quinta-feira, 15 de março de 2018

Marcelo foi à Grécia fazer o impossível: meter ainda mais nojo do que o monhé Costa!


      É verdade! Em Abril de 2016, o monhé que quer criar um "espaço Schengen da lusofonia" tinha ido à Grécia dizer aos "refugiados" no campo de Eleonas que seriam bem-vindos em Portugal. Por incrível que pareça, o "presidente dos afectos" conseguiu fazer ainda pior! Um muito obrigado! ao Filho da Truta (FdT) por nos ter trazido aqui esta notícia deprimente:

«O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que a verdadeira Europa, na qual ainda acredita, é a que acolhe os refugiados, honrando os valores com que foi fundada, e não a dos populistas.»

Ou seja, para este grande pimbalhão do Marcelo, a "verdadeira Europa" é aquela que abdica de si própria e compromete o futuro dos seus filhos em nome do globalismo! A verdadeira Europa é a Europa suicida! Que visionário!...
«O chefe de Estado falava no último dia da sua visita de Estado à Grécia, no Serviço Jesuíta aos Refugiados, em Atenas, onde ouviu testemunhos de jovens voluntários portugueses da Plataforma de Apoio aos Refugiados, para quem pediu um aplauso, considerando que "são esplêndidos".»

Sim, um grande aplauso e uma ovação fervorosa para as prostitutas do mundo sem fronteiras! Aquelas criaturas gloriosas que nunca mexeram uma palha pelos pobres e pelos sem-abrigo portugueses, mas que, patrocinadas por canalhas como o criminoso Soros e outros como ele, foram a correr ajudar "refugiados" que apenas vieram parasitar os europeus! Viva!!!
«"Estamos unidos nesta posição, que é agradecer-vos", disse-lhes, acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e pelos deputados Amadeu Albergaria, do PSD, Sofia Araújo, do PS, Álvaro Castelo Branco, do CDS-PP, Paulo Sá, do PCP, e José Manuel Pureza, do BE e vice-presidente da Assembleia da República.
Marcelo Rebelo de Sousa considerou que a missão destes jovens portugueses voluntários em Atenas e na ilha de Lesbos "representa bem e prestigia Portugal" e é "uma razão de orgulho".»

Reparem bem, caros leitores: da extrema-esquerda à direitinha "tugas", TODOS os partidos políticos com assento par(a)lamentar fizeram questão de ir à Grécia agradecer aos traidores da Europa! Por isso, não se esqueçam de votar neles nas próximas eleições, ou a não votar de todo, que é para garantir que eles continua a (des)governar-nos!
«Depois, falando em inglês, defendeu que, "se a Europa não está à altura deste desafio, então deixou de ser a Europa", porque "a Europa foi feita com os valores da dignidade humana, da justiça social, da paz".
"Há populistas que dizem o oposto, mas estão errados. A Europa deles não é a nossa Europa, não é a Europa. A verdadeira Europa é a vossa Europa, é a nossa Europa. Vale a pena lutar por essa Europa. Eu ainda acredito nos valores dessa Europa e acreditarei sempre. Essa Europa que vale a pena", afirmou.»

Mentira! MENTIRA! A Europa foi feita com o suor, as lágrimas e o sangue de milhões dos europeus que, ao longo dos milénios da nossa história, lutaram e morreram para edificar as nações que constituem o nosso continente! A paz e a dignidade humana só vieram depois de a segurança dos europeus estar assegurada! E a "justiça social" é uma conceito recente, relativo e falacioso, que foi inventado precisamente pela esquerda anti-ocidental, sendo constantemente papagueado por comunistas, bloquistas e afins. O simples facto de um presidente que se diz de direita usar este conceito falacioso já diz tudo o que precisamos de saber acerca dele... "justiça social" pressupõe igualdade de resultados. Um verdadeiro homem de direita defende a igualdade de oportunidades, não a "justiça social"!!!
«Marcelo Rebelo de Sousa contou que ao chegar a este centro jesuíta apercebeu-se de que uma vizinha tinha pendurado um pano em protesto contra a presença dos refugiados. "As pessoas tornam-se egocêntricas", lamentou.

O chefe de Estado acrescentou que gostava de falar com essa mulher para lhe perguntar se a "Grécia não teve também guerras civis, não esteve na II Guerra Mundial, com refugiados gregos", e salientar que qualquer pessoa pode um dia vir a ser refugiado ou vir a ter um membro da sua família refugiado

Esta então é o cúmulo do nojo! O lacaio globalista vive à pala dos nossos impostos, não faz aquilo que lhe compete como presidente, farta-se de viajar com o dinheiro dos portugueses... e ainda tem a lata de rebaixar os europeus! Este anormal do Marcelo sabe perfeitamente que a maioria dos "refugiados" não são vítimas da guerra, coisa nenhuma! São apenas imigrantes económicos, na sua esmagadora maioria homens em idade militar!!! E, no entanto, este nojento do Marcelo foi à Grécia rebaixar os autóctones gregos e apelar ao seu complexo de culpa histórico, como se estes parasitas oportunistas pudessem ser comparados aos refugiados europeus da II Grande Guerra!!!

Os nossos pulhíticos são isto, não passam disto, meros lacaios dos interesses dos senhores do mundo. Têm os votos do povo, mas governam contra o povo! Gozam indecentemente com a nossa cara e até nos dão lições sobre o que devem ser os nossos valores! Até quando?! O que vai ser preciso para nos livrarmos destes traidores?!?!...

_____________________
Leitura complementar:


Os cães actuam em matilha (Algol Mínima)

10 comentários:

Anónimo disse...

Essa de ele querer ir dar licões de moral á mulher grega que vive ao lado do centro de refugiados com 1 pano na janela em protesto é o culo dos cumulos! Dá quase vontade vomitar! Acho que nem o arrogante do "nosso" primeiro ministro era capaz de dizer tal coisa!

Queria ver qual era a conversa dele se suponhamos, fosse 1 cidadão comum a viver com a esposa e duas filhas adolescentes ao lado de 1 campo de "refugiados".

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

FdT disse...
«Acho que nem o arrogante do "nosso" primeiro ministro era capaz de dizer tal coisa! »

Mesmo! Mas o Marcelo também é só garganta... se lhe aparece uma grega furiosa, ele depressa enfiava o rabinho entre as pernas!


«Queria ver qual era a conversa dele se suponhamos, fosse 1 cidadão comum a viver com a esposa e duas filhas adolescentes ao lado de 1 campo de "refugiados".»

Eu também gostava de ver... sobretudo porque o Marcelo se arriscava a uma resposta à maneira! Os gregos são parecidos com os portugueses em muitos aspectos mas, pela minha experiência, há um em que são claramente superiores: têm muito menos papas na língua do que nós! O Marcelo nem ia saber o que o tinha atingido!...

Anónimo disse...

Parabéns pelo artigo! Acerta na mouche em todos os parágrafos.
Quanto ao Marcelo, desde que candidatou a presidente, fiquei com a impressão que ele se auto-atribuiu uma missão: salvar o “regime da abrilada”. Na verdade o regime actual está muito pior do que estava o Estado Novo (ou o que restava dele) em 1974; está infinitamente mais podre que a Primeira República em 1926. O regime só se aguenta porque vivemos numa época em que a soberania nacional foi subordinada aos “diktats” da ONU, União Europeia, NATO, FMI e outras organizações mais ou menos obscuras que nos impedem tomar o destino nas nossas próprias mãos. Mesmo assim, a corrupção e a incompetência das pseudo-elites que detêm o poder é de tal ordem, a possibilidade das coisas correrem mal é tão elevada, que nem essas armas de imbecilização maciça que passam por “comunicação social” asseguram o branqueamento necessário. Na eventualidade de isso acontecer – por exemplo, uma nova bancarrota –, Marcelo, a marionete de Bilderberg, sairá a terreiro insuflar vida no cadáver putrefacto da abrilada, arrebanhando os pobres de espírito que lhe bebem os “afectos” contra a “ameaça populista” que lhe atormenta o sono. E, provavelmente, conseguirá adiar por mais uns anos o inevitável.
(Stonefield)

Afonso de Portugal disse...

Stonefield disse...
«Parabéns pelo artigo! Acerta na mouche em todos os parágrafos.»

Obrigado, caro Stonefield! E bons olhos o leiam, já há algum tempo que não aparecia nas caixas de comentários do TU! :)


«Na verdade o regime actual está muito pior do que estava o Estado Novo (ou o que restava dele) em 1974; está infinitamente mais podre que a Primeira República em 1926. O regime só se aguenta porque vivemos numa época em que a soberania nacional foi subordinada aos “diktats” da ONU, União Europeia, NATO, FMI e outras organizações mais ou menos obscuras que nos impedem tomar o destino nas nossas próprias mãos.»

Na mouche, caro Stonefield! É isso mesmo, Portugal tem sido (des)governado a partir de seu exterior, por uma superclasse de indivíduos cuja identidade nem sequer sabemos ao certo e que controlam as marionetas como o Marcelo a partir dos bastidores.


«Mesmo assim, a corrupção e a incompetência das pseudo-elites que detêm o poder é de tal ordem, a possibilidade das coisas correrem mal é tão elevada, que nem essas armas de imbecilização maciça que passam por “comunicação social” asseguram o branqueamento necessário. Na eventualidade de isso acontecer – por exemplo, uma nova bancarrota –, Marcelo, a marionete de Bilderberg, sairá a terreiro insuflar vida no cadáver putrefacto da abrilada, arrebanhando os pobres de espírito que lhe bebem os “afectos” contra a “ameaça populista” que lhe atormenta o sono. E, provavelmente, conseguirá adiar por mais uns anos o inevitável.»

Eu, neste capítulo, ainda estou mais pessimista do que o caro Stonefield. Acredito que vai mesmo haver nova bancarrota, que Marcelo vai fazer tudo o que o Stonfield disse e que, mesmo assim, os portugueses vão continuar a votar fielmente nos mesmos partidos de sempre. A abstenção crescerá, mas apenas ao ritmo a que tem crescido nos últimos anos. Marcelo cumprirá este mandato e um próximo e quem quer que venha a seguir fará o mesmo que ele, ou semelhante.

Portugal tem um problema que eu próprio só recentemente reconheci: a demografia já foi de tal forma adulterada pela imigração que os partidos de esquerda e da extrema-esquerda não mais perderão o poder. O PCP até poderá perder alguns votos, mas o PS e o BE continuarão a crescer no futuro. Conforme denunciei nesta posta, Portugal já terá pelo menos 1,5 milhões de alógenos entre imigrantes de primeira e segunda geração. Basta que metade deles vote, para estarmos a falar de 750 mil votos, o que é bem mais do que o BE obteve nas últimas legislativas (aprox. 550 mil votos).

Lura do Grilo disse...

Este Marcelo é cada vez mais uma personagem deplorável: um valente soldado scheveik. Maleável como um pedaço de plasticina: enfim não toma a forma de nada.

Indivíduos sem carácter não têm inimigos.

Anónimo disse...

Estes posts Provocam stress. Sim porque, por muito, muito menos, os estado Português rasgava tipos aos bocados e penduravam-lhes as entranhas no focinho.
O animal do marques de pombal executou uma família inteira nobre por nada, por um rumor que atentaram à vida de um rei. Neste momento, temos figuras do estado que de modo transparente traem a nação Portuguesa e nada acontece. Isto é um pesadelo.
No sector nacionalista já todos sabemos a cor da bicharada. Mas o sector nacionalista em Portugal é muito provavelmente nem 1% da nossa população.
Estamos reféns dos outros 99%.
Esta merda tem ainda de arder muito mais, apodrecer muito mais para alguma coisa mudar.
E isso, meus caros, não é trágico, mas sim necessário.
Portugal está podre, completamente de rastos.
Com a melhora económica na UE, a tugaria a crescer uns 2% já anda em êxtase e perderam completamente a noção da realidade, mas a realidade vai-se impor e brevemente toda a merda que está escondida vai vir ao de cima.
O melhor que cada um deve fazer é cuidar de si e dos seus e preparar-se para o impacto que vai acabar por acontecer.
Se nesse dia, conseguirmos triunfar, os inimigos irão sentir o peso do braço da justiça ariana. Até esse dia, quem se quiser torturar, que assista todos os dias ao triunfo dos porcos, eu prefiro não assistir.
há anos que não consigo sequer ouvir um politico tuga, na grande maioria provocam irritação extrema, sobretudo, tipos como o Marcelo, um tipo que só disse merda a vida toda, um tipo que nunca trabalhou na vida e que viveu a comentar desde a cor das cuecas da cinha jardim aos grandes debates que teve com o tino de rãs, o pobre coitado está cheio de tiques e é odioso.. sempre todo fodido com o catarro e aquele sorriso de alucinado que faz sempre que finaliza um tópico, torna-o mesmo nauseabundo. Mas fodasse, agora andar aos beijos a torto e a direito vulgariza-o ao extremo. O Marcelo é uma figurinha patética, só num país como Portugal é que podem considerar alguém como este traste um tipo inteligente, isso diz tudo do país que é, o povinho gosta dessa pimbalhada porque o povinho não vale um caralho na sua grande maioria.

mensagensnanett disse...

---» O 'pendura' europeu É PARA ESQUECER:
- ele não trabalha para a sustentabilidade da comunidade nativa (média de 2.1 filhos por mulher);
- ele anda por aí a 'pendurar-se' em salvadores da demografia, mais, anda inclusive por aí a lamber-as-botas à boa produção demográfica daqueles que tratam as mulheres como úteros ambulantes (ex: islâmicos);
- ele é nazi: (tal como os nazis-económicos, e os islamofascistas) não suporta a existência de outros... nomeadamente, não suportam os povos autóctones que procuram sobreviver pacatamente, e ao seu ritmo, no planeta.
.
---» HÁ ISSO SIM: é que trabalhar para o SEPARATISMO!
.
.
.
---»»» Todos Diferentes, Todos Iguais... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
-» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
-»»» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
.
Nota 1: Os Separatistas-50-50 não são fundamentalistas: leia-se, para os separatistas-50-50 devem ser considerados nativos todas as pessoas que valorizam mais a sua condição 'nativo', do que a sua condição 'globalization-lover'.
.
Nota 2: Mais, é preciso dizer NÃO à democracia-nazi; isto é, ou seja, é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros.

Raghnar disse...

Marcelinho é o protótipo do populista, mas como exerce o "populismo do bom" ninguém o critica. Tenho-lhe um pó enorme, principalmente a partir daqueles anúncios das editoras que fazia no seu programa de comentário, provavelmente sendo pago para isso, mas dando a entender que tinha lido tudo aquilo. Ainda diziam que o Cavaco estava demente, mas Marcelinho está mesmo "lelé-da-cuca".

No Al-DN nota-se a enorme tolerância dos portugueses, com "pérolas" destas:

https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-da-direcao/interior/aceitar-as-diferencas-9191088.html?utm_term=Ha+cada+vez+mais+lojas+vendidas+para+habitacao&utm_campaign=Editorial&utm_source=e-goi&utm_medium=email

"Vivo em Portugal há mais de 50 anos e ali tratam-me como amigo. Não sou o outro, sou o deles, embora saibam que tenho uma religião diferente. Nunca senti isso a que chamam islamofobia." Eram as palavras de Abdool Vakil..."

Ora, o camarada Abdool é dos tais impunes, que deixou uma "prenda" de milhares de milhões ao contribuinte português no BPN, e que continua a se passear incólume, esfregando a sua impunidade na cara dos portugueses que vivem do seu trabalho...

https://www.publico.pt/2009/06/04/economia/noticia/mail-de-abdool-vakil-para-oliveira-costa-revela-criterio-de-recrutamento-de-figuras-socialistas-1384911

Claro que Portugal é um país "tolerante". Se fosse um país decente, esta rataria estava ao menos escondida...

Afonso de Portugal disse...

Lura do Grilo disse...
«Este Marcelo é cada vez mais uma personagem deplorável: um valente soldado scheveik. Maleável como um pedaço de plasticina: enfim não toma a forma de nada.»

Mas, caro Lura do Grilo, o homem sempre foi assim! Desde os seus tempos no jornal Expresso até aos comentários semanais na TVI, a sua especialidade sempre foi atacar dia sim, para depois relativizar dia não, criticar de manhã para apaziguar à tarde! A única excepção foi Santana Lopes, por quem Marcelo nutre claramente uma inimizade pessoal, ainda não percebi bem porquê.


«Indivíduos sem carácter não têm inimigos.»

Grande verdade. Quando temos uma coluna vertebral, há sempre alguém que acaba por achar isso um incómodo.


Anónimo disse...

Anónimo, por favor assine os seus comentários. Se reparar, os outros comentadores deste espaço têm todos uma assinatura. Repare que eu não quero saber o seu nome, basta-me uma alcunha. Eu apenas pretendo que haja uma persona identificável nas nossas interacções futuras.


mensagensnanett disse...
«---» HÁ ISSO SIM: é que trabalhar para o SEPARATISMO!

Também, mas não só. Se não combatermos a superclasse mundialista e limitarmos o seu poder, não adiantará separarmo-nos, porque eles também quererão as terras separadas, mais cedo ou mais tarde. Os globalistas nunca param, eles querem sempre mais e mais!


«Mais, é preciso dizer NÃO à democracia-nazi; isto é, ou seja, é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros.»

Sem recursos e poder económico não adianta dizer não. É necessário ter meios para dizer ‘não’ e esse ‘não’ ser consequente.


Raghnar disse...
«Marcelinho é o protótipo do populista, mas como exerce o "populismo do bom" ninguém o critica.»

Nisso é preciso dar-lhe mérito, ele é um lacaio globalista muito inteligente: nunca diz nada que seja verdadeiramente polémico, nunca ultrapassa os limites do politicamente correcto. Desconfio que o próprio Maquiavel ficaria encantado com a sua forma de actuar, embora certamente reprovasse o desprezo a que o Marcelo vota a nação e o povo de Portugal.

Afonso de Portugal disse...

Raghnar disse...
«Tenho-lhe um pó enorme, principalmente a partir daqueles anúncios das editoras que fazia no seu programa de comentário, provavelmente sendo pago para isso, mas dando a entender que tinha lido tudo aquilo.»

E essa era apenas uma das suas muitas nojices… o andar a comentar os jogos de futebol da selecção, o misturar comentários políticos com interpretações de carácter ideológico, o dizer-se nacionalista para depois afirmar que já não existe povo português porque somos todos uma grande misturada… enfim, um asco de criatura!!!


«Ainda diziam que o Cavaco estava demente, mas Marcelinho está mesmo "lelé-da-cuca".»

Infelizmente, aqui não posso concordar com o caro Raghnar. Eu acho que ele sabe muito bem o que está a fazer! Os objectivos dele estão perfeitamente alinhados com os da superclasse mundialista: miscigenação, relativismo cultural, globalização económica, “integração” europeia, destruição da identidade e da ethos ocidental… bate tudo certo!


«No Al-DN nota-se a enorme tolerância dos portugueses, com "pérolas" destas:»

É verdade, infelizmente. A lavagem cerebral a que os portugueses têm sido sujeitos tem produzido resultados. E até ao dia em que morram uma data de portugueses num atentado islâmico, desconfio que a situação apenas vai piorar.

Infelizmente, aqui a culpa também tem sido dos nacionalistas que, em vez de denunciarem este género de notícias e forma de pensar, se têm limitado a falar em judeus e sionismos e a dizer mal da democracia.

«Ora, o camarada Abdool é dos tais impunes, que deixou uma "prenda" de milhares de milhões ao contribuinte português no BPN, e que continua a se passear incólume, esfregando a sua impunidade na cara dos portugueses que vivem do seu trabalho...»

Está a ver, caro Raghnar? É precisamente esse tipo de notícias que mais faz falta! Muito obrigado pelos links!