sábado, 10 de dezembro de 2016

Portugal já recebeu 720 "refugiados"


«De acordo com dados divulgados na quinta-feira Joves pela Comissão Europeia, Portugal recebeu, até agora, 720 imigrantes recolocados da Grécia (459) e de Itália (261), num total de 8162 pessoas já distribuídas pela União Europeia.

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, indicou que o Conselho de Justiça e Assuntos Internos debateu "a grande reforma do sistema europeu comum de asilo, que está neste momento em cima da mesa, sobretudo a reforma de Dublin (que o regula) e o mecanismo de solidariedade que se quer introduzir para, no fundo, corrigir os efeitos menos equitativos que Dublin hoje causa, sobretudo nos Estados que estão na linha da frente".

É só para lembrar que só há um partido em Portugal que se opõe à vinda dos "refugiados", o PNR!

"Como é do conhecimento público, existe uma divergência grande entre alguns Estados no que diz respeito à recolocação de refugiados, em que o mecanismo correctivo de recolocação é rejeitado por alguns, nomeadamente os estados do grupo de Visegrado (Hungria, Polónia, República Checa e Eslováquia), e portanto o Conselho esteve a debater como debelar a crise dos  imigrantes e dos refugiados que ainda hoje assola toda a Europa", apontou.

A ministra considerou todavia que é necessária "mais discussão ao nível da UE para a reforma do sistema de asilo" e em busca de soluções de compromisso, pelo que estima que "não deverá haver até final do ano avanços muito palpáveis nesse sentido", apesar de o assunto estar na agenda da cimeira de chefes de Estado e de Governo da UE de 15 de Dezembro.»

Comentário do blogueiro: ou seja, pela nossa elite governativa, se não fosse o facto de o nosso país não fazer parte da lista de países que enchem os "refugiados" de subsídios, já estávamos cheios de enriquecedores vibrantes! Mas não pensem, caros leitores, que isto vai durar para sempre. À medida que os países do Norte e Centro da Europa se fartarem destes seres maravilhosos, eles vão começar a querer vir para o nosso país. É que os ingratos dos "tugas" estão sempre a dizer mal da sua terra mas, com todos os seus defeitos, Portugal é bem melhor do que qualquer um dos pardieiros de onde os iminvasores saíram...

____________
Ver também:

O Costa das Índias insiste em querer acolher mais e mais "refugiados"
Estatísticas deprimentes: Portugal é o 4.º país da UE que mais recebeu "refugiados"
Aqui, em Portugal: "refugiado" eritreu violou uma mulher sem-abrigo de 67 anos!
Ainda sobre o terrorista islâmico que morava em Aveiro...
 "Inglês" detido em Almada por múltiplos enriquecimentos
Mais de seis mil mulheres em Portugal foram submetidas a mutilação genital
Pelo menos dois "portugueses" estavam na lista do Estado Islâmico
Rede alógena recruta noivas no Porto e em Braga para casar na Turquia
"Português" detido em Espanha por integrar rede jiadista
Terrorista que tentou fazer massacre num TGV de França tinha estado em Portugal

32 comentários:

Anónimo disse...

https://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/6637/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20-%20Ana%20Carneiro.pdf

fantatica tese de mestrado. para ler.
e tem referencias bibliograficas ao blog do caturo a partir da pagina 36 (!!)

Lura do Grilo disse...

Acabam por ir embora ... felizmente. Perto da minha casa, numa casa restaurada para o efeito, uma família só esteve lá dois meses.

João José Horta Nobre disse...

O povo português nunca vai suportar o que os povos do Norte da Europa têm suportado. Eu conheço os portugueses bem e sei que assim que essa gente começara dar problemas a sério em Portugal, o povinho vai-se fartar de vez e vai enfiar-lhes um chuto no traseiro mais depressa do que eles pensam.

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=V2vGc2GsH-A

e voce afonso ja ouviu ou se cruzou com esta musica nas radios?
é a musica do momento em portugal. dos bairros para as radios!
e olhe que sao dois portugueses, sim, portugueses brancos, o piruka e o mota jr.
mesmo o jovem q canta em criolo é um branco que cresceu na linha de sintra perto do cacém.
é o enriquecimento da cultura nacional com estes artistas.

Afonso de Portugal disse...

Anónimos, peço-vos que assinem o vossos comentários! Senão vou deixar de os publicar! A assinatura não tem de ser um nome real, basta uma alcunha pela qual vos possa identificar em conversas futuras!


Anónimo disse...
«fantatica tese de mestrado. para ler.»

Já conhecia, mas obrigado!


Lura do Grilo disse...
«Acabam por ir embora ... felizmente. Perto da minha casa, numa casa restaurada para o efeito, uma família só esteve lá dois meses.»

Ainda bem! Mas o meu receio é que, à medida que as condições nos outros países da Europa se tornam insuportáveis graças aos "refugiados", eles deixem de ser tão "acolhedores"... e esse género de "fugas" deixe de acontecer.


João José Horta Nobre disse...
«Eu conheço os portugueses bem e sei que assim que essa gente começara dar problemas a sério em Portugal, o povinho vai-se fartar de vez e vai enfiar-lhes um chuto no traseiro mais depressa do que eles pensam.»

Já pensei como o caro JJHN, mas hoje receio que possa não ser bem assim. Basta ver o caso da linha de Sintra, há anos que aquilo dura, com roubos e agressões constantes... mas não há forma de o povo se juntar todo e fazer alguma coisa!


Anónimo disse...

És tu, "monhé costa"? Não haverá forma de me desamparares a loja?


«e voce afonso ja ouviu ou se cruzou com esta musica nas radios?»

Felizmente, não. Eu praticamente não ouço rádio e, quando ouço, é só Antena 2.


«é a musica do momento em portugal. dos bairros para as radios!»

Que deprimente! Eu nem sequer lhe chamaria música...


«e olhe que sao dois portugueses, sim, portugueses brancos, o piruka e o mota jr.»

São dois tristes sem valores que correspondem àquilo a que nós, nacionalistas, chamamos normalmente "bollycaos"... brancos por fora, castanhos por dentro!


«mesmo o jovem q canta em criolo é um branco que cresceu na linha de sintra perto do cacém.»

É um pateta. Pior do que ele, só os brancos que pagam para o ouvir.


«é o enriquecimento da cultura nacional com estes artistas.»

Com enriquecimentos destes, quase mais vale ser surdo!

João José Horta Nobre disse...

Talvez isto lhe interesse caro Afonso:

http://www.msn.com/pt-pt/noticias/sociedade/porque-fogem-os-refugiados-de-portugal/ar-AAlq90J?li=BBoPWjC&ocid=mailsignout

Anónimo disse...

"https://www.youtube.com/watch?v=V2vGc2GsH-A"

Esta trampa que aqui foi exposta é a prova absoluta daquilo que qualquer pessoa com 2 dedos de testa já reparou: Portugal é um país europeu absolutamente africanizado. Não vai ser africanizado amanhã, nem depois de amanhã, é um processo que já hoje está em pleno andamento.

As 3 milhões de visualizações da coisa falam por si: A colonização populacional é pior que a colonização administrativa, até porque mais cedo ou mais tarde dá origem a colonização administrativa.

Mais uma vez não culpa esses brancos que cantam e escrevem em crioulo e andam com 300 negros à volta, são vitimas, são os brancos de classe baixa que residiam à volta de Lisboa e a quem foram impingidos centenas de milhares de vizinhos negros que se vão multiplicando. Deixarem-se "aculturar" pelos alógenos chega a ser uma questão de sobrevivência.

Vídeos como esse são o resultado de décadas de governos PS e PSD, e diga-se que mesmo que fossem governos PNR não estaríamos completamente a salvo deste negro destino devido ao minho-timorismo.

Não é só a fisionomia e DNA, a forma como o português escreve, pensa e actua também se altera com a africanização, tal como os Africanos se alteraram com a colonização europeia. Mas esta nova colonização é geneticamente e culturalmente ainda mais impactante até por questões matemáticas (demografia).

Ass: Filho da Truta

Lucas disse...

Pior que a guerra é a paz podre que está a corroer os países de maioria Europeia. O mais grave são os nacionalistas "kosher" que não conseguem (ou não querem) levantar a questão da raça, como se a civilização Europeia tivesse surgido do nada.

Mas sabendo nós a natureza agressiva do islão, pode ser que eles tenham mais olhos que barriga e tentem instalar uma "sharia" no local errado, o que rapidamente se torne numa bola de neve que leve os colonizadores de volta para Dar Al-Islam.

João José Horta Nobre disse...

À margem, parece que em breve vamos ter um homicídio:

https://oovodaserpente1.blogspot.pt/2016/12/mica-costa-grande-o-grau-zero-da.html

A coisa parece estar a aquecer a sério...

Anónimo disse...

A chegarem a Espanha, mais diversidade, mais alegria, mais civilização, diariamente, assim vai a Europa:

https://www.youtube.com/watch?v=x3LRNrnYStc

Mesmo assim, acho que Espanha ainda consegue estar melhor que nós. Acho que Madrid não tem tantos ocupantes como Lisboa ou Paris em %


ass. SementeO

Unknown disse...

https://www.publico.pt/2016/12/10/sociedade/noticia/associacoes-querem-plano-nacional-para-afrodescendentes-1754277

Avô, olha este cancro! Que horror que foi ler, que coisa incrível, tal e qual os SJW dos EUA.

-Lattia

Manel Jaquim disse...

O que é que se passa com o Paulo Reis? O homem desapareceu completamente vai para uma semana.

CENSURADO AGAIN disse...

AFONSO 5 DIAS SEM ACTUALIZAR ESSE BLOG O QUE HOUVE

Afonso de Portugal disse...

Meus caros, em primeiro lugar, peço-vos desculpa pelo tempo que demorei a publicar os vossos comentários. Tive uma semana complicada...


