quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Ezra Levant sobre o massacre no IKEA (Suécia) e a reacção do governo


Advertência: antes que algum atrasado mental me venha dizer que o Ezra Levant é judeu SIM, eu sei que ele é judeu, mas talvez vocês não saibam que este judeu já foi processado mais de vinte vezes no Canadá por ter denunciado muçulmanos radicais. Perdeu um desses processos, em 2014, estando agora a ser julgado por difamação devido a vários artigos que publicou no jornal Toronto Sun. Portanto, seus cretinos, este judeu já fez mais pela preservação da sociedade canadiana do que qualquer um de vocês nojentos fez pela nossa! Deviam era aprender com ele, não criticar a sua ascendência! Tenham mas é vergonha na cara e abstenham-se de me vir sujar o blogue. Não é por haver judeus anti-ocidentais que todos os judeus passam a ser maus.

Quanto ao vídeo, O Sr. Levant analisa a reacção absolutamente estupidificante das autoridades suecas aos homicícios perpetrados por dois refujiadistas eritreus num IKEA da cidade de Vasteras, na Suécia. Relembro aos meus leitores que os refujiadistas atacaram uma mãe de 55 anos e o seu filho de 28 anos, esfaqueando-os até à morte. Há quem fale mesmo em decapitação das vítimas. Em resposta, o IKEA proibiu a venda de facas e outros utensílios cortantes (o camarada Sr. Hamusn já tinha denunciado esta "medida austera" no seu blogue).



Mas o Sr. Levant vai ainda mais longe: ele analisa o complexo de culpa dos suecos de uma forma que raras vezes se vê, mesmo no meio Nacionalista: explicando que os suecos acreditam que a sua prosperidade económica é ilegítima e se vêem como uma sociedade de burgueses opressores (onde terão ido buscar esta ideia?); em consequência, os suecos tendem a não se opor à importação massiva de terceiro-mundistas.

Sem comentários: