quinta-feira, 14 de junho de 2018

Pediatra norte-americana refuta a ideologia de "género"


«A Dra. Michelle Cretella, presidente do American College of Pediatricians, expôs como os diagnósticos de "disforia de género" estão a ser feitos sem nenhuma preocupação com o bem-estar dos pacientes. Este relato junta-se aos diversos testemunhos pessoais de crianças que foram vítimas da ideologia de género.

Como se isso já não fosse um desastre, a Dra. Cretella ainda revela que as crianças submetidas ao tratamento hormonal na adolescência passam a apresentar maior risco de doenças cardíacas, cancro, derrames e diabetes. Milhares de pais e mães que, massacrados por impostos, mal conseguem pagar as contas, agora também terão arcar com os custos altíssimos destes tratamentos e do acompanhamento psiquiátrico, que acabará garantindo que seus filhos fiquem cada vez mais doentes, depressivos e suicidas. Tudo sob a tutela do Estado, que não irá parar até esvaziar completamente aqueles que decidiu escravizar.

Por fim, notem como o relato da Dra. Cretella se encaixa perfeitamente em muito do material que trazemos a vocês: a repressão ao comportamento masculino e a sobrevalorização do comportamento feminino - desde a infância, em desenhos, programas de TV, escolas, universidades. Desarmamento, pacifismo, ambientalismo... estas agendas têm como objectivo produzir uma crise antropológica, onde os homens se recusam a ser homens - e as mulheres se recusarão as ser mulheres. O não atendimento destas expectativas ancestrais culminará em sucessivas gerações de pessoas depressivas, confusas e infelizes.»

Sem comentários: