terça-feira, 26 de junho de 2018

O (des)Governo "tuga" quer receber os "refugiados" que Itália e Malta recusaram!!!


     E que melhor forma de dar seguimento à notícia de ontem do que com o Cabrita a querer acolher os refujiadistas rejeitados pelos outros países europeus? Acordem, portugueses, porque ou vocês acordam, ou Portugal vai mesmo acabar!!!
«O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, orgulhou-se nesta terça-feira do consenso que existe em Portugal sobre a questão dos refugiados e revelou que o país está aberto para receber "refugiados" que estão a ser resgatados do navio humanitário traficante de seres humanos Lifeline, que chegará em breve a Malta.

 "Obrigado, Cabrita! Pretogal, aqui vamos nós!"

Durante a audição na comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias que decorre esta tarde no Parlamento, o ministro referiu que as entidades estão a trabalhar para dar as respostas sociais necessárias àquelas pessoas e anunciou que o Governo local de Malta pediu a Portugal e a outros países para acolher os 239 imigrantes que seguem a bordo do Lifeline, entre os quais se encontram mulheres e crianças.

Cá temos a cretinice al-pública habitual: "buááá, mulheres e crianças, pá!!!" Qual é a percentagem de mulheres e crianças face ao total?! E de homens em idade militar?!?!
«Sobre este assunto, falou também a deputada do PSD Emília Cerqueira, não colocando em causa a decisão do Governo, o que levou o ministro a dizer: "Tenho orgulho de viver num país em que temos muitas divergências com a oposição, mas esse tema nunca foi um tema de fractura", afirmou. Na audição parlamentar, motivada por requerimentos do PSD e do CDS/PP relacionados com os meios aéreos de combate a incêndios e limpeza de terrenos, Eduardo Cabrita salientou que Portugal é um dos países que melhor integram os imigrantes, ocupando o segundo lugar na lista europeia. Ainda relativamente à questão das imigrações, o ministro da Administração Interna garantiu que Portugal participará com "responsabilidade e solidariedade" na resolução à escala europeia daquele problema.»

 Algumas das mulheres e crianças a bordo do Lifeline...

«Eduardo Cabrita referiu também que Portugal foi o sexto país que recebeu mais imigrantes vindos da Grécia e de Itália, tendo colocado em prática vários programas de recolocação. Adiantou igualmente que Portugal está a preparar um outro programa para receber "refugiados" de países terceiros, sendo disponibilizada aos interessados informação útil sobre Portugal como país de acolhimento.
O barco da organização não-governamental (ONG) alemã Mission Lifeline não recebeu permissão para atracar em Itália e navegava há vários dias sem ter um porto de abrigo como destino, devido às dificuldades levantadas pelos países do sul da Europa.»

E vocês, caros leitores, não estão orgulhosos? Orgulhosos de serem (des)governados e traídos por uma classe pulhítica que, em uníssono, apoia a vinda dos imigrantes terceiro-mundistas que o resto da Europa rejeita? Reparem bem na frase que eu sublinhei a cor vermelha no texto da notícia: «Tenho orgulho de viver num país em que temos muitas divergências com a oposição, mas esse tema nunca foi um tema de fractura»! Ainda querem maior prova de que não há qualquer diferença significativa entre os diferentes partidos com assento par(a)lamentar? Ainda têm dúvidas de que só mesmo o Nacionalismo é solução???

____________
Ver também:


A 'geringonça' insiste em tentar destruir Portugal: (des)governo quer 75 mil imigrantes por ano!  
Bosta das Índias: «Portugal precisa da imigração para resolver problema demográfico»
Arrogância alógena: imigrantes exigem ainda mais facilidades na Lei da Nacionalidade!
Obsceno: filhos de imigrantes passam a ser "portugueses", mesmo sem terem nascido em Portugal!
Par(a)lamento "tuga" aprova acção afirmativa para os "jovens" em Portugal!
Nova lei da imigração levou a um aumento recorde dos pedidos de residência em Portugal!
(des)Governo "tuga" facilita ainda mais a legalização de imigrantes!
O Costa nas Índias: "venham todos para Portugal, manos!"
Portugal já recebeu 1402 refujiadistas. Todos os meses continuam a chegar mais!
Dois em cada cinco "refugiados" abandonaram Portugal 
Ainda sobre os "refugiados" que vieram para Portugal e decidiram dar de frosques...
«O povo português está a desaparecer»
Escolhem-se nomes cada vez mais exóticos em Portugal
ATAPENC (96): já haverá 1,4 milhões de imigrantes de primeira e segunda gerações em Portugal 

13 comentários:

RAMIRO LOPES ANDRADE disse...

Ai ai ai.

Estão todos malucos.
Ai que porra de governantes que temos.
É melhor ir já comprar umas metralhadoras e bazucas, para bombardear o palacio de Belem, para ver se o Marcelo atina.

Abraços Afonso.

Ramiro Lopes Andrade

Afonso de Portugal disse...

Isso não adiantaria de nada, caro Ramiro. Iríamos parar à prisão e o Marcelo seria substituído por alguém igual ou pior. Isto só tem uma solução possível: é preciso perdermos o receio de votar em quem quer controlar a imigração. Nada mais adiantará!

Abraços!

Pequena Marilu disse...

Eu acho que nunca tinha visto tantas mulheres com o cabelo rapado XD

Afonso de Portugal disse...

Ehehehehe deve ser a nova moda lá em África! ;)

Anónimo disse...


Os deuses nunca se enganam!
À espera do próximo no triângulo das Bermudas: Guterres na ONU, Vitorino nas Migrações, Cabrita nos Refugiados...

É a mistela da misticulturalidade das polionacionalidades!

Um abraço.
Nuno

Afonso de Portugal disse...

Um autêntico triunvirato de morte, caro Nuno! Mas devíamos reflectir sobre isso: por que motivo é que Portugal apenas parece ser capaz de produzir políticos globalistas? Onde estão os nossos identitários? Seremos assim tão rascas como povo que só temos oportunistas para colocar no poder?

Um abraço e bem-vindo ao TU (assumindo que esta é a primeira vez que comenta)!

Anónimo disse...

Há anos, leio em alguns sites portugueses conservadores, de que a única saída para Portugal é sair da UE. Como a tal "Revolução dos Cravos" serviu mesmo para colocar no poder os socialistas e são esses os que dominam a UE (à sorrelfa está a Maçonaria), somente um movimento nacionalista, para dar cabo dos parasitas e antipatriotas que assolam a nação portuguesa.

Eduardo - Brasil

Anónimo disse...

Que mal é que o povo portugues fez para merecer esta gente?! AH QUE PERGUNTA! uma grande parte do povo pensa como eles e a outra parte está-se nas tintas! Enfim os Italianos também demoraram 10 anos para acordar...mas em boa verdade nós já andamos a receber quantidades industriais de jovens há pelo menos 30 anos...

Ass: FdT

Kyndjal disse...

eu estou é curioso como os media vão relatar os futuros ataques em portugal:
"um coitadinho maluco"
"uma vítima de racismo"
"foi por estar desempregado"
"estava bêbado"
"queria demonstrar multiculturalismo mas a rapariga,sendo nacionalista racista retrógada,não foi uma boa cidadã e não abriu as pernas para ele."
aposto que vai ser hilariante.
quanto mais eles vierem para cá melhor,pois não ha nada melhor que um ferro em brasa pelo cu acima para despertar os tugas.e se os tugas não despertarem...lamento,mas não vou ter pena dos meus conterrâneos nesse caso.um povo que não luta por si mesmo -não obstante o que a classe pulhitica diga e faça- não merece viver.

ZeroZero disse...

Acho que isto é mais "euro-política" do que política de imigração porque é um "choradinho" e uma pressão política para com o novo governo Italiano.

Afonso de Portugal disse...

Eduardo disse..
«Há anos, leio em alguns sites portugueses conservadores, de que a única saída para Portugal é sair da UE.»

Portugal é um caso muito complicado por três motivos: (1) é um dos países mais periféricos da Europa, estando por isso muito dependente do acesso ao mercado comum europeu; (2) é um país com uma passado colonialista omnipresente, sendo que as elites portuguesas defendem o aprofundar da ligação de Portugal aos países CPLP; o actual-primeiro ministro, o indiano António Costa, defende inclusivamente a criação de um “Espaço Schengen de Lusofonia”, i.e. a livre circulação entre pessoas e bens entre todos os países da CPLP; (3) Portugal desmantelou, nos últimos 40 anos, a maior parte da sua capacidade industrial interna, abandonou a agricultura e as pescas; em paralelo, deixou-se endividar colossalmente, sendo que a nossa dívida pública está sobretudo nas mãos de “investidores” estrangeiros; nesta situação, sair do Euro seria um autêntico desastre económico, seria a maior bancarrota da nossa história!

