sábado, 15 de junho de 2019

O triste lamento da mudshark...




Conselho? Vou dar-te o mesmo conselho que as tuas amiguinhas feministas dão aos homens brancos que não conseguem arranjar namorada: mata-te, estúpida de merda!!!... Agora a sério, a parte em que ela menciona o Obama como exemplo a seguir é asbolutamente hilariante! Estas rameiras primatas não têm mesmo noção do ridículo! Elas não são capazes de compreender o nojo, o NOJO que nos metem!!!

Um louvor a todos os homens brancos que rejeitaram esta criatura miserável. Once you go black, we don't want you back!

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Um breve nota sobre a mais recente purga no YouTube


     Como os caros leitores certamente saberão, o YouTube tem apagado vários vídeos e canais nacionalistas e até conservadores. Como eu tinha previsto, as personalidades de Direita estão a ser expulsas das redes sociais, num processo que tenderá a acelerar à medida que a Presidenciais Norte-Americanas de 2020 se forem aproximando.




Um dos canais apagados foi o do nosso camarada José Silva, que tinha muitos vídeos nacionalistas ou relevantes para a causa nacionalista, muitos deles traduzidos e legendados pelo próprio JS. Felizmente, ele tomou a precaução de criar um canal de 'backup' no BitChute:

O JS também criou um novo canal no YouTube:
https://www.youtube.com/channel/JoséSilva2

Recomendo aos leitores do TU que se subscrevam nestes dois canais... o JS merece!

Entre os grandes youtubers, a mais recente vítima foi o canadiano Black Pigeon Speaks, cujo canal foi apagado sem aviso prévio. O BPS tornou-se famoso pelo seu vídeo "Porque é que as mulheres destroem as civilizações". Face à censura crescente da Google, vou partilhar aqui uma lista (incompleta) de canais no BitChute que podem ser usados como alternativa a canais que já foram ou que podem vir a ser eliminados do YouTube a qualquer momento, a começar pelo do próprio BPS:

Black Pigeon Speaks: https://www.bitchute.com/channel/blackpigeonspeaks
Mark Collett: https://www.bitchute.com/channel/markcollett/
Brittany Pettibone: https://www.bitchute.com/channel/brittpettibone/
Sargon of Akkad: https://www.bitchute.com/channel/sargonofakkad/
InfoWars: https://www.bitchute.com/channel/infowars
Tommy Robinson: https://www.bitchute.com/channel/tommyrobinson/

Mark Dice: https://www.bitchute.com/channel/markdice/
The Thinkery (Sargon's 2nd Channel): https://www.bitchute.com/channel/thethinkery/
Rebel Media: https://www.bitchute.com/channel/rebel-media/
Red Ice TV: https://www.bitchute.com/channel/redicetv/
Sinatra Says: https://www.bitchute.com/channel/sinatra_says/
Steven Crowder: https://www.bitchute.com/channel/stevencrowder/
WrangleStar: https://www.bitchute.com/channel/wranglerstar/
Jordan Peterson: https://www.bitchute.com/channel/jordanpeterson/
Stefan Molyneux: https://www.bitchute.com/channel/freedomainradio/
The White House Channel: https://www.bitchute.com/channel/thewhitehouse/
Razorfist: https://www.bitchute.com/channel/razorfist/
Faith Goldy: https://www.bitchute.com/channel/faithgoldy/
Bombard's Body Language: https://www.bitchute.com/channel/bombardsbodylanguage/
Daisy Cousens: https://www.bitchute.com/channel/daisycousens/
Project Veritas: https://www.bitchute.com/channel/veritasvisuals/
Laura Loomer: https://www.bitchute.com/channel/lauraloomer/
Soph: https://www.bitchute.com/channel/soph/
Mike Cernovich: https://www.bitchute.com/channel/cernovich/
Blonde in the Belly of the Beast: https://www.bitchute.com/ch...
Paul Joseph Watson: https://www.bitchute.com/channel/pauljosephwatson/
Barbara4u2c: https://www.bitchute.com/channel/Barbara4u2c/
Laura Towler: https://www.bitchute.com/channel/lauratowler/
Lauren Southern: https://www.bitchute.com/channel/laurensouthern/
Pat Condell: https://www.bitchute.com/channel/pat-condell/
Michelle Malkin: https://www.bitchute.com/channel/MichelleMalkin/
The Red Elephants: https://www.bitchute.com/channel/the-red-elephants/
Tim Pool: https://www.bitchute.com/channel/timpool/
Styxhexenhammer666: https://www.bitchute.com/channel/Styxhexenhammer666/
Computing Forever: https://www.bitchute.com/channel/computingforever/

segunda-feira, 10 de junho de 2019

10 de Junho: Dia de Portugal, da raça portuguesa e de Luís de Camões (c.1524 - 1580), o soldado-poeta que foi um dos maiores portugueses de sempre


     A todos aqueles que, ao longo da História, deram o seu sangue, suor, lágrimas... e, em muitos casos, até a própria vida em batalha ou em cativeiro, para que hoje pudéssemos ter este nosso pequeno país. Nem todos esqueceram os vossos sacrifícios, nem todos desistiriam da vigília. "Dai-nos o exemplo inteiro e a vossa inteira força"!!!



«Esta é a ditosa pátria minha amada,
A qual se o Céu me dá que eu sem perigo
Torne, com esta empresa já acabada,

Acabe-se esta luz ali comigo.
De Luso, ou Lisa, que de Baco antigo
Filhos foram, parece, ou companheiros,

E nela então os Íncolas primeiros.»
"Os Luísadas", Canto III, Estância 21
Luís Vaz de Camões (c. 1524 - 1580)

É hoje mesmo: grande festa da nacionalidade do PNR! Não faltem!!!


Da página oficial do único partido nacionalista português, o Partido Nacional Renovador (PNR):

«Este ano, ao contrário das últimas edições da comemoração do 10 de Junho, por parte do PNR – único partido político que o faz –, em vez da “Marcha da Nacionalidade”, levaremos a cabo uma festa-comício, “Festa da Nacionalidade”, privilegiando, desta feita, o convívio entre todos aqueles que queiram comparecer ao longo da tarde, engrandecendo o nosso evento. 




Haverá arraial com churrasco e bebidas, bancas de venda de artigos do PNR e não só, banda de música e discursos políticos. Às 18h30 encerra-se o acto, como sempre com o Hino Nacional. A quatro meses das eleições Legislativas é de extrema necessidade começar a contar, desde já, com o apoio – também na rua, e sobretudo no 10 de Junho – de todos os militantes e simpatizantes do nosso partido. No Dia 10 de Junho lá vos esperamos, a partir das 15:00 horas, na Praça Luís de Camões em Lisboa!»

domingo, 9 de junho de 2019

Jovem (ou seria "jovem"?) enriquecido dentro de um comboio em Sintra


Um muito obrigado! ao Filho da Truta (FdT) por nos ter trazido aqui esta notícia bem "gira":

«Um jovem [ou seria um "jovem"?] de 22 anos foi alvejado com dois tiros dentro de um comboio na zona de Rio de Mouro, Sintra. A vítima foi transportada em estado grave para o Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, tendo o principal suspeito sido interceptado nas imediações daquela estação do concelho de Sintra.

Segundo (...) fonte da PSP, registou-se uma "altercação" dentro de umas composições, tendo a disputa acabado a tiro.

A vítima acabou alvejada duas vezes "na zona do abdómen", sofrendo ferimentos graves. O jovem foi assistido pelos bombeiros da corporação da Agualva-Cacém e transportado à unidade hospitalar de Lisboa. 

A PSP dirigiu-se para o local e já foi também alertada a Polícia Judiciária, que ficará responsável por esta investigação. O alerta foi dado pouco depois das 13h30 desta quinta-feira [6 de Junho de 2019].»

Ora, ao lermos esta notícia, eu e o FdT ficámos logo com a pulga atrás da orelha: andar aos tiros dentro de um comboio por motivo fútil? Isto cheirava mesmo, aliás, tresandava a "juventude"!!! E, com efeito, a avaliar pela zona onde foi capturado o "suspeito", tudo indica que se trata mesmo de "jovens"...


Mundo vibrante: todos os dias há mais de 1 milhão de novos casos de doenças sexualmente transmissíveis 😨


     Um muito obrigado! à Raquel por nos ter trazido aqui esta notícia especialmente "colorida" (porque os vírus as bactérias são de muitas cores), "diversa" (porque os vírus e as bactérias têm diferentes tamanhos e formas) e "vibrante" (porque os vírus e as bactérias, tal como os imigrantes, têm o condão de "enriquecer" os seus hospedeiros):

«Todos os dias há mais de 1 milhão de novos casos de doenças sexualmente transmissíveis. Uma em cada 25 pessoas tem clamídia, gonorreia, tricomoníase ou sífilis. São registados anualmente 376 milhões de casos destas Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST).»

"Vai um beijinho?... Vá lá, não sejas mariquinhas!"


Uau! Mais casos novos de DST do que o número habitantes do Brasil! Mais casos novos de DST do que o número de habitantes dos seis países com mais população da UE! Isto sim, é progresso e modernidade!

«Quatro doenças sexualmente transmissíveis – clamídia, gonorreia ou pior, sífilis – causam mais de um milhão de casos de infecções todos os dias em pessoas entre os 15 e os 49 anos, segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgado esta quinta-feira. Uma em cada 25 pessoas tem pelo menos uma destas quatro doenças, relata ainda a OMS.
«Os números representam casos e não indivíduos, explica a médica, uma vez que as pessoas podem ser infectadas com várias DST ou voltarem a ser infectadas no espaço de um ano com uma ou mais doenças.»

Então deviam dizer que há, em média, um caso de DST por cada 25 pessoas e não que "uma em cada 25 pessoas tem pelo menos uma destas doenças"! A linguagem científica tem de ser precisa, senhoras e senhores da OMS!

«Estas DST têm um impacto profundo na saúde de adultos e crianças em todo o mundo. Se não forem tratadas, podem levar a problemas crónicos de saúde graves que incluem doenças neurológicas e cardiovasculares, infertilidade, problemas na gravidez e no parto e aumento do risco de contracção de SIDA”, informa a OMS.
A OMS salienta ainda que nos últimos sete anos não houve diminuição do número de casos de infecções de DST.»

Agora vamos fazer um pequeno mas esclarecedor exercício matemático. A notícia diz que "uma em cada 25 pessoas tem pelo menos uma destas doenças" o que, como vimos acima, não é verdade... mas vamos admitir, para efeitos deste exercício, que é mesmo verdade. Os meninos e as meninas que gostam muito de trocar de parceira(o) sexual constantemente são capazes de olhar para este dado e dizer: "oh, 1 em 25 não é nada... só há uma probabilidade de 4% de a pessoa estar infectada! A probabilidade de não estar infectada é 96%! Esta notícia é alarmista, pá!"

Pois, só que a coisa não funciona assim. Usar a estatística de 1 em 25 para estimar a probabilidade de ser infectado(a) só funciona para quem tem um único parceiro(a) sexual ao longo da vida! Porque quando se tem vários parceiros sexuais ao longo dos anos, a probabilidade de se vir a ser infectado(a) aumenta rapidamente. Por exemplo, alguém que tenha dois parceiros sexuais já só tem uma probabilidade de 92,2% de nunca ser infectado (24/25 x 24/25). Alguém que tenha cinco parceiros sexuais, já só tem uma probabilidade de 81,5% de nunca ser infectado (24/25)5. Alguém que tenha 10 parceiros sexuais, já só tem uma probabilidade de 66,5% de nunca ser infectado (24/25)10. E alguém que tenha 20 parceiros sexuais, já só tem uma probabilidade de 44,2% de nunca ser infectado (24/25)20! Ou seja, há um número de parceiros ou parceiras a partir do qual é mais provável ser infectado do que não ser infectado.

Já sei que a isto os "modernaços" contraporão: "ah, mas isso é só para as pessoas que não tomam precauções, nunca usam preservativo e escolhem parceiros rascas, com estilos de vida perigosos, para além de que a concentração das DST depende da área geográfica e do estrato social a que as pessoas pertencem, dããã!

Pura ilusão. Como diz o nosso povo, no melhor pano cai a nódoa. Muitos dos caros leitores não imaginarão, por exemplo, a quantidade de "homens de família" que recorrem sistematicamente aos "serviços" de prostitutas. Ou quantas "viagens de negócios" não implicam uma "degustação" da "gastronomia" local. Eu conheci estudantes, políticos, empreiteiros, empresários e até professores universitários que traíam sistematicamente as suas mulheres, às vezes com outras mulheres, outras vezes com prostitutas. Eu cheguei a perder um grupo de amigos por não alinhar num "serão recreativo", chamemos-lhe assim.


«Melanie Taylor aponta que estas infecções estão também associadas a vergonha e podem ainda levar a violência doméstica. Estas infecções são “uma epidemia escondida, uma epidemia silenciosa, uma epidemia perigosa, que persiste a nível mundial”, explica a médica.
As DST são transmitidas durante um acto sexual desprotegido. Algumas – clamídia, gonorreia e sífilis – podem ser também transmitidas durante a gravidez ou durante o parto. A sífilis pode também ser transmitida através do consumo de drogas via injecção ou contacto com sangue.»

Cuidado! O herpes genital pode ser transmitido mesmo usando preservativo. Nem todas as DST se tramitem pela via da permuta de fluídos, nalguns casos basta o contacto abrasivo com a pele infectada.

«Todas as infecções abordadas no estudo têm tratamento através de “medicação disponível a nível mundial” mas a OMS enfatiza que a sua transmissão pode ser “prevenida através de práticas sexuais seguras, correto uso de preservativo e educação sexual e de saúde”.

Tretas! A única forma de manter as DST afastadas é não ser promíscuo(a), escolher criteriosamente as pessoas com quem se tem sexo e, sobretudo, minimizar o número de parceiros(as) sexuais que se tem ao longo da vida.

«A mesma fonte apela ainda a que pessoas sexualmente activas e grávidas façam testes regulares para prevenção de infecções.
Na maioria dos casos da clamídia – entre 70 a 80% – os sintomas de infecção não são manifestados. A clamídia é geralmente detectada uma a três semanas após a exposição à bactéria causadora da doença. Nas mulheres, os sintomas mais comuns são o sangramento espontâneo durante a relação sexual, dor ao urinar e durante a relação sexual. Nos homens, os sintomas de infecção desta DST são ardor ao urinar, corrimento na uretra com presença de pus e dor nos testículos.»

Soa divertido, não soa?...

«No caso da gonorreia, os sintomas podem também passar despercebidos numa fase inicial. Nos homens, a gonorreia manifesta-se através de ardor ao urinar, secreção de pus pela uretra e dor/inchaço num dos testículos. Nas mulheres, os sintomas desta infecção são o aumento do corrimento vaginal, dor e ardor ao urinar, sangramento fora do ciclo menstrual, dores abdominais e pélvicas.
A gonorreia pode ainda manifestar-se noutras partes do corpo. Pode dar-se secreção ou sangramento no ânus, dor nos olhos, infecções na garganta e ainda inchaço nas articulações.»

Como vos tinha prometido: colorido, diverso e vibrante! Ainda me lembro a primeira vez que entrei num dermatologista, quando ainda era miúdo. E vi, para minha grande surpresa, aquilo que parecia ser uma cadeira de ginecologista. "Mas que diabo está aquilo a fazer aqui?", pensei. "Terei entrado no consultório errado?"... Só mais tarde percebi a realidade das DST e as suas graves implicações.

Mas as pessoas que pregam a castidade e a fidelidade sexual é que são umas atrasadas, hãã! Moderno e vanguardista é ter múltiplos parceiros, ser polimoroso(a), participar regularmente em orgias e em festas sexuais... e depois pagar a factura em despesas médicas, ou pior do que isso. Além de que o casamento é uma instituição antiquada, patriarcal e misógina, pá! E a fidelidade é ainda pior do que isso, a fidelidade é pura submissão! Os seres genuinamente livres encornam os seus parceiros! Não é trair, é amar com liberdade!!!

quinta-feira, 6 de junho de 2019

"X-men: Fénix Negra": mais um filme a evitar!


