segunda-feira, 15 de maio de 2017

Da iminvasão em França...


    Aqui fica um videozito bem giro com alguns "enriquecimentos" proporcionados pelos "novos franceses" aos velhos franceses. E quando os "jovens" ficam cansados, aparecem os antifas para continuar a o seu trabalho! Que vibrante, pá!

Mas não se preocupem, caros leitores, o Hollande II, aliás, Nelinho Macron, vai dar a volta a isto! 😜

6 comentários:

Leitora disse...

Esses "Antifa"s certamente são vagabundos pagos para isso.

Afonso de Portugal disse...

Sem dúvida! Por exemplo, todos os antifas que foram detidos durante o motim de Berkeley foram soltos ao fim de algumas horas. Quem pagou as suas fianças? ;)

Anónimo disse...

Afonso, estou a notar um aumento massivo de muçulmanos na Grande Lisboa. Se há 3 ou 4 anos era pouco frequente cruzar-me com uma ninja ou alguma de hijab, hoje TODOS dias vejo elas, por vezes até mais que uma vez. Alguns de facto têem ar de refugiados, mas depois de Portugal ser africanizado vai ser islamizado. Noto igualmente que a probabilidade de ver uma mãe com um filho mestiço já não se restringe àquelas quengas de bairro. Cada vez mais mulheres "normais" andam ao colo ou de mão dada com filhos mestiços. Já é tão frequente que posso dizer que para aí 30% dos rebentos das brancas começam a ser coloridos, isto em plena cidade de Lisboa. Óbvio que tiro desses cálculos os betolas e as tias, que esses não se misturam. Há coisa de 2 semanas fui jantar a um centro comercial na Grande Lisboa e vi nada mais nada menos que 5 casais com homem africano + mulher branca (quase todas elas jeitosas) com filhos. Isto só num espaço de menos de meia hora em que lá estive, sendo que o espaço de restauração estava longe de estar cheio, o que em termos proporcionais ainda mais considerável é. Só no meu prédio, uns vizinhos meus, que tem um casal de filhos, viu o filho casar com uma preta e a filha, que é da minha idade e que estudou comigo, sempre andou com pretos e ja tem filho mulato.

G, o cigano

Afonso de Portugal disse...

O G dá-me lincença que eu reproduza este seu testemunho numa posta? É que me parece demasiado importante para ficar reduzido às caixas de comentários!

Anónimo disse...

Caro Afonso,

Claro que sim. Não há sítio nenhum onde possa expor esta realidade sem ser na blogosfera, já que dizer isso a alguém na rua sou logo alvo de censura, para mais, na esquerdista e direitinha betola Lisboa.

G, o cigano

Afonso de Portugal disse...

Obrigado! :) É que não parece, mas longe de Lisboa é difícil perceber onde é que isto já chegou... e onde ainda pode chegar!