sexta-feira, 8 de junho de 2018

Máfias indianas traficam a nacionalidade portuguesa


     Já tinha denunciado, aqui no TU, vários casos de falsificação massiva de documentos de identificação portugueses por parte de indianos, como por exemplo aqui ou aqui. Mas desde a última vez em que mencionei o assunto, esta situação tem-se agravado seriamente, havendo agora várias redes criminosas organizadas e dezenas de milhares de indianos, paquistaneses e bangladechianos com nacionalidade portuguesa falsa!

Muitos desses "portugueses" usam depois a sua nova "nacionalidade portuguesa" como porta de entrada noutros países da Europa. O Reino Unido, segundo está reportagem, já terá cerca de 20 mil "portugueses" de origem indiana...


____________
Ver também:

As falsificações de passaportes por indianos para obter nacionalidade portuguesa são recorrentes
SEF desmantela rede que falsificava documentos para "legalizar" indianos
Gangue de paquistaneses transportava imigrantes ilegais de Portugal para toda a Europa
Em Penamacor (Castelo Branco): indiano trabalhava para rede de imigração ilegal Mais uma rede de casamentos por conveniência envolvendo mulheres portuguesas
Rede alógena recrutava noivas no Porto e em Braga para casar na Turquia
Ainda sobre a rede turca que recrutava noivas em Braga e no Porto
No Porto: mulher condenada por casamento de conveniência
"Pretoguesa" condenada em Inglaterra por casamento de conveniência
Em Ourém: casal vibrante ("tuga" + bielorrussa) obrigava mulheres estrangeiras a prostituir-se 

5 comentários:

Anónimo disse...

Não sei se o caro Blogueiro reparou mas entre o final de Maio e a data de hoje apareceram várias noticias de crimes em Portugal que me deixaram com a pulga atrás da orelha...como não andava com grande paciência e tempo livre não as trouxe ao seu Blog mas marquei algumas e deixo aqui os links:

https://www.jn.pt/justica/interior/discussao-entre-mulheres-culmina-em-tiroteio-entre-maridos-na-lourinha-9361483.html

https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/homem-alvejado-por-recusar-ajuda-a-contrafacao-em-valongo

http://www.tvi.iol.pt/vocenatv/videos/ainda-esta-a-monte-o-autor-da-facada/5b1549560cf2c09c9a1681cb


...É que não sei se é só a mim que cheira a _I__N_S envolvidos nisto...e ainda haviam mais noticias de deixar com a pulga atrás da orelha mas entretanto perdi os links


Já a noticia no link abaixo "tresanda" a "jovens" mas acho que vamos ficar assim sem saber...

https://www.jn.pt/justica/interior/homem-baleado-em-cafe-em-almada-9424794.html

Anónimo disse...

foi o FdT que escreveu o último comentário, esqueci-me da assinatura :)

Afonso de Portugal disse...

Muito obrigado pelos vários links, caro FdT! Eu também tinha visto alguns deles, como o desse cigan... eer... perdão, desse falsificador de Valongo, mas também não o tinha guardado.

Aliás, quem anda apenas na internet não consegue apanhar tudo. Por exemplo, ainda ontem li na versão em papel do JN uma notícia sobre jovens (ou seriam "jovens"?) deliquentes de Cascais que se dedicavam a assaltar os taxistas locais... para darmos conta destas notícias todas teríamos de dedicar-nos a isto a tempo inteiro!

Anónimo disse...

"...para darmos conta destas notícias todas teríamos de dedicar-nos a isto a tempo inteiro!"

Claro...o que me intriga é perceber qual é a percentagem de "jovens" e "indivíduos" no crime violento em Portugal, mas como na maioria das noticias a identidade racial dos suspeitos não é revelada fica complicado analisar a coisa matematicamente...mas eu desconfio que eles são responsáveis por cerca de 50% da criminalidade violenta em Portugal.

Depois o "Zé" o "Manel" ou a Anabela vêm as noticias e dá-lhes para presumir que como se passou em território português os criminosos são "caucasianos" "como nós" e pronto não há mais assunto.

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

FdT disse...
«eu desconfio que eles são responsáveis por cerca de 50% da criminalidade violenta em Portugal.»

Nos EUA, a população prisional "jovem" anda na casa dos 60%, pelo que eu desconfio essa estimativa do FdT deve até ser optimista!


«Depois o "Zé" o "Manel" ou a Anabela vêm as noticias e dá-lhes para presumir que como se passou em território português os criminosos são "caucasianos" "como nós" e pronto não há mais assunto.»

Até porque é raríssimo os mé(r)dia mostrarem as fronhas dos criminosos "jovens" e "feirantes". Já quando o fulano é branco, é um fartote, aparece todos os dias e até logo na primeira página, como vimos durante a fuga do Pedro Dias há uns anitos...