       Mais um filme da Disney para meter nojo aos cães, às pulgas e até aos vermes dentro das pulgas! Mais engenharia social neomarxista, mais feminismo de dar vómitos às próprias retretes, mais misandria de fazer ferver o sangue! Vejam só esta cena "giríssima", caros leitores, em que a Raven sugere ao lendário Professor X mudar o nome dos X-men para... X-women! Girl power, yay!

Ah, e já agora, não se esqueçam de que a Jennifer Lawrence (Raven) é aquela fulana que em tempos disse que o Presidente Trump era responsável pelos furacões! E també não se esqueçam que a fulana que faz de Jean Grey (Fénix Negra) disse que se recusava a trabalhar em qualquer estado onde o aborto fosse ilegal...




E por falar em aborto...


Esta tipa anda sempre com a língua de fora! Começou a sua "carreira" precisamente na Disney, ao encarnar a personagem "infantil" Hannah Montana. Coincidência?... Não creio!

____________
Ver também:

E ainda mais lixo feminista: vejam só o trailer do novo, ou melhor, da nova Terminator!
Nova série de TV tem como protagonista uma mulher-morcego fufa e guerreira da (in)justiça social
Lembrete: os verdadeiros nacionalistas devem boicotar os filmes da Marvel
"Jovem" hollywoodesco diz que não quer mais homens brancos como protagonistas principais dos seus filmes 
"Capitã Marvel", mais um filme a boicotar

Os brasileiros já se podem sentir vingados...


...pelo facto de os portugueses se terem rido do deputado federal Tiririca:




Reparem que o (desa)Tino não é tão estúpido como parece: "incluir" sugere "diversidade"... e o (desa)Tino até levou uma "jovem" encantadora com ele ao TC para que os senhores doutores juízes não tivessem dúvidas; já "reciclar" sugere que o (desa)Tino quer disputar o eleitorado do Partido Animalista... mas que "modernaço" que ele nos saiu, pá!

P.S. E não se esqueçam que o(a) José Castelo Bronco também anda a tentar fundar um partido político!

terça-feira, 4 de junho de 2019

Dezanove (19)...


...é número de páginas que o que o Jornal de Notícias dedica hoje a Agustina Bessa-Luís na sua versão em papel. Não umas 19 páginas quaisquer, entenda-se, foram precisamente as primeiras 19 páginas da edição de hoje! Não me lembro de alguma vez ter visto um jornal a dedicar tantas páginas a quem quer que fosse. O elogio é tanto que até ficamos com a sensação de que a Agustina endireitou a economia portuguesa ou, mais realista, descobriu a cura para o cancro.

Há coisas que eu simplesmente não entendo. O fascínio dos "tugas" pelo futebol, a popularidade de Marcelo Rebelo de Sousa, os louvoures ao Papa Chico, o suposto génio da Agustina... 

Actualização: epá, desculpem lá, estive a ver outra vez o jornal e afinal não foram 19 páginas, só foram 17. Muito mais razoável!

domingo, 2 de junho de 2019

Durão "cherne" Barroso regressa ao Clube de Bilderberg... e leva dois novos recrutas com ele!


     Tomem bem nota destes nomes e caras, caros leitores... os bilderbergues tendem a acabar no (des)governo "tuga"! O actual presidente da Câmara Municipal de Lisboa até pode parecer um parolinho, mas dizia-se o mesmo de Jorge Sampaio e de António Costa quando ocupavam o seu lugar...

«Fernando Medina e Estela Barbot juntam-se a Durão Barroso na representação de Portugal no encontro do grupo de Bilderberg que este ano decorre entre os dias 30 de Maio e 2 de Junho, em Montreux, Suíça.»

 Da esquerda para a direita: Barroso, Medina e Barbot.

«Para a 67.ª edição da reunião do grupo de poderosos em que se encontram alguns dos milionários, empresários e líderes políticos mais relevantes em termos mundiais, Durão Barroso escolheu o presidente da autarquia lisboeta e a administradora da REN como os representantes de Portugal.
Recorde-se que foi em 2015 que Pinto Balsemão escolheu o agora ex-presidente da Comissão Europeia e antigo primeiro-ministro para o substituir no conselho director responsável pela organização dos encontros anuais do grupo de Bilderberg. Na edição do ano passado, Durão escolheu duas mulheres: Paula Amorim e Isabel Mota.

Este ano serão 11 os principais temas em debate e são todas questões muito actuais: uma ordem estratégica estável, o futuro da Europa, alterações climáticas, China, Rússia, Brexit, o futuro do capitalismo, as questões éticas relacionadas com a inteligência artificial, a importância do espaço, e ataques cibernéticos. A reunião vai contar com cerca de 130 participantes oriundos de 23 países.

Fernando Medina chegou à liderança da câmara da capital em 2015, substituindo António Costa. Até aí tinha sido número dois, desde 2013, do actual primeiro-ministro na autarquia.

Antes de enveredar pela política local, Medina foi deputado eleito pelo PS e membro do Governo de José Sócrates como secretário de Estado do Emprego e da Formação Profissional, pasta tutelada pelo ministro do Trabalho, Vieira da Silva.

Já Estela Barbot tem um vasto currículo no mundo empresarial, tendo passado por sectores como a banca (directora do Banco Santander de Negócios) ou o energético, onde actualmente se encontra como administradora da REN.

Foi também empresária e conselheira do Fundo Monetário Internacional (FMI).»


Já agora, no ano passado o Durão da Goldman 'Saques' tinha escolhido a herdeira Amorim e a Isabel da Gulbenkian.

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Resultados finais das Eleições Europeias de 2019
...e comentários do vosso blogueiro


      Estão finalmente apuradas todas as 3092 freguesias de Portugal e 100 consulados no estrangeiro. Os resultados finais obtidos pelo único partido nacionalista português -o Partido Nacional Renovador (PNR)- nas Eleições Europeias que tiveram lugar no passado domingo [26-Mai-2019] são os seguintes:
▪ Território nacional: 15 999 votos (0,48%)
▪ Estrangeiro: 166 votos (1,20%)
▪ Total (território nacional + estrangeiro): 16 165 votos (0,49%)
A abstenção final foi de 69,27%, o maior valor de sempre da história da "democracia" abrilina. Chegou a hora de eu fazer alguns comentários acerca de tudo isto.




I. Comentários ao resultado obtido pelo PNR


Vamos começar a olhar para todos os resultados obtidos pelo PNR em eleições europeias desde a sua primeira participação, em 2004:




Apesar da subida do número de votos (de 15 036 para 16 165) e da percentagem relativa (de 0,46 % para 0,49 %), é realmente difícil não considerar este resultado como uma desilusão. Mais uma vez, cumpriu-se a "maldição do meio ponto percentual": ainda não foi desta que o PNR conseguiu ter mais do que 0,50 % numas eleições. Pior do que isso, a tabela acima mostra um claro abrandamento do crescimento do PNR em eleições europeias. Isto deve preocupar todos os nacionalistas dignos desse nome, por ser um forte indício de que a nossa mensagem não está a passar. 

Ora, as próximas eleições legislativas são já no próximo dia 6 de Outubro. Quer dizer que temos pouco mais de 4 meses para mudarmos a nossa abordagem e tentarmos convencer os eleitores portugueses a votar no PNR. Perante esta dolorosa realidade, o que é que pode ser feito? Tenho de vos confessar, caros leitores, pela primeira vez desde que sou nacionalista, estou sem ideias. Sempre pensei que o crescimento do Nacionalismo português fosse apenas uma questão de tempo, que bastaria seguir o exemplo dos outros partidos nacionalistas europeus para termos sucesso aqui em Portugal.

Agora, já não tenho tanta certeza. As minhas dúvidas começaram com os resultados brutais desta sondagem que eu publiquei aqui no TU em Setembro do ano passado. E, na sequência dos resultados deste domingo, surgiram ainda mais reservas e interrogações na minha cabeça. A fórmula utilizada pelos partidos nacionalistas europeus que têm tido sucesso não parece estar a resultar aqui em Portugal. Resta saber porquê.


II. A maior abstenção de sempre


Dos 10 780 068 eleitores inscritos, votaram apenas 3 314 423, ou seja, cerca de 30,73%. Isto corresponde a uma abstenção de  69,27%, o maior valor de toda a  história da "democracia" abrilina. Ou seja, quase sete em cada dez portugueses optaram por não ir votar nestas eleições europeias. E ainda pior do que o valor em si, é o facto de a abstenção estar a crescer cada vez mais a cada novo acto eleitoral:





Desde 1999, a abstenção aumentou quase 10%. Há muitas formas de olhar para estes números. Para os nacionalistas adeptos da abstenção, o resultado de domingo será certamente uma grande vitória, porque eles acreditam que a legitimidade do sufrágio fica comprometida ou, pelo menos, beliscada. Pura ilusão, é claro, mas quando se vive num mundo de fantasia, acredita-se em fantasias...

A verdade é que este número, apesar de elevado, não significa rigorosamente nada em termos práticos. A validade das eleições não depende do número de votos, porque a Constituição a República Portuguesa estipula que a Lei não pode estabelecer um número mínimo de votos para eleger deputados. Os puhíticos e as comentadeiras de serviço dizem estar preocupados com a abstenção, mas é tudo fogo de vista, palhaçada para inglês ver. Eles sabem perfeitamente que, quanto menos gente for votar, melhor será para eles. Porquê? Porque os boys e as girls deles votam sempre, garantindo a sua eleição, pelo que a abstenção apenas fará crescer a sua percentagem relativa.

A abstenção também não legitima o que quer que seja, porque a abstenção não representa um bloco coeso e homogéneo de eleitores, muito menos pode ser utilizada como argumento para validar intervenções armadas. Há abstencionistas que não votam por preguiça, há outros que não votam por não compreender a política, há outros que não votam por protesto, há outros que não votam por pura indiferença... querer juntar toda esta gente sob a mesma bandeira é ridículo, absolutamente ridículo!

A minha opinião em relação à abstenção é a mesma de sempre: ela traduz o analfabetismo e o atraso democrático severo do povo português. Todos aqueles que a defendem vão ter o que merecem, vão chegar à terceira idade desdentados e descabelados, mais ainda a sonhar com revoluções que nunca hão-de concretizar-se...

Curiosamente, houve uma redução dos votos brancos e nulos:





III. Sobre a grande vitória da extrema-esquerda


O pior aspecto da noite eleitoral de domingo foi, na minha opinião, o reforço do Partido Socialista (PS) e do Bloco de Esquerda (BE), acompanhado pela ascensão fulgurante do Pessoas, Animais e Natureza (PAN). A subida do BE, em particular, veio confirmar os meus piores receios: o partido mais extremista de Portugal é aquele que mais potencial de crescimento parece ter, porque à medida que a população urbana cresce e a população rural diminui, ao mesmo tempo que dezenas de milhares de imigrantes vão sendo naturalizados todos os anos, a tendência é para o número de votos e o peso relativo do bloco aumentar. Repare-se bem, no quadro abaixo: o BE conseguiu duplicar o seu número de eurodeputados e mais que duplicar o seu número de votos!


(Número de eurodeputados eleitos em 2019 e em 2014, Fonte: SGMAI)


É muito provável que muitos dos votos ganhos pelo BE tenham sido "roubados" à CDU, que teve um resultado desastroso. Tão desastroso que, contrariamente ao que tem sido habitual nos dirigentes do PCP ao longo dos anos, Jerónimo de Sousa admitiu a derrota. Pela parte que me toca, entre o BE e a CDU prefiro a segunda. A malta do BE é tão marxista como os comunas, mas muito mais hipócrita e muito menos conservadora nos costumes. O ideal era mesmo que ambos os partidos desaparecessem...

Depois temos o fenómeno do PAN: os movimentos ecologistas já existem em força há muitos anos noutros países europeus, mas a liderança do PAN usou uma estatégia de génio, que consiste em juntar ecologia com "direitos" dos animais. Em 2014, o PAN já tinha obtido 56 363 votos (1,72%), o que já era impressionante dada a criação recente do partido. Mas agora, em 2019, o PAN quase triplicou essa votação, conseguindo eleger um eurodeputado.

Isto significa que, dos 21 eurodeputados eleitos por Portugal, 14 são de esquerda, dos quais 5 são de extrema-esquerda, sendo que os restantes 7 eurodeputados são da direitinha apátrida e cosmopolita. Um desastre total, em termos de representação dos interesses portugueses na Europa.

E também aqui é necessário que os nacionalistas saibam responder à seguinte pergunta: o que leva tantos portugueses a votar no BE?


IV. Sobre a derrota bem merecida da direitinha globalista e cosmopolita


Não posso ser hipócrita: a votação desastrosa -mas deliciosa- obtida pelo PSD do bilderberguer Rio Risonho e da islamófila pseudo-humanista Assunção "do hijabe" Cristas soube-me muito, mas muito bem! Sempre achei que a "convergência para o centro" dos direitinhas 'tugas' não passava de um eufemismo para rebuçar a sua revoltante covardia política.

O Rio Risonho, tal qual senhor feudal arrogante, julgava que mandar no PSD era como mandar na Câmara do Porto, que ele ia chegar ali e transformar o PSD numa espécie de PS um pouquinho mais liberal e toda a gente ia aceitar. Acabou por alienar os militantes mais à direita do PSD, que se parecem ter redistribuído pelos novos partidos da direitinha. Já a Cristas da direitinha parece ter achado que os eleitores do CDS queriam um partido mais "modernaço" e "progressista". O seu apoio às quotas de "género", a sua submissão ao Islão (sim, submissão, porque ir à mesquita do David das cotovoeladas de hibaje enfiado na cabeça para depois ser enfiada numa sala à parte é mesmo submissão), o seu louvor ao deputado rabeta do CDS que saiu do armário, a sua falta de condenação veemente à iniciativa das passadeiras LGBT, enfim, a Cristas é, no plano dos valores sociais, indistinguível de qualquer militante do BE.

Tudo isto paga-se caro: o PSD teve o seu pior resultado de sempre em eleições de âmbito nacional e o CDS teve um dos seus piores resultados de sempre. E a melhor parte é que estes imbecis não parecem ter aprendido a lição! Veja-se, por exemplo, esta análise feita à derrota do CDS no Observador da direitinha... a Cristas acha que o CDS perdeu votos por ser demasiado conservador! Ela deve ter achado que os eleitores do CDS votaram no BE!!! Ó Cristas, olha bem para isto:



(Resultados dos pequenos partidos de Direita em 2019 e em 2014, Fonte: SGMAI)



De onde é que a Cristas achará que vieram os 88 701 votos (156 532 - 67 831) que os pequenos partidos de direita conquistaram entre 2014 e 2019? Será que ela acha que vieram do PCP? Ou do Livre? Ou do MPT??? Não, Cristas burrinha, vieram do PSD e CDS, evidentemente!!! Mas eu até aprecio este autismo impassível por parte da líder do CDS... porque significa que, muito provavelmente, a direitinha vai voltar a estampar-se no próximo mês de Outubro. Nós, na verdadeira Direita, só podemos congratular-nos com esta atitude! Espero que o Rio e a Cristas continuem a liderar os seus partidos durante muito tempo!



V. Comentário ao desempenho dos novos partidos da direitinha


É preciso sermos humildes e reconhecermos: os novos partidos da direitinha, Aliança, Basta e Iniciativa Liberal tiveram uma boa estreia. A título de exemplo, todos eles superaram o melhor resultado alguma vez obtido pelo PNR (
27 269 votos nas Legislativas de 2015). Não é coisa pouca. E não me venham com a desculpa de que eles foram levados ao colo pela comunicação social, porque isso, sendo verdade, não explica tudo.

É verdade que os novos partidos da direitinha beneficiaram imenso da incompetência de Rui Rio e de Assunção Cristas. E também é verdade que Santana (f)Lopes é um autêntico dinossauro da política portuguesa e que, nessa condição, arrastaria sempre parte da militância tradicional do PSD com ele. Mas não é menos verdade que a mensagem do Basta e da IL têm algo de diferente e de muito refrescante em relação à direitinha corrompida do PSD e do CDS.

