quarta-feira, 16 de maio de 2018

A esquerdalhista Vogue, sempre em "grande" nível...



Como não podia deixar de ser, o artigo consiste numa distorção grosseira de um punhado de observações preliminares que, tendo sido feitas por cientistas, estão longe de ser generalizáveis, muito menos passíveis de serem interpretadas da forma mirabolante que se lê no título do artigo da TeenVogue

Mas os esquerdalho "ocidental" é mesmo assim... no que respeita aos testes de QI ou à sobre-representação grosseira dos "jovens" nas estatísticas do crime, nunca há "evidências suficientes", apesar de haver montanhas de provas estatísticas contundentes. Os testes de QI feitos a crianças e adolescentes no Canadá e nos EUA, por exemplo, permitiram estimar com bastante precisão o seu futuro desempenho profissional em termos de salário e progressão na carreira.

Mas quando a "ciência" já convém ao esquerdalho, um único estudo basta, mesmo que no relatório desse estudo se diga claramente que é preciso fazer mais estudos! É que há "ciência" boa e ciência má, percebem? Ou vocês julgavam que a ciência era independente da interpretação humana? Nada disso, como o marxista cultural Marx Horkheimer nos "explicou": «a lógica é independente do conteúdo»...

__________________________________
Mais "ciência" rigorosa e muito lógica:

Mais propaganda pseudo-científica descarada para justificar a iminvasão da Europa
Você está viciado em pornografia? Faça o teste!
A Associação Portugueses Primeiro denuncia a Ideologia do Género
Depois da esquerdalhista Salon, outro jornal ocidental tenta relativizar a pedofilia...
"A ciência é uma contrução social", pá!
Mais uma desgraça para Detroit: "intelectuais" ianques querem meter lá 50 mil sírios! 
Afinal, o radicalismo islâmico deve-se... à internet!
Washington Post: os brancos do EUA padecem de "viés racial inconsciente"
A importância taxonómica das raças humanas segundo o Prof. Richard Dawkings  
A realidade é sexista!

11 comentários:

Anónimo disse...

AHAHAHA que palhaços! O trauma da escravatura passa pelos genes :D

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

É isto que passa por ciência actualmente, caro FdT! E o que mais ainda virá aí...

Anónimo disse...

Quem sabe se não estará aí para sair uma vacina contra o "racismo" :D

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

O caro FdT consegue sempre acertar na mouche! Há mesmo quem esteja a tratar disso! Eu até já estive para fazer um artigo sobre isso aqui no TU, mas depois deu-me uma crise de preguicite nas veias... o segredo, segundos os peritos, estará no controlo da hormona ocitocina:

http://time.com/49399/oxytocin-racism-study/
http://www.pnas.org/content/early/2017/08/08/1705853114
http://www.iflscience.com/brain/oxytocin-plus-peer-pressure-might-overcome-racism/

Anónimo disse...

Ahahaha juro que não sabia disso...já são "muitos anos" a acompanhar noticias sobre o que as pessoas "bem pensantes e de bons costumes" fazem, dizem e efetivamente pensam, portanto já não é dificil para nós antecipar alguns "progressos".

Ass: FdT

Anónimo disse...

Boas Afonso,

Gostava de saber a tua opinião sobre os acontecimentos em Alcochete, acho que já conheço a sua opinião sobre o futebol moderno, mas mesmo assim estou bastante interessado na sua análise.

Tenho amigos e conhecidos metidos nessas andanças da Juve Leo (eu próprio em tempos por lá andei) e a fraternidade, amizade, lealdade, espírito, defesa da honra dentro das claques é muito própria e é difícil de encontrar um ambiente assim fora das claques. É por isso que acho que há muita gente que partilha a ideologia nacionalista que envereda o caminho das claques (muitas vezes é até lá que tomam conhecimento da ideologia). Aliás, a Juve Leo é capaz de ser o local que mais fez o nacionalismo crescer na Grande Lisboa há 15/20 anos atrás. Pelos relatos que contam a quantidade de nacionalistas (entre eles skinheads) era uma coisa absolutamente colossal há 15/20 anos atrás mas essa malta entretanto amadureceu, criou família e afastou-se um bocado/bastante dessas andanças e abriu espaço a que a Juve Leo seja hoje dominada por uma fracção liderada por um negro.

Os casuals/nacionalistas pelas informações que se andam a espalhar foram quem fez esta invasão e esta história da invasão mostra que ainda há pelo nosso país gente com coragem para enfrentar esta corja que ganha milhões e envergonha a nossa camisola. Não é à toa que o principal lema da Juve Leo sempre foi a Honra. É verdade que teve este acontecimento vai ter consequências duras pela justiça esquerdista mas começo a acreditar que esta situação vai fazer renascer alguns casuals/nacionalistas que andam mais desaparecidos das lides futebolísticas para defender mais afincadamente o Sporting.

Eu não apoio nem sou admirador da ideologia do Mário Machado, mas ele próprio já anunciou que vai voltar a estas lides e pode ser que a fracção nacionalista volte a tomar conta dos destinos da Juve Leo, porque será um caminho para, à semelhança de há 15/20 anos atrás, reacender a chama nacionalista na Grande Lisboa. Acho que é um fenómeno que nunca foi falado aqui mas que é completamente relacionado. Juve Leo dominada pela fracção nacionalista = Renascimento do nacionalismo na Grande Lisboa.

Como despedida deixo aqui um video/musica dos Supporting - caso não saibas é malta casual que teve ligações nacionalistas há 15/20 anos na Juve Leo. Vais ficar impressionado pela quantidade de tatuagens da cruzes nacionalistas, cabeças rapadas e pelo espírito fraterno no público. Já agora aprecia também a música.
https://www.youtube.com/watch?v=tuvVbYO-dfA

PS: Quero acreditar que nunca entendeste o fenómeno das claques e do espírito que verdadeiramente se sente neste meio.

G, o cigano

um Grego disse...

Mas vós sabeis que é a verdade, olhe:

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/37/Captain_walter_croker_horror_stricken_at_algiers_1815.jpg

http://www.ancient-origins.net/sites/default/files/galley-slaves-barbary-corsairs.jpg

https://2.bp.blogspot.com/-ff8PcKLAKAw/V4o29B6q-FI/AAAAAAAABv0/FK41CG7YHN4X4UPjJr9LlbPEFUqQE4_UwCLcB/w1200-h630-p-k-no-nu/WhiteslaveryBarbaryPirates.jpg

https://i2.wp.com/static.skynetblogs.be/media/44600/4087204669.jpg

Como disse;)

Afonso de Portugal disse...

FdT disse...
«já são "muitos anos" a acompanhar noticias sobre o que as pessoas "bem pensantes e de bons costumes" fazem, dizem e efetivamente pensam, portanto já não é dificil para nós antecipar alguns "progressos".»

É isso, com o tempo começamos a prever o que eles vão a fazer a seguir, da mesma forma que um bom defesa central prevê as fintas dos avançados da equipa adversária. O problema -e é isto que muitos no nosso meio não percebem- é que as elites também fazem o mesmo em relação a nós, também prevêem as nossas movimentações com antecedência. Esse é outro dos motivos pelos quais eu não consigo perceber os nacionalistas que insistem na conversa das revoluções. É uma jogada tão gasta e previsível que os globalistas só se deixarão surpreender se quiserem. Ou melhor, deixariam, porque eu não acredito que ninguém seja suficientemente estúpido para avançar com uma coisa dessas...



G, o cigano
«Gostava de saber a tua opinião sobre os acontecimentos em Alcochete, acho que já conheço a sua opinião sobre o futebol moderno, mas mesmo assim estou bastante interessado na sua análise.»

Caro, detesto desiludi-lo, mas infelizmente desta vez não posso dizer grande coisa. Os casuals são um fenómeno que eu não só não entendo, como também sobre o qual eu não tenho qualquer conhecimento de causa. A minha opinião em geral das claques de futebol é que têm algumas coisas positivas, como o espírito de camaradagem, a promoção da virilidade/masculinidade e a valorização do colectivo. Infelizmente, estas virtudes parecem ser superadas largamente pelos seus defeitos: delinquência, violência arbitrária e mal direccionada, falta de objectivos a longo prazo e até ligações ao crime organizado.

O grande problema, do ponto de vista filosófico, é que hoje em dia já não é coerente dizer-se nacionalista e depois apoiar uma equipa de futebol "moderna". As equipas em campo já não são portuguesas, nem sequer europeias, são alógenas! Não faz sentido nenhum um indivíduo andar com uma tatuagem a dizer "1143" ou "14/88" para depois torcer e vibrar com uma equipa de mercenários estrangeiros pagos a preço de ouro que depois vão para casa engravidar mulheres europeias! Nesse sentido, as claques são uma contradição ambulante, por mais coisas boas que tenham noutros domínios.


«(...)começo a acreditar que esta situação vai fazer renascer alguns casuals/nacionalistas que andam mais desaparecidos das lides futebolísticas para defender mais afincadamente o Sporting.»

É provável, mas eu acredito que isso, a acontecer, será um fenómeno de apenas curta duração. O Nacionalismo não precisa de mais arruaceiros, caro G, o Nacionalismo precisa de mais homens, de mais cabeça, de mais estratégia a longo prazo. Os nacionalistas precisam de apelar ao cidadão comum português, não apenas aos jovens alienados da Grande Lisboa e do Grande Porto.


«Juve Leo dominada pela fracção nacionalista = Renascimento do nacionalismo na Grande Lisboa.»

Renascimento do nacionalismo... ou do nazionalizmo? A diferença é importantíssima, caro G. Os nazionalizmo afasta o eleitorado, não o agrega. Dada a especificidade do panorama político português, aquilo que queremos é criar projectos como a FN, o PVV ou a AfD. Eu não acredito na viabilidade de partidos como o Jobbik ou a Aurora Dourada no nosso país, são demasiado radicais para o nosso eleitorado tendencialmente marxista. O PNR é um dos partidos nacionalistas mais moderados da Europa e ainda não passou dos 0,5%... em parte, por ter sido associado aos skins nos seus primeiros anos de existência! E o problema de muitos nacionalistas portugueses é precisamente esse, não percebem o medo, repito O MEDO, que os sknis e as claques de futebol inspiram no eleitor médio!

Afonso de Portugal disse...

«Vais ficar impressionado pela quantidade de tatuagens da cruzes nacionalistas, cabeças rapadas e pelo espírito fraterno no público. »

Caro G, é precisamente este tipo de atitude que eu mais condeno! O nacionalista do presente tem de perceber de uma vez por todas que este género de apresentação atitude e assusta as pessoas. Nós temos de parecer normais, integrados, sérios. Estes homens parecem apenas uns miúdos alienados que não tiveram pai em casa. Lamento ser tão duro, mas não posso ser menos claro. Eu reprovo em absoluto este modo de proceder. Isto é insistir em velhas fórmulas que deram sempre errado. Nós precisamos de votos, não precisamos de meninos perdidos cheios de tatuagens e ressabiamentos, que dão a clara sensação de terem vontade de partir tudo à sua volta!


«Quero acreditar que nunca entendeste o fenómeno das claques e do espírito que verdadeiramente se sente neste meio. »

Eu julgo que percebo, mas o problema é que eu estou numa idade em que já entendo a dimensão colossal da máquina globalista que temos pela frente e por isso sei que não pode ser a emoção a ditar as regras do jogo. As sociedades humanas funcionam de uma certa maneira e é preciso agir em conformidade. Para seduzir grandes quantidades de pessoas -que é aquilo que queremos- é preciso adoptar as regras de civilidade e de convivência vigentes.


um Grego disse...
«Como disse ;)»

Acho que o caro Grego já tinha trazido aqui a última dessas imagens, mas seja como for, obrigado! Um dias destes tenho de fazer um vídeo com todas essas imagens...

Afonso de Portugal disse...

Já agora, caro G, leia o que os adeptos do Beitar de Jerusalém, agora renomeado "Beitar Trump Jerusalém", fizeram quando a direcção do seu clube se atreveu a contratar dois jogadores muçulmanos:

https://www.publico.pt/2018/05/14/desporto/noticia/beitar-de-jerusalem-adopta-nome-do-presidente-americano-1830023

Alguma vez uma claque portuguesa faria o mesmo? Duvido! Digam o que quiserem dos israelitas, mas eles ao menos são coerentes....

um Grego disse...

"Acho que o caro Grego já tinha trazido aqui a última dessas imagens, mas seja como for, obrigado! Um dias destes tenho de fazer um vídeo com todas essas imagens..."

Boa idéia Dom Afonso, muito obrigado. Não podemos esquecer!