terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Aos 86 anos, o gigante Thomas Sowell vai deixar de escrever sobre política


    Aqueles que me acusam de ser um racista primário bem podem pôr os olhos num dos meus maiores ídolos, o Professor Thomas Sowell. Ao longo das últimas décadas, o Professor Sowell foi uma das vozes mais lúcidas da Direita norte-americana. Infelizmente, a idade começa a pesar, pelo que o Sr. Sowell decidiu reformar-se. Não sem antes nos deixar mais umas quantas pérolas de sabedoria adquirida por anos de experiência acumulada:


«A maioria dos norte-americanos não tinha frigoríficos em 1930, quando eu nasci. A minha família nem sequer tinha electricidade ou água corrente durante a minha infância, o que não era de todo invulgar entre os negros do Sul dos EUA desses tempos.»

E reparem, caros leitores, nada disso impediu o Professor Sowell de se tornar um dos mais estimados e influentes pensadores da Direita americana! 

«A política e em especial a confiança dos cidadãos no Governo, deteriorou-se significativamente. Tantos anos de presidentes mentirosos, em especial o democrata Lyndon Johnson e o republicano Richard Nixon, destruíram não apenas a sua credibilidade, mas também a credibilidade do próprio cargo que desempenhavam. Não podemos regressar ao passado, mas podemos esperar que possamos aprender algo com o passado para melhorar os nossos presente e futuro.»

8 comentários:

João José Horta Nobre disse...

Chiça! Nem fazia ideia que o homem já tinha 86 anos! Que loucura!

Mas é um bom homem, digamos que é um africano que se europeizou a 100%. Aquilo a que podemos chamar um bollycao invertido - preto por fora e branco por dentro.

Afonso de Portugal disse...

É verdade, ele está muito bem conservado! Parece bem mais perto dos 70 do que dos 90!

O que eu mais gosto nele é o facto de ele ter conseguido vencer na vida sem ter recorrido às tretas da "acção afirmativa", só com a sua inteligência e trabalho. Talvez por isso ele despreze tanto o socialismo, porque tudo o que tem lhe saiu do corpo. Como bem observou o caro JJHN, é um bollycao invertido... um Oreo! :)

Anónimo disse...

Aqui talvez tenha uma opiniao diferente da do caro blogueiro, nao concordo com o capitalismo dos dias de hoje nem com um capitalismo sem existencia de estado social. Para mim socialismo é bom se nao atingir extremos, é claro, e se nao servir para beneficiar alogenos em vez de beneficiar autoctenes. Todos os autoctenes devem ter direito a ter oportunidades e a viver pelo menos uma vida de digna se trbalharem. Neste sistema capitalista ha muita gente que TRABALHA e mesmo assim tem dificuldade em pagar uma casa digna, ja para nao dizer que o sistema capitalista que temos adora alogenos a trabalhar por meia duzia de tostoes! E tambem acaba por pagar milhoes a atletas alogenos e nao alogenos como bem se sabe.

Penso ser ate academicamente concensual que um sistema capitalista de "perfeita competicao" nao é perfeito em long-run, a longo prazo. Mas este sistema la se vai arrastando porque as grandes elites, e quem tem fortunas em geral, nao tem qualquer interesse em acabar com ele, ora pois claro que nao.

Ass: Filho da Truta

Afonso de Portugal disse...

Está enganado em relação a mim, caro FdT! Eu tendo a concordar consigo! Eu rejeito o socialismo enquanto doutrina redistributiva, mas estou longe de ser um neoliberal, conforme se pode ver aqui:

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2016/05/resultados-da-bussola-politica-algumas.html

A minha grande reserva em relação ao socialismo é que os mecanismos de protecção social têm de ser correspondidos pelo esforço e pelo suor de quem os recebe. Basta olharmos para muitos dos recipientes do RSI para constatarmos que isso nem sempre acontece, há pessoas que o recebem o dinheiro dos outros sem precisar. Esta situação gera uma classe de parasitas cujo voto tende a favorecer os governantes que lhes mantêm a torneira aberta.

De resto, em acho ambos socialismo e neoliberalismo dogmas imbecis. São mais credos do que propriamente soluções. A ideia de que os mercados resolvem tudo é tão estúpida como a ideia de que o Estado resolve tudo. O motivo de fundo é o mesmo: nenhuma destas ideologias tem mecanismos adequados para lidar com o fenómeno da corrupção, que considero parte intrínseca da natureza humana. Qualquer ideologia que não contemple a corrupção está condenada ao fracasso. Quanto mais anos passam, mais me convenço que a única solução política aceitável para o bem de todos os cidadãos está a meio caminho entre os dois extremos, esquerda e direita.

Anónimo disse...

Por momentos receei que a nível de assuntos económicos o caro fosse um típico neoliberal de direita :)

"A minha grande reserva em relação ao socialismo é que os mecanismos de protecção social têm de ser correspondidos pelo esforço e pelo suor de quem os recebe."

Sim de facto quem tem direitos tem que ter deveres, mas a maioria das pessoas não tem problemas em ter deveres e normalmente os abusos até vêm mais dos alogenos que dos europeus autóctones.

A questão é que há nos países periféricos da Europa imensa gente trabalhadora, gente autóctone, que sai todos os dias de casa cedo (e as vezes tarde dependendo das profissões) para ir ganhar o seu pão, e depois no final do mês recebe um ordenado que não é suficiente para satisfazer as condições dignas de vida, gente que até nem tem mais filhos porque são um encargo que não conseguem suportar! Gente que não consegue pagar uma casa em condições, que não consegue fazer poupanças para por exemplo se precaver contra uma doença grave no futuro, que tem que andar em transportes públicos sobrelotados enquanto outros vão pela via rápida nos seus mercedes ultima geração (passando a publicidade) etc e essas injustiças cada vez me revoltam mais.

Sabe que eu sou um indivíduo pragmático, quando vejo um problema primeiro tendo a identifica-lo ou admiti-lo (quando o problema é comigo) e depois pensar numa solução. Infelizmente não tenho numa solução milagrosa para a complexa teia social mas não consigo imaginar uma sociedade sem uma boa dose de socialismo. A lei da selva para mim não é a solução. E se o Capitalismo não consegue resolver estas injustiças, antes pelo contrário, as faces do capitalismo inclusivamente quase todos os professores universitários defensores do livre mercado DEFENDEM A POLITICA DE IMIGRAÇÃO INVASORA POR PARTE DE ALOGENOS como forma de garantia da não quebra da economia por falta de mão de obra e demanda, então para mim é claro: este sistema está a falhar! tem que ser abolido ou pelo menos reformado.

Também considerado que o socialismo pode ser parasitante e perigoso e que a solução estará algures entre o Estado Total e o Estado inexistente. Já agora digo também que cada vez mais tenho duvidas acerca da utilidade para a população em geral do mercado bolseiro á escala internacional, mas como é um assunto que ainda não tive a oportunidade de estudar a fundo, para já não o quero aprofundar.

"nenhuma destas ideologias tem mecanismos adequados para lidar com o fenómeno da corrupção, que considero parte intrínseca da natureza humana."

Sim a corrupção também me enerva bastante! mas como o caro referiu esta está praticamente inerente à natureza humana, no entanto temos o dever de lutar contra ela e quem está no poder deve pensar em mecanismo para a combater o máximo possível.

Ass: Filho da Truta

Afonso de Portugal disse...

«A questão é que há nos países periféricos da Europa imensa gente trabalhadora, gente autóctone, que sai todos os dias de casa cedo (e as vezes tarde dependendo das profissões) para ir ganhar o seu pão, e depois no final do mês recebe um ordenado que não é suficiente para satisfazer as condições dignas de vida, gente que até nem tem mais filhos porque são um encargo que não conseguem suportar!»

É verdade, caro FdT. No entanto, sempre que aparece alguém com um discurso político contra os interesses do sistema, essas pessoas que sofrem têm votado nos políticos do sistema! Por exemplo, o Dr. Paulo Morais tem passado os últimos anos a denunciar a corrupção que grasse entre as elites portuguesas. A única coisa que ele ganhou com isso até agora foi uma data de processos em tribunal.

Ainda há uns dias ele denunciou: «A recapitalização da CGD representa dez milhões de salários mínimos!» Uma grande verdade, que não parece fazer eco entre os nossos eleitores. Eles preferem continuar a dar o seu voto a pessoas como Marcelo. E a avaliar pela elevada popularidade de que ele goza, continuarão a preferir nos próximos anos...


«Infelizmente não tenho numa solução milagrosa para a complexa teia social mas não consigo imaginar uma sociedade sem uma boa dose de socialismo. A lei da selva para mim não é a solução.»

Sim, tendo a concordar. Tem de haver níveis de protecção mínimos para os mais vulneráveis. O meu problema é que o Estado Social deve ser encarado, na melhor das hipóteses, como uma muleta... mas há muita gente que o encara como uma torneira, a começar pelos políticos de esquerda.


«(...) quase todos os professores universitários defensores do livre mercado DEFENDEM A POLITICA DE IMIGRAÇÃO INVASORA POR PARTE DE ALOGENOS como forma de garantia da não quebra da economia por falta de mão de obra e demanda»

Esses são os tais cretinos a que eu chamo "direitinha", o grupo de "iluminados" que só consegue olhar para o mundo através da economia. São tão perigosos como a Esquerda. Até mais, porque eles conseguem iludir muitas pessoas de Direita que não compreendem as suas verdadeiras intenções.


«Também considerado que o socialismo pode ser parasitante e perigoso e que a solução estará algures entre o Estado Total e o Estado inexistente.»

Exacto. A tal "terceira-via". Mas não a terceira-via dos nacional-socialistas, que se baseia em colocar no poder uns quantos chicos-espertos e retirar ao povo o seu poder de voto.


«Já agora digo também que cada vez mais tenho duvidas acerca da utilidade para a população em geral do mercado bolseiro á escala internacional, mas como é um assunto que ainda não tive a oportunidade de estudar a fundo, para já não o quero aprofundar.»

Como investidor bolsista há vários anos, posso assegurar ao FdT que quem quer poupar e juntar dinheiro a sério, só o consegue fazer em Bolsa. Os bancos pagam juros miseráveis e os títulos de dívida, só por si, são demasiado arriscados. O grande problema é que há um conjunto de produtos em bolsa que são efectivamente tóxicos, porque se baseiam em especulação pura e dura: opções, futuros, contratos às diferenças, warrants, etc.

É inteiramente legítimo comprar parte de uma empresa (acções) ou títulos de dívida (obrigações). O problema é a possibilidade de efectuar transacções sobre esses activos mobiliários, distorcendo o seu verdadeiro valor.


«está praticamente inerente à natureza humana, no entanto temos o dever de lutar contra ela e quem está no poder deve pensar em mecanismo para a combater o máximo possível.»

É essa última parte, os mecanismos para combater a corrupção, que continua a não fazer parte do discurso político. E, sem isso, eu não acredito em ninguém, porque o compadrio e o enriquecimento ilícito não poderão ser controlados sem esses mecanismos.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Afonso de Portugal disse...

O comentário anterior foi eliminado por não ter sido assinado. É incrível que me venham para aqui provocar sem sequer assinarem os comentários!