segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Tomem nota, Nacionalistas (e não só)!



> Terça-feira, 15 de Setembro, cerca das 20h45 - José Pinto-Coelho, cabeça-de-lista por Lisboa, é entrevistado no CMTV.

> Quarta-Feira, 16 de Setembro, cerca das 21h30 - Vítor Ramalho, cabeça-de-lista pelo Porto, é entrevistado na RTP2 (Página 2).

> Domingo, 20 de Setembro, cerca das 09h00 - José Pinto-Coelho, cabeça-de-lista por Lisboa estará na SIC Notícias (Revista de Imprensa).

2 comentários:

A-24 disse...

Francamente!

Tu viste a mesma entrevista que eu vi ontem do Pinto Coelho à CMTV?

Eu ainda estou boquiaberto com aquela criatura. Não pela mensagem, mas pela forma como a passou. Aquele homem sabe falar? Porque gaguejou tanto? Tanta ansiedade e nenhum à vontade à frente da jornalista. Porque usou termos como "invasores", quando poderia ter usado outros termos mais eficazes e menos ofensivos? Isto é dar carta branca aos que se manifestam nas ruas contra as posições deles e os enxovalham no youtube e no facebook.

Este tipo tem tanto para aprender com os adversários da Extrema-esquerda, que são lobos com pele de cordeiro e ele passa a imagem contrário, faz-se passar por lobo e acaba por ser um cordeiro que nem falar direito fala.

Tenho a certeza que tanto eu como tu fariamos bem melhor que ele numa televisão em todos os aspectos e agora pergunto, será que não têm quem os treine para falarem decentemente na TV?Aquele fulano é que é o porta-voz do PNR? Será que é o melhor que eles têm? Se for, valha-me deus nossa senhora!
Com gente assim o PNR não vai lá. Garantidamente.

É por isso que cada vez tenho mais a certeza que a única direita em Portugal é o PPM - o Partido Popular Monárquico, repleto de personalidades que já contribuiram muito para Portugal, que o continuam a fazer e que sabem falar e defender Portugal e os portugueses, mesmo sendo o partido que sofre do maior boicote que existe nesta democracia, pois ela não permite o referendo à república e mesmo que também muitos dos seus membros sejam rotulados de fascistas e ultrapassados.

Afonso de Portugal disse...

A-24 disse...
«Aquele homem sabe falar? Porque gaguejou tanto? Tanta ansiedade e nenhum à vontade à frente da jornalista.»

Esse é infelizmente, um dos problemas crónicos do PNR. Não tem, com excepção do Prof. Humberto Nuno Oliveira, gente devidamente preparada para conceder entrevistas e falar em frente às câmaras. A minha esperança era que, com o passar dos anos, os dirigentes do partido desenvolvessem certas posturas e capacidades... mas estou a ver, como tu estás, que é bem mais difícil do que eu julgava.


«Porque usou termos como "invasores", quando poderia ter usado outros termos mais eficazes e menos ofensivos?»

Eu até nem discordo totalmente, desde que o emprego do termo seja antecido por uma contextulização adequada. O problema é que o JPC não fez essa contextualização devidamente. Por um lado, ele esteve bem ao observar que a maioria dos "refugiados" são homens com idade para servir no exército. Mas não mencionou o dado crucial: a esmagadora maioria dos que chegam à Europa não vêm da Síria... e há outros tantos que dizem ser sírios mas não têm consigo documentos para o provar. Nesse sentido, não podem ser considerados refugiados, são imigrantes económicos. Esta seria talvez a expressão mais adequada, imigrantes económicos.

Para mim, o pior foi mesmo o emprego de várias expressões que não se devem utilizar no discurso oral, como "etc" (pelo menos duas vezes!).

E o erro crasso, mas CRASSO mesmo, foi apontar como objectivo os 50 mil votos. Um partido pequeno nunca deve especificar objectivos numéricos, muito menos um objectivo que representa mais do que o dobro do resultado anterior! isso não é ser minimamente realista. E vai haver gente a cobrá-lo mais tarde, tenho a certeza!


«(...) agora pergunto, será que não têm quem os treine para falarem decentemente na TV?»

Infelizmente, parece que não... e como seguidor do PNR ha vários anos, confesso que começo a ficar consternado por perceber que não há ninguém que se chegue à frente dentro do PNR e diga claramente aos dirigentes do partido: "precisamos de fazer muito melhor nas poucas oportunidades que temos para aparecer na televisão!".

O que esta e outras entrevistas dadas ao longo do anos pelos dirigentes do PNR mostram é que há muito trabalho de casa que não está a ser feito. O JPC pareceu genuinamente surpreendido por algumas das perguntas da "jornalista" e isso não devia acontecer nesta altura do campeonato. Quando vejo entrevistas com a Marine Le Pen, o Geert Wilders ou o Nigel Farage, é muito raro vê-los serem apanhados de surpresa! Têm sempre uma resposta mais ou menos convincente para tudo o que lhes atiram. Até o Paul Weston do Liberty GB, um partido perfeitamente marginal do Reino Unido, fez bem melhor contra um apresentador muito mais hostil:

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2015/04/paul-weston-vs-cretino-da-bbc.html

E se é verdade que o PNR não tem os meios da FN e do UKIP, também não é menos verdade que há lições básicas que o PNR já devia ter aprendido ao fim de tantos anos...


«Será que é o melhor que eles têm? Se for, valha-me deus nossa senhora!»

A explicação pode ser mais simples do que isso: o JPC pode ser o único disposto a dar a cara sistematicamente. A maioria das pessoas tem medo de ser penalizada no emprego ou mesmo no seio familiar. Mas a verdade é que eu não sei, não sou militante do PNR e não conheço o partido por dentro. E acredita, gostava sinceramente de saber a resposta à tua pergunta!


«É por isso que cada vez tenho mais a certeza que a única direita em Portugal é o PPM»

O único senão é que o PPM é defensor do Portugal do Minho até Timor! Há demasiadas pessoas lá dentro que têm saudades do Portugal Ultramarino. É complicado...