João José Horta Nobre disse...
«Talvez isto lhe interesse caro Afonso»

Obrigado, caro JJHN! Entre as desculpas esfarrapadas dos "refugiados" e o relativismo bacoco dos dirigentes das instituições que os "acolhem", fica-nos o consolo de Portugal (ainda) não ser um destino de eleição dos "pobres coitadinhos"!


«À margem, parece que em breve vamos ter um homicídio»

Ambos Paulo Reis e Lá Lá Cardo têm estado muito calados ultimamente... suponho que a coisa esteja a ser tratada nos tribunais. Resta-nos esperar que a justice funcione!


Filho da Truta disse...
«Portugal é um país europeu absolutamente africanizado.»

Acho que está a exagerar, caro FdT! Excluindo os bollycaos de alguns bairros problemáticos das regiões de Lisboa, aquilo que se vê no vídeo é francamente invulgar.


«As 3 milhões de visualizações da coisa falam por si»

Sim, mas repare: a popularidade dos "artistas" negros norte-americanos não fica atrás! A nossa miudagem adora-os e é capaz de pagar balúrdios e esperar horas para ver um "concerto" deles, embora eles nem sequer sejam dignos de serem chamados músicos! Julgo que o problema está sobretudo no nosso sistema (des)educativo e na falta de vontade dos pais para educarem os seus filhos.


«A colonização populacional é pior que a colonização administrativa, até porque mais cedo ou mais tarde dá origem a colonização administrativa.»

Neste capítulo já lhe dou toda a razão! A demografia é (quase) tudo, embora muitos nacionalistas não consigam meter esta dura realidade na suas cabeças.


«(...) e diga-se que mesmo que fossem governos PNR não estaríamos completamente a salvo deste negro destino devido ao minho-timorismo.»

É possível, mas dificilmente seria tão mau como é com os partidos do Arco da Tragédia Abrilina. É que um branco só ouve rap, hip-hop e afins se não tiver educação musical ou se desprezar a identidade musical da Superior Civilização Ocidental. O PNR podia não resolver a primeira, mas muito dificilmente não resolveria a segunda.


Lucas disse...
«Pior que a guerra é a paz podre que está a corroer os países de maioria Europeia. O mais grave são os nacionalistas "kosher" que não conseguem (ou não querem) levantar a questão da raça, como se a civilização Europeia tivesse surgido do nada.»

É difícil falar abertamente em raça na Europa por causa da leis anti-discriminação. Em Portugal, por exemplo, um partido que fale em raça será inevitavelmente ilegalizado.


«Mas sabendo nós a natureza agressiva do islão, pode ser que eles tenham mais olhos que barriga e tentem instalar uma "sharia" no local errado, o que rapidamente se torne numa bola de neve que leve os colonizadores de volta para Dar Al-Islam.»

Essa tem sido a minha aposta aqui no TU, mas começo a ficar com dúvidas de que resulte. Os brancos de Londres preferiram fugir ao invés de ficar e lutar pela cidade. E em França, o país mais islamizado da Europa, a Marine Le Pen dificilmente vencerá a segunda volta das próximas eleições presidenciais. O problema está na demografia: a partir de um certo ponto, torna-se praticamente impossível vencer a aliança entre esquerdistas e islamistas. É que mesmo que os nativos acordem, os marxistas e os alógenos estão em maior número...

Afonso de Portugal disse...

Lattia disse...
«Avô, olha este cancro! Que horror que foi ler, que coisa incrível, tal e qual os SJW dos EUA.»

Obrigado, caro Lattia! Vou ver se faço uma posta sobre isso!


Manel Jaquim disse...
«O que é que se passa com o Paulo Reis? O homem desapareceu completamente vai para uma semana.»

E como é que tu queres que eu saiba, Luluzinha? Quem está em Macau és tu, não sou eu! Sempre podes passar pela pastelaria Caravela -a tal que “não sabes onde fica” 😂, apesar de seres “um cliente habitual do espaço” 😂😂- e perguntar-lhe! Não me digas que estás a ficar preocupada com a possibilidade de ele andar para aí escondido à espera de te dar umas valentes marteladas? 😂😂😂


CENSURADO AGAIN disse...
«AFONSO 5 DIAS SEM ACTUALIZAR ESSE BLOG O QUE HOUVE»

Tive uma pequena crise laboral, meu caro Caps! Acontece de vez em quando!

Afonso de Portugal disse...

Semente Original disse...
«A chegarem a Espanha, mais diversidade, mais alegria, mais civilização, diariamente»

Que vibrante, caro SO! O que seria de nós, europeus, sem eles? Obrigado pelo vídeo, meu caro!

Anónimo disse...

"Acho que está a exagerar, caro FdT! Excluindo os bollycaos de alguns bairros problemáticos das regiões de Lisboa."

Não creio que o esteja a ser e digo-o por experiência empírica. Nasci e cresci no Norte e ainda sou relativamente novo e posso garantir que o pensamento "anti-racista" no Norte, principalmente no Porto e arredores expandiu-se de forma vertiginosa e eu acompanhei o fenómeno ao vivo e a cores. A maioria dos jovens são "bollycaos" e toleram incomparavelmente mais os alogenos do continente negro que há apenas 20 anos atrás. Isto aconteceu devido ao facto de haver já uma grande quantidade de negros no Norte e devido à "cultura", leia-se devido á musica e também ao desporto. A maioria, para não dizer a esmagadora maioria, consome kisomba e/ou hip-hop.

Ass: Filho da Truta

Afonso de Portugal disse...

Bem, eu confesso que não tenho essa experiência, mas lá está, eu não cresci no Porto e isso pode fazer toda a diferença. A maioria dos jovens que conheço não ouve hip-hop, nem se veste à preto, mas eu só conheço pessoas dos vinte e muitos anos para cima, o que pode distorcer a minha percepção do fenómeno.

Concordo no entanto com esta frase: «A maioria dos jovens são "bollycaos" e toleram incomparavelmente mais os alogenos do continente negro que há apenas 20 anos atrás.» Quando eu cheguei ao Porto, há já mais de vinte anos, era raro ver um preto entre grupo de nativos, mas hoje em dia é bastante usual. E ainda mais raro era ver casais mistos mas, hoje em dia, o que é raro é eu sair de casa e não ver pelo menos um, quase sempre do tipo mulher branca + homem preto.

Em tempos, tive aqui um leitor nazionalizta que defendia as gentes do Norte com unhas e dentes dizendo que eram menos abertas à miscigenação. Pela minha experiência, isso é completamente falso. Nunca conheci uma única pessoa do Norte que fosse abertamente racista. Conheço bem todas as cidades do Norte (Porto, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Braga, Viana do Castelo, Guimarães, Chaves, Amarante, Vila Real, Bragança, Mirandela, etc) e parece-me, de uma forma geral, que elas têm muito menos problemas em aceitar os pretos do que as pessoas do Sul de Portugal. A explicação talvez passe pelo facto de o Norte não ter bairros cheios de pretos como acontece na região de Lisboa.

O que mais me entristece nas gentes do Norte é que há mais rivalidade entre as cidades (o caso mais flagrante é Braga vs Guimarães, mas todas as cidades têm a sua rival de eleição) do que entre portugueses e alógenos. Passamos mais tempo a lutar entre nós do que contra o inimigo. É a velha cultura dos castros que muito contribuiu para que os romanos nos conquistassem com relativa facilidade.

CENSURADO AGAIN disse...

conheço pessoas dos vinte e muitos anos para cima

CREDO VC NÃO TEM IRMÃOS MAIS NOVOS?ÉS O CAÇULA?

CENSURADO AGAIN disse...

casais mistos

ECA NÃO BASTASSE VC SAIR NA RUA E VER AQUELAS DEZENAS DE % SEM SOLUÇÃO AUTOSSOMICA E AINDA VE DISSO DAI PENSA PORRA AS POUCAS DEZENAS DE % QUE SE SALVAM JA SÃO POUCOS E LOGO ESSAS DEZENAS LIXOS VÃO ENGOLIR O RESTO DE VEZ SÓ SOBRANDO O LIXO INVIAVEL

CENSURADO AGAIN disse...

não ter bairros cheios de pretos

PELO MENOS LISBOA NEM MADRID PARECEM ESTAR NO NIVEL CANAL E OUTROS DA UE (BEM ESTOU SÓ SUPONDO)

CENSURADO AGAIN disse...

17 de dezembro de 2016 às 17:29

ACHO QUE LISBOA USA MUITO DESSA SUPOSTA RIVALIDADE PRA SE IMPOR DE TODO MODO OLHAMOS PRA CATALUNHA E ELA SE PREOCUPA MAIS EM BRIGAR COM MADRID E ATÉ PARIS UM DIA DESTES E DIZ QUE QUER SER ENTREPOSTO LIXADO COM BARCELONA ETC COMO UM CATALÃO QUER SER SOBERANO E CATALÃO SE ELE QUER DEIXAR DE SER CATALÃO VIA DNA ALOGENO?

Anónimo disse...

"dizendo que eram menos abertas à miscigenação. Pela minha experiência, isso é completamente falso. Nunca conheci uma única pessoa do Norte que fosse abertamente racista. Conheço bem todas as cidades do Norte (Porto, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Braga, Viana do Castelo, Guimarães, Chaves, Amarante, Vila Real, Bragança, Mirandela, etc) e parece-me, de uma forma geral, que elas têm muito menos problemas em aceitar os pretos do que as pessoas do Sul de Portugal."

Bom quanto a isso eu não sei...quando vou a Lisboa (que é poucas vezes) vejo bastantes casais inter-raciais e grupos de amigos inter-raciais o que é algo absolutamente natural pois é sem duvida uma das regiões da Europa com mais negros por metro quadrado!

