segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Inquisição anti-racista multa lenda do futebol inglês por piada "racista"


«O antigo futebolista inglês Paul Gascoigne foi hoje condenado a pagar uma multa de 1168 euros acrescida de uma indemnização do mesmo valor por ter proferido um comentário racista dirigido a um segurança.


O juiz Graham Wilkinson considerou que Paul Gascoigne, de 49 anos, humilhou Errol Rowe, quando este desempenhava funções de segurança durante o programa televisivo ‘Uma noite com Gazza’, a 30 de novembro de 2015, ao fazer-lhe o seguinte pedido: “importa-se de sorrir se faz favor, porque não consigo vê-lo?”. 

"Você (Paul Gascoigne) procurou fazer sorrir uma plateia de mais de mil pessoas por causa da cor da pele de Rowe”, considerou o juiz do tribunal de Dudley, Graham Wilkinson, antes de proferir a sentença que condena o ex-internacional. 

Paul Gascoigne, conhecido no meio futebolístico por ‘Gazza’, teve uma carreira em que equilibrou o talento com a polémica e uma vida de excessos, ao serviço de clubes como o Newcastle, Tottenham, Lazio, Glasgow Rangers e Everton.» 

Comentário do blogueiro: conforme observou o grande Pat Condell na sua conta do Twitter, «Estamos perante perseguição de Estado, pura e simples. A lei foi corrompida.» De facto, este caso constitui um exemplo paradigmático daquilo a que eu chamo "totalitarismo universalista", a imposição, por via judicial, de restrições à liberdade individual, com o objectivo de enfraquecer as defesas da população face à iminvasão.

Quando nem uma simples piada se pode fazer acerca da cor da pele de outro indivíduo, então já não se vive em democracia.  Fingir que as diferenças não existem não faz com que elas desapareçam, apenas com que se acentuem.

2 comentários:

FireHead disse...

Também falei disto no meu blogue. Gostaria agora que alguém me falasse de algum negro que também já foi multado por proferir comentários racistas. Hmmm... não, penso que isso não acontece, pois toda a gente sabe que quando um negro é racista é porque efectivamente não está a sê-lo...

Afonso de Portugal disse...

Há o caso do Balotelli, mas o racismo dele não era contra os brancos, era contra os judeus. Ou melhor, foi interpretado como sendo contra os judeus, porque ele visava várias raças! E, ainda por cima, a sua posta "racista" começava com a frase "Não sejam racistas!"

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2014/12/sobre-os-comentarios-racistas-de.html