domingo, 15 de julho de 2018

Acabou o Mundial de Futebol de 2018...


Espero que tenham gostado!... E não se esqueçam que "o futebol é um desporto identitário"! 😜

100% identidade! 100% França!!!


 "Hihihihihihi... chupem, nacionalistas! Globalism wins!"

9 comentários:

JP disse...

Um dado curioso sobre a seleçao pretoguesa é que eles poderiam ter optado por levar jogadores como

José Sá-Guarda redes do Porto
Diogo Jota e Ruben Neves-Dois ex-jogadores do Porto

Mas não o fizeram pois esses jogadores são brancos demais, para jogar na seleçao pretoguesa tem de se ser preto e não saber jogar

Ao invés disso preferiram o William Carvalho,João Mário e o cigano Gonçalo Guedes


Viva o multi-culturalismo pah


Mal posso esperar para a seleçao pretoguesa ser comandada pelo filho mestiço do CR7 daqui a uns anitos

Anónimo disse...

https://www.jn.pt/justica/interior/casal-homossexual-brutalmente-agredido-em-coimbra-9596185.html

O que me ri com esta notícia hahahahahaha
Quem é que o Bloco vai defender?
Aposto consigo que esta notícia nem vai passar nos jornais nacionais.. afinal foram ciganos a agredirem gays, e como os ciganos também têm estatuto de vítimas da sociedade nem vai haver manifestações anti-homofobia (como aconteceu no caso da colombiana agredida no porto, em que houve manifestações anti-racismo)!
Convém não se falar sequer deste caso...

Já agora, a selecção da França (só) tinha 6 brancos nos convocados (!)
Dos 6 brancos (obs: não consegui confirmar o local de nascimento dos pais, mas consegui confirmar o país de origem das familias, que no fundo é o que interessa):
- Hugo Lloris tem pai catalão;
- Olivier Giroud tem ambas as avós italianas, tanto da parte do pai como da parte da mãe;
- Lucas Hernandez tem pai espanhol;
- Griezmann tem pai alemão e mãe portuguesa
- Florian TRISTAN MARIANO Thauvain - deste rapazinho não consegui confirmar a origem dos pais, embora tenha o primeiro nome e o apelido frances.. o segundo nome e o primeiro apelido deixam me com dúvidas. a própria aparencia não me parece 100% francesa. não me admirava que pelo TRISTAN MARIANO ele tivesse mãe espanhola
- sobra o Benjamin Pavard... (que segundo consta deve ser o único frances)

Belo futebol...

G, o Cigano

Anónimo disse...

Não seja injusto! As selecoes Africanas, Asiaticas e as do leste da Europa (ainda) foram minimamente identitarias...agora para as babilonias da Europa Ocidental foi o extase das segundas e terceira geracoes de terceiro mundistas cujos pais e avós vieram ser oprimidos para a velha Europa racista...mais uns aninhos e as referidas selecoes terão apenas 1 unico jogador branco como mascote.

Ass;FdT

Afonso de Portugal disse...

JP disse…
« Mas não o fizeram pois esses jogadores são brancos demais, para jogar na seleçao pretoguesa tem de se ser preto e não saber jogar»

Eheheheh… pelo menos, é o que parece! Claro que a verdade é que tivemos muita sorte no Euro 2016, jogámos quase sempre mal como o caraças e, se as regras não tivessem mudado, nem sequer tínhamos passado da fase de grupos porque ficámos em terceiro lugar! O Fernando Santinho convenceu-se de que era um grande treinador, quando na verdade a selecção pretoguesa teve mas é um valente mijo! Chegou a meter nojo em vários jogos, como no da Croácia! Mas já se sabe, o mijo não dura para sempre… na taça das confederações, o castelo de cartas começou a desmoronar-se. E agora, neste Mundial, o verdeiro valor da selecção pretoguesa ficou perfeitamente demonstrado: só não perdemos com a Espanha porque a diva da Madeira lá conseguiu marcar um livre ao fim de dezenas de tentativas falhadas; não conseguimos vencer o Irão e merecíamos ter perdido com Marrocos!


