quarta-feira, 2 de setembro de 2015

«A Europa deve "construir uma sociedade mestiça"»


Quem é que os meus leitores acham que disse a frase do título deste postal? Quem teria a lata de ser assim tão claro? O Passos Coelho? A Merkel? O Jean-Claude Juncker? A Federica Mogherini? O Ban Ki-Moon?... Não, foi este senhor simpático:


...E quem é este senhor encantador? Ora leiam e descubram:

«A Europa deve acolher os migrantes, mas também integrá-los, para "construir uma sociedade mestiça", aconselhou hoje o fundador da Comunidade de Santo Egídio, organização católica dedicada ao diálogo inter-religioso, à mediação de conflitos e à integração dos imigrantes. 

"O enorme problema da imigração obriga a Europa a repensar as suas responsabilidades: ela deve acolher, mas também integrar, e construir uma sociedade mestiça", afirmou Andrea Riccardi, historiador e antigo ministro italiano, à agência France Presse. 

Para sublinhar a necessidade de uma tal acção, Riccardi evocou os "cinco milhões de sírios prontos para abandonar o país" por já não poderem viver nele devido à guerra que já fez mais de 230.000 mortos.»

Pois é, eles já nem disfarçam, agora que o seu objectivo está cada vez mais perto de ser atingido!...

9 comentários:

pvnam disse...

Apanha-se mais depressa um nazi do que um coxo!
.
Os 'globalization-lovers' que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa!
Existem 'globalization-lovers'... e existem 'globalization-lovers' nazis (estes buscam pretextos para negar o Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones).
Nota: Nazismo não é o ser 'alto e louro', bla bla bla,... mas sim... a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outro.
.
.
P.S.
http://separatismo--50--50.blogspot.com/

Afonso de Portugal disse...

«Apanha-se mais depressa um nazi do que um coxo!»

Sobretudo agora que eles perderam finalmente a réstia de vergonha que ainda tinham nas trombas e dizem claramente ao que vêm!

KVRGANIVS NOSTRATORVM disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Titan disse...

Está a precisar duma jihad no pescoço.

Afonso de Portugal disse...

E não é só ele, camarada! Já viste os comentários a esta petição?

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78257

São verdadeiramente doentios!

A propósito, é bom voltar a ver-te por estas bandas! :)))

Anónimo disse...

este senhor e outros, como o papa Chico, não são Igreja. São infiltrados que se apoderaram da Igreja. esta permanecerá, eles não. E se vês muitos ditos católicos que apoiam esta gente é porque não sabem o que é o catolicismo. É porque têm uma catequese básica que não os leva a conhecer nada de relevante sobre a religião. São os mesmos católicos que praticam ioga aceitam o tarot e outras práticas pagãs. O que se passa é que a Igreja foi infiltrada por maçónicos e marxistas há muito. Porque eles sabem perfeitamente que o catolicismo sempre foi um bastião da ideia de Europa e co combate contra o islão e o relativismo, entre outros. E sabem que, diminuído o Cristianismo e transformado numa caricatura, com a solidariedadezinha de treta, a tarefa fica mais fácil.- srhamsun.

Afonso de Portugal disse...

«O que se passa é que a Igreja foi infiltrada por maçónicos e marxistas há muito. Porque eles sabem perfeitamente que o catolicismo sempre foi um bastião da ideia de Europa e co combate contra o islão e o relativismo, entre outros.»

O problema é que eu não sei se será possível salvar a Igreja sem uma nova cisão, uma espécie de protestantismo nacionalista, que teria de ter forçosamente novas leis que impedissem a rejeição em definitivo do mundialismo. Não é nada fácil aos clérigos identitários ascender numa hierarquia tão fortemente dominada pela corja universalista.

Recuperar a Igreja é neste momento tão difícil como recuperar as nossas universidades e instituições públicas. Será preciso inverter a longa marcha anunciada por Gramsci há já quase um século. E isso requer tempo... mas pior, requer gente disposta a fazê-lo. Não sei se será possível. Mas mesmo que seja, não vai ser nada fácil!...

Anónimo disse...

Sem dúvida. Igreja e ensino nas mãos do inimigo. Eles não foram burros...-srhamsun.

Afonso de Portugal disse...

E claro, os mé(r)dia! Talvez seja esse o seu maior sucesso.

Diz-se que quando a Escola de Francoforte foi deslocada da Alemanha para Nova Iorque em 1934, por causa da ascenção do regime nazi, o edifício-sede ficou localizado a escassos metros da Escola de Jornalismo da Universidade da Colúmbia!

Como bem observaste, eles não foram nada burros... o que eu não entendo, muito sinceramente, é como é que a direita permitiu que isto acontecesse ao longo de tantas décadas, sem nunca ter esboçado uma reacção convincente na denúncia e no combate ao marxismo cultural.

Há duas possibilidades: ou os políticos de direita não perceberam o que estava a acontecer, o que significa que foram gritantemente incompetentes... ou, talvez mais provável, a transformação da sociedade também beneficiou a direita, ou pelo menos grande parte da direita.

Por exemplo, os esquerdistas dizem frequentemente que o feminismo é uma criação da direita porque os capitalistas beneficiaram com a entrada das mulheres no mercado de trabalho, sobretudo durante os anos 60, quando as mulheres eram pouco qualificadas e constituiam mão-de-obra barata.

É evidente que o feminismo é uma criação esquerdista... mas de facto, não houve, por parte da direita, a oposição que se esperaria ao feminismo. Nem ao multiculturalismo. Nem à liberdade religiosa. Nem ao aborto. Nem à promoção da homossexualidade. Nem ao aumento generalizado da promiscuidade sexual e ao declínio da instituição do casamento. E, mais recentemente, nem à islamização da Europa. Antes pelo contrário, alguns dos mais ardentes adeptos da islamização são precisamente de direita (David Cameron, Mariano Rajoy, Angela Merkel, George W. Bush, Nicolas Sarkozy...)