domingo, 22 de abril de 2018

Bosta das Índias: «Portugal precisa da imigração para resolver problema demográfico»


via O Livro das Imagens

     Os globalistas têm cada vez mais razões para celebrar a implosão portuguesa! Às suas vitórias retumbantes no campo económico (desmantelamento da indústria portuguesa, alienação da banca e do sector energético portugueses, dívida pública crescente, dependência crónica do exterior, etc.), e também no campo social (cerca de 70 divórcios para cada 100 casamentos, 150 mil abortos só entre 2008 e 2016, quase 745 mil emigrantes entre só 2008 e 2016, índice de fecundidade de apenas 1,36, etc.), começa agora a vislumbra-se a sua vitória definitiva: nas últimas semanas, as notícias sobre a destruição étnica de Portugal sucedem-se:
  1. No passado dia 6 de Abril, o Parlamento aprovou, por unanimidade, medidas de "acção afirmativa" para os "jovens" em Portugal, fazendo com que os portugueses brancos passem a ser cidadãos de segunda categoria no seu próprio país.
  2. No dia 13 de Abril foi divulgada uma sondagem segundo a qual 85% dos portugueses acreditam a inclusão dos imigrantes é um "investimento necessário para o país" e que 32% consideram que a imigração é mais uma oportunidade.
  3. No passado dia 20 de Abril, o Parlamento aprovou a naturalização de menores não necessariamente nascidos em Portugal desde que um dos progenitores aqui viva durante pelo menos cinco anos antes do pedido.
E como eu tinha previsto na posta relativa ao ponto 3, a "festa" ainda  só está a começar. Ontem, o monhé que ocupa o cargo de primeiro-ministro de Portugal prometeu mais iminvasão:
«O secretário-geral do PS, António Costa, disse, sábado, em Torres Novas, que o país "precisa de imigração" e de "atrair talento" para resolver o seu problema demográfico.»

Primeiro: qual é o "problema demográfico", exactamente? Os globalistas não andam sempre a dizer que o mundo já tem gente mais? Os ambientalistas não andam sempre a dizer que "estamos a gastar mais recursos do que a terra consegue repor?" Os intelectuais da sustentabilidade e  pseudocientistas afins não andam sempre a dizer que "é preciso encontrar alternativas aos modelos económicos baseados no crescimento demográfico"?! Então qual é o nosso "problema demográfico", exactamente?!?!

Nota para imbecis: eu não estou  dizer que não há problema nenhum, apenas a apontar a falta de coerência no discurso dos nosso (des)governantes; por um lado, temos que ter menos filhos porque o planeta está em risco; por outro lado, é preciso importar mais e mais iminvasores porque já não temos filhos suficientes para assegurar o "equilíbrio demográfico"! Bardamerda para esta "gente"!!!

Segundo: o que tem "atrair talento" a ver com "resolver o problema demográfico"? Os países mais atrasados do mundo, onde há menos talento a todos os níveis, são aqueles que têm uma vitalidade demográfica mais pujante!
«Definindo a demografia como "central para o nosso futuro enquanto país", Costa afirmou que, a par de políticas de natalidade, é preciso ser capaz de "atrair para Portugal talentos, força de trabalho, pessoas, que, sendo estrangeiros, vivendo noutras partes do mundo", permitam aumentar o equilíbrio demográfico.

Terceiro: "a par de políticas de natalidade"? Mas quais políticas de natalidade?!?! Há pelo menos vinte anos que ouvimos esta treta, os nossos (des)governantes têm falado várias vezes em adoptar políticas de natalidade para, no final, ficar tudo na mesma ou até pior!

 
"Eu quero é que venham mais "portugueses" como eu... e que partam mais portugueses como vocês!"

Quarto: voltamos ao segundo ponto... os mais talentosos têm geralmente poucos filhos. É tão simples quanto isto: quem trabalha a sério, sobretudo em áreas que constituem uma mais-valia para o país (tecnologia de ponta, automação, empreendedorismo,...) não tem nem tempo, nem um estilo de vida propício a ter muitos filhos. É por isso que a imigração para efeitos de sustentabilidade demográfica é uma pescadinha de rabo na boca: se importarmos gente realmente competente e qualificada, dificilmente importaremos gente com elevado potencial reprodutivo; mas se importarmos gente com elevado potencial reprodutivo, dificilmente essas pessoas serão competentes e qualificadas!
«"Por mais contas que se façam, não basta o aumento da natalidade para repor o nosso saldo migratório. Precisamos de imigração e, por isso, esse paradigma tem que ser dito com toda a clareza: precisamos de atrair talento para viver em Portugal", declarou, depois de apontar a evolução do índice de envelhecimento (dos 68,1 de 1990 para os 150,9 de 2016).»

Falácia, pelos motivos mencionados nos pontos dois e quatro. É uma excelente ideia atrair alguns imigrantes competentes, mas é uma péssima ideia atraí-los com o objectivo de ter mais bebés!
«"Estamos não só a ficar com uma população mais envelhecida, como estamos a ter cada vez menos jovens. Isto não tem só a ver com o facto de podermos imaginar que em 2060, em vez dos 10 milhões que hoje somos, seremos só 7 milhões, significa enormes desafios que se colocam à própria sustentabilidade da sociedade", frisou.»

Não necessariamente, como bem mostrou o Black Pigeon Speaks neste vídeo sobre a forma como o Japão lidou com o seu declínio demográfico. Os efeitos decorrentes da diminuição da população podem ser contrariados ou, pelo menos, atenuados com o aumento da automação e da eficiência dos processos industriais. Infelizmente, essas são duas das áreas em que a classe pulhítica "tuga" menos tem apostado...

____________
Ver também:

 
O Costa das Índias quer que os árabes comprem dívida portuguesa!
Costa das Índias gaba portugueses emigrados no Catar e faz pedinchice aos árabes
Costa das Índias: «Temos de enfrentar o populismo!»

Costa das Índias anuncia reforço da participação portuguesa em fundo da UE de apoio a África
O Costa das Índias insiste em querer acolher mais e mais "refugiados"
Insanidade total: o Costa vai mesmo tentar avançar com o tal "Espaço Schengen da Lusofonia"!
O Costa das Índias quer criar um "Espaço Schengen" da lusofonia!
Bosta das Índias diz que "é positivo que o referendo da Hungria seja inválido"
Os "refugiados" e a classe política traidora
O Costa das Índias continua a mentir descaradamente
Costa diz aos "refugiados" num campo grego: «São bem-vindos em Portugal»
Os esforços do Costa das Índias estão a dar frutos!
Tenham medo! Tenham muito medo!!!...
Costa não perde tempo e mostra logo ao que vem...
O PNR denuncia as promessas que Costa cumpre e também as que não cumpre...
Câmara de Lisboa perdoa 1,8 milhões de euros ao Benfica
Mais uma do Costa das Índias!...
PNR identifica o inimigo público nº1 de Portugal e dos Portugueses
PNR denuncia as intenções anti-portuguesas do cada vez mais provável futuro primeiro-ministro
De Lisboa a “Lismá”: PNR denuncia o legado de António Costa
Futuro primeiro-ministro dá 40 mil euros à Fundação Mário Soares

11 comentários:

Anónimo disse...

Era o esperado, os invasores, sobretudo os de fora da Europa, agem em bloco para nos continuar a invadir e sempre que podem tentam meter mais dos seus irmãos vindos das africas ou das indias ou do brasil, para dentro dos países europeus. O que acontece é que temos entre nós muitos e muitos colaboradores-traidores que apoiam a própria extinção do seu povo.

Isto é uma guerra demográfica, chegará o dia em que os portugueses étnicos nativos (brancos) serão minoritários e isso é o fim de ciclo e o fim de Portugal.
O que se temia veio a acontecer.

assinado Fuas Roupinho

Afonso de Portugal disse...

Fuas Roupinho disse...
«O que acontece é que temos entre nós muitos e muitos colaboradores-traidores que apoiam a própria extinção do seu povo.»

Esse ponto é absolutamente crucial, caro Fuas Roupinho. Infelizmente, os nacionalistas em geral demoraram muito tempo a perceber essa realidade e ainda há muitos entre nós que não percebem. Há uma romantização estapafúrdia dos portugueses e dos arianos em geral por parte de demasiados nacionalistas, como se fôssemos todos puros e incorruptíveis! Isso fez que, ao longo dos anos, os nacionalistas se centrassem em moinhos de vento quixotescos ao invés de atacarem o verdadeiro problema: se tivéssemos apanhado e prendido os nossos traidores atempadamente, jamais teríamos chegado a este ponto!


«Isto é uma guerra demográfica, chegará o dia em que os portugueses étnicos nativos (brancos) serão minoritários e isso é o fim de ciclo e o fim de Portugal.
O que se temia veio a acontecer.
»

É isso mesmo, infelizmente. Digo isto com muita mágoa, mas estou a perder a esperança de que seja possível salvar a nossa Nação. Como o caro Fuas Roupinho bem sabe, já haverá pelo menos cerca de 1,5 milhões de "portugueses" alógenos, imigrantes de primeira e segunda geração (com os de terceira devemos ir para os 1,8 milhões ou até mais). Ora, à medida que forem entrando mais e mais imigrantes, chegaremos a um ponto em que um partido que defenda os portugueses nativos não terá mais hipótese de chegar ao poder, mesmo que todos os portugueses brancos votem nele!

Isto do Nacionalismo começa a parecer uma quimera, uma ilusão! E o problema é que não vejo alternativas viáveis... guerra civil? Não temos exército! Separatismo? Já não há nenhuma região sem imigrantes e, mesmo que houvesse, os globalistas jamais nos deixariam isolar. Isto é um autêntico pesadelo feito realidade, caro Fuas Roupinho!…
:(

Anónimo disse...

Mais do mesmo...mais do mesmo :/ a conversa da treta que nós e com certeza quase todos os outros povos europeus andamos a ouvir há pelo menos duas décadas.

O mais incrível é que a conversa do "socialista" semi-alogeno que é "nosso" Primeiro-ministro, consegue meter um bocadinho menos de nojo que a conversa do "social-democrata" não alogeno que é "nosso" Presidente da Republica e que esta semana voltou a abrir a boca para dizer merda nenhuma que se aproveite:

https://observador.pt/2018/04/16/marcelo-elogia-equilibrio-dificil-da-governacao-em-portugal/

Ass: FdT

mensagensnanett disse...

-» Os mercenários-palhaço andam por aí a 'pendurar-se' em salvadores da demografia. [a comunidade nativa não é demograficamene sustentável]
-» Os mercenários-palhaço são lacaios ao serviço da alta finança (capital global): eles trabalham para a eliminação de fronteiras.
[nota: a alta finança ambiciona terraplanar as Identidades, dividir/dissolver as Nações para reinar...]
-» Os mercenários-palhaço, juntamente com mercenários-naturalizados, perseguem os autóctones que reivindicam o LEGÍTIMO DIREITO À SOBREVIVÊNCIA DA IDENTIDADE.
.
.
A gente sabe como os mercenários-palhaço são... URGE É TRABALHAR PARA O SEPARATISMO!

Afonso de Portugal disse...

FdT disse...
«O mais incrível é que a conversa do "socialista" semi-alogeno que é "nosso" Primeiro-ministro, consegue meter um bocadinho menos de nojo que a conversa do "social-democrata" não alogeno que é "nosso" Presidente da Republica e que esta semana voltou a abrir a boca para dizer merda nenhuma que se aproveite»

Há quem diga que esse "social-democrata" não alógeno não é bem "nosso", mas sim ((("nosso"))), se é que me faço entender. Não confirmo nem desminto, porque pura e simplesmente não sei, mas não seria de todo surpreendente.

Seja como for, português étnico ou não, a verdade é que o homem é simplesmente asqueroso. Desde o traidor Mário Soares que eu não sentia tanta repulsa por um pulhítico "tuga". O MRS conseguiu juntar o que de pior há na direita, os beijinhos de prostituta do Portas às velhinhas e às criancinhas e o discurso neoliberal do comércio sem fronteiras, ao que de pior há na esquerda, a sede de protagonismo do Sócrates e a apologia constante da imigração, o relativismo moral e cultural e os apelos constantes à miscigenação... é mau demais para ser verdade! O homem dá-me vómitos, caro FdT, vómitos!!!

Obrigado por mais esse link!


mensagensnanett disse...
«Os mercenários-palhaço são lacaios ao serviço da alta finança (capital global): eles trabalham para a eliminação de fronteiras.»

Isso é verdade no caso de Costa, mas há outros casos em que o motivo não é necessariamente a subserviência ao capital global. Muitos na esquerda apostam na imigração para ganharem mais votos nas urnas. Entre os clérigos cristãos, o motivo é manter a base de fiéis e lucrar com as negociatas da "caridadezinha". Infelizmente para nós, o problema da iminvasão vai muito para além da alta finança...

Lura do Grilo disse...

É um colonialismo

Afonso de Portugal disse...

Pelo visto, os colonialismo só são maus quando são feitos por europeus, caro Lura do Grilo...

Rick disse...

Este governo não ganhou eleições nem o seu programa em execução foi sufragado por ninguém. Foi cozinhado na cave da AR entre as três forças marxistas.
Tomar uma decisão destas de substituição étnica de um povo, não lhes é legítimo nem foi discutida ou autorizada pelos portugueses. Enquanto enchem a boca de democracias, a sua prática vai sempre ao arrepio do verbo.
A censura na CS não é suficiente para justificar o silêncio absoluto da população. São os seus filhos e netos que vão enfrentar o monstro e ver as suas vidas infernizadas. Enquanto nas grandes sociedades europeias se desenrola o filme de horror que nos espera, fala-se de bola e novelas. As jovens casam e dão-se a casar com os invasores. Triste fim para uma nação quase milenar. Não honram o passado nem o sangue derramado.

um Grego disse...

O "problemo demografico" pra Portugal é os imigrantes.

Afonso de Portugal disse...

Rick disse...
«Tomar uma decisão destas de substituição étnica de um povo, não lhes é legítimo nem foi discutida ou autorizada pelos portugueses»

É verdade, caro Rick, mas isso nunca os impediu de importar imigrantes às carradas no passado e dificilmente os vai impedir de continuar a importá-los no futuro...



«Enquanto enchem a boca de democracias, a sua prática vai sempre ao arrepio do verbo.»

São uns autênticos vigaristas, mas o povo português continua a colocá-los no par(a)lamento, ecto eleitoral após acto eleitoral. Esta última parte é que eu não entendo!


«A censura na CS não é suficiente para justificar o silêncio absoluto da população. São os seus filhos e netos que vão enfrentar o monstro e ver as suas vidas infernizadas. Enquanto nas grandes sociedades europeias se desenrola o filme de horror que nos espera, fala-se de bola e novelas.»

Bem observado, caro Rick! A minha teoria é que as pessoas só se mexem quando a casa já pegou fogo e nunca quando o incendiário anda à volta dela com um isqueiro na mão! Os portugueses em geral são um povo muito acomodado, exceptuando em relação às inutilidades que o caro Rick bem referiu (pão e circo) e em relação a questões que envolvam o seu património. Aí sim, pode haver tiros e sangue... mas em relação ao futuro do país e dos nossos descendentes? Não, quanto a isso "é preciso esperar e viver um dia de cada vez". Ora, fosga-se!!!


«As jovens casam e dão-se a casar com os invasores.»

Essa foi uma das duras realidades que mais me custou a interiorizar, caro Rick. O perceber que, embora haja algumas excepções, o amor à nação é predominantemente masculino. As mulheres em geral, seguem sobretudo a força, os fortes, aqueles que prevalecem -sejam lá eles quem forem! Percebe-se agora o porquê de os movimentos da "justiça social" contemporâneos diabolizarem tanto o "patriarcado do homem branco". Sem os sacrifícios, a coragem, a luta, a preserverança e a dedicação constante dos homens, as nações pura e simplesmente desaparecem!


«Triste fim para uma nação quase milenar. Não honram o passado nem o sangue derramado.»

Querem lá eles saber dos que morreram pela pátria! Disseram-lhes na escolinha que os nosso heróis eram todos bárbaros, colonizadores, opressores, conquistadores, esclavagistas, etc... e eles engoliram a lengalenga sem pensarem sequer duas vezes! E a nossa rica "direita" permitiu que tudo isto acontecesse sem fazer nada, rigorosamente nada!!!


Grego disse...
«O "problemo demografico" pra Portugal é os imigrantes.»

LOL! Bem visto, caro Grego! Para Portugal, para a Grécia, para toda a Europa, para todo o Ocidente civilizado de uma forma geral... esse sim, é o único e verdadeiro problema demográfico!

Anónimo disse...

_______________
Tomar uma decisão destas de substituição étnica de um povo, não lhes é legítimo nem foi discutida ou autorizada pelos portugueses. Enquanto enchem a boca de democracias, a sua prática vai sempre ao arrepio do verbo.
A censura na CS não é suficiente para justificar o silêncio absoluto da população. São os seus filhos e netos que vão enfrentar o monstro e ver as suas vidas infernizadas. Enquanto nas grandes sociedades europeias se desenrola o filme de horror que nos espera, fala-se de bola e novelas. As jovens casam e dão-se a casar com os invasores. Triste fim para uma nação quase milenar. Não honram o passado nem o sangue derramado."
_______________

Boa observação e acrescento, o problema de Portugal é que nós esquecemos quem somos e questiono-me, será que os nossos ancestrais nos olham lá de cima com vergonha daquilo que nos tornamos

os nossos antepassados vivem em nós, apenas nos esquecemos disso

https://www.youtube.com/watch?v=C-Lqm6cMsoU

http://portuguesephenotype.blogspot.pt/2014/01/passado-e-presente.html