terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Guerra ao Natal em plena Europa: gambiano tentou deitar fogo a um presépio natalício em Itália


Um refujiadista gambiano de 25 anos foi detido em Madonna del Rosario, na comuna de Foggia, em Itália. Porquê? Porque foi apanhado em flagrante pelo pároco de uma igreja local a tentar deitar fogo ao presépio que se encontrava no interior do edifício. O "pobre coitadinho" confessou que "queria destruir símbolos cristãos" e terá dito também que iria "matar os descrentes".

Presépio natalício: quanto tempo faltará para que também seja considerado uma manifestação de racismo?

___________________________
Outras da guerra ao Cristianismo:

Mais um atentado terrorista ISLÂMICO no coração da Europa: alemães mortos por serem cristãos!Em Dortmund: mais de um milhar de muçulmanos canta "Alá é Grande" e deita fogo à maior igreja da cidade
Donald Trump diz a verdade sobre o atentado de Berlim
Mais duas reacções ao atentado de Berlim
Nem todas as cristianofobias são iguais, Dr. Viegas!
O governo do Reino Unido voltou a banir "intolerantes" do país!
No Reino Unido: Primeiro-ministro diz que o país tem "demasiadas caras brancas e cristãs"

6 comentários:

João José Horta Nobre disse...

Caro Afonso, eu acho que nós nacionalistas não-cristãos temos mais com que nos preocupar do que com presépios...

Afonso de Portugal disse...

O objectivo desta posta não é fazer a defesa do Cristianismo, caro JJHN. Mas antes mostrar que:

1. Os muçulmanos que a maioria dos líderes cristãos querem (e estão a) importar para a Europa são hostis ao Cristianismo;

2. O Cristianismo está a ser atacado na própria terra e nos próprios templos religiosos dos cristãos; o padrão não é novo, já o vimos (e continuamos a ver) em África e no Médio Oriente.

3. Os nacionalistas cristãos devem estar cientes desta realidade e rejeitar a mensagem universalista dos seus clérigos.

4. O tratamento dado pelos mé(r)dia a estes casos é totalmente diferente do tratamento dado pelos mé(r)dia aos raros casos em que um cristão comete um crime ou acto de vandalismo com motivação religiosa. Basta olhar para os fanáticos que, nos EUA, atacam clínicas onde se fazem abortos. Apareceram dois ou três nos últimos 20 anos, mas as comentadeiras de serviços estão sempre a falar deles... quantos muçulmanos atacaram cristãos no mesmo período?

5. Hoje, os muçulmanos atacam os cristãos. Amanhã, atacarão outros "infiéis".

João José Horta Nobre disse...

Caro Afonso, esse comportamento é exactamente o que é de esperar dos cristãos. O próprio fundador da Opus Dei, o José Maria Escrivá, dizia que sofrer é a melhor coisa que pode acontecer a um cristão.

Aliás, o principal motivo que me levou a afastar do Cristianismo foi exactamente a mentalidade suicida e absolutamente demente que os cristãos têm.

Afonso de Portugal disse...

Eu também abandonei o Cristianismo por causa disso, caro JJHN. Não só, mas também. Estava farto do fardo da culpa permanente que o Cristianismo nos impõe. A gota de água veio quando um padre com que eu falava reconheceu implicitamente que a Igreja precisava de imigrantes para continuar a sobreviver.

Ainda assim, apesar de o Cristianismo ser uma religião decadente, não creio que todos os cristãos o sejam!

João José Horta Nobre disse...

O Afonso se quiser ter uma ideia melhor da verdadeira demência cristã, só precisa de ler a obra prima do fundador da Opus Dei. Aquilo é o delírio na Terra...

Afonso de Portugal disse...

Agradeço a sugestão, caro JJHN! Prometo dar-lhe seguimento quando tiver oportunidade...