domingo, 10 de junho de 2018

Tirania da UE: eurocratas preparam fim da internet livre e democrática na Europa


    Alguns de vocês já devem ter lido acerca disto n'O Insurgente ou no Algol Mínima, mas o canadiano Black Pigeon Speaks (BPS) deu-se ao trabalho de fazer um vídeo e eu dei-me ao trabalho de o traduzir e legendar.

Resumidamente, a Comissão Europeia, sendo a entidade antidemocrática e lacaia das grandes corporações globalistas que é, decidiu criar uma nova Directiva verdadeiramente orwelliana, alegadamente para proteger os direitos de autor. A tal Directiva, conhecida para já como Artigo 13, obriga as plataformas como o Facebook, o Twitter, o YouTube ou até o Blogger a instalar ainda mais filtros que detectem violações dos direitos de autor. Pior do que isso, o Artigo 13 contempla impostos pelo simples acto de colocar links na internet -sim, leram bem, a UE quer que os cidadãos europeus passem a pagar por fazer uma simples hiperligação num texto ou artigo!!!

Sobre o vídeo do  BPS em concreto, deixo aqui as seguintes duas notas:
 i. O termo Oceania (não confundir com o continente Oceânia) refere-se ao estado fictício totalitário criado por George Orwell no seu brilhantíssimo livro "1984";
 ii. A expressão "uso aceitável" é a tradução mais habitual aqui em Portugal para a expressão "fair use", um conceito legal vigente nos Estados Unidos, permitindo o uso de material protegido por direitos de autor em certas circunstâncias, como o uso educacional, a crítica ou comentário político, a divulgação de notícias e para efeitos de pesquisa/investigação. A ausência do "uso aceitável" no Artigo 13 é assim uma omissão muito grave, porque significa que ninguém na UE poderá usar material com direitos de autor sem pagar, seja em que situação for!

6 comentários:

Bilder disse...

Mais um passo para o estado "orweliano" sem dúvida.no entanto como vão cobrar algo aos "falsos perfis" que abundam na net(no face e nos blogs etc)?Será que vão a seguir atacar/censurar os ditos cujos(nos quais me incluo)?

Afonso de Portugal disse...

O BPS diz perto do fim do vídeo que ele acha que a superclasse vai tentar criar um "bilhete de identidade" para poder partilhar conteúdos na net. Eu concordo que esse é o próximo passo lógico. Ou seja, quem quiser partilhar algo no Facebook ou no YouTube terá de começar por identificar-se. O Twitter já exige um número de telefone para poder criar novas contas. O que a UE está a agora a querer impor implicitamente é que, para além disso, tenham de fornecer um BI e um número de contribuinte...

Quanto à censura de conteúdos, o caro Bilder não tenha a menor dúvida de que é possível. Como o caro Bilder certamente terá reparado, eu estou a traduzir aos poucos a excelente série "Misandria nos Mé(r)dia", criada pelo The Ignored Gender. Ora, precisamente ontem à noite, o The Ignored Gender carregou o episódio 26 da série... mas esse episódio nunca chegou a aparecer no YouTube! O que aconteceu foi que o YouTube detectou violações de copyright (até os anúncios têm direitos de autor) e bloqueou o vídeo mesmo antes de ser mostrado aos subscritores do The Ignored Gender! Portanto, os mecanismos que o BPS descreve não só são possíveis como, nalguns casos, já estão a funcionar!

Bilder disse...

Bom,então cá vamos andando enquanto nos deixarem.Outra alternativa é fazermos como os comunistas e afins,ir colar cartazes de noite contra a "ditadura" global.(lol,meu lol é de sarcasmo pois isto está cada vez menos para rir)

Afonso de Portugal disse...

Ahahahahah mas olhe que temos mesmo de rir, caro Bilder! A internet é um grande problema para a superclasse porque aproxima muitas pessoas que, há apenas umas décadas atrás, jamais fariam ideia de que havia mais alguém a pensar como elas. Muitos nacionalistas apenas sabem da existência de outros nacionalistas graças à internet: Sem ela, continuariam isolados, alienados na sua solidão ideológica ou, como dizem os gajos das "ciências" sociais, atomizados.

Quer queiramos quer não, muito do crescimento do Nacionalismo neste século deve-se à internet. Quanto? Não sei, mas diria pelo menos 50%. A minha esperança é que, mesmo que a superclasse consiga acabar com a internet, as pessoas tenham sido irreversivelmente acordadas. Que saibamos encontrar outras formas de localizar os nossos camaradas e de nos associarmos a eles na luta contra o monstro globalista...

Anónimo disse...

"a UE quer que os cidadãos europeus passem a pagar por fazer uma simples hiperligação num texto ou artigo"

Como assim? isso significa que, por exemplo, eu ou qualquer outro comentador poderíamos vir a ter que pagar 1 imposto ou uma multa por postar aqui o link de 1 artigo de uma pagina de um jornal?

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

A ideia é mesmo essa, caro FdT! Ou pagar ou não conseguir postar. Eu ainda duvidei a princípio, porque parece orwelliano demais para ser verdade, mas é a única interpretação possível do Artigo 13 e todas as pessoas que o denunciaram alertaram para isso.

Claro que, na prática, a UE não conseguirá implementar uma coisa destas nos próximos anos, será um objectivo para cumprir a longo prazo. Provavelmente começarão pelas redes sociais mais populares, como o Facebook, o Twitter e o YouTube, onde os links são facilmente detectáveis por serem criados automaticamente.

Aqui nos comentários do Blogger, os links são guardados como texto, pelo que seria necessário criar um algoritmo para separar o link do resto do texto. Mas não é de todo impossível: basta começar por identificar sequências de caracteres específicas como "http" ou "html" ou "bbc" ou "cnn" ou "breitbart" e depois criar uma rotina para testar o resto do texto em redor dessas expressões como sendo um link.

O objectivo da UE é muito claro: sob o pretexto de proteger os direitos de autor, impedir a propagação de "fake news", i.e. de notícias, artigos e comentários antiglobalistas.