quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Ainda sobre o terrorista islâmico que morava em Aveiro...


«O jihadista marroquino que viveu em Portugal e foi detido no passado fim-de-semana em França, esteve alojado durante cerca de meio ano num centro social e, enquanto refugiado, recebia apoio financeiro do Estado português.

Hicham el Hafani, que é suspeito de estar envolvido na preparação de um atentado em França, entrou em Portugal em outubro de 2013 como refugiado, alegando ser perseguido politicamente em Marrocos, e desde Novembro desse ano até Junho de 2014 viveu na Fundação CESDA - Centro Social do Distrito de Aveiro em Paço, Esgueira. Por não ter profissão conhecida, e devido ao estatuto de refugiado, recebia apoio financeiro do Estado português: 190 euros de subsídio para pequenos gastos. No CESDA, era-lhe fornecido alojamento, alimentação e acompanhamento social.»

Perto destas lindas casas, vivia um terrorista islâmico!

«Em Julho de 2014, o marroquino de 26 anos foi considerado "autonomizado" e em condições para sair da instituição. Alugou um quarto na Gafanha da Nazaré com um amigo, que era igualmente refugiado, e passou a receber 250 euros da Segurança Social para se sustentar. O jornal indica que não é sabido se Hicham chegou a trabalhar na região de Aveiro, mas caso o tenha feito não existe qualquer contrato em seu nome. O marroquino tentou ainda pedir o Rendimento Social de Inserção, mas foi-lhe negado.»


...E o que fez o vibrante refujiadista com o dinheiro?

«Hicham el Hanafi, o terrorista que foi apanhado no sábado Sáturnes durante uma operação em França e que terá vivido no centro de Aveiro, tinha como função arranjar dinheiro para financiar a célula do Estado Islâmico à qual pertencia.

A informação é agora avançada pela imprensa francesa, que dá ainda conta de que o homem, de 26 anos, terá nos últimos meses viajado por quase toda a Europa. Foi aliás detectado a tentar entrar na Grã-Bretanha com um passaporte falsificado.

Hanafi foi detido em Marselha na casa de um cidadão de nacionalidade afegã onde foram encontradas várias armas. Hanafi saiu de Portugal no início deste ano e nunca mais terá regressado. O mesmo não aconteceu com um amigo, também refugiado, que já cá esteve mais do que uma vez.»

Comentário do blogueiro: ou seja, o dinheiro dos impostos do povo português foi usado para alojar, alimentar e dar apoio social a um refujiadista!... Pior, poderá até ter servido para financiar o Estado Islâmico! Numa altura em que centenas de milhares de portugueses passam fome e privação material, isto não é apenas obsceno, é verdadeiramente criminoso! Não temos onde cair mortos e ainda andamos a pagar a assassinos para nos matarem!!!

Sem comentários: