quinta-feira, 12 de julho de 2018

Donald Trump tem razão acerca da OTAN


     Os mé(r)dia passaram os últimos dias a fazer aquilo que fazem melhor: maldizer o Presidente Trump, um homem infinitamente superior ao jornalista médio ocidental, tanto em carácter como em estatura intelectual. Desta vez, o pretexto da trupe me(r)diática foi a cimeira da OTAN (NATO na versão inglesa) que decorreu esta semana em Bruxelas. Os jornalixistas e as comentadeiras de serviço aproveitaram a ocasião para, mais uma vez, insultarem e declararem a incompetência do Presidente norte-americano, sem contudo serem capazes de desconstruir as suas afirmações.

E como poderiam desconstrui-las, se tudo aquilo que o homem disse sobre a OTAN e sobre  a Alemanha é a mais pura verdade? Os factos estão do lado do Presidente Trump e são os documentos da própria OTAN que o mostram. Veja-se este relatório, por exemplo, onde eu fui buscar este gráfico dos gastos com a defesa de cada estado-membro em percentagem do seu PIB para o ano de 2018:




Agora na forma de mapa:


Olhem bem para esta pouca-vergonha, caros leitores: só o Reino Unido, a Grécia e a Estónia é que estão acima dos 2% do seu PIB em gastos com a defesa! A Alemanha, um dos países cujos governantes mais sonsamente vociferam contra a "influência Russa" no Ocidente, não chega sequer aos 1,25%, apesar de os membros da OTAN terem acordado chegar aos 2% na cimeira de 2014! Dos 29 estados-membros, só 14 concordaram chegar ao alvo (2%) até 2024!!!

Trump tem toda a razão quanto a isto: a Europa não pode ter o sol na eira e a chuva no nabal. Os contribuintes dos EUA não podem pagar indefinidamente a defesa do nosso continente. O Ocidente tem de se defender como um todo e, sob essa lógica, a OTAN é mil vezes preferível a qualquer "exército europeu" centralizado em Bruxelas, como desejam ardentemente a ex-Stasi Mer(d)kel e o seu lacaio bebedolas Juncker! Eu sei bem que há muitos nacionalistas que não concordam comigo, mas qual é a alternativa à OTAN? Vocês acham mesmo que Portugal vai conseguir defender-se do resto do mundo sozinho? Um país que nem sequer consegue vigiar a sua própria costa adequadamente???

Aliás, a hipocrisia dos mé(r)dia que atacam o Presidente Trump fica bem patente quando se olha para o resultado das suas acções: graças à sua pressão na cimeira de Bruxelas, vários líderes europeus reiteraram o compromisso de chegar aos 2%. O que, evidentemente, não inclui o "nosso" Costa das Índias, que se ficou apenas pelos 1,66%. É que um país de subsidiodepentes como o nosso não se pode dar ao luxo de investir em defesa. A 'gerigonça' tem muitos parasitas e indigentes para alimentar, a maioria dos quais nem sequer se encontra nas ruas, mas sim nas instituições e nas empresas dos amigos das instituições...

5 comentários:

Anónimo disse...

A Europa há muito, mas muitos anos, já deveria ter saído debaixo da saia dos EUA no fator militar. Os EUA, por sua vez, vem dando subsistência ao velho continente, como um pai que ainda provê um gajo de 30 anos e em sua própria casa. Os EUA também, aceitaram por muitos e muitos anos a desvantagem comercial em relação à Europa, que só agora começa a ser revisto por Trump. Go Trump!

Eduardo

Afonso de Portugal disse...

Em cheio, caro Eduardo! Os europeus gostam muito de se vangloriar do seu generoso Estado Social, sem nunca dizerem que isso foi conseguido à custa de abdicar de outras despesas importantes. Os norte-americanos têm toda a razão neste capítulo, a hipocrisia das elites europeias (e dos parasitas por elas sustentados) é de bradar aos céus!

Anónimo disse...

Acho que a Nato deve de existir, os europeus e os norte americanos, ou melhor os brancos ocidentais do hemisfério norte precisam de um modelo de defesa conjunto como bloco, o que acontece e infelizmente é que nos moldes actuais a Nato está ao serviço do globalismo, como se viu no caso da guerra dos Balcãns no ataque a Sérvia.

As forças armadas portuguesas até e apesar de tudo têm forças especiais de topo e a nossa força aérea face á nossa dimensão é altamente eficiente, tanto que por exemplo é ela que tem feito a defesa dos países bálticos e dado formação a outros países que aderiram recentemente á nato.

https://www.youtube.com/watch?v=yoCNEpGm90Q

Pedro disse...

A OTAN bombardeou a Sérvia em 1999, que estava se defendendo dos terroristas islâmicos. A OTAN deveria deixar de existir pois é o braço armado dos globalistas.
OTAN=Organização Terrorista do Atlântico Norte.

Afonso de Portugal disse...

Anónimo de 12 de Julho de 2018 às 20:21, eu não respondo a comentários anónimos. Aliás, normalmente eu nem sequer publico comentários anónimos. Repare que o "Eduardo" assinou o comentário dele e o Pedro tem uma conta registada.


Pedro disse...
«A OTAN bombardeou a Sérvia em 1999, que estava se defendendo dos terroristas islâmicos. A OTAN deveria deixar de existir pois é o braço armado dos globalistas.»

O problema é que no caso de países minúsculos como Portugal não temos alternativa. Não temos recursos nem dimensão suficiente para nos defendermos das agressões externas. Por exemplo, se não fosse Portugal ser membro da OTAN, a Espanha já teria provavelmente tomado as nossas zonas de pesca e as nossas ilhas. Aliás, Portugal também tem esse problema com a UE. Eu abomino a UE, mas a alternativa à UE é ficarmos sozinhos contra monstros económicos como a China, a Índia, os EUA, etc. Vocês, brasileiros, vivem num país grande. Apesar de todos os problemas de que a sociedade brasileira padece, vocês não imaginam o bullying e os abusos a que os países pequenos são sujeitos. Vimos isso durante a crise das dívidas soberanas, a diferença de tratamento dado à Espanha e à Itália e dado a Portugal, à Irlanda e à Grécia.

As nações infelizmente, são como os meninos no recreio da escola: os mais pequenos e fracos têm de arranjar amigos grandes, senão serão sovados por todos!