quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Onze ONG juntam-se para impedir o fim da "selva" de Calais!!!


Separar os pobres coitadinhos e mandá-los para toda a França!? Não, pá!!! Nós queremos é que sigam todos para Inglaterra, carago!!! Assim poderemos trazer mais e mais sem que o povo acorde!

«Um grupo de onze Organizações Não Governamentais (ONG) anunciaram hoje uma acção judicial para travar o desmantelamento do acampamento da "selva" de Calais, em França, onde estão instalados [dez] milhares de imigrantes.»

A "selva" de Calais: demasiado vibrante para ser desmantelada!

«As ONG, entre as quais está a Secours Catholique (a Caritas França), anunciaram que entregaram um pedido nesse sentido ao Tribunal Administrativo de Lille, que tem 48 horas para se pronunciar.

O objectivo, segundo o documento que entregaram no tribunal, é "obter sem mais demoras diferentes medidas de protecção" para as pessoas instaladas naquele acampamento em Calais, perto do porto de onde saem os ferries que ligam França ao Reino Unido.»

Comentário do blogueiro: reparem, caros leitores, o objectivo destas ONGs da treta não é resolver o problema dos "refugiados", é apenas garantir que eles não são separados e redistribuídos por toda a França! E porquê? Porque a redistribuição é uma faca de dois gumes: (1) por um lado, pode acelerar a diluição do povo francês através da miscigenação, mas (2) por outro lado, também pode acordar a parte do povo francês que ainda não lidou de perto com os "enriquecedores vibrantes"!

E, como é evidente, as ONGs da "caridadezinha" hipócrita não querem correr esse risco!

________________
Outras de Calais:

Ministro do Interior "francíu" diz que o Reino Unido tem o "dever moral" de receber os alógenos
O governo "francíu" arranjou uma forma de acabar com a "selva" de Calais sem ter de acabar com ela!
Entretanto, em Calais... (2) confrontos entre centenas de imigrantes e a polícia francesa
Entretanto, em Calais... esquerdalho ataca residentes franceses
Invasão alógena interrompe tráfego no túnel da Mancha
«A França já não é francesa!»

Sem comentários: