sábado, 15 de agosto de 2015

"Trabalhadora humanitária" repetidamente violada e torturada pelo próprio líder do ISIS


Se querem que vos diga a verdade, não consigo ter grande pena dela, nem de nenhum dos "trabalhadores humanitários" que vão ajudar povos que nos odeiam visceralmente.

Há muita gente que precisa de ajuda no Ocidente. Na Grécia, em Portugal, em Espanha... até na Alemanha e nos EUA! Quem quer ser "humanitário" não precisa de ir para o Cú de Judas lamber as feridas dos adeptos do credo do profeta pedófilo!

E pouco me importa que quem leia isto pense mal de mim... em rigor, é um favor que me fazem porque já não tenho paciência tanta hipocrisia: estou farto, realmente FARTO da caridadezinha nojenta à la Madre Teresa de Calcutá que apenas se preocupa em salvar desgraçados sem nunca, mas NUNCA apontar o dedo aos responsáveis pela sua desgraça!

4 comentários:

Anónimo disse...

Penso o mesmo.- Sr. Hamsun.

Afonso de Portugal disse...

Infelizmente, os "humanitaristas" não vão deixar de ir para lá tão cedo...

FireHead disse...

Eu cá acho que são acontecimentos destes que fazem com que haja sempre pessoas a quererem ir para lá dar numa de humanitários...

Afonso de Portugal disse...

Então os humanitários são no fundo masoquistas?