terça-feira, 25 de agosto de 2015

Preparem-se para rios de lágrimas de crocodilo nos mé(r)dia!


Mais de 2 mil refugiados sírios estão a tentar transpor o "abominável" muro da Hungria!

«Um número recorde de mais de duas mil pessoas chegou esta terça-feria este Martes à Hungria vindo da Sérvia, disse a polícia, dias antes de o país completar a construção de um muro para impedir a entrada de imigrantes. 

De acordo com uma declaração da polícia, um total de 2.093 migrantes atravessaram a fronteira para a Hungria na cidade de Roszke.»

Onde é que se vai abrigar toda esta gente? O que comerão os imigrantes? O que vestirão? Quem pagará as despesas com os tratamentos de saúde de que elas muito provavelmente necessitarão? Do que é que elas viverão num continente com tantos e tão graves problemas de desemprego? Já agora, quanto é que já se gastou a "resgatar" estes imigrantes ao Mediterrâneo? E porque é que os indígenas europeus não têm uma palavra a dizer sobre tudo isto? Será porque não concordam com esta autêntica iminvasão?

«Estes imigrantes fazem parte de uma vaga de sete mil refugiados que começaram a viagem para a União Europeia mas que tinham sido bloqueados na semana passada quando a Macedónia declarou o estado de emergência e fechou as suas fronteiras, contribuindo para a pior crise migratória desde a segunda guerra mundial. 

"Fomos barrados na Macedónia durante dois dias, os motins foram terríveis, a polícia usou armas e gás lacrimogéneo, vi uma idosa ser espancada e roubaram-lhe os papéis e o dinheiro", contou à AFP um engenheiro de tecnologias de informação, de 29 anos, que saiu de Mossul, no Iraque, para fugir ao grupo extremista Estado Islâmico. 

A Hungria já registou mais de 100 mil pessoas a pedir asilo este ano, mais do dobro do total do ano passado e muito mais que os dois mil que pediram asilo em 2012. 

Os refugiados tentam entrar na Hungria antes da conclusão da construção de um muro com arame farpado, uma das medidas contra a imigração clandestina, a que se junta as penalizações para quem cruzar a fronteira sem autorizaçao e o encerramento dos campos de refugiados permanentes.»

3 comentários:

srhamsun disse...

Tenho visto pouco, que aquilo mete nojo, mas as reportagens(?) da sic e da RTP são um monumento à propaganda. Mas o Goebbels é que era manipulador. Eu, se fosse jornalista, tinha vergonha da maioria dos meus colegas. Simples lacaios aos erviço de desígnios superiores.

FireHead disse...

Eu não sei se esses refugiados sírios têm ou não acompanhado as notícias, mas estou em crer que já devem saber que a Alemanha já aceitou receber e que não vai expulsar os sírios...

Afonso de Portugal disse...

«Eu, se fosse jornalista, tinha vergonha da maioria dos meus colegas. Simples lacaios aos erviço de desígnios superiores.»

Eu desconfio que a falta de vergonha é condição sine qua non para se poder trabalhar nos grandes mé(r)dia. Deve haver umas cadeiras nos cursos de jornalismo especialmetne vocacionadas para perder o pudor e abraçar plenamente a prostituição intelectual. Ou então já faz parte do carácter (ou falta dele) daqueles que seguem a profissão de jornalista, não sei.


FireHead disse:
«(...) já devem saber que a Alemanha já aceitou receber e que não vai expulsar os sírios...»

A Alemanha? Nenhum país da UE expulsará refugiados, meu caro! A Federeica Nojentini... eer... perdão, Mogherini já o assegurou várias vezes!