Veja-se até esta noticia:

https://www.publico.pt/2016/12/17/sociedade/noticia/e-o-premio-vai-para-uma-escola-de-maioria-africana-que-ficou-entre-as-dez-melhores-a-portugues-1755138

Não a trago pelos supostos bons resultados dos pretinhos a português mas sim porque confirma uma anormalidade: existem escolas no nosso país em que os negros são a maioria!!!!

Se a malta branca de Lisboa fosse verdadeiramente racista em forma de protesto votava e militava mais no PNR e que eu tenho conhecimento não há sequer uma câmara municipal na região de Lisboa que no sec. 21 tenha um presidente do PNR ou que chegue lá perto.

Agora que no Porto houve uma diferença enorme nos últimos anos no que diz respeito à existência de pretinhos e à relação entre os brancos e os pretos, lá isso houve! antigamente não era assim tão incomum brancos ou grupos de brancos a agredirem um qualquer negro, hoje em dia, até pelo facto de serem mais e poderem andar em grupo, não é assim tão incomum a existência de negros ou grupos juvenis de negros a por qualquer motivo, agredir um branco, e isto é sintomático sobre a tal diferença num espaço de uma/duas décadas que eu referi. O numero de mulatos também aumentou visivelmente.

Recordo até da diferença entre ir ver um jogo do FC Porto contra um clube de Lisboa há 20 ou até há 10 anos atrás e ir nos recentes anos (apesar de eu agora muito raramente ir assistir a jogos até porque actualmente resido fora). O caro blogueiro não está bem a ver a quantidade de insultos "racistas" que os adeptos do Porto dirigiam à malta vinda de Lisboa! Não eram insultos contra os clubes, eram insultos raciais, de "preto de merda!!!" para baixo! e duas ou 3 vezes vi negros a terem que fugir de grupos de adeptos brancos que os perseguiam para os agredir. Diga-se que eu sou contra agressões gratuitas seja contra quem seja, em principio é o Estado que deve garantir a soberania do povo autóctone na sua própria terra e não qualquer género de "justiça pelas próprias mãos" mas a recusa genuína do povo autóctone aos alogenos podia ser sentida nessas ocasiões em que as massas populares se reúnem.

Agora a presença de malta Africana no Porto sempre se deu de forma diferente de Lisboa. Em Lisboa o enorme numero de negros colonizou autenticamente várias zonas à volta da capital, autênticos guetos só de negros, enquanto no Porto, apesar de existirem cada vez mais algumas zonas onde há maior predominância de negros, a integração dos mesmo deu-se um pouco por toda a cidade, numa mistura mais "harmoniosa" ou talvez "cínica" entre eles e a população "branca" autóctone. Já para não dizer que apesar de mais conservadoras as pessoas no Porto serem geralmente mais hospitaleiras e simpáticas que os alfacinhas, independentemente do forasteiro ser negro ou não.

Ass: Filho da Truta

Anónimo disse...

Já agora aproveito para dizer que a pouco adesão ao PNR no Norte tem muito a ver com o facto de ser um partido associado ao "fascismo" e desculpe dizê-lo mas bem associado.Eu próprio e a maioria das pessoas do Norte não quer qualquer tipo de "fascismos" de volta. O norte era uma aldeia gigante, um atraso brutal. Mal ou bem, de forma sustentada ou não, evolui bastante com o novo regime a entrada na UE etc, e o povo gosta da ideia de viver em liberdade.

Não vale a pena fazer de conta de que os principais dirigente do partido não são uma cambada de católicos conservadores admiradores de regimes Salazarentos e monarquias. Têm a qualidade de amar Portugal e serem contra a entrada dos alogenos etc mas só isso não chega, até porque mesmo que cheguem ao poder não os estou a ver com capacidade (e se calhar vontade) para repatriar uma grande parte da malta alogena alegando que o fazem para "proteger a identidade étnica e civilizacional europeia", estalava a guerra civil!!

Ass: Filho da Truta

Anónimo disse...

Ah, em relação a isto:

"O que mais me entristece nas gentes do Norte é que há mais rivalidade entre as cidades (o caso mais flagrante é Braga vs Guimarães, mas todas as cidades têm a sua rival de eleição) do que entre portugueses e alógenos. Passamos mais tempo a lutar entre nós do que contra o inimigo. É a velha cultura dos castros que muito contribuiu para que os romanos nos conquistassem com relativa facilidade."

Penso que o bairrismo, a inveja e as rivalidade são um fenómeno (ou uma praga) geral em toda a Península Ibérica. Mesmo entre os Portugueses e os castelhanos, apesar de as coisas agora andarem pacificadas, existe um mal-estar, uma rivalidade e má relação latente. Mesmo sendo povos "irmãos" ou "primos" se Portugal e Espanha entrasse em guerra ia ver um exercito de brancos mulatos e negros (o português) unidos para derrotar os castelhanos (que também deverão ter uns descendentes de marroquinos, mulatos e negros no seu exercito). Cabe supostamente ao povo etnicamente e culturalmente semelhante ser mais forte e superior a rivalidades e mal entendidos mas as coisas não são assim.