Eu odeio a UE com todas as forças do meu ser, mas estamos entre a espada e a parede. Portugal não pode abandonar a UE na conjuntura actual. Os portugueses habituaram-se a um estilo de vida muito acima das suas possibilidades e nível produtivo e muitos deles nem sequer entendem a presente fragilidade da nossa Nação. Nós não produzimos nada -ou quase nada-, nem sequer aquilo que consumimos! E as poucas empresas portuguesas de sucesso são exportadoras, pelo que o fim da UE representaria a dissolução do pouco que temos…


«Como a tal "Revolução dos Cravos" serviu mesmo para colocar no poder os socialistas e são esses os que dominam a UE (à sorrelfa está a Maçonaria), somente um movimento nacionalista, para dar cabo dos parasitas e antipatriotas que assolam a nação portuguesa.»

A situação é tão grave que, mesmo que o Nacionalismo chegasse ao poder e começasse a fazer tudo bem, seriam precisas décadas –Sim, DÉCADAS!- para reconstruir o nosso tecido produtivo. O estado de dependência de Portugal face ao exterior é como o de um animal doméstico que não consegue sobreviver sem o seu dono…


FdT disse…
«(…) uma grande parte do povo pensa como eles e a outra parte está-se nas tintas! Enfim os Italianos também demoraram 10 anos para acordar...mas em boa verdade nós já andamos a receber quantidades industriais de jovens há pelo menos 30 anos...»

Sim, essa parte preocupa-me bastante, já temos “jovens”, “feirantes”, “indivíduos” e afins em quantidade suficiente para que o povo português votasse de outra forma. A inércia política dos portugueses é uma das suas facetas que mais me inquietam em relação ao nosso futuro…

Afonso de Portugal disse...

Kyndjal disse...
«eu estou é curioso como os media vão relatar os futuros ataques em portugal»

Receio bem não vá sr muito diferente daquilo a que temos visto no resto da Europa… aliás, a avaliar pelo currículo (“jovens”, “indivíduos”, etc.), poderá até ser pior!


«quanto mais eles vierem para cá melhor,pois não ha nada melhor que um ferro em brasa pelo cu acima para despertar os tugas.e se os tugas não despertarem...lamento,mas não vou ter pena dos meus conterrâneos nesse caso.um povo que não luta por si mesmo -não obstante o que a classe pulhitica diga e faça- não merece viver. »

Há muitos nacionalistas que pensam como o caro Kyndjal, mas eu acho que não vai ser assim tão fácil. Não acredito numa guerra racial em Portugal. Veja-se o caso do Brasil, por exempl: os brancos brasileiros nunca se revoltaram contra os abusos das “minorias”. Simplesmente acataram. E na África do Sul ainda é pior, estão a ser pura e simplesmente exterminados! Também nós acataremos, receio bem. Havemos de viver rodeados por alógenos sem nunca levantarmos um dedo. As nossas mulheres casam cada vez mais com eles e têm cada vez mais filhos deles. Ninguém parece importar-se! Os nossos homens resignam-se, tal como se resignam os homens brancos do resto do Ocidente.


Zero-zero disse…
«Acho que isto é mais "euro-política" do que política de imigração porque é um "choradinho" e uma pressão política para com o novo governo Italiano.»

O objectivo, em última instância, é receber mais dinheiro da UE. Nisso, o (des)governo “tuga” nunca falha. Por isso, sim, podemos falar em euro-política.

Anónimo disse...

"Nós não produzimos nada -ou quase nada-, nem sequer aquilo que consumimos!"

Já tinha reparado nisso também. Os morangos que compramos aqui são quase sempre de Espanha, até cebolas são importadas. Não consigo perceber como é que este país com clima tão bom para agricultura, não consiga ser autossuficiente em frutos, vegetais e até cereais! Importamos 80% dos cereais, é ridículo

Nuns posts anteriores você também comentou em como a degenerada da Suécia tem marcas de carros e nós nunca as tivemos. Tenho interesse em automóveis e dou-lhe boas notícias: já criámos as nossas marcas!!! Iô! Veja só estas belezas:

https://www.portal-energia.com/sucesso-do-carro-eletrico-portuges-veeco-esgotou-producao-para-2016/
http://www.asterioroadsters.com/
http://adamastor.com.pt/
https://www.vortexmag.net/coisas-que-voce-nao-sabia-11-marcas-de-carros-portugueses/

Não são os mais práticos ou acessíveis, mas são nichos bastante interessantes. Claro que há outros que não foram tão bem-sucedidos como o péssimo Vinci GT, criado por uma empresa ambiciosa mas que não tinha capacidades para tal e acabou por causar o desemprego de muitas pessoas… uma "tuguice" que tem de se evitar em projectos futuros.

Espero que já tenha visto o nosso site que lhe mostrei no Google+, tem lá algumas notícias automobilísticas com fotografias minhas!

Ass.Rui