quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Pat Condell: «e se Jesus Cristo viesse ao mundo hoje?»


Partilhado pelo Sr. Condell na sua conta do Twitter:



4 comentários:

Rick disse...

Uma frase (entre outras)que me ocorre dos evangelhos é aquela em que supostamente "Jesus" diz que : "O reino de Deus não é deste mundo." Quando penso na realidade da Igreja romana(que diz ser a representante do cristianismo)na História chego à conclusão que algo importante não bate certo.Por exemplo esta semana https://geopolitics.co/2016/10/27/rigged-election-hillary-trump-caught-partying-w-kissinger-jesuit-gala/

Afonso de Portugal disse...

A análise que aqui trouxeste é bastante interessante, mas atenção:

1. Não é verdade que todos os candidatos republicanos bateriam a bruxa Hilária. Jeb Bush e Carly Fiorina, por exemplo, não teriam tido qualquer hipótese.

2. Julgo que nenhum nacionalista que se preze encara uma possível vitória de Trump como a salvação da raça branca. Eu, pelo menos, não encaro. Nem tenho quaisquer ilusões em relção ao impacto nulo de uma eventual vitória do Trump sobre as questões raciais nos EUA, ou sobre a inversão do Marxismo Cultural. Com a bruxa é garantido que tudo ficará pior, mas com o Trump, na melhor das hipóteses, tudo ficará apenas na mesma.

3. O verdadeiro apelo de Trump é ter demonstrado que é possível ir longe adoptando o discurso nacionalista, ou próximo disso. É por isso que eu o admiro, não pela sua carreira empresarial, mediática e política.

3. Quanto aos jesuítas, a sua ligação ao sionismo é inegável, mas atenção: um jantar é só isso, um jantar. E quando se concorre às eleições, todos os apoios contam. Não é por aí que podemos concluir em definitivo que o Trump é um lacaio da judiaria. Claro que, se acontecerem muitos casos como este, a situação muda de figura...

Bilder disse...

http://descobrindoasverdades.blogspot.pt/2013/09/os-illuminatis-o-sionismo-maconaria-o.html e o Vaticano

Afonso de Portugal disse...

Bastante extenso, mas interessante. Não é, ainda assim, nada que os nacionalistas não soubessem. Como já disse em ocasiões anteriores, eu não acredito na Igreja, acho que ela foi corrompida. Nem sou um cristão nacionalista, eu sou ateu.

No entanto, eu acredito nos cristãos. Nos fiéis que não têm culpa de terem sido educados no seio do cristianismo. E acho que é preciso algum tacto ao lidar com os nacionalistas cristãos porque, sem eles, dificlmente chegaremos ao poder. Há nacionalistas que não compreendem isto. Não se podem ganhar eleições alienando um grande parte (talvez até a maior parte) do nosso eleitorado natural.