quinta-feira, 6 de abril de 2017

E por falar em taxas de fertilidade...


Este é o primeiro mapa que encontrei com a taxa de fertilidade discriminada por região:


Pode ver-se que:
  • A natalidade da península Ibérica é uma miséria, piorando à medida que se caminha para Noroeste; em Portugal, as regiões mais férteis são Lisboa e Algarve, que são provavelmente também as mais iminvadidas.
  • Em França, as regiões mais verdes (com maiores taxas de fertilidade), são precisamente as mais iminvadidas; por exemplo, a Norte de Paris, temos as regiões de Norte-Passo-de-Calais, Picardia e a Ilha de França. A Oeste, temos a Bretanha e o País do Loire. E a Sudeste, temos Ródano-Alpes e a Provença, em que a composição étnica da capital, Marselha, dispensa comentários.
  • Este padrão repete-se na Grã-Bretanha, sobretudo em Londres e arredores.
  • As taxas de fertilidade das regiões alemãs são mais baixas do que eu julgava, sobretudo tendo em conta os milhões de islâmicos aí estacionados; ainda assim, são mais altas do que as das penínsulas Ibérica e Itálica, e também do que a Grécia e países da Alemanha de Leste, o que não descarta a hipótese de se deverem essencialmente aos alógenos.
  • A Suécia tem muitas zonas verdes... porque será? ;)
  • A Turquia é quase inteiramente constituída por regiões verdes.
  • Quanto à Irlanda, as zonas verdes poderiam ser uma boa notícia, não fosse pelo facto de que «the Republic of Ireland has seen large-scale immigration, with 420,000 foreign nationals as of 2006, about 10% of the population. A quarter of births (24 percent) in 2009 were to mothers born outside Ireland. Chinese and Nigerians, along with people from other African countries, have accounted for a large proportion of the non–European Union migrants to Ireland.»

2 comentários:

Anónimo disse...

Portugal tem que mudar tudo, A nossa identidade nacional europeia está e vai completamente ser obliterada. França então que dizer? a última chance demográfica são estas eleições, as próximas já não sei não.
A Espanha consegue estar melhor que nós em rácio de imiinvasão (tem menos) e demografia , já a Suécia está numa velocidade ainda mais avançada de queda.

ass. Fuas Roupinho

Afonso de Portugal disse...

Sim, a Suécia, a Françae o Reino Unido são os países que estão pior, embora eu desconfie que a Alemanha não esteja muito melhor.

Em Portugal já haverá quase 1,5 milhões de alógenos de primeira e segunda gerações e nem assim o nacionalismo cresce. A coisa está realmente muito complicada...