quinta-feira, 3 de setembro de 2015

À atenção de todos os Nacionalistas!


Hoje perdi as poucas ilusões que ainda tinha relativamente à razoabilidade do povo português.

Porquê? Bem, eu não sei se os meus leitores já se aperceberam, mas anda uma petição na internet para impedir a construção do centro de acolhimento de refugiados na Fuzeta, Algarve:




Não, não é a petição que me incomoda, antes pelo contrário, eu até estou a favor, apesar de ela ter o grave defeito de ter sido criada a pensar exclusivamente no Algarve, quando o seu âmbito devia ser nacional. Mas o meu problema é outro...

A petição é relativamente recente e até está bem encaminhada para obter mais assinaturas do que a petição contra a nova mesquita de Lisboa. Mas está a ser fortemente contestada por vários utilizadores do Fuçaslivro (Facebook). Vejam só alguns dos "argumentos"  dessa escumalha:


A esmagadora maioria das pessoas que se opõe à petição está a deixar comentários como estes, meras reacções emocionais. O comentário do Joaquim Raminhos é um pouco diferente porque parece ser uma tentativa de argumentação, embora manifestamente falhada: é evidente que havendo redes jihadistas na Europa, as armas que serão usadas para executar os atentados hão-de ser adquiridas depois de os refujiadistas terem entrado na Europa.

Adiante... no próximo Print Screen aparece um comentário um pouco mais "interessante":


O comentário da Inês é uma mera reacção emocional. O da Susana é um mero apelo à culpa, como se nós tivéssemos qualquer obrigação para com os refujiadistas. Mas o comentário da Hélia é bem mais atrevido... ela sugere vigiar e criminalizar as pessoas que fizeram a petição! E olhem que isto ainda não é nada:


Ou seja: o Pedro e o Paulo querem acolher os refujiadistas.... e expulsar os portugueses que aqui vivem! Leram bem, caros leitores: para esta "gente", os refujiadistas têm direito a Portugal, mas os portugueses que rejeitarem com toda a legitimidade a vinda dos refujiadistas não têm!!! E a Patrícia ainda tem a lata de afirmar que os signatários da petição lhe fazem lembrar o Hitler!!!

Até quando vamos permitir que esta gentinha arrogante continue a tentar intimidar-nos? Até quando vamos consentir que nos queiram roubar o que de mais sagrado temos, a nossa terra? A nossa cultura? O nosso património? Que nos chamem assassinos e terroristas impunemente, quando são eles que nos querem fazer perder o emprego, destruir a vida e explusar-nos do país apenas por não concordarmos com os seus "valores"?...

Eu já assinei a petição. Não apenas pela sua incontestável justeza, mas também pelos comentários de todos estes cretinos anti-portugueses. Peço a todos os meis leitores que façam o mesmo.

22 comentários:

Anónimo disse...

Mas olha que há muita gente que têm comentado contra a invasão. No facebook, nos jornais... quem nos garante que alguns destes perfis não são falsos, para criarem a ilusão de que os portugueses estão com os invasores?- srhamsun.

Afonso de Portugal disse...

Sim, é possível, mas acredito que mesmo assim somos a minoria. Pode ser que eu esteja enganado, não sei... mas aquela fotografia do menino sírio afogado teve um impacto muito grande, pelo menos entre as pessoas que eu conheço. Conheço pelo menos uma mão-cheia pessoas que antes estavam contra a vinda dos refugiados e mudaram de opinião nos últimos dois dias.

Os mér(d)ia, que nunca publicam as fotos das vítimas quando são nativos europeus mortos por iminvasores, foram muito habilidosos ao publicá-la. E desconfio que a coisa não vai ficar por aqui!

Anónimo disse...

Vou continuar na minha. A NATO desestabilizou os território de onde vêem estes refugiados/imigrantes e obviamente agora a mesma NATO "paga" por isso. E esse pagamento está a ser na forma de uma invasão em consequência da forma irresponsável como os decisores e políticos europeus abordaram e importunaram os territórios que antes até eram tranquilos. Mas perguntas tu porque razão o povo europeu vai pagar por isto? Isto já vem de trás quando os europeus receberam de braços abertos o capitalismo selvagem, esse mesmo capitalismo sem fronteiros assente na ganância. Os europeus votaram sempre nos mesmos, claro, também não tinham grandes escolhas porque a Europa prosperava economicamente, mas agora vão pagando a fatura porque o capitalismo precisa sempre dos trabalhadores mais baratos para manter os custos o mais baixo possível. É uma bola de neve, tudo com início na ganância. Precisamente um dos pecados enunciados pela Igreja Católica.

G, o cigano

Afonso de Portugal disse...

G, o cigano disse..
«(...) o capitalismo precisa sempre dos trabalhadores mais baratos para manter os custos o mais baixo possível. É uma bola de neve, tudo com início na ganância.»

Sim, tudo aponta nesse sentido, sobretudo no caso da Alemanha. Só assim se explica que queiram aceitar tantos refugiados (a Merkel disse 800 mil, mas já se fala em 1 milhão!)

Mas atenção, a iminvasão também é do agrado da esquerda, inscrevendo-se no seu paradigma de luta de classes: os marxistas vêem nos refujiadistas uma extensão natural do proletariado que, no imaginário marxista-cultural, os ajudará a derrubar definitivamente a burguesia branca.


«Precisamente um dos pecados enunciados pela Igreja Católica.»

De pouco serve: a Igreja tem sido a terceira grande força a fomentar a iminvasão. Aliás, é precisamente por isso que a imigração tem sido tão difícil de combater: é apoiada por todo o espectro político, da esquerda à direita... e ainda pelas religiões, sobretudo o cristianismo cujos líderes e clérigos actuais são notoriamente universalistas!

Anónimo disse...

https://m.youtube.com/watch?v=1tatsgwBpuY

2-3-9

João José Horta Nobre disse...

Já assinei essa petição há dois ou três dias atrás.

Deixem os traidores falar, quando os islamitas estiverem dentro das nossas portas e começarem a dar barraca da grossa, vão ver que o Nacionalismo em Portugal vai ganhar muito mais apoio.

Afonso de Portugal disse...

«https://m.youtube.com/watch?v=1tatsgwBpuY»

Obrigado! Mas olhe, entre os comentários à petição há quem desculpe o comportamento dos "refugiados" nesse vídeo porque "estavam zangados".

Não, não estou a brincar! Há mesmo "gente" que acha que aqueles que estão supostamente esfomeados rejeitam comida se estiverem zangados!

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Deixem os traidores falar, quando os islamitas estiverem dentro das nossas portas e começarem a dar barraca da grossa, vão ver que o Nacionalismo em Portugal vai ganhar muito mais apoio.»

O problema é que aí poderá ser tarde demais!!! Eu não queria que Portugal ficasse como a França, ou como o Reino Unido, ou como a Suécia para podermos ter a nossa FN, ou o nosso UKIP ou os nosso Democratas Suecos!

pvnam_3 disse...

http://separatismo--50--50.blogspot.com/
(antes que seja tarde demais)

Afonso de Portugal disse...

pvnam, umquarentao, menvp, mensagensnanett, pvnam_2, pvnam_3...

...há alguma que me tenha escapado? :)

pvnam disse...

É isso.

Afonso de Portugal disse...

Boa! Agora só falta eu descobrir o que significam as siglas "pvnam" e "menvp"... Eheheh...

Nacional-liberalista disse...

Afonso, não sejas derrotista, se lá fores ver os comentários já estão a melhorar. Eu não tenho conta no Facebook, mas apelo a que todas as pessoas que tenham, todas as pessoas que sejam boas, leais ao país, lá comentem para fazer a balança de opinião tender para o lado do bem - ou seja, contra o "refugiadismo" e a favor da petição.


Quanto aos "humanistas" que por lá têm dado a mostrar o seu ódio aos portugueses, a Portugal, à Europa e aos criadores e assinantes da petição; e principalmente aqueles que, como a Hélia Veríssimo (que desejo honestamente que venha um dia a sofrer horrores às mãos de imigrantes muçulmanos) apelam à perseguição política dos europeus conscientes, só deverão servir para que no âmago de todo o bom português, leal ao seu país, cresça mais e mais a revolta e ressentimento contra aqueles que estão a destruir o Ocidente e os que, não tomando acções nesse sentido, apoiam contudo a sua destruição com palavras e sentimentos.

Afonso de Portugal disse...

«Afonso, não sejas derrotista»

Se eu fosse derrotista, não estava a pedir às pessoas para assinar. Eu estou a pedir porque acho que vale a pena, apesar de tudo. Mas é preciso deixarmo-nos de fantasias e percermos que grande parte do nosso povo é mesmo assim, favorável à destruição de Portugal.

Não digo isto para desanimar o pessoal Nacionalista, antes pelo contrário: digo-o porque temos de ter a perfeita consciência da agressividade do inimigo e estarmos preparados para não nos deixarmos intimidar.


«Eu não tenho conta no Facebook, mas apelo a que todas as pessoas que tenham, todas as pessoas que sejam boas, leais ao país, lá comentem para fazer a balança de opinião tender para o lado do bem»

Pois, o meu problema também é esse, não ter conta no Fuçaslivro (nem querer ter). Porque cada vez que vou ler os comentários à petição, até me ferve o sangue! Pensar que há pessoas que gostariam de me ver desempregado e desesperado só porque rejeito as suas convicções neomarxistas dá-me a volta ao estômago!


« (...) só deverão servir para que no âmago de todo o bom português, leal ao seu país, cresça mais e mais a revolta e ressentimento contra aqueles que estão a destruir o Ocidente»

A minha esperança também é essa. Aliás, eu penso que devemos encarar estes episódios como uma oportunidade de aumentar os apoiantes da nossa causa. A nós, Nacionalistas, resta-nos continuar a insitir na mensagem, apontando as graves consequências da islamização da Europa, já bem visíveis nalguns países.

PlanetaTerra disse...

Oi, estava a esquecer-me do meu primeiro blog:
'http://divisao--50--50.blogspot.pt/' o primeiro post foi em 21/6/2005.



O meu primeiro post na internet foi aqui:

forum clix
" S.O.S. SOBREVIVÊNCIA " - 08-02-2004 - 'P.S.O.S.'

Afonso de Portugal disse...

Ah, bem me parecia que havia mais qualquer coisa! Lembro-me de ver essa alcunha, "PlanetaTerra", no Gladius. Mas já não a usavas há muito tempo!


«o primeiro post foi em 21/6/2005.

Há já mais de 10 anos! Como o tempo passa!...

Anónimo disse...

É verdade que há pouca razoabilidade ou mesmo "cegueira" do povo português relativamente a esta e a outras questões, mas se estamos numa democracia (mesmo que com muitas falhas!) supostamente deveria haver liberdade de expressão, de pensamento e sobretudo respeito por quem pensa de maneira diferente de nós, desde que o faça apresentando argumentos para sustentar a sua posição!Ora, não é isto que se passa nesta questão dos "refugiados" e dos "migrantes", em que quem se atreve a criticar e a não concordar com o acolhimento dos mesmo, vê tal posição ser considerada um sacrilégio, uma heresia tal como nos tempos da Inquisição, sendo rotulado de fascista, nazi, racista, xenófobo ou outras designações com significado semelhante, o que é revoltante pois para qualquer pessoa minimamente equilibrada e patriota, mesmo que até não seja nacionalista, o futuro e o bem estar dos nossos, da nossa gente, tem que se sobrepôr sempre a quaisquer outros interesses sobretudo externos mesmo que sob pretexto de assistência solidária e humanitária, porque se fica bem e é muito bonito ser solidário, humanista e acolher aqueles que mais sofrem, que fogem de guerras, de perseguições como é o caso destes supostos "refugiados", não se pode meter a cabeça na areia ignorando os perigos e ameaças reais que esta invasão islâmica vai e já está a provocar na Europa, sob pena de poder ser tarde demais para a combater e reverter!Eu apesar de sempre ter sido patriota e de direita, fui sempre votando PSD, inclusivé em 2011, pois identificava-me com a social-democracia, mas depois destes 4 anos a desilusão é enorme e juntando a isso esta questão dos "refugiados" e dos "migrantes", seguramente não irei voltar a votar no PSD e votarei com toda a convicção pela primeira vez no PNR, que acredito ser a única opção possível para quem ama Portugal e quer que este país tenha futuro e continuidade, mantendo a sua matriz e identidade a todos os níveis!
Eu acredito firmemente que o Nacionalismo é o futuro e penso que esta crise dos "refugiados" e dos "migrantes" vai contribuir para isso mesmo que não seja de imediato ou tão depressa quanto desejável, mas o caminho faz-se caminhando e não há dúvida que este regime e os regimes políticos em geral a nível europeu já não correspondem aos anseios dos povos europeus e vão acabar por cair de podres, sendo o Nacionalismo a única solução para a sobrevivência da Europa e dos povos europeus!

Bruno

Afonso de Portugal disse...

«(...) sendo rotulado de fascista, nazi, racista, xenófobo ou outras designações com significado semelhante»

Mesmo eu, que ando nestas lides nacionalistas há já alguns anos, fiquei francamente impressionado com o teor extremamente agressivo e até totalitário dos comentários negativos. Uma vez mais ficou perfeitamente demonstrado -como se ainda houvesse dúvidas- quem é que é realmente intolerante.


«(...) o futuro e o bem estar dos nossos, da nossa gente, tem que se sobrepôr sempre a quaisquer outros interesses sobretudo externos mesmo que sob pretexto de assistência solidária e humanitária»

E isto é -ou pelo menos devia ser!- tão básico, tão fundamentalmente evidente para alguém que se importe minimamente com o futuro dos seus filhos, que não deveria ser sequer obejcto de discussão! O facto de já não haver consenso nem sequer em relação a esta questão é bem demonstrativo da tremenda lavagem cerebral a que foram submetidos os povos europeus!


«(...) fui sempre votando PSD, inclusive em 2011, pois identificava-me com a social-democracia, mas depois destes 4 anos a desilusão é enorme e juntando a isso esta questão dos "refugiados" e dos "migrantes", seguramente não irei voltar a votar no PSD e votarei com toda a convicção pela primeira vez no PNR»

Nesse caso, bem-vindo ao Nacionalismo, caro camarada (nós, nacionalistas, chamamo-nos camaradas no sentido de guerreiros, "camaradas de armas", não no sentido igualitário dos comunistas)! Eu não sou militante do PNR e não tenho ilusões quanto ao partido poder operar milagres, até porque a sua reduzida expressão eleitoral não deverá permitir eleger um deputado nos próximos anos.

Mas não há, em todo o especto político nacional, outro partido que se oponha á imigração de fronteiras escancaradas! Só mesmo o PNR!

E não te envergonhes do teu passado, há quem tenha feito bem pior: eu, por exemplo, votei no António Guterres em 1999 (quando penso nisso hoje até fico doente!) porque fui educado por um casal de socialistas e absorvi os seus valores. Até aos 21 anos, nem sequer sonhava em vir a tornar-me Nacionalista! Mas acabei por não ter escolha. Não se escolhe o nacionalismo, o Nacionalismo é simplesmente a única alternativa política para aqueles que amam o seu país, o seu povo e o seu modo de vida... e o querem preservar!

Obrigado pela tua valiosa participação, Bruno! Saudações nacionalistas!

Anónimo disse...

Não tens que agradecer, eu é que agradeço o trabalho meritório que desenvolves neste blogue e que vai servindo para abrir os olhos e despertar algumas consciências daqueles que sentem que é preciso mudar e transformar a realidade que nos rodeia, mas que ainda têm algum receio e hesitação em se assumirem como Nacionalistas e abraçar o Nacionalismo de forma convicta!Ao contrário de ti, eu apesar de tudo nunca fui capaz de votar em qualquer partido de esquerda porque nunca me identifiquei com a esquerda nem a nível de política económica nem a nível de valores ou costumes e é sobretudo a este último nível que se nota a ditadura, o totalitarismo da esquerda que sob a capa do progressismo e do politicamente correcto e coma cumplicidade da comunicação social, censura todos aqueles que têm posições contrárias sobre temas como a homossexualidade, aborto, imigração, etc.Mas há muita gente que vota por exemplo no PS e que sempre votou no PS, e que não defende nem concorda com as posições do partido nestas questões, como o caso dos meus avós que são muito conservadores, que acham aberrante coisas como a homossexualidade e afins, só que mesmo assim votam sempre nos mesmos!Apesar disso, é compreensível que tal aconteça por serem pessoas com muita idade, agora no caso de pessoas mais jovens e informadas ir votar sempre nos mesmos porque sim, porque não há alternativa ou simplesmente optar pela abstenção não faz qualquer sentido!
Como eu disse, sempre fui muito patriota e se calhar não era Nacionalista no sentido político do termo, pois não havia uma alternativa válida e coerente nesse campo político que não pecasse por ser demasiado radical e fundamentalista, apesar de eu sempre ter sido contra a imigração, sobretudo ilegal e vinda de países não-europeus, só que há uns anos atrás ainda não era possível imaginar que esta questão iria ganhar a dimensão e importância que tem vindo a ganhar na Europa, daí eu achar que esta crise migratória possa ser um "mal que vem por bem" no sentido de ser o rastilho que permitirá detonar as consciências adormecidas na Europa e acabar de vez com a hipocrisia do politicamente correcto!

Bruno

Afonso de Portugal disse...

«(...) acham aberrante coisas como a homossexualidade e afins, só que mesmo assim votam sempre nos mesmos!»

Eu também conheço vários casos desses... or exemplo, tenho uns familiares no Minho que tiveram uns problemas com uns ciganos da Roménia há alguns anos. Mas quando lhes falei no PNR, ficaram escandalizados!

Eles: "Credo, votar em nazis?"

Eu: "Não, eles não são nazis, muitos deles são salazaristas!"

Eles: "Nem pensar, o fascismo deu cabo deste país!"

Eu: "Mas se vocês continuarem a votar sempre nos mesmos, não podem aspirar a mudanças substantivas, sobretudo no que respeita à imigração! Entendam uma coisa, só mesmo o PNR é que se opõe à imigração! Nem mesmo o CDS do Portas se opõe!"

Eles: "Esquece lá isso, jamais votarei nessa gente e é uma desilusão ver-te aderir a essas ideias assassinas!"

Enfim, infelizmente algumas pessoas têm mesmo de sofrer muito na pele para perceber o óbvio. Resta-nos ir convencendo os mais razoáveis...


«(...) daí eu achar que esta crise migratória possa ser um "mal que vem por bem" no sentido de ser o rastilho que permitirá detonar as consciências adormecidas na Europa e acabar de vez com a hipocrisia do politicamente correcto!»

Espero bem que sim, porque a Europa tem um problema muito grave que nunca teve antes em toda a sua história: taxas de natalidade baixíssimas! Se a iminvasão não acordar os europeus nos próximos anos, poderemos não vir a ter outra oportunidade para que tal aconteça, porque a pressão demográfica dos invasores já não poderá ser contra-balançada!

Resta-nos manter a esperança e continuar a luta, mas o tempo está manifestamente contra nós!...

Lura do Grilo disse...

Fica francamente inconveniente chamar nazi a quem não apoia a chegada desta gente sem qualquer controlo de identidade. Dar abrigo temporário a verdadeiros refugiados de guerra parece-me razoável, dar abrigo a todas as pessoas que aparecem "perdendo" papéis parece-me suicida: estamos a importar os problemas que os colocaram nessa situação.

Chamar nazi é infeliz pois Hitler sempre manifestou grande admiração pela religião muçulmana, teve 110000 soldados muçulmanos ao serviço, perseguiu e massacrou judeus e tal não é o objectivo da petição.

Empregar as ameaças que podemos ler a quem subscreveu ou promoveu a petição são, essas sim, as práticas nazis: prender, deportar, expulsar e ostracizar quem como eles não pensa.

Afonso de Portugal disse...

Excelente comentário, caro Lura do Grilo! É isso mesmo, sem tirar nem pôr. Mas a estratégia da esquerda tem sido esta, pelo menos desde os anos 60: associar toda e qualquer forma de oposição à imigração ao nazismo, para assim tentar fazer passar aqueles que querem preservar o seu país e a sua cultura -para não mencionar a sua liberdade!- por adeptos da "solução final"!

E a verdade é que vão conseguindo, porque o seu jogo é útil a todo os espectro político, da direita ultra-capitalista até à esquerda mais comunista, religiões incluídas.

No caso dos muçulmanos, criaram até esta palavra profundamente desonesta, "islamofobia", como se temer o Islão tivesse alguma coisa de irracional! Note-se como nunca ouvimos esta gente falar em "cristofobia", apesar de morrerem muito mais cristãos no Médio Oriente do que muçulmanos no Ocidente!