 comentários:

Anónimo disse...

Com que então o loirinho não vê a imigracao massiva na Inglaterra :D e tambem não viu problemas na entrada de imigrantes na Alemanha apesar de todos indices de criminalidade terem subido imenso, apesar das violacoes coletivas em Colonia etc e apesar de 1 norte africano ter atropelado dezenas de pessoas num mercado de natal, apesar dos maluquinhos que de tempos em tempos esfaqueam pessoas em Munique e apesar da policia alemã ter detido dezenas de pessoas nos ultimos anos nas vesperas de as mesmas cometerem atentados (se calhar deviam deixar acontecer a desgraca para estes loirinhos verem...)

Sabe o que é que eu tenho vindo a notar caro Blogueiro? É que mesmo apesar dos horriveis e a perder de conta atentados na Europa desde 2015 os fanaticos pro-iminvasao estão ainda mais fanaticos e certos do seu caminho! E nos países que ainda nao foram aringidos a serio por essa mesma iminvasao: idem, os que anteriormente apoiavam a "abertura" e o multi-coisa agora ainda apoiam mais veemente.

Parece que nao chega, acredito que para esta gente mesmo que 1 grupo de "maluquinhos" rebentasse literalmente com metade da Europa atraves do acesso e uso duma bomba nuclear qualquer, acredito que mesmo assim eles iam dizer "ahhh é so 1 num milhão, se calhar foram as nossas politicas de integracao que falharam..."

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

«Com que então o loirinho não vê a imigracao massiva na Inglaterra :D»

De acordo com alguns especialistas da nossa praça, ele tem garantidamente uma costela judaica! :P


«Sabe o que é que eu tenho vindo a notar caro Blogueiro? É que mesmo apesar dos horriveis e a perder de conta atentados na Europa desde 2015 os fanaticos pro-iminvasao estão ainda mais fanaticos e certos do seu caminho! E nos países que ainda nao foram aringidos a serio por essa mesma iminvasao: idem, os que anteriormente apoiavam a "abertura" e o multi-coisa agora ainda apoiam mais veemente.»

Sim, é verdade... aliás, a mim parece-me que as posições se têm extremado em ambos os lados da barricada, pró e anti-imigração. Se isto continuar, o confronto será inevitável e não apenas no plano político. Os mé(r)dia estão até a incentivar o confronto, com artigos verdadeiramente surreais como este aqui:

https://www.salon.com/2017/08/26/my-liberal-white-male-rage-what-should-i-do-about-it/


«Parece que nao chega, acredito que para esta gente mesmo que 1 grupo de "maluquinhos" rebentasse literalmente com metade da Europa atraves do acesso e uso duma bomba nuclear qualquer, acredito que mesmo assim eles iam dizer "ahhh é so 1 num milhão, se calhar foram as nossas politicas de integracao que falharam..."»

Mas é que não tenha a menor dúvida, caro FdT! Apareceriam logo inúmeros desses energúmenos, todos cheios de si mesmos, a vociferar raivosamente: "A melhor homenagem que podemos dar às vítimas é mantermos os nossos valores! Se cedermos ao ódio, o terrorista da bomba atómica vencerá! Temos de o derrotar, importando ainda mais imigrantes! Não permitiremos que o medo prevaleça!!!"