sábado, 30 de abril de 2016

Alfredo Leite: «A mordaça da Turquia»


Vá lá, caros leitores, ainda há quem escreva crónicas decentes acerca daquilo que é realmente a Turquia, o tal estado "laico" da Ásia menor que os europeus vão ter mesmo de gramar como membro de pleno direito da União Europeia. Só podia ser no Correio da Manhã, o jornal que as nossas elites bem-pensantes mais desprezam:

«A jornalista Ebru Umar [na foto à direita] ousou escrever, há dias, um artigo em que criticava o presidente turco sem ter em conta que quem se mete com Recep Erdogan leva. Sem surpresa, foi parar à cadeia. Teve sorte. No país recordista das violações da liberdade de imprensa, ir preso é o menor dos problemas. Como diria o cantor, muitos repórteres acabam "ainda mais deitados".

O Comité de Proteção dos Jornalistas estima que tenham sido mortos na Turquia 24 profissionais da comunicação desde 1992. No ano passado, mais de 20 foram presos e esta arrisca-se a ser uma imagem de marca da presidência Erdogan. Acontece que esta paranoia já nem fronteiras conhece. Na Alemanha, um humorista satirizou em verso o pénis de Erdogan e o governo turco pediu, de imediato, uma investigação a Jan Bohmermann por insultar um representante estrangeiro. Angela Merkel aceitou.

O país que é da NATO e que quer ser da União Europeia, mas que não reconhece o genocídio na Arménia e mantém um conflito com Chipre, quer agora exportar a sua perigosa relação com a imprensa. E, pelos vistos, na velha Europa refém de novos interesses há quem não se importe.»

11 comentários:

Anónimo disse...

Em compensação o Expresso de hoje traz uma entrevista com o fassista Viktor Órban, É interessante ver como a jornaleira de serviço lhe coloca perguntas incómodas. Para o esquerdalho, subserviência, para quem é de direita, só falta insultar em pleno questionário.- sr. Hamsun.

Afonso de Portugal disse...

Faz-me lembrar um fulano da SIC que, há alguns anos atrás, endereçou a seguinte pergunta ao José Pinto-Coelho: «O Sr. sabe qual era o valor das taxas de juro dos empréstimos bancários na década de 80?» Enfim, qualquer dia ainda desatam a perguntar aos "fássistas" se sabem o que é a energia negra!

Obrigado pela referência à entrevista! Vou dar uma olhadela...

João José Horta Nobre disse...

«a Turquia, o tal estado "laico" da Ásia menor que os europeus vão ter mesmo de gramar como membro de peno direito da União Europeia.»

Posso-lhe garantir que isso nunca vai acontecer, pois tal situação implicaria automaticamente que a Alemanha perderia a sua hegemonia na UE. A entrada da Turquia vai directamente contra os interesses franceses e alemães.

No entanto, se isto acontecer e admito que há sempre uma hipótese, por mais pequena que seja de tal poder acontecer, então isso significaria que a Superclasse Mundialista já estaria totalmente aos comandos da Europa. Seria a confirmação do princípio do Apocalipse europeu.

João José Horta Nobre disse...

«É interessante ver como a jornaleira de serviço lhe coloca perguntas incómodas. Para o esquerdalho, subserviência, para quem é de direita, só falta insultar em pleno questionário.- sr. Hamsun.»

É sempre assim, já com a Frauke Petry fizeram isso há uns tempos atrás, o incidente revoltou-me de tal maneira que até comentei e divulguei o vídeo com essa pouca-vergonha de entrevista aqui:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/04/disparar-contra-invasores-porque-nao.html

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«No entanto, se isto acontecer e admito que há sempre uma hipótese, por mais pequena que seja de tal poder acontecer, então isso significaria que a Superclasse Mundialista já estaria totalmente aos comandos da Europa. Seria a confirmação do princípio do Apocalipse europeu.»

Meu caro, depois do que aconteceu nas últimas semanas, desde os seis mil milhões de euros que serão pagos pela UE à Turqia para "conter" os refujiadistas, até ao processo judicial movido contra o humorista Jan Boehmermann, que ousou satirizar o ditador Erdoğan e à posterior detenção do líder do Partido Pirata, Bruno Kramm, pelo mesmo motivo, a Alemanha já nos deu demasiada provas de que está mesmo apostada em agradar às elites turcas.

A própia Merkel já admitiu publicamente que a crise dos refugiados tem como obvjectivo a "renovação" demográfica do povo alemão. A Turquia é uma peça muito importante nesse sentido, porque a população turca é a chave dessa "renovação".

João José Horta Nobre disse...

«a Alemanha já nos deu demasiada provas de que está mesmo apostada em agradar às elites turcas»

"Elites turcas" ou "elites mundialistas"?...

Afonso de Portugal disse...

Ambas! O problema é que, nas actuais circunstâncias, é preciso agradar às primeiras para agradar às segundas! :)

João José Horta Nobre disse...

Devo dizer que os turcos são extremamente nacionalistas. Aprendi muito sobre o Nacionalismo turco quando fiz a minha tese de mestrado e aprofundei as minhas pesquisas sobre o Kemalismo. Volto a insistir no que eu tenho sempre dito: a Turquia, mais do que nunca, precisa urgentemente de um novo Mustafa Kemal Atatürk que varra o lixo islamita daquele País.

Mustafa Kemal Atatürk foi o melhor amigo e aliado que a Europa alguma vez teve no Médio Oriente, infelizmente isto tem é sido pouco divulgado. De muçulmano esse homem pouco ou nada tinha e a prova disso foi o facto de ter morrido de uma cirrose devido ao excesso de Raki que bebia de manhã à noite:

https://en.wikipedia.org/wiki/Rak%C4%B1

Afonso de Portugal disse...

«(...)a Turquia, mais do que nunca, precisa urgentemente de um novo Mustafa Kemal Atatürk que varra o lixo islamita daquele País.»

Mas será que isso é possível? É que eu acho, muito sinceramente, que há tantas probabilidades de isso vir a acontecer como de Portugal voltar a ter um Salazar num futuro próximo! Os islamistas aprenderam as lições da história... não vão cometer os mesmo erros tão cedo!


«De muçulmano esse homem pouco ou nada tinha e a prova disso foi o facto de ter morrido de uma cirrose devido ao excesso de Raki que bebia de manhã à noite»

Infelizmente, cometeu um erro que praticamente todos os grandes homens parecem cometer: não fez por deixar sucessores à sua altura! E agora o Islão ameaça não só a Turquia, mas toda a Europa!

João José Horta Nobre disse...

«Infelizmente, cometeu um erro que praticamente todos os grandes homens parecem cometer: não fez por deixar sucessores à sua altura!»

Isso já parece ser uma coisa típica dos grandes estadistas das história...

Afonso de Portugal disse...

Pois...