terça-feira, 22 de maio de 2018

“Deus fez-te assim. O Papa ama-te assim”, disse o Bergoglio a um rabeta!

    
     Antes de mais, caros leitores, peço-vos desculpa por não ter respondido aos vossos comentários mais recentes, ao contrário do que é meu hábito aqui no TU. Tenho andando ocupado com outras andanças, pelo que me tem sobrado pouco tempo para a blogosfera. E, infelizmente, a situação deverá manter-se até ao próximo fim-de-semana, pelo que vos peço que sejam pacientes.

Quero também deixar bem claro aos leitores católicos do TU que esta posta, tal como a anterior, não tem como objectivo atacar a Igreja Católica, mas única e exclusivamente o clérigo que a protagoniza. Como tenho dito várias vezes nos últimos anos, aquilo que eu desaprovo sobretudo na Igreja Católica é o comportamento absolutamente condenável de alguns dos seus clérigos e não tanto a religião em si.

Agora vejam só o que o papa Chico(-esperto) disse há uns dias a um panasca chileno:
«O Papa Francisco disse a um homem que sofreu abusos sexuais por parte de um padre chileno que não há problema em ser homossexual, que Deus o fez assim e o ama de qualquer maneira.»

Mas... mas... mas então e isto?
«Não te deitarás com um homem como se ele fosse uma mulher; é uma abominação
-Levítico 18:22
«Quando um homem se deitar com outro homem como se com mulher, ambos terão cometido uma abominação; terão seguramente de ser mortos; o seu sangue será sobre eles.»
-Levítico 20:13
«(...) também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm
-Romanos 1:27-28 
«Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.»
-Coríntios 6:10
Ora, mas para quê dar valor aos evangelhos, esses escritos anacrónicos e bolorentos da autoria de homens brancos mortos, quando agora o Chico tem a "verdade" do "progresso" e da "modernidade"? Regressemos à notícia:
«Juan Carlos Cruz foi uma das vítimas do padre Fernando Karadima — um padre chileno que cometeu abusos sexuais na década de 80 e que foi condenado pelo Vaticano — que o Papa Francisco recebeu pessoalmente em Roma, num momento em que a discussão em torno dos abusos sexuais por parte de membros do clero voltou a estar em cima da mesa no Chile, depois da visita de Francisco ao país.

“Ele disse-me: ‘Juan Carlos, o facto de tu seres gay não interessa. Deus fez-te assim, ama-te assim e eu não quero saber. O Papa ama-te assim. Tens de ser feliz com quem és”, disse Juan Carlos Cruz ao jornal espanhol El País.»

"Epá, a Nossa Senhora, não, que Sua Santidade gosta é do menino Jesus!"


Portanto, para quem ainda estiver a esfregar os olhos de incredulidade, o Bergoglio não podia ter sido mais claro: «Eu não quero saber, o papa ama-te assim»! Regozijem, panascas de todo o mundo, o papa da ICAR gosta de vocês assim mesmo, todos bem enrabadinhos e sidosos!
«Depois da famosa expressão “quem sou eu para julgar?”, que o Papa Francisco usou a respeito dos homossexuais em 2013 e que deu origem a um livro com o mesmo nome, o líder dos católicos vai agora mais longe no discurso de abertura da Igreja aos homossexuais.»

Pois, até nisso age como um marxista cultural, dando um passinho de cada vez; começa por não julgar, depois aceita e agora até já ama... pelo andar da carruagem, ainda acaba o pontificado a incentivar! Mas pronto, eu também não posso falar muito, uma vez que Portugal é precisamente o país onde este escroque tem mais popularidade... se os católicos portugueses estão contentes, "quem sou eu para julgar"? 😈

____________
Ver também:

Padre transmontano defende marcha do orgulho panasca em Bragança
Robert Spencer denuncia o escroque Bergoglio, o pior papa de sempre!
Sobre tudo aquilo que o escroque Bergoglio (não) disse acerca do Islão
Sobre a hipocrisia monumental do escroque Bergoglio
Comandos portugueses arriscam a vida para salvar um bispo islamófilo e os seus queridos muçulmanos
Em Itália: a máfia infiltrou-se nos serviços de asilo com ajuda de... uma associação católica!
Mais uma nojice da Cáritas...
Líderes evangélicos dos EUA assinam carta contra Donald Trump!
O escroque Bergoglio volta a exigir aos outros o que ele próprio não faz
O escroque Bergoglio atribuiu medalhas às suas prostitutas favoritas!
Sobre as várias barbaridades que o escroque Bergoglio disse esta semana...
O Papa Chico(-esperto) foi finalmente consagrado como um traidor à Europa pelos seus pares!
No Reino Unido: mais vigarice por parte do clero local
Mais um clérigo cristão traidor... 
O Arcebispo de Colónia volta a atacar!
Cardeal Patriarca de Lisboa decide dar uma de Bergoglio!
Papa Chico(-esperto) volta a choramingar pelos refujiadistas
Nos EUA: personalidades católicas assinam carta aberta contra Donald Trump
«A Europa deve "construir uma sociedade mestiça"»
Bergoglio pede aos padres para perdoarem o aborto
Koa Bosco, a equipa que veio do terceiro-mundo
Igreja Católica apela aos Portugueses para que se vistam de branco pelos imigrantes
Papa Chico(-esperto) diz que "há limites para a liberdade de expressão"
O Cristianismo volta a bater o pé ao Nacionalismo na Alemanha
Cardeal pede para Vaticano acolher gueis
Papa Chico (-esperto) quer mais imigração para a Europa 
Bergoglio diz que Donald Trump "não é cristão" por "querer construir muros". Trump responde à letra. 
Ainda sobre a troca de galhardetes entre o Papa e Donald Trump
Papa Chico(-esperto): "Buááá, não tratem os imigrantes como mercadorias, buááá!!!"
Mais uma cretinice por parte do Papa Chico(-esperto) 
Padre Católico norte-americano relativiza passagens violentas do Alcorão
Primeiro infectado com ébola a chegar a Europa é... um padre católico, pois claro!
O Papa Chico(-esperto) fala claro: os países ricos devem sacrificar o seu crescimento
Deprimente: Portugal é o país onde o papa Francisco tem mais popularidade! 
Papa Chico, o podólatra!

19 comentários:

João disse...

Esse cão deita para trás séculos de doutrina. E, seguindo a lógica do herege, por essa ordem de ideias Deus faz A guei, B criminoso, C poeta, D médico, etc. Deus determina o que cada um vai ser e assim se vai o livre-arbítrio, a responsabilidade e tudo o mais. Isto não é catolicismo, pode ser uma espécie de calvinismo ou outra porcaria qualquer, catolicismo não é. Mas enquanto este cão manda cá para fora as suas heresias também se vai vendo quem é realmente católico, quem persevera na verdade e aqueles que estão com a seita bergogliana. Alguns por ignorância (mas isso cura-se), muitos por interesse, todos por culpa própria.

Ricardo Amaral disse...

Para julgar "não é ninguém" mas para enganar milhões(boa parte até gosta)já parece ser um "grande pastor".

um Grego disse...

Talvez é possível que Francisquinho é admirador do "fado bicha"?

Afonso de Portugal disse...

João disse...
«(...)seguindo a lógica do herege, por essa ordem de ideias Deus faz A guei, B criminoso, C poeta, D médico, etc. Deus determina o que cada um vai ser e assim se vai o livre-arbítrio, a responsabilidade e tudo o mais.»

É isso, Deus criou toda a gente, portanto, não podemos julgar ninguém! Caímos no relativismo moral absoluto em que "toda a gente tem as suas razões" e ninguém pode realmente ser julgado. É o mito do bom selvagem do Rousseau levado ao extremo!


«Alguns por ignorância (mas isso cura-se), muitos por interesse, todos por culpa própria.»

A respeito disso, hoje cliquei por engano numa crónica 'premium' da direitinha despudorada Maria João Marques. A triste criatura voltou a enaltecer o feminismo, o casamento do príncipe britânico com uma divorciada mestiça... e esta atitude homofílica do Bergoglio! E claro, aproveitou para criticar os conservadores "retrógrados", antifeministas, homofóbicos, o Brexit, etc. O que vale é que com o 'premium' esta vacória já só fala para meia-dúzia de idiotas formatados como ela!


Ricardo Amaral disse...
«Para julgar "não é ninguém" mas para enganar milhões (boa parte até gosta) já parece ser um "grande pastor".»

Pois, ele diz que não julga mas não julga é pouco: julga e condena veementemente os verdadeiros católicos e os poucos ocidentais que ainda defendem a sua civilização!


um Grego disse...
«Talvez é possível que Francisquinho é admirador do "fado bicha"?»

Eheheheh... não apenas do fado, mas provavelmente de outras "manifestações culturais" bichas também, caro Grego! ;)

João José Horta Nobre disse...

Não tenho pena nenhuma da Igreja Católica e por mim, a mesma podia desaparecer já da face da Terra de uma vez por todas! Estou farto até ao pescoço de ver a padralhada a enganar a população com superstições judaicas e encher a pança à custa do dinheiro que sacam ao povo por via do engano.

Afonso de Portugal disse...

O caro JJHN já manifestou essa sua posição noutras ocasiões, pelo que eu apenas posso dizer isto: a maioria dos nacionalistas portugueses são católicos. De acordo com o único estudo realizado em Portugal sobre o tema, só haverá cerca de um milhar de pagãos em Portugal. Além disso, a esmagadora maioria dos ateus portugueses, aliás ocidentais, são de esquerda, não são de direita. Digo-lhe mais, caro JJHN, eu sou o único ateu de direita que conheço na minha vida pessoal... e em toda a blogosfera nacionalista só encontrei mais um ateu assumido, o ex-ariano, um dos três cretinos que se juntou ao anormal do Lá Lá Cardo para nos tentar deitar abaixo!

Ao longo dos anos, vi a audiência do Gladius esvaziar-se gradualmente a cada nova posta anticatólica. Isso não pode acontecer, não podemos alienar estas pessoas, muitas das quais têm um enorme valor intelectual, só porque não gostamos do seu credo. Há uma diferença entre criticar e diabolizar, caro Mestre Nobre. O cristão médio não tem culpa de ter sido educado por cristãos e de ter herdado o Cristianismo dos seus pais, que por sua vez o herdaram dos seus avós e por aí em diante. Há muita coisa no Cristianismo que eu também desaprovo, mas há muitas outras que têm valor. Por exemplo, mais nenhuma instituição prega a defesa da família para além da ICAR. Ou pregava, porque agora o papa ama os guei, mas o ponto permanece.

Mas mesmo que nada no Cristianismo se aproveitasse, a cabeça das pessoas não se muda insultando-as e desprezando-as. Convencer um cristão a deixar de o ser é uma tarefa tão difícil como convencer um benfiquista a ser portista ou vice-versa. Eu sei que o JJHN acha que não precisa dessas pessoas para vencer, mas eu não concordo. Aliás, discordo totalmente. Sem elas, a vitória contra o globalismo afigura-se-me impossível. Foram elas, por exemplo, que fizeram do PNR aquilo que é, não foram os pagãos, nem os ateus. Além de que eu já sou um burro velho, pelo que aprendi a seguir quem faz alguma coisa, não quem apenas diz que faz... dos que só falam, já estou pela ponta dos cabelos!

Um abraço!

um Grego disse...

"Eheheheh... não apenas do fado, mas provavelmente de outras "manifestações culturais" bichas também, caro Grego! ;)"

LOL!!!!!!





Helena BC disse...

Caro Afonso, concordo consigo, de um modo geral, mas confesso que fiquei baralhada com a seguinte afirmação : " Foram elas, por exemplo, que fizeram do PNR aquilo que é, não foram os pagãos"... até parece q o PNR é alguma coisa de jeito... ora, ora, será justamente por isso ?

Que mania têm as pessoas do PNR pequenino de acharem que se fazem notar ou têm qualquer influência, isso sim seria possível se modificassem muita coisa e fico por aqui pq não tenho intenções de atacar ninguém, façam lá os partidos do tamanho que a visão permite.

Bilder disse...

Tendo bastante a concordar com o que diz sobre o cristianismo/catolicismo(neste caso o tuga)e eu não sou de forma alguma,nem nunca fui,adepto do catolicismo(basta ver meu blog "o que deus quer" no blogspot).Tragicamente a maioria das pessoas(nomeadamente na religião,mas also no futebol e nos partidos/ideologias)deixam-se formatar(ou são formatas desde criança)seja por interesse ou por necessidade(e sabemos como emocionalmente e psicológicamente o ser humano,em geral,é frágil e necessitado de acreditar e seguir algo aderindo a grupos vários).Eu já postei ou comentei algures que a Igreja católica romana(que eu aliás não vejo como cristã se formos ver os termos originais e escritos nos evangelhos,independentemente de acharmos,ou não,que todo o cristianismo é mais negativo que positivo)já não devia sequer existir tendo em conta a falência da mesma a todos os níveis(há quem afirme que só se mantém à tona por ser parte,desde algumas décadas,da "cabala globalista",sendo agora mais evidente com o papa Chico).

Afonso de Portugal disse...

Helena BC disse…
«Que mania têm as pessoas do PNR pequenino de acharem que se fazem notar ou têm qualquer influência, isso sim seria possível se modificassem muita coisa e fico por aqui pq não tenho intenções de atacar ninguém, façam lá os partidos do tamanho que a visão permite.

Cara Helena, o PNR até pode ser pequenino, mas há algum outro projecto nacionalista em Portugal com maior dimensão? Aliás, há algum outro partido nacionalista legalizado? É que a questão é essa! O Nacionalismo precisa de poder efectivo para poder operar mudanças… e isso, nas circunstâncias actuais, só virá através da colheita dos votos dos portugueses!

O meu problema com muitos dos críticos do PNR -e não estou a incluir necessariamente a Helena nesse lote- é que a alternativa deles ao PNR parece ser ficar em casa, bem alapados no sofá, a mandar umas larachas sobre tudo e mais alguma coisa, mas sem nunca fazer nada de nada! Ou, na melhor das hipóteses, a actualizar a sua página de Facebook com propaganda política que só é lida para algumas dezenas de pessoas. Há algumas excepções honrosas, como a Associação Portugueses Primeiro, mas a maioria dos projectos alternativos ao PNR é absolutamente deprimente, caracterizada por uma inércia e uma letargia verdadeiramente patológicas… para não dizer altamente contraproducentes!

Além de que o PNR tem crescido sustentadamente. Pouco, é verdade, mas tem crescido. A dura realidade é que, no panorama nacionalista político português, não há mais vida para além do PNR…

Afonso de Portugal disse...

Bilder disse…
«Tragicamente a maioria das pessoas( nomeadamente na religião, mas also no futebol e nos partidos/ideologias) deixam-se formatar (ou são formatas desde criança) seja por interesse ou por necessidade»

É isso, “é de pequenino que se torce o pepino” e também é de pequenino que se fica com o cérebro todo lavadinho, para o melhor e para o pior. É por isso, por exemplo, que os marxistas e os homossexuais querem começar a “educar” as crianças logo em idade pré-escolar. Eles sabem perfeitamente que há uma idade certa para incutir (des)valores, depois é muito mais difícil…


«Eu já postei ou comentei algures que a Igreja católica romana (…) já não devia sequer existir tendo em conta a falência da mesma a todos os níveis»

Não sei se posso concordar que é “a todos os níveis”. A religião é uma instituição que transcende as formalidades das orações, das celebrações eucarísticas e dos dias santos. Um fenómeno que causa perplexidade a muitos ateus esquerdistas é o facto haver muitos cientistas cristãos que lidam diariamente com conceitos darwinianos no seu trabalho mas que, para espanto desses ateus, permanecem cristãos. Eu até percebo a estupefacção desses ateus esquerdistas, mas constato com desagrado que a mesma apenas denota uma ignorância grosseira daquilo que é a realidade da vida em sociedade: a religião não é apenas um conjunto arbitrário de regras, é também um conjunto de valores colectivos coligidos ao longo de séculos (ou até milénios), que são adoptados por uma comunidade que depois regula a sua convivência mútua através da observância desses valores; abdicar unilateralmente da religião é por isso recusar o referencial moral ancestral da comunidade, sendo que poderá haver penalidades sociais significativas para aqueles que enveredarem pelo ateísmo.

Os muçulmanos levam esta lógica ao extremo, com o Corão a recomendar a morte para àqueles que abandonarem o Islão. Mas as comunidades cristãs, sendo muito mais moderadas que os islâmicos, também tendem a exercer represálias sobre os descrentes -e a meu ver, bem, do ponto de vista cristão, porque não se pode manter uma comunidade coesa permitindo a coexistência de vários referências morais.

Onde eu quero chegar é ao seguinte: a religião cumpre uma função que o Estado geralmente não cumpre, que é oferecer aos cidadãos um desígnio superior que transcende a nossa existência terrena e, ao mesmo tempo, que nos unifique sob esse desígnio. Exemplo: as cruzadas. Muitos cristãos continuam a sê-lo também porque entendem que o potencial de unificação do povo sob a bandeira do Cristianismo ainda permanece. Eu não sei se eles têm ou não razão… se tiverem então terão certamente de mudar de clérigos para concretizarem esse potencial. Mas não creio, muito sinceramente que a ICAR esteja acabada. Ela está feridade de morte, é certo, mas só estará acabada quando os fiéis desistirem dela em definitivo.

Helena BC disse...

Caro Afonso, não é fácil, para mim, falar do Nacionalismo e do PNR, por variadíssimas razões, uma delas é que não gosto e não quero dizer mal de quem lá anda a custo do seu próprio bolso a fazer acções atrás de acções, verdade seja dita.
Seria por isso mais interessante ter uma conversa apenas consigo, mas não sendo possível aqui deixo apenas algumas linhas porque não quero dizer muito mais do que já disse.

É um facto que não existe mais nenhum partido nacionalista legalizado e julgo que também não existe nenhum não legalizado, mas isso agora não interessa. Lá por ser o único não quer dizer que tenha de ser bom apenas por isso, acho que baralham quantidade com qualidade e muitas das acções que fizeram, sei de muitas e posso enumera-las, acabam por não surtir mais efeito porque, para mim, são mal escolhidos os locais e algumas vezes a mensagem é errada, ou não é bem trabalhada no sentido de cativar, logo passa a efeito nulo. Por mero exemplo, a Greve da Fome, serviu para quê ? sim concordo com uma greve de fome, mas não para tentar chamar a atenção, ninguém ligou, os desgraçados passaram fome e muito frio, Fevereiro no Terreiro do Paço (acho q foi em Fevereiro) à fome e ao frio é de homem. Eu teria apostado numa greve da fome em frente à Assembleia da República para chamar atenção das condições de muitos portugueses que cada vez têm menos dinheiro e em vez disso tivemos frio e fome que foi um lamento porque a comunicação social não lhes dava voz. Estive lá sei do q falo. O Afonso tbém lá esteve ?
Esta acção é um dos exemplos, muitos muitos poderia citar.
Defender um partido só porque é o único não é quanto baste.
Aliás, não leve a mal, o PNR é um partido legalizado logo pode pôr uma fotografia sua e o seu verdadeiro nome porque dessa forma ajuda o PNR, de cara tapada só ajuda a que as pessoas pensem que muitos têm medo ou vergonha de mostrarem quem são.
Poderei continuar em diálogo consigo com o maior gosto e espero que entenda da melhor forma a crítica que lhe fiz.
Como lhe disse há dias no outro local onde nos encontramos, não pertenço a nada e muito menos a qualquer associaçção/movimento ou partido.
Posso falar do PNR apenas como eleitora como falo de outro partido qualquer, mas nota-se que tenho maior cuidado, respeito e sobretudo carinho, quando falo acerca de ideais semelhantes ou iguais.
Há muita coisa boa no PNR.
Há de facto, verdade seja dita, muitas pessoas que dizem mal dos partidos do sistema e que depois não saem do facebook.
Se me faltou falar de qquer coisa, dir-me-à e responderei.
Aceite os meus cumprimentos.
Desejo-lhe a maior sorte no PNR A Bem Da Nação !
É que como Afonso de Portugal pode até ser o Zé Pinto Coelho

Bilder disse...

"Onde eu quero chegar é ao seguinte: a religião cumpre uma função que o Estado geralmente não cumpre, que é oferecer aos cidadãos um desígnio superior que transcende a nossa existência terrena e, ao mesmo tempo, que nos unifique sob esse desígnio. Exemplo: as cruzadas. Muitos cristãos continuam a sê-lo também porque entendem que o potencial de unificação do povo sob a bandeira do Cristianismo ainda permanece. Eu não sei se eles têm ou não razão… se tiverem então terão certamente de mudar de clérigos para concretizarem esse potencial. Mas não creio, muito sinceramente que a ICAR esteja acabada. Ela está feridade de morte, é certo, mas só estará acabada quando os fiéis desistirem dela em definitivo."-----------------Exacto,essa é a razão primeira(e entra naquilo que eu disse atrás sobre a necessidade psico-emocional do ser humano em geral,e que nós próprios estamos sempre de alguma forma sujeitos,por muito racionais que tentemos ser)do controlo sobre os povos desde Constantino(como negar que a igreja romana sempre foi um projecto de poder?descontando os ingénuos que entraram na igreja ao longo dos tempos)e obviamente esse poder,em nome de Deus/Cristo,foi usado até há poucos anos de forma explicita.E eu não digo que não deva haver alguma forma de representação desse tal potencial de união/coesão,o que digo é que(e agora estou na linha do que disse o Afonso "terão de mudar de clérigos")se em determinada época a igreja romana foi meio para essa tal coesão já não o é claramente(a não ser para as "ovelhas" que insistem ser parte do tal "rebanho").Dito isto,acha que eu não apoiaria uma "admnistração"(permita que lhe chame isso)da Igreja que acabasse com a parceria globalista-marxista-maçónica-plutocrática?Mas sejamos realistas meu caro,o que nos mostram os factos?

Ilo Stabet disse...

Caro Bilder e Afonso,

se me permitem intrometer-me na conversa.

os factos mostram que a Igreja Romana foi infiltrada pela corja globalista-marxista-maçónica-plutocrática através dos Jesuítas, e desde que o Vaticano pediu um empréstimo aos Rothschilds no Século XIX (se não me engano). Os sinais são óbvios há muito tempo e a evolução seguiu o mesmo padrão que todas as outras instituições que cairam nas redes da usura, tornando-se escravas da mesma e passando a ser veículos da sua propaganda.

o problema então é: que força pode lutar contra isto? por um lado é preciso a parte material (pessoas, instituições, etc), mas de onde vêm elas, e que valores? Se se definirem a si mesmas somente em oposição ao status quo, servem para abanar o sistema, mas não para o substituir. pois aí surge a questão: substituir pelo quê? acreditamos em quê? em última instância, tem de haver uma fundação. e essa fundação só pode vir de uma base transcendental. Ou seja, aquilo que representa cumpre a 'necessidade psico-emocional' não pode ser puramente materialista - vemos o vácuo que isso criou e as tentativas da elite de apontar esses instintos para tudo e mais alguma coisa (new age, espiritualidade oriental, cultura pop, futebol - seja o que for). Mas não se fundam civilizações em bases de areia. E também observamos como a tentativa de ressuscitar os paganismos europeus não funciona pela mesma razão, não porque não ofereçam um veículo para a espiritualidade (que podem oferecer), mas porque tal como os outros veículos oferecidos, não têm uma base teológica sólida que sirva para rejeitar o zeitgeist - a aceitação (e até celebração) da sodomia entre os neo-pagãos é ilustrativa disto mesmo.

felizmente, o Cristianismo tradicional não vai desaparecer. vai, isso sim, ocorrer uma quantidade enorme de cisões na Igreja Romana e - espero eu - uma reconciliação dos grupos cismáticos com a Ortodoxia do Leste. Esta batalha civilizacional - em que os alógenos são meros peões - é na realidade entre Este e Oeste, entre Atlanticismo e Eurasianismo, entre Roma e a Ortodoxia. E se há alguma saída, é regressar à estabilidade da tradição - e essa tradição continua, imutável depois de todas as chacinas e perseguições, no Leste. E, ao contrário de Roma, não é uma estrutura com uma cabeça internacionalista com vários tentáculos, mas várias Igrejas nacionais, todas com a mesma tradição e teologia, mas todas explicitamente nacionais.

Acho que esta solução concilia a necessidade de identidade nacional, com a necessidade de uma base transcendental.

Ilo

JoseSilva disse...

Há um factor que denegrirá a imagem dos LGBT's perante a sociedade.
Para isso basta espalhar a realidade vindoura. Ou seja, espalhar a mensagem aos cidadãos "normais" que os LGBT's vão ser um "fardo" económico para todos nós, porque quando chegarem a velhos vão receber reformas e pensões, pagas por nós (que trabalhamos) e pelos nossos filhos, pois os LGBT's não deixarão nenhuns descendentes para trabalharem e fazer descontos para lhes pagarem as reformas e pensões.
Se este ideia, que é a mais pura realidade, for difundida por toda a população, os LGBT's vão ficar mal vistos, e não tardará muito que a população "normal" lhes vá cobrar o devido preço.
Quando a coisa mexe no nosso bolso, não há amigos, nem boa gente. Espalhem!...
Saudações,

Afonso de Portugal disse...