Comecemos pelo Basta, uma coligação de monárquicos, militantes pró-vida e conservadores descontentes com os grandes partidos da direitinha. O seu líder, André Ventura, dispensa apresentações. Nitidamente inteligente, Ventura percebeu o enorme potencial do discurso anti-imigração e usou-o para se catapultar para a ribalta, primeiro na televisão, depois na política. Ventura teve sucesso onde os dirigentes do PNR têm falhado ao longo dos anos, conseguindo convencer as pessoas a votarem num partido genuinamente conservador. Em 2014, o PPM e o PPV tinham obtido, em conjunto, 29 749 votos. Em 2019, a coligação Basta obteve 49 496 votos, quase mais 20 mil votos. Esses quase 20 mil votos adicionais devem-se, quer queiramos, quer não, a André Ventura, ao seu carisma e eloquência. O homem até pode ser um charlatão, mas temos de admitir, é um charlatão convincente. Aprendamos com ele aquilo que funciona.

Já o Iniciativa Liberal ficou aquém das minhas expectativas, mais ainda assim teve inegavelmente uma boa estreia. Por exemplo, os quase 30 mil votos que a IL obteve superaram o resultado do PCTP/MRPP, o partido de simpatizantes do terrorismo que já anda nisto há várias décadas. A minha perspectiva sobre a IL foi provavelmente distorcida pelo facto de eu viver no Porto há já mais de 22 anos e de ter notado uma grande simpatia por este novo partido entre as elites tripeiras. Eu próprio tenho de confessar que me revejo em grande parte do programa económico da IL (menos estado, menos despesa pública), mas o seu anti-conservadorismo social e a sua apologia da imigração fazem-me descartá-la automaticamente. Eu acredito na Direita, não na direitinha. E a IL representa o que de pior existe na direitinha: pessoas que adoram os mercados de uma forma quase religiosa, mas que depois desprezam os valores morais e a organização social e comunitária que fez do Ocidente o portento científico, militar e tecnológico que tem dominado o mundo nos últimos séculos.

Até onde podem ir o Basta e a IL no futuro? É difícil dizer mas, da perspectiva nacionalista, é o primeiro que nos deve preocupar. O eleitorado do Basta é o eleitorado natural do PNR e o facto de o Ventura & C.ª terem conseguido ir tão longe na sua estreia deve ser objecto de uma reflexão profunda por parte dos nacionalistas. Repito: não me venham com a desculpa de que o Basta foi levado ao colo pela comunicação social, porque isso não explica tudo. Há algo no PNR que está a falhar e precisamos urgentemente de perceber o que é.


VI. Breve nota sobre o desempenho dos pequenos partidos de Esquerda


De uma forma geral, os pequenos partidos de esquerda perderam votos nestas europeias. Já vimos que o PAN foi a excepção a esta regra, todos os outros perderam terreno:



(Resultados Globais em 2019 e em 2014, Fonte: SGMAI)


O PCTP/MRPP foi o pequeno partido de esquerda que mais votos perdeu, passando de 54 622 votos em 2014 para 27 222 votos em 2019 (-27 400 votos). Uma excelente notícia para todos os amantes da democracia e da liberdade, uma vez que este partido representa o que de pior existe na sociedade portuguesa: marxismo puro e duro, apologia do terrorismo e um ódio primário criminoso à Pátria e aos portugueses.

Também é reconfortante constatar que o "Livre" do repugnante Rui Tavares e da racista despudorada Joacine Katar-Moreira perdeu mais de 11 mil votos; e que o MAS do drogado antidemocrata que defendia a censura do PNR e do Basta praticamente se eclipsou, tal como o PTP. 

A humilhação de Marinho Pinto e do seu PDR também foi inteiramente merecida. Não nos esqueçamos que este "senhor" foi um dos mais ardentes defensores dos artigos 11 e 13, os tais que vão "regular" (eufemismo para censurar) o conteúdo das redes sociais na União Europeia. A argumentação de Marinho a favor da "regulação" foi do mais absurdo que pode haver, Marinho comparou os artistas famosos e as multinacionais me(r)diáticas a Luís de Camões que, "coitadinho, morreu pobrezinho porque ninguém lhe pagou o que era devido pela sua obra"! Isto só tem uma qualificação possível, caros leitores: cretinice e falta de vergonha na cara. 

Para onde foram os votos de todos estes pequenos partidos de Esquerda? É difícil dizer, mas as hipóteses mais prováveis são o PS e, sobretudo, o BE.


VII. Conclusões e nota final


Resumindo novamente os pontos principais desta posta:
1. O PNR obteve 16165 votos (0,49 %), aumentando ligeiramente a sua votação face a 2014 (15 036 votos - 0,46%);
2. Observa-se, desde 2009, um abrandamento preocupante do crescimento do número de votos do PNR em eleições europeias;
3. É urgente identificar as causas deste abrandamento e corrigi-las até às próximas eleições legislativas de 6 de Outubro;
4. A abstenção foi a maior de sempre (69,27%), não obstante ter havido uma ligeira redução dos votos brancos e nulos. 

5. A extrema-esquerda mais extrema-esquerda de Portugal, o Bloco de Esquerda, foi um dos grandes vencedores destas eleições. É urgente compreendermos o que leva tantos portugueses a votar neste partido.
6. A direitinha do arco da governação, PSD e CDS foi uma das grandes derrotadas destas eleições. Dada a reacção desnorteada dos líderes destes dois partidos, temos motivos para confiar que isto pode vir a repetir-se no próximo mês de Outubro.
7. O resultado obtido pela coligação 'Basta' demonstra que é possível convencer o eleitorado a votar mais nos partidos conservadores. É urgente que os nacionalistas aprendam com o exemplo de André Ventura, por mais execrável que possamos considerar o homem. Todos nós, nacionalistas, temos de melhorar o nosso discurso, o nosso carisma e a forma como nos apresentamos ao eleitorado.

