quarta-feira, 2 de agosto de 2017

O fim da Alemanha: 22,5 % da populaçao "alemã" tem backgroud imigrante


E os alemães devem gostar, porque vão votar novamente na Mer(d)kel no próximo mês de Setembro! 😞

«A população alemã de origem imigratória atingiu um novo recorde de 18,6 milhões de pessoas, revelou o Gabinete Federal de Estatística, atribuindo parcialmente o aumento aos anos de política de imigrantes da porta aberta da Angela Merkel.»

Os novos alemães: menos loiros, mas muito mais vibrantes! 😜

«Só em relação ao ano passado (2016), houve um aumento de 8,5 por cento na população com background  imigratória de primeira ou segunda geração. O Gabinete Federal de Estatística (Destatis) disse que é o "maior aumento [anual] desde que o registo começou, em 2005." 

Para além do Médio Oriente, cerca de 740 mil pessoas na Alemanha são de ascendência africana, com os números a aumentarem cerca de 46% em relação a 2011. "A Turquia ainda é, de longe, o país de origem mais importante, mas perdeu a relevância desde 2011", observou a agência federal, depois de sondar cerca de 1% da população alemã total.

Em suma, o censo revelou que cerca de 22,5 % dos 82,4 milhões de habitantes da Alemanha são imigrantes de primeira ou segunda geração, i.e. indivíduos em que pelo menos um dos pais nasceu sem a cidadania alemã. Cerca de 42% dos alemães com antecedentes de imigração nasceram como alemães, enquanto outros 33% imigraram para a Alemanha e os 25% restantes foram naturalizados.»

Os alemães são considerados por muitos nacionalistas tugo-brasucas como o povo mais inteligente do mundo. Se isso for verdade, a inteligência parece ter-lhes servido de pouco...

9 comentários:

Leitora disse...

"Os alemães são considerados por muitos nacionalistas tugo-brasucas como o povo mais inteligente do mundo. Se isso for verdade, a inteligência parece ter-lhes servido de pouco..."

Não é meu caso. Os asiáticos tem Q.I. maior, segundo estatísticas. EU prefiro ficar com as estatísticas. E até judeus possivelmente são mais inteligentes.
Porém, é notável que o povo alemão tem talento para criar bons lugares, vejo pelo Brasil, muitas cidades com grande potencial na região Sul foram fundadas por alemães.
(digo grande potencial no sentido de serem cidades com capacidade pra evoluir bastante, não ficar que nem aquelas cidades de interior que nunca aumentam nem nada)

Enquanto eles forem 80% da população a situação ainda pode estar um tanto confortável, mas o futuro tem tudo pra ser, como vc mesmo diz, distópico.

pvnam disse...

Ao mesmo tempo que tenho estado aqui junto do computador, tenho estado a ouvir um documentário na RTP3.
.
O documentário tem estado a falar da quantidade incrível de património que na Alemanha tem estado a ser vendido a multinacionais.
.
Os políticos anti-separatismo estão acabados: É SÓ FAZER UMA ESTATÍSTICA do património que tem estado a passar para a posse de multinacionais.
Os políticos anti-separatismo estão contra o separatismo por um motivo óbvio: eles querem estar na posse da maior quantidade possível de património... património esse passível de ser vendido a multinacionais.

Afonso de Portugal disse...

Leitora disse...
«Não é meu caso. Os asiáticos tem Q.I. maior, segundo estatísticas. EU prefiro ficar com as estatísticas. E até judeus possivelmente são mais inteligentes.»

Bem, segundo este ranking, os asiáticos são realmente os mais inteligentes, mas o problema é que os países europeus foram demasiado contaminados por gente de baixo IQ para que a comparação directa continue a fazer sentido:

https://iq-research.info/en/page/average-iq-by-country

E a tendência é para piorar: na China, o governo tem apostado fortemente em pesquisa genética com vista ao melhoramento da inteligência dos chineses. No Ocidente, pelo contrário, a comunidade "científica" quer proibir a investigação genética com vista ao melhoramento da espécie humana. O Black Pigeon Speaks fez um excelente vídeo sobre isso há dois dias atrás:

https://www.youtube.com/watch?v=IrXHsg_d1Hw

«Enquanto eles forem 80% da população a situação ainda pode estar um tanto confortável, mas o futuro tem tudo pra ser, como vc mesmo diz, distópico.»

Pois... o problema é que a população de toda a Alemanha já só tem 1,38 filhos por mulher... o que significa que, muito provavelmente, os alemães já so terão 1 filho/mulher ou pouco mais, e os alógenos 3 ou 4 filhos/mulher ou até mais... sem contar com os iminvasores que continuam a entrar aos milhares todos os meses! :(


pvnam disse...
«O documentário tem estado a falar da quantidade incrível de património que na Alemanha tem estado a ser vendido a multinacionais.»

Que tipo de património? Casas? Museus? Arte? Indústrias?...


«Os políticos anti-separatismo estão contra o separatismo por um motivo óbvio: eles querem estar na posse da maior quantidade possível de património... património esse passível de ser vendido a multinacionais.»

Sim, aliás, a lógica do globalismo é mesmo essa, açambarcar tudo, controlar tudo e lucrar com tudo. O caso mais paradigmático que conheço é o da Monsanto, que nem os agricultores americanos deixa plantar batatas sem os obrigar a pagar pelos "direitos" da semente.

Mas aqui voltamos sempre ao problema de fundo: quantos portugueses saberão sequer que a Monsanto existe? Quantos quererão saber? E quantos é que, mesmo sabendo, estão dispostos a fazer alguma coisa? :|

mensagensnanett disse...

Todo o tipo de património: imobiliário, etc.
Existe algo que não deixa de ser sintomático: muito solo (terrenos) alemão já não é pertença de cidadãos alemães.

Afonso de Portugal disse...

:| Isso é deveras confrangedor! Nunca pensei que os alemães abdicassem tão facilmente da sua propriedade! Lembro-me de há uns anos uma empresa ter tentado privatizar o abastecimento de águas em Berlim e os cidadãos terem impedido o processo! Parece que os alemães também já não são o que eram...

Mas quem é que está a comprar isso tudo? Os chineses?

Anónimo disse...

mas o problema é que os países europeus foram demasiado contaminados por gente de baixo IQ para que a comparação directa continue a fazer sentido:

https://iq-research.info/en/page/average-iq-by-country

__________________________

Os estudos variam um pouco, mas normalmente batem certo dentro de uma dada média.

ver aqui para toda a Europa

http://dienekes.awardspace.com/articles/greekiq/iq.pdf

Portugal 101

pvnam disse...

A grande maioria é o capital sem rosto (fundos financeiros disto e daquilo)... muito dele proveniente do pessoal do petróleo do médio oriente.

Bilder disse...

entretanto na Hungria(que não têm o constragimento psicológico dos alemães) http://www.independent.co.uk/news/business/news/george-soros-donald-trump-open-society-foundation-hungary-crackdown-a7521381.html artigo de Janeiro(entretanto já se deram desenvolvimentos interessantes com a colocação de cartazes anti-Soros na Hungria e consequentes reacções).

Afonso de Portugal disse...

Portugal 101
«Os estudos variam um pouco, mas normalmente batem certo dentro de uma dada média.»

Muito, muito interessante! Obrigado pelo documento! Sendo esse estudo já de 1981, confirma aquilo que eu suspeitava: o QI médio das pessoas que vivem na Europa (o que é diferente do QI dos europeus) está em queda livre!


Repare-se nos seguintes exemplos:
Alemanha (1981): 109,3 Alemanha (2002-2006): 99
Holanda (1981): 109,4 Holanda (2002-2006): 100
Suécia (1981): 105,8 Suécia (2002-2006): 99
Portugal (1981): 102,6 Portugal (2002-2006): 95

...o único dos países iminvadidos que claramente foge à regra é a França, que passa de 96,1 em 1981 para 98 em 2002-2006. Mas aqui é preciso fazer a seguinte ressalva: se fizermos um teste de QI na Amadora e outro numa localidade etnicamente portuguesa, de certeza que a diferença será grande. No entanto, é impossível saber exactamente que população "portuguesa" foi usado nos estudos.

Ora, o que eu desconfio que aconteceu no caso da França é que, muito provavelmente, o estduo de 1981 foi feito sobretudo para a população de Paris e mais alguns grandes centros urbanos, enquanto o estudo de 2002-2006 incluiu gente de todo o país. Estou a especular, evidentemente, mas desconfio que a realidade não ande muito longe disto. É que não tem lógica que o QI francês tenha aumentado tanto ao fim de tantos anos de imigração a partir das ex-colónias franceses, países cuja população tem um QI baixo.



pvnam disse...
«A grande maioria é o capital sem rosto (fundos financeiros disto e daquilo)... muito dele proveniente do pessoal do petróleo do médio oriente.»

É verdade e vê-se um pouco em tudo: no futebol, como no caso recente da transferência do Neymar, no mercado imobiliário, nos incentivos à construção de novas mesquitas, na compra de mé(r)dia e até redes sociais (ex.: em 2011, o príncipe saudita Alwaleed bin Talal investiu $300 milhões no Twitter).



Bilder disse...
« artigo de Janeiro(entretanto já se deram desenvolvimentos interessantes com a colocação de cartazes anti-Soros na Hungria e consequentes reacções).»

Sim, uma das mais interessantes foi esta:

https://www.theguardian.com/world/2017/apr/26/eu-launches-legal-action-against-hungary-higher-education-law-university

O esquerdalho ficou aflito com esta iniciativa porque as universidades são um dos seus maiores veículos de doutrinação. E não é só na Hungria: há uns dias, a conta de YouTube do Prof. Jordan Peterson foi temporariamente suspensa. A Google não deu motivos para a suspensão mas, algumas horas antes, o Prof. Peterson tinha feito um vídeo no qual explicava que a sua esquipa estava a desenvolver um programa de computador que, a concretizar-se permitiria aos alunos de qualquer universidade avaliar se uma determinada disciplina era ou não neomarxista, através da análise do seu plano curricular...