sábado, 12 de dezembro de 2015

Ainda a propósito das palavras de Donald Trump


    Uma das declarações feitas por Donald Trump que tem sido mais criticada pelos traidores mundialistas é a denúncia de que há "no-go zones" islâmicas no Reino Unido, i.e. zonas onde os cidadãos britânicos e até a própria polícia não podem entrar sem que haja represálias (leia-se agressões) por parte dos adeptos do credo do profeta pedófilo. O primeiro-ministro e traidor islamóflo David Cameron, o presidente da câmara de Londres ("mayor") Boris Johnson, os mé(r)dia afectos à esquerda, a Ministra do Interior e pateta dimiesca Theresa May e até a própria Scotland Yard emitiram comunicados a negar e a condenar as palavras de Donald Trump!

Mas a verdade é que já vários agentes das forças de segurança londrinas (e não só!) confirmaram a veracidade das palavras do senhor Trump, conforme se pode ler nesta crónica do Daily Mail. Alguns pontos-chave:
  • Agentes da Polícia Metropolitana de Londres disseram que não podem entrar em certas zonas com o uniforme policial vestido;
  • Um dos agentes foi ainda mais longe, dizendo: «O Sr. Trump apontou um problema absolutamente evidente, mas a nossa nação não está disposta  encará-lo.»
  • Outro agente afirmou mesmo: «A islamização é uma realidade do passado e do presente. Temos de estar especialmente atentos quando vamos a certas partes da cidade.»
  • Um agente do condado de Lancashire disse: «Há áreas muçulmanas na cidade de Preston em que, para fazer uma patrulha, temos de contactar os líderes muçulmanos locais para obter a sua autorização» e prosseguiu: «o Sr. Trump tem razão em relação ao que disse. Nesta matéria, os nossos líderes políticos estão, ma melhor das hipóteses, desinformados... ou então estão a ser manifestamente desonestos.»
  • Uma agente do sexo feminino acrescentou «Mesmo que um de nós seja atacado ou morto, a situação será reportada como um "incidente excepcional" e não haverá razão para alterar o modus operandi da polícia britânica.»
  • E para conlcuir, um agente que se demitiu recentemente da polícia confessou: «Eu trabalhei como um agente de segurança durante 11 anos. Demiti-me porque já não aguentava mais!»

 Ser polícia no "paraíso" multicultural de Londres: um verdadeiro inferno!

    Para terminar, aqui o vosso blogueiro gostava apenas de relembrar o infame caso de Rotherham: a prova de que há muito medo no Reino Unido e que a população e os agentes de polícia vivem amordaçados por um clima de represálias por parte dos muçulmanos e da ditadura do politicamente correcto é que foi possível violar e prostituir 1400 crianças durante 16 anos! A polícia local sabia que várias meninas e pré-adolescentes tinham sido forçadas a prostituir-se pelos maometanos, até as agentes sociais da zona sabiam... mas toda essa pessoas com responsabilidades tiveram medo de serem acusadas de racismo! É por isso que, quando Trump abre a boca, a sua popularidade sobe, ao contrário do que os mé(r)dia nos querem fazer crer...


____________
Ver também:


No Reino Unido, mais um caso de gangues sexuais islâmicos
Finalmente noticiada na imprensa portuguesa a pedofilia cometida no RU contra crianças brancas
Pat Condell sobre o caso dos gangues pedófilos islâmicos de Rotherham
Ainda sobre o caso de Rotherham...
Ainda sobre o caso de Rotherham... (2)
A realidade dos gangues islâmicos pedófilos no Reino Unido
Relatório sobre os gangues pedófilos islâmicos no Reino Unido
Nick Griffin entrevista a mãe de uma vítima de violação cometida por alógenos
Mais um gangue pedófilo islâmico no Reino Unido...
Hoje no Reino Unido, amanhã em Portugal!

Sem comentários: