sexta-feira, 8 de junho de 2018

«Jamais haverá um atentado terrorista islâmico em Portugal, pá!» (5)


 Um muito obrigado ao SanDisk por nos ter trazido aqui esta notícia:
«Aquando da visita do Papa a Portugal, os Serviços de Estrangeiros e Fronteiras recusaram a entrada no país a 126 pessoas. Em Fátima, um marroquino, casado com uma bombeira local, chegou mesmo a ser expulso do país depois de ter sido apanhado a fazer compras suspeitas de nitratos, substância usada para bombas artesanais, como noticiou na altura o semanário “Sol”.
As autoridades tentaram abafar a notícia para “Portugal não ficar nas bocas do mundo”, como disse então fonte ligada ao processo.»

A propósito deste último parágrafo, eu na altura escrevi isto:
«(...) mais uma vez se confirma que somos um país de parolos malformados! Portugal só ficaria "mal visto" lá fora tivesse havido mesmo atentado e mesmo assim, não muito... ou será que a Alemanha, a França, o Reino Unido e todos os outros países europeus onde já houve atentados ficaram mal vistos? E se ficássemos mesmo "mal vistos lá fora" para garantir a segurança dos nossos cidadãos, qual era o problema? Mal vistas ficam as nossas forças da autoridade com estas atitudes imbecis e subservientes!»
Mas voltando à notícia...
«Recorde-se que o Papa, depois da visita, condecorou as mais altas figuras dos serviços secretos e da Polícia Judiciária pelo seu desempenho na segurança do chefe da Igreja Católica.

A tentativa de atentado em Serralves vem de novo alertar as autoridades policiais, que têm vigiado com alguma permanência as mesquitas clandestinas em Lisboa e no Porto, tendo algumas madraças sob controlo apertado. Refira-se que as autoridades portuguesas têm contado com a colaboração da comunidade muçulmana que vive em Portugal e que nada tem a ver com os fundamentalistas que seguem as máximas do Daesh Estado Islâmico ['daesh' é a tua tia, pá!]. O Estado Islâmico procura arregimentar novos guerrilheiros e a península Ibérica sempre esteve presente nos discursos de Bakr al-Baghdadi, o autoproclamado ['autoproclamada' é a tua avó, ó escriba!] líder do ex-califado do Iraque e da Síria, que pretendia estender a sua influência ao antigo Al Andalus.»

Incrível! É incrível que alguém se diga jornalista e escreva desta forma tão descaradamente politizada, defendendo  abertamente a "comunidade muçulmana que vive em Portugal" e garantido que nada têm a ver com o Estado Islâmico, como se alguém pudesse garantir isso!
«Como estão a ser muito vigiados nos principais países europeus, é natural que queiram virar-se para Portugal”, diz fonte dos serviços secretos, acrescentando que as autoridades portuguesas estão bem atentas para evitar eventuais ataques.»

Claro que sim, tal como a protecção civil estava bem atenta antes do incêndio de Pedrógão Grande! O mais triste de tudo é que isto podia perfeitamente ter sido evitado, bastava termos olhado para o resto da Europa e constatado atempadamente a enorme desgraça que a imigração muçulmana representa para Europa. Mas os "tugas" só vão acordar no dia em que alguém da sua família seja feit@ em pedaços por um monte de merda maometano...

____________
Ver também:


«Jamais haverá um atentado terrorista islâmico em Portugal, pá!» (4)

Sem comentários: