sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Na Suécia: investigador da polícia perde a paciência e denuncia sobre-representação alógena na criminalidade


...sendo que já está a pagar o preço por ter falado! Mas já lá vamos, primeiro vamos ver o que ele disse. Um muito obrigado! ao Dr. No por nos ter trazido aqui esta história:

A paciência do investigador Peter Springare, que serviu na polícia sueca durante 47 anos, atingiu o seu limite. A semana passada, o veterano usou o Facebook para denunciar que os imigrantes são responsáveis pela maior parte dos crimes no seu país:

(clicar na imagem para aumentar o seu tamanho)

Como não podia deixar de ser, este desabafo do Sr. Springare não foi nada bem recebido pela Inquisição Anti-Racista da Suécia. É que o governo genocida daquele país tinha proibido, no início de 2016, as forças da autoridade de revelarem a identidade étnica e a nacionalidade dos criminosos "para evitar o racismo". E, com efeito, o Dr. No trouxe-nos aqui outra notícia (obrigado, Dr. No!) que, no seguimento da primeira, nos conta que:

«O departamento de investigação interna está a investigar o Sr. Springare por incitamento ao ódio racial.»

Ou seja, um investigador da polícia com 47 anos de serviço vai ser processado por dizer a verdade!!! É esta parte que é particularmente revoltante: os poucos que se atrevem a abrir a boca, são imediata e implacavelmente perseguidos!

O que nos leva novamente àquilo que eu disse a propósito do que se passou recentemente em França, algumas postas mais abaixo: os brancos nunca se juntam; a maior vergonha e tragédia desta história é não haver mais nenhum polícia sueco a juntar a sua voz à do Sr. Springare!!! Esta covardia abjecta dos agentes de polícia suecos, que já não é de agora, é verdadeiramente criminosa, porque perpetua a criminalidade iminvasora e a mordaça imposta pelos donos do sistema!

9 comentários:

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=-EkAXeTvILY

Veja isto, Afonso!

Anónimo disse...

Com políticos assim, "Ministra da cultura" Sueca https://pt.wikipedia.org/wiki/Alice_Bah_Kuhnke
xD
Geraldo

João José Horta Nobre disse...

Filhos de uma grande puta! É só isto que me apetece dizer...

Lura do Grilo disse...

A lei da rolha: só quando as pessoas não podem perder grande coisa é que falam. As contradições são tantas que um dia a corda parte.

Afonso de Portugal disse...

Anónimo disse...
https://www.youtube.com/watch?v=-EkAXeTvILY

Não há que ter medo! "O futebol é identitário", pá! ;)

P.S.: Por favor, assine os seus comentários.


Geraldo disse...
«Com políticos assim, "Ministra da cultura" Sueca»

Pois... é como a "nossa" Ministra da Justiça, a Francisca(na) Van Dunem. Ou como a anterior Ministra "italiana" para a Integração, a Cecília Kyenge, que queria legalizar a poligamia naquele país.


João José Horta Nobre disse...
«Filhos de uma grande puta! É só isto que me apetece dizer...»

E por falar em filhos de uma grande puta, o caro JJHN já tinha visto esta pérola?

A Helena Matos cascou-lhe um pouco aqui, mas a meu ver, falhou o ponto mais crítico:

«(...) o processo de apresentação de queixa tinha de ser mais simples, revendo o modo como era feita a prova: o suposto agressor é que deve provar que não cometeu aquilo de que é acusado.»

Sim, caro JJHN, o Al-Público dá a entender que o Artigo 32º da Constituição a República Portuguesa deve ser mandado às malvas!


Lura do Grilo disse...
«A lei da rolha: só quando as pessoas não podem perder grande coisa é que falam. As contradições são tantas que um dia a corda parte.»

São os tais "limites" à liberdade de expressão: podemos dizer tudo o que bem nos aprouver, desde que não coloquemos em causa os cânones do politicamente correcto, cuja violação é legalmente designada por "incitação ao ódio". E se a verdade for politicamente incorrecta? Proibe-se a verdade, pois claro! Então se a verdade é má para o negócio, porque é que havíamos de ficar com ela?

Bruno Dias disse...

Aquilo na Escandinávia está muito mau. Sobretudo na Suécia. Mas também, o que poderíamos esperar de um governo feminista? https://heartiste.wordpress.com/2017/02/12/why-swedes-will-soon-disappear-from-the-face-of-the-earth/

Afonso de Portugal disse...

O feminismo moderno é assim, forte com os ocidentais, sobretudo se forem brancos... mas fraco com os muçulmanos. Obrigado, caro BD! Há imagens que valem mais do que mil palavras!

João José Horta Nobre disse...

«E por falar em filhos de uma grande puta, o caro JJHN já tinha visto esta pérola?»

Soube disso por intermédio do artigo da Helena Matos... Este governo da geringonça tem de ser rapidamente afastado, caso contrário, daqui a nada somos outra Suécia...

Afonso de Portugal disse...

Mas esta história da inversão do ónus da prova tem sido recorrente na esquerdalha! A UMAR também queria que os homens acusados de violação fossem automaticamente condenados, sem a necessidade de serem apresentas provas concretas contra eles! Agora aparece esta "novidade" de um tipo poder ser acusado de racismo sem que o acusador prove que houve mesmo discriminação!

Ou seja, este grandessíssimos filhos da puta esquerdalhistas andam sempre com a Constituição na boca quando se trata de "fascismo", mas são os primeiros a fazer propostas de lei que são manifesta e flagrantemente inconstitucionais!