G, o Cigano disse…
«O que me ri com esta notícia hahahahahaha»

Ehehehe… realmente! Coimbra parece ter um grave problema com a “comunidade cigana”… os casos sucedem-se, desde há já uns anos…


« foram ciganos a agredirem gays, e como os ciganos também têm estatuto de vítimas da sociedade nem vai haver manifestações anti-homofobia (como aconteceu no caso da colombiana agredida no porto, em que houve manifestações anti-racismo)!
Convém não se falar sequer deste caso...
»

Pois, vai contra a narrativa da “opressão institucionalizada” por parte do pavoroso homem branco e da sua flagiciosa civilização ocidental !


«Belo futebol...»

O mais assombroso é que ainda há franceses brancos que vibram com estes “franceses”! Essa parte é que eu acho surreal!

Obrigado pelo link!


FdT disse…
Não seja injusto!

Injusto? Espero que o caro FdT esteja a ser irónico, porque a tendência aqui é clara, caro FdT! Vamos olhar para os vencedores dos últimos 20 anos:

Mundial 1998: Selecção mestiça da Fráfrica
Euro 2000: Selecção mestiça daFráfrica
Mundial 2002: Selecção mestiça do Bostil
Euro 2004: Selecção da Grécia
Mundial 2006: Selecção de Itália
Euro 2008: Selecção de Espanha
Mundial 2010: Selecção de Espanha
Euro 2012: Selecção de Espanha
Mundial 2014: selecção mestiça do Germanistão
Euro 2016: selecção mestiça de Pretogal
Mundial 2018: selecção mestiça da Fráfrica.

Ou seja, em 11 competições, 6 foram vencidas por selecções mestiças, sendo que as últimas três competições foram vencidas por selecções mestiças! E se formos olhar para os clubes nacionais dos países europeus, as equipas são cada vez mais mestiças! Recordo ao caro FdT que o “nosso” Vitória de Guimarães chegou a iniciar um jogo na Liga Europa sem um único europeu em campo!


«As selecoes Africanas, Asiaticas e as do leste da Europa (ainda) foram minimamente identitarias...»

Pois… a palavra-chave aqui é essa, “ainda”… quanto às selecções africanas e asiáticas, eu não estou à espera que se tornou mestiças tão cedo. Aliás, no caso das selecções africanas, eu não estou à espera que se tornem mestiças de todo! É que eles já são campões absolutos do único campeonato que realmente interessa, que é o da demografia!!!

Já agora, o caro FdT leia o que o terrorista que dirige o DN pensa acerca da vitória da selecção frafricana:

https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/ferreira-fernandes/interior/a-vitoria-politica-de-franca-9597009.html

Anónimo disse...

Estava de facto a ser irônico meu caro a situação é catastrófica. Os europeus deixara-se comer e ainda agradecem e quere mais, e se esse artigo do DN for a vangloriar o "multiculturalismo" como formula de sucesso para a vitória o caro Blogueiro vai me desculpar mas nem vou abrir, ainda me restam 5 dias de ferias num local bem simpático não me apetece vomitar devido aos delírios de 1 qualquer cuco lunático das nossas elites.

Ass:Fdt

Afonso de Portugal disse...

Ehehehe então não abra, caro FdT! Não abra, que eu não quero estragar-lhe as férias, até porque o caro FdT acertou em cheio no counteúdo do "artigo"! Aproveite para descansar e pensar noutra coisa, que às vezes nem eu próprio tenho vontade de ligar o computador e aceder à internet!

Anónimo disse...

Já se sabia que os mé(r)dia e os traidores iriam usar a vitória da selecção "francesa" para aumentar os níveis de propaganda, aconteceu o mesmo quando o "português" Eder marcou em 2016, mas viu-se bem aquilo que aconteceu ontem, os distúrbios em quase todas as maiores cidades francesas:

https://www.youtube.com/watch?v=FjL_maJHcVw

Recuso-me a apoiar uma selecção que usa o nome de Portugal, mas tem n jogadores de fora da Europa e isto devia ser o que todos os portugueses e europeus coerentes deviam de fazer, ou salvaguarda-mos a nossa identidade ou perdemo-la para sempre.
Uma nação para toda a gente é uma nação de ninguém.


assina
Paulo

José Silva disse...

Foi uma selecção mundial contra uma selecção nacional.
Assim não é justo!
A Croácia devia alegar ser a verdadeira vencedora do campeonato do mundo.

José Silva disse...

Foi uma selecção mundial contra uma selecção nacional.
Assim não é justo!
A Croácia devia alegar ser a verdadeira vencedora do campeonato do mundo.