quarta-feira, 6 de junho de 2018

Michael Knowles: «Controle as palavras, controle a cultura» (com legendas)


      Mais um excelente vídeo acerca do Politicamente Correcto (PC) e do Marxismo Cultural (MC). Para queles que continuam sem perceber porque é que é o PC é absolutamente abominável, este vídeo do Sr. Knowles explica porque é que as elites -em especial as elites esquerdistas- tentam forçar a utilização de certas palavras em detrimento de outras: controlar o discurso significa controlar a forma com as pessoas pensam e agem na prática.




Não foi por acaso que o grande George Orwell, no seu cada vez mais relevante "1984", fez o governo IngSoc do estado totalitário da Oceania criar a novilíngua. Orwell compreendeu que não só era possível aprisionar as mentes das populações e castrar o próprio espírito humano através das palavras, mas também que os neomarxistas estavam apostados em promover a utilização de certas palavras e na eliminação de outras com esse objectivo sinistro em mente. Conforme se pode ler aqui:
«A novilíngua é uma linguagem controlada, de gramática restrita e vocabulário limitado, concebida para restringir a liberdade de pensamento - a identidade pessoal, a auto-expressão, o livre arbítrio- que ameace o regime do Grande Irmão e o Partido (IngSoc), criminalizando assim o pensamento.»
A famosa Lei C-16 do Canadá, a tal que obriga os cidadãos canadianos a usar os pronomes de género que lhes forem impostos, sob pena de serem multados, mostra-nos o quão visionário foi Orwell, para mal de todos nós. A Lei C-16 é efectivamente uma primeira implementação real da novilíngua orwelliana e um precedente muito preocupante para todo o Ocidente.

Insisto nesta questão porque continuo a verificar, para minha grande consternação, que a esmagadora maioria dos nacionalistas continua a não ser capaz de compreender que há uma guerra cultural em curso... e que nós, nacionalistas e identitários em geral, estamos a perder essa guerra! O nacionalista coerente tem de rejeitar todos os termos impostos pelos neomarxistas: o sexo não é o "género"; o imigrante não é "migrante", muito menos "deslocado"; o ilegal não é "indocumentado"; o parasita económico não é "refugiado", muito menos "pobre coitadinho" ou "ser humano como nós"; o preto não é "jovem"; o cigano não é "indivíduo" ou "feirante"; o corrupto não é "incompetente"; o terrorista islâmico não é "maluquinho"; o Estado Islâmico não é o "daesh"; o casamento é entre um homem e uma mulher, não existe "casamento homossexual"; o multirracialismo não é a "diversidade"; o aborto não é a "interrupção voluntária da gravidez"; a eutanásia não é a "morte medicamente assistida"; o racismo anti-branco não é a "acção afirmativa"; os nossos impostos não são "contribuição para a sociedade"; poupança não é "acumulação de capital", muito menos a "acumulação ilegítima de capital"; injectar dinheiro em bancos falidos não é "resgatar as instituições financeiras"; a subsidiodependência não é "redistribuir a riqueza"; etc......

2 comentários:

Anónimo disse...

Olhe deixo-lhe aqui 1 vídeo para a série "só os brancos são racistas".

https://www.youtube.com/watch?time_continue=110&v=kerNUkTTtyI

Tirado deste link:

https://www.indy100.com/article/new-york-subway-mother-racist-rant-brooklyn-child-seat-8385431?utm_campaign=Echobox&utm_medium=Social&utm_source=Facebook#Echobox=1528277346

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

Que "senhora" encantadora, caro FdT! Nem sei do que gosto mais, se da sua linda voz feminina, se do seu corpo curvilíneo e atraente, se da sua atitude ponderada e dignificante! ;P

Muito obrigado por mais esse link giríssimo!