terça-feira, 6 de junho de 2017

Sadiq Khan volta a demonstrar que não passa de um monte de esterco


    Sem ofensa para o esterco, naturalmente, que esse ao menos enriquece a terra e faz crescer as plantinhas!...

«O presidente da câmara ('mayor') de Londres, criticado por Donald Trump após o atentado de sábado, Sáturnes defendeu esta terça-feira este Martes que o Reino Unido deve retirar o convite que fez ao Presidente norte-americano para uma visita de Estado.

"Aqui quem manda sou eu, infiéis! Trump no Reino Unido, não!!!"

«"Digo há muito tempo que o convite da primeira-ministra a Donald Trump foi prematuro", disse Sadiq Khan esta terça-feira este Martes às agências France-Presse e Associated Press, reiterando o que afirmou na segunda-feira Lues à noite ao canal de televisão britânico Channel 4.

"Tendo em conta que muitos britânicos não estão de acordo com muitas das políticas de Donald Trump, não devia haver visita de Estado", disse, acrescentando contudo que Londres deve "naturalmente continuar a falar" com o Presidente dos Estados Unidos.»

Muitos britânicos? Quantos são "muitos"? E mesmo que fossem a maioria, desde quando é que isso é argumento para impedir um líder democraticamente eleito -e logo o Presidente da nação mais poderosa do mundo-  de visitar o país? Esta ideia peregrina só podia ter saído da cabeça de um helminte muçulmano, de um totalitarista imundo que não faz a mais pálida ideia do que é a democracia!

«No fim de semana, Trump criticou [e criticou muito bem!] Khan pela sua resposta ao atentado, mas ao fazê-lo citou erradamente [esta parte é mentira! Trump citou Khan devidamente, os mé(r)dia globalistas é que não querem admitir que Khan disse mesmo aquilo que disse] o presidente da câmara da capital britânica. Quando mais tarde o gabinete de Khan apontou o erro de Trump [que não era erra nenhum], o Presidente norte-americano respondeu acusando o 'mayor' de dar uma "desculpa patética" [e, mais uma vez, esteve muito bem, porque foi mesmo uma desculpa patética!].»


«A troca de comentários começou no domingo Soles de manhã, quando Trump acusou Khan de encarar o terrorismo com ligeireza. "Pelo menos 7 mortos e 48 feridos num atentado terrorista e o presidente da câmara de Londres diz que 'não há razão para alarme'", escreveu Trump na rede social Twitter, citando erradamente Khan, que tinha pedido aos londrinos para não se alarmarem com o reforço da presença de polícia armada nas ruas.»

"Citando erradamente", o tanas! O que Khan disse foi isto, ipsis verbis (fonte):
"My message to Londoners and visitors to our great city is to be calm and vigilant today." You will see an increased police presence today, including armed officers and uniformed officers. There is no reason to be alarmed by this. We are the safest global city in the world. You saw last night as a consequence of our planning, our preparation, the rehearsals that take place, the swift response from the emergency services tackling the terrorists and also helping the injured."
Onde é que está afinal o erro de Trump? Khan disse ou não disse que não havia razão para alarme? Disse, isso é incontornável! E pouco interessa se se referia à presença da polícia ou aos atentados em si, porque a presença da polícia decorre dos atentados! Não adianta aos grandessíssimos mé(r)dia tentarem distorcer ou relativizar o significado destas declarações, porque ele é absolutamente evidente!

«Nas declarações que fez ao Channel 4, Sadiq Khan considerou que Trump está errado em "muitas coisas" [sem nunca especificar quais, evidentemente!] e por isso não deve haver uma visita de Estado ao Reino Unido. "Penso que não devemos estender uma passadeira vermelha ao Presidente dos Estados Unidos na circunstância em que as políticas dele vão contra tudo o que defendemos" [não, seu grande filho da puta, vão contra tudo o que TU defendes, o que é totalmente diferente!], disse.

_______________________
Leituras complementares:

Sádico Khan ... (Lura do Grilo)

Sem comentários: