terça-feira, 18 de agosto de 2015

Suécia, o Paraíso na Terra segundo o Al-Público, é um dos países com mais violações do mundo!


Via Gladius

«Quarenta anos depois do parlamento sueco ter decidido, por unanimidade, mudar a homogénea Suécia de outrora para um país multicultural, os crimes violentos tiveram um crescimento de 300% e os estupros de 700%. A Suécia já está em segundo lugar em estupros, perdendo apenas para o Lesoto no sul da África. 

Num impressionante número de casos os tribunais suecos demonstraram compaixão pelos violadores, absolvendo suspeitos que alegavam que a menina queria ter sexo com seis, sete ou oito homens. 

A estação de rádio da Internet Granskning Sverige perguntou aos importantes jornais Aftonposten e Expressen porque é que eles descreveram os criminosos como "suecos" quando na verdade eram somalis sem cidadania sueca. Ficaram muito ofendidos quando questionados se sentiam alguma responsabilidade de avisar as mulheres suecas para ficarem longe de determinados homens. O jornalista perguntou porque é que isso deveria ser responsabilidade deles. 

Em 1975 o parlamento sueco decidiu, por unanimidade, mudar a homogenia da Suécia de outrora para um país multicultural. Após quarenta anos, as dramáticas consequências desta experiência estão à vista: os crimes violentos aumentaram 300%.

Se examinarmos os números de estupros, o aumento é ainda pior. Em 1975 foram prestadas queixas à polícia de 421 estupros, em 2014 foram 6620. Um aumento de 1472%!

A Suécia já está em segundo lugar na lista global de violações. De acordo com um levantamento de 2010, a Suécia, com 53,2 estupros por 100.000 habitantes, perde apenas para o minúsculo Lesoto no sul da África com 91,6 estupros por 100.000 habitantes.

Incidência de estupros por 100.000 habitantes, comparação por país (seleccionados países no topo e na base), estatística de 2012 do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes. (imagem: Wikimedia Commons) 

De acordo com os números publicados pelo Conselho Nacional Sueco de Prevenção ao Crime (Brottsförebyggande rådet, conhecido como Brå), agência subordinada ao Ministério da Justiça, 29.000 suecas, em 2011, relataram que foram estupradas (o que indica que são prestadas queixas à polícia em menos de 25% dos casos).

Em vez de tomar providências em relação ao problema da violência e do estupro, os políticos suecos, autoridades e a média fazem o possível para racionalizar os factos. Seguem algumas dessas explicações:
  • os suecos estão mais inclinados a denunciar crimes.
  • a lei mudou, de modo que mais crimes sexuais são agora considerados estupro.
  • os suecos não estão conseguindo lidar com o aumento da equidade dos sexos e reagem com violência contra as mulheres (talvez a mais fantasiosa de todas as justificativas).
Um mito feminista de longa data é que o lugar mais perigoso para uma mulher é a sua própria casa, onde a maioria dos estupros são cometidos por algum conhecido. Essa alegação foi refutada pelo relatório do Brå: "em 58% dos casos o criminoso era totalmente desconhecido da vítima. Em 29% dos casos o criminoso era conhecido e em 13% dos casos o criminoso era próximo da vítima".

O Brå relata que não há diferença significativa entre mulheres com background sueco ou estrangeiro quando se trata do risco de ser violada. Chama a atenção o facto de o relatório não tocar na questão do background dos estupradores.

Nos idos de 1975, o ano em que os políticos decidiram que a Suécia deveria tornar-se multicultural, a população sueca era de 8.208.442 habitantes. Em 2014 aumentou para 9.743.087, um crescimento de 18,7%. O crescimento deve-se exclusivamente à imigração já que as suecas dão a luz a 1,92 filhos comparado à média de 2,24 das imigrantes. Contudo é necessário ter em mente que, nas estatísticas, os imigrantes da segunda geração são considerados suecos. 

O recente crescimento da população sueca não tem paralelo. Nunca antes na história do país o número de habitantes cresceu com tanta rapidez. A Suécia é actualmente o país com o crescimento mais rápido da Europa

Nos últimos 10 a 15 anos, a maioria dos imigrantes veio de países muçulmanos como o Iraque, Síria e Somália. Será que esse enorme ingresso de imigrantes pode explicar a explosão dos casos de estupro na Suécia? É difícil dar uma resposta precisa porque a legislação sueca proíbe registo com base na religião ou nos ancestrais. Uma explicação plausível é que, em média, os povos do Médio Oriente vêem a mulher e o sexo de maneira totalmente diferente da dos escandinavos. E apesar do esforço do establishment sueco em convencer a população de que todos aqueles que aportam em solo sueco tornam-se exactamente iguais àqueles que estão aqui por dezenas de gerações, os factos apontam para uma direcção completamente diferente. 

O último levantamento estatístico sobre a criminalidade dos imigrantes comparado com o dos suecos foi realizado em 2005. Os resultados não são quase nunca citados. Como se isso não bastasse, qualquer um que ousar falar desses resultados, como por exemplo nas redes sociais, é implacavelmente atacado. 

Michael Hess, político do Partido Democrata Sueco, incentivou jornalistas suecos a familiarizarem-se com o ponto de vista do Islão em relação às mulheres, com relação aos estupros que ocorreram na Praça Tahrir no Cairo durante a "Primavera Árabe". Hess diz o seguinte: "quando é que vocês jornalistas irão entender que está profundamente enraizado na cultura islâmica estuprar e maltratar mulheres que se recusam a respeitar os ensinamentos islâmicos. Há uma forte ligação entre estupros na Suécia e o número de imigrantes de países do Médio Oriente e Norte da África (MENA em inglês)".

Essa observação fez com que Michael Hess fosse acusado de "denegrir grupos étnicos" (hets mot folkgrupp), o que é considerado crime na Suécia. Em Maio do ano passado foi condenado, mas teve a pena de prisão e multa suspensa, a suspensão deu-se devido ao facto de ele não ter nenhuma condenação anterior. Houve um recurso contra o veredicto em um tribunal superior.

Por muitos anos Michael Hess morou em países muçulmanos, está bem familiarizado com o Islão e como o Islão vê as mulheres. No seu julgamento apresentou provas de como a lei da Chária lida com a violação e estatísticas indicando que os muçulmanos estão sobre-representados entre os estupradores na Suécia. Mas o tribunal decidiu que factos não são relevantes:

"O Tribunal (Tingsrätten) observa que o facto do pronunciamento de Michael Hess corresponder à verdade ou não, ou parecer ser verdade para Michael Hess, não tem importância nesse caso. A declaração de Michael Hess deve ser julgada com base no timing e contexto. ... Na época do delito, Michael Hess não citou nenhum levantamento reconhecido nem fontes islâmicas. Foi somente por conta de seu indiciamento que Michael Hess tentou encontrar sustentação em pesquisas e escritos religiosos. Por esta razão, segundo o tribunal, o pronunciamento de Michael Hess obviamente não fez parte de uma exposição equilibrada (saklig) ou digna de confiança (vederhäftig). O pronunciamento de Michael Hess deve, portanto, ser visto como uma forma de desprezo em relação aos imigrantes de fé islâmica".

O que se pode concluir das estatísticas disponíveis? Como parte das provas apresentadas no tribunal por Michael Hess, ele fez uso de todas as estatísticas ao seu dispor sobre a criminalidade de imigrantes na Suécia antes que as autoridades responsáveis pelas estatísticas parassem com as avaliações. Michael Hess tentou encontrar respostas para duas perguntas:
  1. Há alguma relação entre a incidência de estupros e o número de pessoas com background estrangeiro na Suécia?
  2. Há alguma relação entre a incidência de estupros e algum grupo específico de imigrantes na Suécia? 
A resposta às duas perguntas foi um inequívoco "sim". Vinte e um relatórios de pesquisas dos anos de 1960 até hoje são unânimes nas suas conclusões: não importa se o cálculo foi realizado levando em conta o número de violadores ou suspeitos de violação, homens de descendência estrangeira foram sobre-representados em relação aos suecos. E essa maior representação daqueles com background estrangeiro continua aumentando:
  • 1960 aos anos de 1970 – 1,2 a 2,6 vezes mais que os suecos
  • Anos de 1980 – 2,1 a 4,7 vezes mais que os suecos
  • Anos de 1990 – 2,1 a 8,1 vezes mais que os suecos
  • Anos 2000 – 2,1 a 19,5 vezes mais que os suecos
Ainda que fossem ajustados quanto às variáveis como idade, sexo, posição social e residência, a enorme discrepância entre imigrantes e suecos mantêm-se.

Relatórios de pesquisas sobre crimes na Suécia se tornaram-se uma raridade, mas nos dezoito relatórios feitos entre os anos de 1990 e os anos 2000, onze lidaram com estupro. Dois dos relatórios tratam da relação entre estupro e imigração e ambos confirmam que há uma ligação. Os dados estão disponíveis para as autoridades, políticos e imprensa, ainda assim eles insistem que os dados não reflectem a realidade.

Como explicar então que em 2008, a Dinamarca, vizinha da Suécia tinha apenas 7,3 estupros por 100.000 habitantes comparado com 53,2 na Suécia?

A legislação dinamarquesa não difere muito da sueca e não há nenhum motivo aparente do porquê das dinamarquesas estarem menos dispostas a prestarem queixa do que as suecas. Em 2011, foram prestadas queixas à polícia de 6.509 estupros e apenas 392 na Dinamarca. A população da Dinamarca é cerca da metade da sueca, de modo que, ainda que fosse ajustada à da sueca a discrepância continuaria sendo considerável.

Na Suécia as autoridades fazem de tudo para esconder a origem dos estupradores. Na Dinamarca, o departamento oficial de estatística do estado, Estatística da Dinamarca, revelou que em 2010 mais da metade dos estupradores condenados tinham background de imigrantes.

Desde 2000 apareceu somente um relatório de pesquisa sobre crimes de imigrantes. O relatório foi realizado em 2006 por Ann-Christine Hjelm da Universidade de Karlstads. Constatou-se que em 2002, 85% dos sentenciados a pelo menos dois anos de prisão por estupro em Svea Hovrätt, um tribunal de recursos, eram estrangeiros de nascença ou segunda geração de imigrantes.

Num relatório de 1996 do Conselho Nacional Sueco de Prevenção ao Crime concluiu que os imigrantes do norte da África (Argélia, Líbia, Marrocos e Tunísia) são 23 vezes mais propensos a cometerem estupro do que os homens suecos. Os dados sobre homens do Iraque, Bulgária e Roménia são respectivamente, 20, 18 e 18. Homens do resto da África são 16 vezes mais propensos a cometerem estupro, e homens do Irão, Peru, Equador e Bolívia, 10 vezes mais propensos do que os homens suecos.

Uma nova tendência chegou à Suécia com força total nas últimas décadas: estupro colectivo, virtualmente desconhecido na história criminal sueca. O número de estupros colectivos aumentou de maneira espectacular entre 1995 e 2006. Desde então não houve mais estudos sobre esse assunto.

Um dos piores casos ocorreu em 2012, quando uma mulher de 30 anos foi estuprada por oito homens num projecto habitacional para requerentes de asilo na pequena cidade de Mariannelund. A mulher era conhecida de um homem do Afeganistão que morou na Suécia por alguns anos. Convidou-a a sair. Ela aceitou. O afegão levou-a a um conjunto habitacional para refugiados deixando-a lá totalmente indefesa. Durante a noite ela foi estuprada repetidamente pelos requerentes de asilo e quando o seu "amigo" voltou também a estuprou. Na manhã seguinte ela conseguiu chamar a polícia. O Promotor Público da Suécia classificou o incidente como o "pior crime de estupro da história criminal sueca".

Sete dos acusados foram sentenciados de 4,5 a 6,5 anos na prisão. O cumprimento da pena normalmente é reduzido por um terço do tempo, de modo que logo eles estarão prontos para novos ataques, presumivelmente contra mulheres infiéis.

Em casos de estupro colectivo tanto os acusados quanto as vítimas são, com muita frequência, jovens e quase sempre os criminosos têm background de imigrantes, na maioria dos casos de países muçulmanos.

Um incidente memorável ocorreu em 2013 no subúrbio de Tensta em Estocolmo. Uma menina de 15 anos ficou trancada enquanto seis homens de descendência estrangeira mantinham relações sexuais com ela. O Tribunal de Primeira Instância condenou os seis acusados, porém o tribunal de recursos absolveu-os porque não houve violência e também porque a corte entendeu que a menina "não estava numa situação em que não podia defender-se". No mês corrente os grandes média suecos relataram um violento estupro colectivo na balsa finlandesa Amorella, na travessia entre Estocolmo e Åbo na Finlândia. Manchetes com letras garrafais diziam aos leitores que os criminosos eram suecos:
  • "vários Homens Suecos são Suspeitos de Estupro na Balsa da Finlândia " (Dagens Nyheter).
  • "Seis Homens Suecos Estupraram uma Mulher em uma Cabana " (Aftonbladet).
  • "Seis Suecos Presos por Estupro em uma Balsa " (Expressen).
  • "Oito Suecos Suspeitos de Estupro em uma Balsa " (TT – the Swedish News Agency).
Observando com mais atenção, ficou evidente que sete dos oito suspeitos eram somalis e o outro iraquiano. Nenhum deles tinha a cidadania sueca, de modo que nem sob esse aspecto eram suecos. Segundo testemunhas o grupo estava na balsa a procura de sexo. A polícia libertou quatro deles (mas ainda são suspeitos) enquanto os demais (todos somalis) continuam presos. 

A estação de rádio da Internet Granskning Sverige perguntou ao importante jornal Expressen porque é que eles descreveram os criminosos como "suecos" quando na verdade eram somalis. Isso é irrelevante, disseram os jornalistas.

"Se as mulheres soubessem talvez pudessem ter ficado longe desses homens e evitado o estupro", disse o repórter do Granskning Sverige. Foi quando o jornalista imediatamente desligou o telefone.

Ingrid Carlqvist e Lars Hedegaard são redatores-chefe do Dispatch International.»

------------------------------------------------------------------------
Fonte: http://pt.gatestoneinstitute.org/5336/suecia-estupros

Comentário do blogueiro Caturo: «Isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, fiquei com isto na cabeça, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, isso é irrelevante, e mais isto agora a martelar «o jornalista perguntou porque é que isso deveria ser responsabilidade deles», «o jornalista perguntou porque é que isso deveria ser responsabilidade deles»,«o< jornalista perguntou porque é que isso deveria ser responsabilidade deles»,«o< jornalista perguntou porque é que isso deveria ser responsabilidade deles»,«o jornalista perguntou porque é que isso deveria ser responsabilidade deles».

Agora um antigo jornalista cá do burgo: «o drama, a tragédia, o horror». E o nojo, o asco absoluto, o escarro volumoso, o registo para o futuro, porque isto um dia paga-se. E nessa altura não adiantará evocar que a sua «religião» era a da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente, e que foi educado assim e coisa e tal, porque a profunda indignidade aqui atestada não tem desculpa, nem mesmo evocando o Santíssimo Dogma Da Culpa Europeia Que Justifica Dar Sempre A Outra Face Ao Agressor Alógeno Aconteça O Que Acontecer, muito menos o Ideal Supremo Da Miscigenação Final De Modo A Acabar Com Todas As Fronteiras E Por Isso Justificando O Sacrifício Dos Actuais Europeus No Altar Do Multiculturalismo. Crimes morais destes pagam-se e acabou.»

____________
Ver também:

Uma em cada quatro mulheres suecas será violada
Na Suécia: jovem relata como foi violada por iminvasores
Ingrid Carlqvist: sou sueca, mas vivo no "Absurdistão
O fabuloso destino da jovem sueca "progressista" Elin Krantz
ONU avisa: Suécia poderá ficar como o terceiro-mundo
Refugiada bósnia na Suécia: "Aquilo de que fugi em 1992 está a chegar aqui!"
Pat Condell: "A Suécia enlouquece"
Pat Condell: "Adeus, Suécia!"
Imagens da Suécia multicultural
Norueguesa suicida-se depois de ter sido violada por dois negros muçulmanos
Mais uma jovem europeia violada por adeptos da "religião da paz"...
Mais um gangue pedófilo islâmico no Reino Unido...
No Reino Unido, mais um caso de gangues sexuais islâmicos
Finalmente noticiada na imprensa portuguesa a pedofilia cometida no RU contra crianças brancas
Pat Condell sobre o caso dos gangues pedófilos islâmicos de Rotherham
Ainda sobre o caso de Rotherham...
Ainda sobre o caso de Rotherham... (2)
A realidade dos gangues islâmicos pedófilos no Reino Unido
Relatório sobre os gangues pedófilos islâmicos no Reino Unido
Nick Griffin entrevista a mãe de uma vítima de violação cometida por alógenos
"Trabalhadora humanitária" repetidamente violada e torturada pelo próprio líder do ISIS

8 comentários:

Lura do Grilo disse...

Quanto tempo mais se poderá aguentar esta diferença entre a realidade e o discurso?

Afonso de Portugal disse...

Não sei, mas quanto mais tempo for, pior será para todos nós, europeus!...

A propósito, saíu há uns dias uma sondagem segundo a qual os Democratas Suecos ganhariam as eleições se elas se realizassem hoje. Parece que o "incidente" do IKEA caiu muito mal entre os suecos (já era hora de alguma coisa lhes cair mal!).

No entanto, o povo tende a esquecer-se facilmente das injustiças que sofre... e até às próximas eleições é bem provável que os SD voltem a perder fulgor.

alien13 disse...


IRMANDADE MUÇULMANA...

TODOS OS MUÇULMANOS PRECISAM SER EXPATRIADOS DA EUROPA E DE TODOS OS PAÍSES CIVILIZADOS, PARA O ORIENTE MÉDIO!

ENQUANTO NÃO SAÍREM, DEVERÃO SER CONFINADOS EM CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, ONDE PODERÃO COLOCAR NO PORTÃO DE ENTRADA: "EURÁBIA", COMO SONHAVAM.

A realidade que poucos conhecem:

A SUPREMA CORTE DA ESPANHA revogou a lei que proibia o uso de véu, e os devidos trajes das muçulmanas, porque recebeu ameaças da IRMANDADE MUÇULMANA!!!

Obs.: Essa IRMANDADE MUÇULMANA, está infiltrada em todos os países europeus, incluindo Austrália, Canadá, e a Ásia.

Dessa maneira, todos os MOVIMENTOS contra os islamitas na Europa, e em todos os países civilizados, são logo silenciados, porque as Organizações recebem ameaças de morte, da IRMANDADE, nas quais incluem os familiares.

É terrorismo oculto, feito através do TELEFONE.

E, também, sob ameaça de morte, forçam as pessoas que se convertam ao islamismo.

Os muçulmanos se impõem no mundo, através de ameaças de mortes, bombas, assim como homens-bomba ou incêndios provocados, seja numa residência ou instituição pública, como foi o caso da Suprema Corte da Espanha.

Nota: o Papa Bento XVI, foi obrigado a abandonar o papado, porque em mais de 50 (cinqüenta) idiomas, transmitido ao mundo inteiro, falou algumas verdades sobre a maldita SEITA PEDOFÍLICA, denominada Islamismo. E o Vaticano seria impludido pelos muçulmanos, se ele permanecesse no papado. Assim, o Papa Francisco, assumiu o papado, e teve que se humilhar, por exigência dos muçulmanos, em lavar os pés de uma muçulmana, que odeia os cristãos, e ainda teve que beijar os pés dessa maldita.

A realidade: o Papa Franciso é o fantoche dos muçulmanos e nem teve autorização em usar o nome de Francisco I, como seria o correto, por exigência dos islamitas!!!

Apenas um exemplo do que os malditos islamitas fazem no Ocidente: é o caso do político holandês, que quer livrar seu país dos islamitas, e tem todos os motivos, e devido a isso, tem que andar com seguranças, usar carro blindado, para não ser assassinado pelos muçulmanos, em seu próprio país!

Ainda, os islamitas pertencem a uma SEITA PEDOFÍLICA E POLÍTICA, denominada islamismo, que se intitula religião, sem o ser, na qual a pedofilia é legalizada por lei do ISLÃ.

Em razão disso, se acham no direito de estuprar nossas crianças, podendo levá-las à morte, por hemorragia interna, e se sobreviverem, ficarão traumatizadas para o resto de suas vidas.

Uma coisa é certa, eles também tem família, como nós!!!

Então, vamos aplicar nos muçulmanos, a Lei de Talião:

'OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE'.

Assim, não poderão mais nos intimidar com ameaças, porque saberão que haverá o troco!!!

No Oriente Médio, matam, estupram e mutilam cristãos e membros de outras religiões.

Por que temos que os tolerar na Europa e em outros países civilizados, se eles nos odeiam e matam?

VAMOS DAR UM BASTA!!! NÃO VAMOS CONTINUAR RECEBENDO ORDENS PARA RETIRARMOS OS CRUCIFIXOS DAS IGREJAS, AS ÁRVORES DE NATAL DAS RUAS E ASSIM POR DIANTE. E AINDA SERMOS AMEAÇADOS DE MORTE, ASSASSINADOS OU DEIXAR NOSSAS MENINAS SEREM ESTUPRADAS PELOS PEDÓFILOS MUÇULMANOS, EM NOSSOS PRÓPRIOS PAÍSES, ONDE OS MUÇULMANOS SÃO INTRUSOS!!!

E, viva a ISLAMOFOBIA, que varrerá do mundo, a chaga da humanidade: o islamismo e suas perversões sexuais: a pedofilia

Obs.: os muçulmanos sempre envolvem os judeus nas descriminações, sendo que os judeus nunca foram taxados como assassinos, estupradores ou terroristas. É uma jogada maquiavélica dos islamitas, tentando espalhar o anti-semitismo (Neonazismo) pelo mundo, com intenção de enfraquecer a ISLAMOFOBIA.

alien13 disse...



ISLAMOFOBIA...

TODOS OS MUÇULMANOS PRECISAM SER EXPATRIADOS DA EUROPA E DE TODOS OS PAÍSES CIVILIZADOS, PARA O ORIENTE MÉDIO!

ENQUANTO NÃO SAIREM, DEVERÃO SER CONFINADOS EM CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, ONDE PODERÃO COLOCAR NO PORTÃO DE ENTRADA: "EURÁBIA", COMO SONHAVAM.

Antes de mais nada, ISLAMISMO NÃO É RELIGIÃO, mas, é uma SEITA PEDOFÍLICA E POLÍTICA, na qual a pedofilia é legalizada por lei do ISLÃ.

A realidade: os cristãos ou membros de outras religiões não enviam assassinos para matar no Oriente Médio, porém, os muçulmanos enviam suas facções Terroristas, sob o pretexto que são "Fundamentalistas Islâmicos", para matar no Ocidente.
Muçulmanos recolhem dízimos nas Mesquitas, para o Terrorismo, então são cúmplices.

No Oriente Médio, constantemente, estupram, mutilam e matam cristãos e membros de outras religiões.

Por que então, temos que os tolerar na Europa e em outros países civilizados, se eles nos odeiam e matam?

Os islamitas seguem, rigorosamente, o que está escrito no CORÃO (escrito pelo pedófilo Maomé, que chamam de Profeta), por esse motivo a PEDOFILIA é legalizada pela lei do ISLÃ.

Também, nesse livro satânico que chamam de sagrado, o CORÃO, está escrito que todos têm que serem convertidos ao islamismo ou assassinados, de acordo com a tal "Guerra Santa", que de santa não tem nada.

Nos noticiários, poderemos saber das atrocidades que praticam nas indefesas aldeias e pequenas cidades da África: estupram suas meninas e jovens, e matam todos os homens, para que não mais procriem: os "Cães Infiéis, ao Maomé" (como chamam todos que não são muçulmanos). Em seguida obrigam suas vítimas a colocar o véu, e as transformam em muçulmanas, contra a vontade delas.

Depois alegam, descaradamente, que islamismo é a "religião" que mais cresce no mundo.

Entre outras perversidades: estupros de mais de seiscentas meninas e adolescentes, obviamente virgens, como foi amplamente divulgado na Itália. Na Inglaterra estupraram centenas de meninas, também amplamente divulgado. Assim como em todos os países europeus, onde estão infiltrados, acontece a mesma coisa.

Ainda, picham todas as Igrejas nos países europeus, que os acolheram, onde podemos observar que apenas as Mesquitas não estão pichadas. Se fosse obra de pichadores, as Mesquitas também estariam.

Depois reclamam da ISLAMOFOBIA?

E, viva a ISLAMOFOBIA, que varrerá do mundo, a chaga da humanidade, o islamismo, e suas perversões sexuais: a pedofilia

alien13 disse...


IRMANDADE MUÇULMANA...

TODOS OS MUÇULMANOS PRECISAM SER EXPATRIADOS DA EUROPA E DE TODOS OS PAÍSES CIVILIZADOS, PARA O ORIENTE MÉDIO!

ENQUANTO NÃO SAÍREM, DEVERÃO SER CONFINADOS EM CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, ONDE PODERÃO COLOCAR NO PORTÃO DE ENTRADA: "EURÁBIA", COMO SONHAVAM.

A realidade que poucos conhecem:

A SUPREMA CORTE DA ESPANHA revogou a lei que proibia o uso de véu, e os devidos trajes das muçulmanas, porque recebeu ameaças da IRMANDADE MUÇULMANA!!!

Obs.: Essa IRMANDADE MUÇULMANA, está infiltrada em todos os países europeus, incluindo Austrália, Canadá, e a Ásia.

Dessa maneira, todos os MOVIMENTOS contra os islamitas na Europa, e em todos os países civilizados, são logo silenciados, porque as Organizações recebem ameaças de morte, da IRMANDADE, nas quais incluem os familiares.

É terrorismo oculto, feito através do TELEFONE.

E, também, sob ameaça de morte, forçam as pessoas que se convertam ao islamismo.

Os muçulmanos se impõem no mundo, através de ameaças de mortes, bombas, assim como homens-bomba ou incêndios provocados, seja numa residência ou instituição pública, como foi o caso da Suprema Corte da Espanha.

Nota: o Papa Bento XVI, foi obrigado a abandonar o papado, porque em mais de 50 (cinqüenta) idiomas, transmitido ao mundo inteiro, falou algumas verdades sobre a maldita SEITA PEDOFÍLICA, denominada Islamismo. E o Vaticano seria impludido pelos muçulmanos, se ele permanecesse no papado. Assim, o Papa Francisco, assumiu o papado, e teve que se humilhar, por exigência dos muçulmanos, em lavar os pés de uma muçulmana, que odeia os cristãos, e ainda teve que beijar os pés dessa maldita.

A realidade: o Papa Franciso é o fantoche dos muçulmanos e nem teve autorização em usar o nome de Francisco I, como seria o correto, por exigência dos islamitas!!!

Apenas um exemplo do que os malditos islamitas fazem no Ocidente: é o caso do político holandês, que quer livrar seu país dos islamitas, e tem todos os motivos, e devido a isso, tem que andar com seguranças, usar carro blindado, para não ser assassinado pelos muçulmanos, em seu próprio país!

Ainda, os islamitas pertencem a uma SEITA PEDOFÍLICA E POLÍTICA, denominada islamismo, que se intitula religião, sem o ser, na qual a pedofilia é legalizada por lei do ISLÃ.

Em razão disso, se acham no direito de estuprar nossas crianças, podendo levá-las à morte, por hemorragia interna, e se sobreviverem, ficarão traumatizadas para o resto de suas vidas.

Uma coisa é certa, eles também tem família, como nós!!!

Então, vamos aplicar nos muçulmanos, a Lei de Talião:

'OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE'.

Assim, não poderão mais nos intimidar com ameaças, porque saberão que haverá o troco!!!

No Oriente Médio, matam, estupram e mutilam cristãos e membros de outras religiões.

Por que temos que os tolerar na Europa e em outros países civilizados, se eles nos odeiam e matam?

VAMOS DAR UM BASTA!!! NÃO VAMOS CONTINUAR RECEBENDO ORDENS PARA RETIRARMOS OS CRUCIFIXOS DAS IGREJAS, AS ÁRVORES DE NATAL DAS RUAS E ASSIM POR DIANTE. E AINDA SERMOS AMEAÇADOS DE MORTE, ASSASSINADOS OU DEIXAR NOSSAS MENINAS SEREM ESTUPRADAS PELOS PEDÓFILOS MUÇULMANOS, EM NOSSOS PRÓPRIOS PAÍSES, ONDE OS MUÇULMANOS SÃO INTRUSOS!!!

E, viva a ISLAMOFOBIA, que varrerá do mundo, a chaga da humanidade: o islamismo e suas perversões sexuais: a pedofilia

Obs.: os muçulmanos sempre envolvem os judeus nas descriminações, sendo que os judeus nunca foram taxados como assassinos, estupradores ou terroristas. É uma jogada maquiavélica dos islamitas, tentando espalhar o anti-semitismo (Neonazismo) pelo mundo, com intenção de enfraquecer a ISLAMOFOBIA.

alien13 disse...



NOVA ORDEM MUNDIAL

A NOVA ORDEM MUNDIAL (GOVERNO MUNDIAL) ficará sob a coligação EURO-ASIÁTICA (Rússia & China), e qualquer esperança que os muçulmanos tinham em dominar o mundo inteiro, e impor sua SEITA PEDOFILICA E POLÍTICA, na qual a pedofilia é legalizada por lei do Islã, chamada islamismo, que chamam de religião, sem ser, está com os dias contados.
CHINA já está dominando o mundo inteiro. Na Europa, estão distribuídos conforme o número de habitantes dos países, em que vivem, quase matemticamente: 30% de chineses e coreanos, inclusive na Austrália e Canadá.
Esse povo inteligente, trabalhador e disciplinado, é o único que tem condições psicológicas e ética moral, em colocar ordem no planeta Terra.
CHINA, é a Primeira Economia Mundial, desde 2011.
E como eles mesmo declararam: VOCÊS NÃO PODEM NOS DETER !!!
Palavras que demonstram segurança e não apenas esperança.
CHINA é o único país que tem míssil invisível ao radar, podendo ser lançado para qualquer país do mundo, em minutos, sem ser interceptado.
Finalizando: O ANTICRISTO (vidência), que todos pensavam que seria um homem, se enganaram, porque, sempre ambiciosos e megalomaníacos, cada político em destaque, sonhava em ser ” o escolhido” , e nunca lhes passou pela mente que poderia ser uma nação: OS CHINESES

Nota: Na China predomina o ateísmo, que não é religião, mas uma convicção.

Observação: Esse GOVERNO MUNDIAL será instalado, ainda nessa década

alien13 disse...



ANDERS DA NORUEGA...

TODOS OS MUÇULMANOS PRECISAM SER EXPATRIADOS DA EUROPA E DE TODOS OS PAÍSES CIVILIZADOS, PARA O ORIENTE MÉDIO!

ENQUANTO NÃO SAIREM, DEVERÃO SER CONFINADOS EM CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, ONDE PODERÃO COLOCAR NO PORTÃO DE ENTRADA: "EURÁBIA", COMO SONHAVAM.

As verdades que não devemos esquecer:

ANDERS BEHRING BREIVIK da Noruega não é um assassino, é um idealista, assim como foi Che Guevara e outros, que arriscaram suas vidas e liberdade, em prol da humanidade. E. como o próprio Anders da Noruega declarou: "foi cruel, mas necessário". Com seu ato, ao eliminar os islamitas e seus simpatizantes, ele teve a intenção em alertar o mundo sobre os perigosos muçulmanos, que se infiltram na Europa e em outros países civilizados, sob qualquer pretexto, e na primeira oportunidade fazem terrorismo nos países que os acolheram.

Exemplos: na França, queimam as propriedades dos ocidentais, sob qualquer pretexto, e contratam desocupados para fazerem o “serviço”, em conjunto, para não serem incriminados. E, onde podemos observar que todas as Igreja estão pichadas, e apenas as Mesquitas não estão. Se fosse obra de pichadores, as Mesquitas também estariam.

Na Rússia, mataram dezenas de crianças numa escola, mas ali não puderam negar a autoria.

Na Itália, apenas oito islamitas, em poucos meses, estupraram mais de 600 (seiscentas) meninas de 12 a16 anos de idade, obviamente virgens, o que foi amplamente divulgado.

Na Inglaterra incendiaram várias cidades inglesas, somente porque um islamita foi morto pela polícia.

Nos USA todos sabem o que aconteceu, porque foi amplamente divulgado.

No Brasil, um brasileiro que matou vários estudantes num colégio, tinha ligações com terroristas islâmicos, inclusive pela Internet.

Portanto, podemos deduzir que todos os assassinatos nas escolas, no mundo inteiro, mesmo não sendo efetuados por muçulmanos, os atiradores são recrutados por eles.

Incluíndo assassinatos por facadas.

Islamismo não é religião, é uma SEITA PEDOFÍLICA E POLÍTICA, com suas leis próprias, nas quais a pedofilia é legalizada por lei do Islã. Qualquer muçulmano pode casar com 3 (três) meninas, ao mesmo tempo, com 9 (nove) anos de idade ou menos, para suas orgia pedofílicas, e quando morrem nessas orgias, apenas são substituídas. Alegam que é costume, para justificarem suas perversões sexuais. Os islamitas seguem o exemplo do pedófilo Mohamed, que chamam de profeta, e cuja última esposa, Ayshah, tinha apenas 8 (oito) anos de idade.

Antes do ato de Anders Behring Breivik, a Nova Ordem dos Templários não era conhecida, agora essa Sociedade Secreta se espalhou pelo mundo inteiro, tendo milhões de seguidores, que estão aumentando a cada dia. Se era esse o objetivo de Anders, a divulgação, então conseguiu!!! E, a Islamofobia se fortificou pelo mundo civilizado, graças ao corajoso Anders de Noruega.

Obs.: os muçulmanos, sempre covardes como todos os assassinos, se escondem por trás das "Estrelas Negras", na Grécia, e outras denominações que usam, para promoverem revoltas e matanças, com intuito de dominarem os PAÍSES, posteriormente.
O mesmo método estão usando na Síria, e depois culpam o governo Sírio, pelos genocídios que praticam.

alien13 disse...


A maioria dos terroristas muçulmanos nasceram e vivem na Europa. Porém, são treinados para matarem os europeus.
TEMOS COMO PROVA O ATENTADO DE PARIS!
TODOS TINHAM NASCIDO NA EUROPA!
A única solução é EXPULSAR TODOS OS MUÇULMANOS do Continente europeu, e dos demais países civilizados!
Somente assim, os países civilizados ficarão livres dessa Seita Pedofílica e Política, que alega ser religião, sem o ser, denominada islamismo.