Helena BC disse...
«(…)acho que baralham quantidade com qualidade e muitas das acções que fizeram, sei de muitas e posso enumera-las, acabam por não surtir mais efeito porque, para mim, são mal escolhidos os locais e algumas vezes a mensagem é errada, ou não é bem trabalhada no sentido de cativar, logo passa a efeito nulo.»

É verdade, mas eu entendo que isso é uma consequência inevitável do amadorismo político dos militantes do PNR. E duvido muito sinceramente que algum de nós possa fazer melhor do que eles, porque só os políticos profissionais, com muita experiência nas ruas e muitos actos eleitorais no currículo, é que dominam a ciência (ou a arte) do apelo consequente às massas. É por isso que eu não condeno de todo os militantes do PNR: bem ou mal, eles dão a cara e tentam fazer algo, com recursos limitados e muitos sacrifícios.


«Eu teria apostado numa greve da fome em frente à Assembleia da República para chamar atenção das condições de muitos portugueses que cada vez têm menos dinheiro e em vez disso tivemos frio e fome que foi um lamento porque a comunicação social não lhes dava voz. Estive lá sei do q falo. O Afonso tbém lá esteve ?»

Não, não estive. Sendo nortenho, nunca participei em acções do PNR em Lisboa. Quanto à greve de fome, julgo que não é a melhor forma de luta, porque o impacto das greves de fome junto do potencial eleitorado depende fortemente da cobertura mediática que lhes for concedida. Ora, como o PNR é activamente censurado pelos média, as greves de fome dificilmente terão o impacto desejado, mesmo que os militantes fiquem quase à morte…


«Aliás, não leve a mal, o PNR é um partido legalizado logo pode pôr uma fotografia sua e o seu verdadeiro nome porque dessa forma ajuda o PNR, de cara tapada só ajuda a que as pessoas pensem que muitos têm medo ou vergonha de mostrarem quem são.
Poderei continuar em diálogo consigo com o maior gosto e espero que entenda da melhor forma a crítica que lhe fiz.
»

Entendo perfeitamente, cara Helena BC, a sua crítica é muito válida. E como a Helena foi curta e grossa (no bom sentido) em também vou ser: só vejo duas vantagens em revelar a minha identidade ao mundo; em contrapartida, vejo pelo menos quatro grandes desvantagens, sendo que os efeitos práticos dessas desvantagens superam largamente os das vantagens. Comecemos pelas vantagens:

1. Como a Helena bem observou, divulgar o meu nome e cara ajudaria a normalizar a imagem do PNR, uma vez que as pessoas “vulgares” poderiam constatar que nem todos os nacionalistas são nazis. Julgo porém que esse efeito seria reduzido, uma vez que as pessoas honestas já podem ver que os militantes do PNR são pessoas normais e as desonestas não vão mudar de ideias, porque estão cegas pela ideologia.

2. Divulgar o meu nome e cara tornaria mais fácil o contacto com outros nacionalistas.

Afonso de Portugal disse...

Agora vamos passar às desvantagens:

1. O meu anonimato não se trata de vergonha, trata-se de precaver retaliações; nem toda a gente tem condições de falar livremente de cara destapada, porque nem toda a gente depende apenas de si própria.

2. Se a Helena BC bem se recorda, eu acredito que a infiltração é a única estratégia viável para derrotar a superclasse. Não acredito em revoluções, nem mesmo na democracia, que considero estar irremediavelmente viciada a favor da superclasse. Só defendo a democracia por entender que o Nacionalismo precisa de massificar a sua mensagem, algo que não é possível concretizar de outra forma. Ora, sob a estratégia da infiltração, nem todos os nacionalistas podem dar a cara, tem de haver alguns que ajam como "agentes secretos", arredados do espaço público mas activos dentro da organização em que estão inseridos, minando o sistema a partir de dentro. Foi isso que os marxistas culturais fizeram ao longo do último século... e foi por isso que venceram!

