terça-feira, 8 de setembro de 2015

As novas da iminvasão da Europa (7)


Hoje começamos do outro lado mundo, na Venezuela. "Mas a Venezuela não é Europa!", dirão os meus leitores. Sim, mas eu aqui pretendo mostrar outro fenómeno, que também é comum à Europa: a forma como os socialistas/comunistas consolidam o poder: livrando-se dos habitantes "maus" e substituindo-os por "bons":


Todos os pretextos são válidos para "acolher" os refujiadistas: na Europa central, as autoridades querem acelerar o processo de iminvasão porque "estão a chegar as temperaturas baixas":



Nos Balcãs, o número de refugiados é cada vez maior. Reparem bem nas imagens desta reportagem, caros leitores... apesar dos esforços da politicamente correctíssima Euronews para mostras mulheres, crianças e velhos no vídeo, é perfeitamente perceptível que a esmagadora maioria dos "refugiados" é constituída por homens na casa dos 20-30 anos! No total, as ilhas gregas albergam actualmente mais de 30 mil iminvasores.



Na Hungria, os "refugiados" continuam a tentar alcançar a Alemanha, seja de que forma for. Mais de três centenas invadiram uma auto-estrada em direcção a Budapeste, saindo do campo de Roszke, perto da fronteira com a Sérvia. Passados cerca de 15 quilómetros de percurso, o cansaço começou a tomar conta do grupo. Esperem lá, 15 km!?!? Mas isso é alguma coisa para quem está supostamente desesperado e tem todo o tempo do mundo nas mãos???



Mas nem tudo foi mau nas notícias de hoje, caros leitores... no Reino da Dinamarca, os líderes políticos parece estar a ganhar juízo. O ministério dos Negócios Estrangeiros dinamarquês publicou um anúncio em quatro jornais libaneses para dissuadir os refugiados de tentarem aceder ao seu território. Finalmente alguém começa a perceber que se deve lidar com o problema na origem!



E para terminar, o camarada Arauto -a quem agradeço- trouxe aqui esta notícia curiosa: em Marrocos, um grupo de activistas decidiu protestar contra a morte do menino curdo (que pode não ter passado de uma encenação), desta forma pitoresca:


É... parece que os marroquinos também já aprenderam a velha tática de usar simbologia de choque para exacerbar o complexo de culpa dos europeus e levar-nos a acolher mais dos seus irmãos muçulmanos. 

 "A bela adormecida..."

Duvido é que estes "humanitaristas" tivessem coragem de fazer uma cena destas numa praia da Arábia Saudita, ou do Catar, ou dos Emirados Árabes Unidos... eram capazes de ir parar à prisão e apanharem umas valentes chicotadas!

Sem comentários: