segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

A hipocrisia das feministas dos nossos tempos (6)





E para terminar... um grupo de feministas manifesta-se contra a misoginia islâmica!

____________
Ver também: 

2 comentários:

Anónimo disse...

http://www.noticiasaominuto.com/mundo/531522/60-dos-refugiados-que-chegam-a-europa-sao-criancas-e-mulheres

Afinal estavam todos enganados. 60% são crianças e mulheres.

G, o cigano

Afonso de Portugal disse...

Quem está enganado és tu! Quase tudo nessa notícia é falso ou apenas parcialmente verdadeiro. Aliás, a própria notícia foi redigida de uma forma absolutamente desonesta!

Para começar, o título da notícia é FALSO. A notícia refere-se especificamente aos imigrantes que cruzaram a fronteira entre a Grécia e a Turquia recentemente, não a todos os imigrantes que entraram na Europa durante a "crise dos refugiados". Como é que eu sei? É simples, porque o primeiro parágrafo da própria notícia assim o diz, contradizendo o título:

«(...) quase 60 por cento dos refugiados que chegam à Macedónia (FYROM) desde a Grécia, após cruzarem o Mar Egeu, no Mediterrâneo oriental, são crianças e mulheres, constituindo a maioria dos migrantes, um fenómeno que até agora não tinha ocorrido, afirmou hoje a porta-voz da Unicef, Sarah Crowe.»


Em segundo lugar, "quase 60 por cento" ao longo de que período? Quem escreveu a notícia mostra a sua enorme parcialidade ao não nos dizer quando é que estes supostos 60% chegaram! Foi no último semestre? Foi nos últimos três meses? Ou foi só agora em Janeiro? A Sarah Crow diz "até agora", mas quando é que é "agora" exactamente?!

Terceiro, esta afirmação "este número poderá ser muito mais elevado, porque muitos dos adolescentes não revelam a sua idade até chegarem ao seu destino", especificou Crowe.» é pura e simplesmente absurda! A experiência diz-nos que a realidade é precisamente ao contrário, os imigrantes tendem a fazer-se passar por mais novos, não por mais velhos. Por exemplo, naquele centro de "refugiados" na Suécia onde um "refugiado" assassinou uma assistente social de origem libanesa à facada supostamente só tinha "adolescentes". Mas agora sabe-se que havia lá vários homens com mais de vinte anos!

Quarto:
«A Unicef sublinha que, em junho de 2015, as crianças eram um em cada dez refugiados e imigrantes que chegavam às costas europeias, e agora são um terço.»

Quinto (IOM-UNICEF):
http://www.politico.com/magazine/story/2016/01/europe-refugees-migrant-crisis-men-213500

«FYROM Registered Arrivals, June 19 – September 28, 2015

68,085 male
13,888 female
17,336 children (accompanied by a family member)
3,444 unaccompanied children
»

...Isto dá 66,26% de homens! É evidente que a situação pode ter mudado desde Setembro, mas é absolutamente desonesto dizer que a maioria dos refugiados são mulheres em crianças quando até recentemente a esmagadora maioria eram homens!

Mas há mais (IOM-UNICEF):
http://www.iom.int/sites/default/files/press_release/file/IOM-UNICEF-Data-Brief-Refugee-and-Migrant-Crisis-in-Europe-30.11.15.pdf

90% das "crianças" que viajam sozinhas são rapazes! Onde estão as meninas?!


Ainda há mais... de acordo com o governo sueco, 71% de todos os requerentes de asilo eram do sexo masculino:

http://www.migrationsverket.se/Om-Migrationsverket/Statistik/Aktuell-statistik.html


Esse artigo tenta utilizar um fenómeno recente para caracterizar TODA a "crise migratória". E isso é, objectivamente, MENTIR!

É como eu e tu termos um maço de 20 cigarros, eu fumar 19 cigarros e, depois de eu fumar o 19º, tu acenderes o último... e então, vem o "Notícias ao Minuto" e diz, desonestamente: o G, o cigano fumou um maço de tabaco! É exactamente esse género de distorção (tomar um episódio recente pela história toda) que o "jornalista" fez!

Mas não tem grande sorte... basta olhar para os campos de refugiados pela Europa fora para se perceber imediatamente que é falso que a maioria dos "refugiados" sejam mulheres e crianças.