quarta-feira, 12 de abril de 2017

E em França, continua a dança (4)...


«Autoridades e membros de organizações não-governamentais (ONG) procuram esta terça-feira este Martes centenas de imigrantes que desapareceram depois de um incêndio ter destruído o acampamento onde viviam, no norte de França.


A polícia isolou o campo de Grande Synthe, um subúrbio de Dunquerque a cerca de 30 quilómetros do túnel submarino que atravessa o Canal da Mancha, para equipas de peritos recolherem provas para tentar determinar as causas do incêndio, que deflagrou na segunda-feira à noite após uma rixa entre grupos rivais.

Cerca de 1600 pessoas residiam no campo, segundo o presidente da câmara de Grande Synthe, Damien Careme. Pelo menos 500 foram alojadas em ginásios, mas a maioria desapareceu.

Dirigentes da ONG Médicos Sem Fronteiras, que estabeleceu o campo há um ano para acabar com os campos improvisados e sem condições da zona, vão reunir-se hoje para decidir o que fazer. Outras ONG preparam-se para distribuir refeições nos ginásios que acolheram migrantes e noutros locais em que venham a ser detectados.

A prioridade é encontrar os desaparecidos, explicou a directora da MSF França, Corenne Torre. "Não sabemos onde estão", disse, estimando que pelo menos 600 pessoas estão desaparecidas.»

"Não sabemos onde estão", dizem os sonsos das ONGs... como se não fosse absolutamente evidente o que eles vão tentar fazer a seguir, com o canal da Mancha ali ao lado...

Sem comentários: