sexta-feira, 27 de abril de 2018

E em França, continua a dança (13)...


      Alguns de vocês devem ter lido acerca disto no blogue Liberum Oratio. Em Toulouse, uma das cidades mais "jovens" e com mais cidadãos na rua virados para Meca com o rabo para o ar de toda a França (e implicitamente de toda a Europa), houve recentemente uma grande festa multicultural na sequência da detenção de uma mulher de burca...



____________________
Outras do Francostão:

E em França, continua a dança (12)...
E em França, continua a dança (11)...
E em França, continua a dança (10)...
E em França, continua a dança (9)...
E em França, continua a dança (8)...
Continua a jihad sobre rodas: "maluquinho" atropela três chinocas perto de Toulouse (França)
Os 'franciús' estão num grande dilema: devem ou não aceitar que um bebé se chame 'Jihad'?
"Maluquinho" atropela seis soldados franceses em Paris, ferindo três deles com gravidade
 Três vídeos que vale a pena ver (50): Lauren Southern em Paris
Ainda a Lauren Southern em Paris... (com legendas)
Da iminvasão em França...
Polícia "franciú" desmantela acampamento de imigrantes ilegais

6 comentários:

Lura do Grilo disse...

Um sítio pouco recomendável. Já lá estive e não me sinto seguro: abalei logo que pude. Muitos "jovens" na rua a fazer barulho e em desacatos.

Afonso de Portugal disse...

Eu ainda conheci uma França maioritariamente francesa. Em 2001, quando eu ainda era estudante universitário, estive em Rennes durante uma semana e, apesar de o ambiente ser deprimentemente cosmopolita e até esquerdista, ainda se podia andar sozinho na rua sem problemas. As mulheres bretãs eram muito parecidas com as inglesas, mas muito mais femininas e bem cuidadas, com uma aparência impecável.

No final dessa semana fui pela primeira vez a Paris... que diferença! A única coisa que permaneceu em relação a Rennes foi a imponência e a monumentalidade da arquitectura. Porque de resto, a "cidade do amor" parecia a capital de um país totalmente diferente: suja, malcheirosa, cheia de "diversidade", de gente mal-educada e antipática, com um trânsito infernal e com uma vida nocturna que me fazia pensar que toda a cidade era um bordel gigante onde também se vendia droga. Até mesmo os Campos Elísios, tantas vezes romantizados e elogiados na literatura, me pareceram imensamente deprimentes!

Agora a parte mesmo surreal: voltei a Rennes em 2013. Aquilo decaiu tanto que cheguei a ter saudades daquela Paris horrorosa de 2001! :(

Lura do Grilo disse...

"Agora a parte mesmo surreal: voltei a Rennes em 2013. Aquilo decaiu tanto que cheguei a ter saudades daquela Paris horrorosa de 2001! :(" Eh, Eh
Também estive em Paris recentemente mas foi uma desilusão: saí pouco. Não deu para ver nada de jeito e o que vi não gostei. Na zona do Sacré Couer parecia que estava a entrar no do norte de África. Não me apetece voltar.
Amesterdão então é uma desgraça: aquilo parece mesmo um mundo fora da Europa.

Afonso de Portugal disse...

«Na zona do Sacré Couer parecia que estava a entrar no do norte de África. Não me apetece voltar.»

É isso mesmo, ou até pior, pois desconfio que no norte de África não vemos tanto ódio nos olhos dos populares como vemos em certas zonas de Europa. Também não me apetece voltar. Aliás, da próxima vez que sair para fora de Portugal vou para o leste da Europa, que este cada vez menos nosso oeste está a tornar-se demasiado deprimente...

Anónimo disse...

Acerca da colonização em curso:

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2018-04-21-Refugiados-vao-dar-nova-vida-a-aldeia-desertificada-1

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

Um nojo completo, caro FdT! De onde vem o dinheiro das "associações de apoio aos refugiados" que promoveram essa aberração? Porque é que nunca ninguém juntou dinheiro para ajudar os habitantes originais dessa aldeia a reconstruirem as suas casas até agora? E claro, os habitantes da aldeia ficaram todos contentes, sem perceberem o perigo que se avizinha... ou pior, até percebem o perigo, mas como estão a receber dinheiro, directa ou indirectamente, decidiram fechar os olhos ou até aplaudir! E claro, o projecto tem um nome estrangeiro e tudo, para meter nojo absoluto! Enfim, merda em cima de merda!!!

Obrigado por mais esse vídeo, caro FdT... é mais uma bofetada nas ventas de todos aqueles energúmenos que acham que a iminvasão só se está a fazer em Lisboa e no Porto!