3. O Afonso de Portugal vai, em matéria de discurso, muito para além do que o PNR pode fazer. Há coisas que eu posso dizer como Afonso de Portugal que não poderia dizer como pessoa normal. Por exemplo, quando divulguei alguns vídeos sobre os abusos cometidos por ciganos na minha conta de YouTube, fui ameaçado de morte por vários deles. Não posso arriscar-me a ir um dia na rua com a minha família e a ser sovado ou morto, ou pior, a minha família ser sovada ou morta! O anonimato existe por um motivo, cara Helena BC. E eu julgo que sou muito mais útil ao Nacionalismo como Afonso de Portugal, um “racista” e “xenófobo” desbocado, do que como apenas mais um caramelo de pés e mãos atados que só pode papaguear lugares-comuns.

4. Verdade seja dita, eu não tenho nem tempo, nem inteligência, nem eloquência, nem força de carácter para poder fazer melhor do que os dirigentes do PNR. E, ao contrário do que a Helena parece julgar, poucos são os nacionalistas que têm! Toda a gente é boa a mandar umas larachas atrás do teclado, mas o verdadeiro valor político de uma pessoa só se descobre quando ela está com uma câmara apontada à cara, em directo, a ter de reagir rapidamente e defender-se verbalmente e convincentemente dos ataques que lhe estão a ser dirigidos! Eu já sou suficientemente velho para conhecer as minhas limitações. E sei que, nesse capítulo, jamais poderia fazer melhor do que o JPC ou do que o HNO.

Eu ajudo o PNR da única forma que posso, pago as quotas, divulgo a mensagem e compareço a algumas acções de rua. Se todos os nacionalistas fizessem o mesmo, o partido seria bem maior e as suas acções bem mais consequentes!
Recapitulando, vantagens: (1) mais credibilidade para o PNR, (2) mais facilidade de contacto com outros nacionalistas; desvantagens: (1) maior vulnerabilidade a retaliações; (2) comprometimento da estratégia de infiltração institucional; (3) discurso mais limitado, (4) perda inútil de tempo, por falta de capacidade para fazer melhor do que a actual liderança.

Ou seja, tenho muito mais a perder do que a ganhar, pelo que prefiro ficar como estou.

Afonso de Portugal disse...

«Como lhe disse há dias no outro local onde nos encontramos, não pertenço a nada e muito menos a qualquer associação/movimento ou partido.
Posso falar do PNR apenas como eleitora como falo de outro partido qualquer, mas nota-se que tenho maior cuidado, respeito e sobretudo carinho, quando falo acerca de ideais semelhantes ou iguais.
»

Sem dúvida, a Helena BC tem sido exemplar nas interacções que lhe tenho visto com outros nacionalistas. Mas tenho de lhe confessar que não entendo o que é que a Helena acha que ainda poderemos fazer para além do que está a ser feito pelo PNR. E, sobretudo, eu tenho de lhe deixar bem claro que não tenho capacidade para fazer melhor do que o PNR. Aliás, estou convencido de que poucos na blogosfera nacionalista têm! O combate nacionalista é uma empreitada muito difícil, os nacionalistas estão sozinhos contra o resto do mundo ou, pelo menos, contra as grandes forças que se apoderaram do Ocidente.


«Aceite os meus cumprimentos.»

Aceito de bom grado e devolvo-lhos, cara Helena!


«Desejo-lhe a maior sorte no PNR A Bem Da Nação !»

Obrigado… para si também, seja lá o que for que está a fazer por Portugal!


«É que como Afonso de Portugal pode até ser o Zé Pinto Coelho»

Ahahahahah! Não, o nosso Presidente, com todos os seus defeitos, é um Grande Senhor. Eu, pelo contrário, sou apenas mais um frustrado impotente a ver tudo arder à sua volta sem poder fazer (quase) nada, tenho os pés e as mãos atados e alma despedaçada, mas já sou velho demais para voltar atrás. Aliás, a Helena pode verificar que é impossível eu ser de Lisboa pelo meu sotaque claramente nortenho:

https://www.youtube.com/watch?v=-FP-kGAgu6g&list=PLHNh6IdibYuGgA9S4A7ET3vcexqR_JfyZ

Saudações nacionalistas!

Afonso de Portugal disse...

Bilder, Ilo Stabet e José Silva, responder-vos-ei mais tarde!