quarta-feira, 25 de maio de 2016

As novas da engenharia social neomarxista no Ocidente...


Na Austrália, «o chefe do Executivo do estado da Victoria, Daniel Andrews, pediu oficialmente desculpas por leis antigas que criminalizavam a homossexualidade e que enviaram para a prisão milhares de pessoas.»

No Reino Unido, uma mulher decidiu casar consigo própria: «Sophie Tanner tinha 36 anos e estava solteira. Desde criança que o seu sonho era casar e, mesmo sem namorado, a britânica não desmoralizou. No ano passado decidiu casar consigo própria.» 

Ainda no Reino Unido, um professor universitário defendeu, numa entrevista, que os pais não devem poder ler histórias infantis aos seus filhos, porque «isso coloca em desvantagem as crianças cujos pais não lhes lêem as mesmas histórias». A conclusão do "professor" é a premissa central do marxismo cultural: «devíamos abolir a família» como forma de «resolver este problema de justiça social». Mas atenção, caros leitores, o marxismo cultural é uma teoria da conspiração perpetuada por extremistas de direita!

O mais insólito é que todas as notícias anteriores parecem quase normais quando se lê a nova tara do Al-Guardian: defender o "estilo de vida alternativo" dos homens que escolhem viver como cães! Não, não estou a gozar, ora vejam só:



A "crónica" do Al-Guardian começa assim: «É fácil rir de um homem adulto dentro de um fato de cão feito de borracha que mastiga um brinquedo que guincha. Talvez fácil demais, porque rir é descartar, é denegrir, é ignorar o facto de que muitos de nós, em algum momento das nossas vidas, encontámos conforto e alegria em fingir sermos animais.»

...E este, por incrível que pareça, é o parágrafo mais normal do artigo. Porque depois encontram-se pérolas como esta:

«Trata-se de nos darmos licença para nos comportarmos de uma forma que sentimos como natural, até mesmo primal. Quando somos cães, não nos preocupamos com dinheiro, comida ou trabalho. É simplesmente uma oportunidade de desfrutarmos da companhia uns dos outros de uma forma muito simples.»

Eu cá desconfio que eles também devem cheirar o cú uns aos outros! E para aqueles que eventualmente ainda estiverem a esfregar os olhos de incredulidade:

9 comentários:

Sr. Hamsun disse...

Esta gente já nem internada, é mesmo enforcada. Isto é um ataque concertado à família e à sociedade. Apresentam estes casos de demência para levarem depois cenas mais "leves", como a paneleiragem, a passar por normais. Mostram, mais uma vez, a sua falta de ética. Ao serviço dos seus fins não hesitam em aproveitar-se destes doentes mentais, que o são objectivamente.

Afonso de Portugal disse...

Eu confesso que já acredito em tudo! Cada dia surgem situação cada vez mais mirabolantes! Esta dos homens (homens?) que se vestem e se comportam como cães é completamente surreal! E o Al-Guardian aplaude!!!

Estamos a descer cada vez mais rápido... desconfio que estamos prestes a despenhar-nos, resta saber contra o quê!

João José Horta Nobre disse...

Estamos oficialmente a atingir as raias da loucura no Ocidente!

Renato Santon disse...

Estamos vírgula Afonso, acredito nos povos de descendência latina, ibérica, celta...

Esses nórdicos parece dementes, aceitam quaisquer tipos de imposição mental, são servis, tem apetite por ditaduras e obedecer cegamente ordens.

Onde o marxismo cultural mais funcionou ? Suécia, Alemanha, seguidos por outros países de raças nórdicas.

Nunca seremos como eles, no melhor e no pior.

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Estamos oficialmente a atingir as raias da loucura no Ocidente!»

Próximo passo: os tipos que vivem como cães cruzam-se com os tipos que vivem como gatos! O que irá a acontecer?


Renato Santon disse...
« Onde o marxismo cultural mais funcionou ? Suécia, Alemanha, seguidos por outros países de raças nórdicas.»

Bem, o país do mundo onde o marxismo cultural funcionou melhor foram os EUA. Desconfio que isto tem mais a ver com a ética protestante do que com a dicotomia Norte vs. Sul. Seja como for, é um facto que o MC parece ter tido mais sucesso precisamente entre os povos mais civilizados. E isso deve ser objecto de reflexão.

Renato Santon disse...

Não concordo que o país onde mais funcionou sejam os EUA.

Nos EUA existe uma grande parcela da população que é conservadora e anti-globalista, republicana. Isso na Alemanha é impensável, cada alemão tem um complexo de culpa e assimilação completa dos ditames do MC.
Na Suécia idem, sabes que lá os homens tem que urinar sentados, ou ao menos uma lei para que aconteça.

O nível de servidão é maior na própria europa norte que nos EUA.

Importante ressaltar que Portugal encontra-se em vias de degeneração maior que o vizinho espanhol. A elite traidora é mais frutífera em Portugal ao que parece. E sobre o time Português ter tantos negros e alógenos na sua representação porque isso não acontece na Espanha ?

Seria uma rejeição natural do povo a ter negróides os representando ? Mas o fato é que na Espanha negro ou árabe não tem vez nos times de futebol e eles prezam sempre por ter espanhóis natos nas equipes como capitães e figuras principais. Aquilo ainda é um país.

Afonso de Portugal disse...

«E sobre o time Português ter tantos negros e alógenos na sua representação porque isso não acontece na Espanha ?»

Há uma explicação para isso: o regime ditatorial que vigorou em Portugal até à revolução de 25 de Abril de 1974, o Estado Novo, fazia a apologia do multirracialismo, enquanto o regime de Franco não. Veja por exemplo esta monografia, caro Renato:

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2013/07/salazar-o-obreiro-da-patria.html

Ora, o grande herói do Estado Novo era preisamente Eusébio da Silva Ferreira, um negro nascido na província ultramarina de Moçambique que fez a maior parte da sua carreira no Sport Lisboa e Benfica. Juntamente com ele, havia outros negros a jogar no Benfica e na Selecção Nacional Portuguesa, como o Mário Coluna e o Joaquim Santana.

Ou seja, os portugueses habituaram-se a ver alógenos na Selecção Nacional durante a ditadura, razão pela qual nunca adquiriram defesas contra o multirracialismo.

João José Horta Nobre disse...

«Próximo passo: os tipos que vivem como cães cruzam-se com os tipos que vivem como gatos! O que irá a acontecer?»

A ONU decreta um novo pacote de sanções à Rússia!

Afonso de Portugal disse...

Eheheheh... ou então aprova uma moção contra o homem branco e a cvilizção ocidental por alegadamente terem criado a "caninofobia" felina e pela "felinofobia" canina!