Ass: Filho da Truta

Afonso de Portugal disse...

Caps Loucão disse...
«ÉS O CAÇULA?»

Não, simplesmente não gosto dos miúdos "tugas" de hoje em dia. São quase todos muito liberais e cosmopolitas, só ouvem merda na rádio e na televisão, bebem bebidas brancas e cerveja em vez de vinho, tiram os pêlos todos do pescoço para baixo (sim, todos!!!) e também os pêlos do meio das sobrancelhas, passam horas no ginásio mas só fazem musculação - a maioria deles nunca aprendeu sequer a dar um soco, poupam dinheiro durante todo o ano para estourarem tudo no verão, geralmente em festivais de música de merda, protagonizados por músicos de merda apostados em destruir a raça branca.


«PORRA AS POUCAS DEZENAS DE % QUE SE SALVAM JA SÃO POUCOS E LOGO ESSAS DEZENAS LIXOS VÃO ENGOLIR O RESTO DE VEZ SÓ SOBRANDO O LIXO INVIAVEL»

Os homens portugueses, tal como os homens europeus de uma forma geral, abdicaram da cultura de masculinidade que fazia com que as nossas mulheres nos adorassem. Estou a falar em termos gerais, evidentemente, mas as mulheres europeias preferem os alógenos por um motivo muito simples: apesar de serem broncos, eles ainda agem como homens. Um preto, quando sai à noite na Europa, mete conversa com todas as mulheres que consegue, não perde uma oportunidade para dançar, para mandar uma piada ou dar um ar da sua (des)graça. Já os brancos conseguem a proeza de sair em grupo e depois sentam-se todos a um canto, a olhar para as mulheres durante a noite toda sem falarem com nenhuma!

Para piorar ainda mais o cenário, há movimentos "masculinistas" no Ocidente absolutamente estúpidos. Veja-se o MGTOW, por exemplo. Iá meu, vamos deixar de falar com as mulheres, porque o feminismo é injusto, pá!!! Assim, elas vão aprender a respeitar-nos, hããã!!!!


«PELO MENOS LISBOA NEM MADRID PARECEM ESTAR NO NIVEL CANAL E OUTROS DA UE (BEM ESTOU SÓ SUPONDO)

Infelizmente, estás enganado. Eu já não vou a Madrid há alguns anos, por isso não sei dizer, mas Lisboa só não está pior do que Londres e Paris. É uma das cidades mais miscigenadas da Europa!


«ACHO QUE LISBOA USA MUITO DESSA SUPOSTA RIVALIDADE PRA SE IMPOR»

Bingo! Mas as gentes do Norte continuam, estupidamente, a criticar o centralismo lisboeta (que existe, mas não explica tudo), ao invés de se associarem e criarem grupos de pressão regional que possam efectivamente servir de contrapeso aos excessos de Lisboa.

Anónimo disse...

"Não vale a pena fazer de conta de que os principais dirigente do partido não são uma cambada de católicos conservadores admiradores de regimes Salazarentos e monarquias. Têm a qualidade de amar Portugal e serem contra a entrada dos alogenos etc mas só isso não chega, até porque mesmo que cheguem ao poder não os estou a ver com capacidade (e se calhar vontade) para repatriar uma grande parte da malta alogena alegando que o fazem para "proteger a identidade étnica e civilizacional europeia", estalava a guerra civil!!"

Isso vai ter que acontecer a uma escala europeia, não é por ex; só Portugal e a Holanda a repatriarem os extraeurpeus. A França e Reino Unido vão ter que estar metidos ao barulho porque eles até estão pior que nós. Se as forças que defendem a identidade dos europeus, portugueses, gregos,ingleses, suecos não chegarem ao poder ou chegarem, mas não conseguirem agir na defesa da nossa continuidade como povo, ninguém o fará. Não é possível aos europeus continuarem a ter a sua existência se se tornarem minorias esmagadoras na sua terra ancestral, ou ficarem como o brasil.

ass.SementeO

Afonso de Portugal disse...

Filho da Truta disse...
«quando vou a Lisboa (que é poucas vezes) vejo bastantes casais inter-raciais

Sim, mas a questão é saber, em termos proporcionais, quem é que está pior. Em Lisboa há muitos mais negros do que brancos comparativamente ao Porto, pelo que é natural que também haja muitos casais mistos. Mas não tenho a certeza de que as lisboetas gostem mais de pretos do que as nortenhas. Isso só se poderia saber em definitivo se descobríssemos a proporção de casais mistos em cada cidade.


«Não a trago pelos supostos bons resultados dos pretinhos a português mas sim porque confirma uma anormalidade: existem escolas no nosso país em que os negros são a maioria!!!!»

E não deve ser o único caso! Já há vários bairros de maioria negra nos concelhos ao redor de Lisboa. Portanto, também deve haver muitas escolas de maioria negra em redor desses concelhos.


«Se a malta branca de Lisboa fosse verdadeiramente racista em forma de protesto votava e militava mais no PNR»

Sem dúvida, mas atenção, apesar de tudo, os círculos eleitorais onde o PNR tem obtido mais votos (em termos percentuais) são precisamente aqueles que estão mais iminvadidos! Por exemplo, nas legislativas de 2015, os três melhores distritos foram Faro (0,71%), Setúbal (0,63%)e Lisboa (0,62%), bem acima da média nacional (0,50%). Em sentido contrário estiveram as autarquias do interior Norte, Vila Real (0,25%), Bragança (0,27%) e até mesmo as duas maiores cidades, Braga (0,39%) e Porto (0,49%).


«Agora que no Porto houve uma diferença enorme nos últimos anos no que diz respeito à existência de pretinhos e à relação entre os brancos e os pretos, lá isso houve!»

Quanto a isso eu não tenho a menor dúvida! Mas o que é mais grave é que já não é só a cidade do Porto. À custa da porcaria dos estabelecimentos de ensino superior, em particular os institutos politécnicos, até as cidades mais periféricas, como Viana do Castelo e Bragança, se têm enchido de pretos! Ir ao Alto Minho ou a Trás-os-Montes hoje em dia é chocante nesse sentido: vêem-se muitos pretos nas ruas, sobretudo nas zonas próximas dos estabelecimentos de ensino superior.


«O caro blogueiro não está bem a ver a quantidade de insultos "racistas" que os adeptos do Porto dirigiam à malta vinda de Lisboa! Não eram insultos contra os clubes, eram insultos raciais, de "preto de merda!!!»

Até isso mudou radicalmente! Hoje em dia, qual é a claque ou grupo de adeptos que se atreve a insultar um jogador preto?

Afonso de Portugal disse...

«Em Lisboa o enorme numero de negros colonizou autenticamente várias zonas à volta da capital, autênticos guetos só de negros, enquanto no Porto, apesar de existirem cada vez mais algumas zonas onde há maior predominância de negros, a integração dos mesmo deu-se um pouco por toda a cidade, numa mistura mais "harmoniosa" ou talvez "cínica" entre eles e a população "branca" autóctone.»

Exactamente! E a pior parte é que me parece que a nossa elite aprendeu que é assim que deve fazer a coisa, diluir bem os invasores pela população nativa ao invés de os deixar concentrar numa determinada região geográfica! Os franceses fizeram o mesmo com os criminosos de Calais e, para já, parece estar a resultar. Mas aqui a culpa também é dos brancos que vão aceitando os pretos desde que eles não façam ondas. E com o tempo, eles acabam por casar com brancas e fazer descendência.


«Não vale a pena fazer de conta de que os principais dirigente do partido não são uma cambada de católicos conservadores admiradores de regimes Salazarentos e monarquias.»

Pois, mas têm uma virtude que mais ninguém tem no movimento nacionalista português: são os únicos que dão a cara e se chegam à frente. Quanto ao regime salazarista, todas as formas de totalitarismo são más, mas quando se olha para o país que Salazar herdou depois da revolução liberal, entende-se muita coisa...


«mesmo que cheguem ao poder não os estou a ver com capacidade (e se calhar vontade) para repatriar uma grande parte da malta alogena alegando que o fazem para "proteger a identidade étnica e civilizacional europeia", estalava a guerra civil!!»

Muito sinceramente, caro FdT, a ideia de que podemos deportar à força os alógenos que já cá estão é uma fantasia. No limite, poderemos impedir a entrada de mais invasores e pagar aos que cá estão para sair, mas só isso. A UE jamais permitiria uma coisa dessas. Acusar-nos-iam de limpeza étnica e entraríamos em guerra, quanto mais não fosse para fazerem de nós um exemplo. Mesmo no contexto de um continente dominado por forças nacionalistas, isso seria muito difícil de se fazer.


«Mesmo sendo povos "irmãos" ou "primos" se Portugal e Espanha entrasse em guerra ia ver um exercito de brancos mulatos e negros (o português) unidos para derrotar os castelhanos (que também deverão ter uns descendentes de marroquinos, mulatos e negros no seu exercito).»

Não vás mais longe: a batalha que arrumou de vez com o D. Afonso Henriques foi travada entre os portugueses e uma aliança entre mouros e espanhóis. A batalha em questão foi uma tentativa de tomar a cidade de Badajoz e os espanhóis entenderam que não podiam permitir que a geometria de Portugal se transformasse num "L" através do Sul de Espanha. Vai daí, decidiram aliar-se aos mouros, dessa feita com grande sucesso.

Afonso de Portugal disse...

Semente Original disse...
«Se as forças que defendem a identidade dos europeus, portugueses, gregos,ingleses, suecos não chegarem ao poder ou chegarem, mas não conseguirem agir na defesa da nossa continuidade como povo, ninguém o fará. Não é possível aos europeus continuarem a ter a sua existência se se tornarem minorias esmagadoras na sua terra ancestral, ou ficarem como o brasil.

Exactamente! É esta, infelizmente, a grave situação em que vivemos. Estamos naquela fase do "ou vai, ou racha". A partir de 2030, se ainda não tivermos conseguido estancar a iminvasão, provavelmente já não haverá nada a fazer. O mais lamentável de tudo foram os anos que se perderam a maldizer a Democracia. Se os partidos como a FN e o PNR tivessem surgido há mais tempo, as coisas poderiam ter sido diferentes.

Anónimo disse...

"nas legislativas de 2015, os três melhores distritos foram Faro (0,71%), Setúbal (0,63%)e Lisboa (0,62%), bem acima da média nacional (0,50%). Em sentido contrário estiveram as autarquias do interior Norte, Vila Real (0,25%), Bragança (0,27%) e até mesmo as duas maiores cidades, Braga (0,39%) e Porto (0,49%)."

Mas isso confirma que a diferença é quase residual...repare que a diferença em Lisboa e Porto é de apenas 0,013...

"Ir ao Alto Minho ou a Trás-os-Montes hoje em dia é chocante nesse sentido: vêem-se muitos pretos nas ruas, sobretudo nas zonas próximas dos estabelecimentos de ensino superior."

Sei! Não escapa uma única região desta Europa. Garanto-lhe que até as regiões mais recônditas do leste Europeu têm alguns escurinhos.

"Exactamente! E a pior parte é que me parece que a nossa elite aprendeu que é assim que deve fazer a coisa, diluir bem os invasores pela população nativa ao invés de os deixar concentrar numa determinada região geográfica!"

Para mim tanto os enormes guetos étnicos de pretos e muslos como a mistura "harmoniosa" são más. Tanto uma como outra. E os guetos se calhar ainda pior até porque dão origem aos ninhos de terrorismo e criminalidade. E os brancos desgraçados que moram à volta ou mesmo dentro dessas zonas, coitados!!! levam com a trampa toda em cima.

"mas têm uma virtude que mais ninguém tem no movimento nacionalista português"

A questão é mesma essa, eles são os únicos, não existe mais nenhum tipo de movimento "nacionalista" em Portugal que vá a eleições...a questão é que eu, como alguém que rejeita o "cuckservadorismo" e as ideias retrogradas no que concerne a muita coisa, e como alguém que não simpatiza com muita da retórica e ideais dos principais dirigentes do PNR, fica sempre na duvida se há de votar neles ou não. Em 2015 votei neles em forma de protesto, nas próximas eleições vamos lá ver. Ora se até eu fico com duvidas imagine a maioria da população desta Nação. Nem a ter duvidas chegam.

"Não é possível aos europeus continuarem a ter a sua existência se se tornarem minorias esmagadoras na sua terra ancestral, ou ficarem como o brasil."

Muitas zonas da Europa são já hoje mais africanizadas e arabizadas que o Brasil. Lets face it!

Duvidas? veja-se então nestas trampas que aqui vou expor quem é o novo povo autóctone, de por exemplo, ROTERDÃO! NO CENTRO DA EUROPA!

https://www.youtube.com/watch?v=OEDVL5drRUo

https://www.youtube.com/watch?v=M3gSLOjXobw

Os miúdos do min 4:28 do 2ºvideo são dinossauros num museu!!!! um testemunho do antigo povo autóctone

Ass: Filho da Truta

Capixaba disse...

"Sei! Não escapa uma única região desta Europa. Garanto-lhe que até as regiões mais recônditas do leste Europeu têm alguns escurinhos."

Isso é verdade. A Europa Ocidental esta mais infestada de africanos, arabes e asiaticos, mas o resto do continente, nao é tao limpo como muitos pensam.
Tenho colegas estudando na Russia, Ucrania, e mantenho contato com alguns nativos de outros paises do Europa do Leste e Central, e seo que pra lá vai muito preto e asiaticos, principalmente. Mas vai em menor numero, nao é uma imigraçao em massa como em Portugal ou França, por exemplo. Muitos vao pra estudadar, acabam ficando.. E ja viu. Outros mesmo nao ficando (me parece que é o caso de muitos pretos la), eles acabam tendo filhos com as nativas, e depois fogem pra seus paises...Tipico deles!
Em alguns paises como Russia e Eslovenia (se nao me engano) já tem ate prefeitos negros!!
Hoje na Europa, nao tem mais para onde fugir. Expulsa-los? Acho impossivel. Seria considerado racismo e blablabla. Como alguem ja disse nos comentarios, podem parar a imigraçao. E com o tempo, os nao brancos acabariam se misturando a populaçao nativa e sumindo. Essa é unica soluçao que me parece possivel.
Vejo alguns falando em guerra entre as raças... Nao sonhemos, isso nao vai acontecer. E se acontecer, vao nos fazer uma lavagem cerebral igual fizeram com os alemães depois de Hitler. Iriamos ficar tao pacificos e alienados como os alemães bundãos de hoje.