domingo, 29 de janeiro de 2017

Entretanto, na Alemanha... (21)


Um muito obrigado! ao Dr. No por nos ter trazido este vídeo. A oradora é a Sr.ª Ulrike Trebesius, alemã, engenheira civil de profissão, antiga eurodeputada pela AfD e actual membro dos conservadores-liberais. Ela partilha connosco uma estatística interessante: 58% das mulheres alemãs afirmaram numa sondagem que já não se sentem seguras nas ruas da Alemanha

Em seguida, a Sr.ª Trebesius descreve a sua própria experiência ao usar o metro de Hamburgo: apesar de utilizar o metro há anos, ela nunca viu a estação "tão suja e malcheirosa como agora". Mas a coisa melhora: na plataforma de acesso às carruagens, grupos de "jovens" vibrantes dirigiram-se a ela e perguntaram-lhe se queria f... 😧! Pouco depois, a Sr.ª Trebesius apercebeu-se de que era a única mulher europeia na plataforma. E, já no metro, observou que as mulheres se sentavam em posições estratégicas, perto das saídas, como se prontas para fugir rapidamente caso ago acontecesse.

Mas há mais... muito mais. Vejam e ouçam, caros leitores!

5 comentários:

Anónimo disse...

Os "progressistas" são assim: os comentários machistas dos homens brancos são um cancro para o mundo mas grupos de jovens coloridos a perseguir, assediar e violar mulheres brancas na Europa são "feitios" Nojo!

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

E isto sem referir os encontros entre jovens alemãs e "pobres coitadinhos" que o esquerdalho tem promovido repetidamente lá na Alemanha! E ainda há quem diga que a mestiçagem não está a ser incentivada! Não está a ser é pouco!

Lura do Grilo disse...

Aos poucos as pessoas vão perdendo liberdade até um ponto de não retorno. Veja-se Cuba e Venezuela: as pessoas estão preocupadas com o básico -comida e segurança- para o dia actual e o de amanhã que não conseguem reagir. Incutir o medo e a incerteza a curto prazo é uma técnica de submissão.

Afonso de Portugal disse...

Se é, caro Lura do Grilo! E a triste verdade é que resulta. Mas a Alemanha está a ultrapassar todos os limites do orwellianismo:

http://www.alertadigital.com/2017/01/28/el-gobierno-de-merkel-autoriza-retirar-la-custodia-de-sus-hijos-a-los-padres-alemanes-que-viertan-opiniones-en-internet-consideradas-racistas/#.WI76H0Bgdbw.google_plusone_share

Anónimo disse...

Mesmo assim o partido da Ângela Merdkl e do Martin Schulo juntos têm mais de 50% de intenções de voto... Os alemães ainda andam a dormir.