Tal como fiz nas últimas legislativas, eu vou olhar agora para os resultados do PNR em cada distrito, para tentar perceber onde é que o partido perdeu e ganhou mais votos...

terça-feira, 28 de maio de 2019

A Gillette volta a atacar: o seu novo anúncio é protagonizado por um negro "transgénero" a fazer a barba pela primeira vez


     Eu sei que tinha prometido fazer um comentário às Eleições Europeias, mas já só falta apurar dois consulados, pelo que decidi esperar pelo resultado final antes de me pronunciar.

O título desta posta diz tudo. Depois de ter feito um anúncio absolutamente lamentável em que atacava a masculinidade, a Gillette continua na senda da (in)justiça social, abraçando agora também o transsexualismo. Aqui fica o novo anúncio em causa: 




Vou deixar aqui esta paródia feita em resposta à nojice acima...


Moral da história? Boicotem a Gillette, caros leitores!...

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Reacção oficial do PNR aos resultados das Eleições Europeias de 2019


 Da página oficial do único partido nacionalista português, o Partido Nacional Renovador (PNR):

«O resultado obtido pelo PNR não foi bom. Longe disso. Teve o sabor amargo da decepção para a maioria dos nossos militantes e votantes. Quanto a isso não há volta a dar e, como sempre, temos de ser frontais e fortes perante a realidade.

Crescemos pouco mais de mil votos em relação às últimas eleições europeias, tratando-se assim de um crescimento simplesmente residual e não do tão desejado crescimento extraordinário, o que configura um pequeno contratempo – devido a uma série de condicionantes – mas que não nos faz desmobilizar ou desanimar. Bem pelo contrário!

O PNR agradece reconhecidamente a todos os que em nós votaram e continuarão a votar e sabe que esses o fazem por convicção e adesão à maioria e às principais das nossas causas, partilhando a ideia que é de extrema necessidade a nossa entrada para a Assembleia da República. Somos um partido anti-sistema e, por isso, enfrentamos toda a sorte de dificuldades e obstáculos. Quem vota em nós sabe disso e não desiste porque acredita naquilo que defendemos.

No que toca às eleições no seu global, manifestamos um profundo desagrado pela demissão de sete em cada dez portugueses de votar, permitindo que a extrema-esquerda, altamente militante, tome cada vez mais conta da situação. É certo que a classe política dominante, corrupta, que se serve em vez de servir, gera um sentimento de repulsa em relação à própria política, mas isso não desculpa o comodismo, o egoísmo e a irresponsabilidade dos que não votam, ainda para mais havendo um vasto leque de partidos para todos os gostos: vinte e três deles pertencentes ao sistema e o nosso que o combate abertamente.

Por outro lado, o cartel dos partidos do chamado “arco do poder” – sejam governo ou oposição – tem legislado por forma a tornar quase impossível que algum partido consiga afirmar-se com expressão, quer em sede de lei eleitoral, quer de lei do financiamento dos partidos, quer de lei da imprensa. Há um fosso gigante entre os meios e visibilidade dos partidos do poder e os outros.

Acresce, a isso, que o PNR ainda tem um fosso gigante que o separa também dos restantes partidos pequenos que, tal como nós, anseiam por ser grandes: o boicote mediático declarado e a falta de meios financeiros. Veja-se que surgiram recentemente três novos partidos na área do centro-direita, todos com meios financeiros avultados e inúmeros outdoors, todos levados ao colo pela comunicação social – com notícias, por tudo e por nada, e com colunas de opinião diárias – que os  apresenta como sendo de direita ou extrema-direita, levando-os a cavalgar a onda crescente do nacionalismo, quando os próprios dirigentes desses partidos se afirmam inequivocamente de centro-direita…

Para mais, o PNR nunca é referido em sondagens, não consta nas “bússolas” ideológicas da internet, é excluído de debates e praticamente não aparece na imprensa mesmo em época eleitoral. Até fontes ligadas à Igreja o omitiram com pura má-fé e desculpas esfarrapadas. É como se o PNR não existisse. Assim a luta é terrivelmente desigual e difícil. Há uma frustrante sensação de impotência perante tanta injustiça que cada vez se afirma mais na discriminação, na difamação e no boicote. Porquê? Porque nós somos realmente a única alternativa. Todos os outros sufragam o regime, sendo da situação ou de uma oposição devidamente controlada.

Posto isto, resta-nos afirmar com plena consciência que tínhamos o melhor candidato, o melhor programa eleitoral – e ainda mais se vinca este aspecto se comparado com alguns programas de uma pobreza confrangedora – mas não tínhamos os meios nem a visibilidade. Imagine-se uma empresa que tem um produto fantástico, mas sem possibilidade de o introduzir no mercado dando-o a conhecer: é isso que se passa.

Sabemos que somos portadores da alternativa corajosa, combativa, com causas sólidas, com votantes e apoiantes que não desistem, mas que o caminho do crescimento é muito estreito e penoso. Nunca desistiremos! Lá chegaremos, apesar de, decididamente Portugal ser um caso lamentável – por culpa própria da sua população – de masoquismo e irresponsabilidade que nos leva a todos para um buraco cada vez mais fundo.

Agora estamos já focados nas legislativas que, pelo historial que já temos, nos leva a afirmar que mobilizam muito mais o eleitorado nacionalista com o intuito de que o PNR seja uma voz de confronto na Assembleia da República.

Trabalhemos todos, afincadamente, por isso!»